Viver em Paris: do sonho a realidade

junho 21, 2015 | Posted in Vistos e permanencia, Viver em Paris | By

Muitos brasileiros ( não só..) sonham em um dia morar em Paris, nem que seja por uma temporada, tipo 3, 6 meses ou 1 ano.

Como transformar esse sonho em realidade?

Tudo é possível desde que haja planejamento e foco. Se você colocar este objetivo como prioridade, você pode sim, vir estudar aqui, ou mesmo passar umas “ferias prolongadas” na aposentadoria. Ou mesmo ficar pra sempre!

O que é necessário então, para morar na França?

Você precisa vir com um visto de long sejour. Sem esse visto você só poderá ficar por 3 meses, e não terá direito a médicos, subsídios, etc.

Eu já vivi em vários lugares e posso dizer que pra mim, Paris é o melhor lugar pra morar. Eu simplesmente amo viver aqui. Não tenho queixas mesmo. Nenhuma.

 

Quais são os vistos de long sejour disponíveis?

Visto Visiteur: Este visto é concedido para quem vem pra ca e não esta pensando em trabalhar. Você fica como se fosse um “turista a longo prazo”. Este visto exige que você comprove que tem pelo menos 1300 euros por mês, durante 12 meses (o visto é de um ano, renovável).

De resto, você precisa também ter seguro de saúde internacional, porque você não vai ter direito a assurance maladie (segurança social). Este visto Visiteur é bom para aposentados também, ou pessoas que tem renda fixa para comprovar. Você pode comprovar renda fixa ou apresentar provas bancarias de que tem este dinheiro já na sua poupança ou conta bancaria. Este foi o meu primeiro visto aqui na França.

 

Visto de estudante: Para quem vem estudar (logico…). Você precisa fazer o processo do Campus France no Brasil para ter este visto. O importante e ter como provar que você tem 500 euros por mês durante 12 meses, e inscrição em alguma instituição de ensino que tenha 20 horas ou mais de aulas por semana.

No resto do tempo livre você esta autorizado a trabalhar.

 

Visto de Vida familiar: Este é o visto para quem e casado com europeu ou com quem tem residencia aqui. O PACS só da direito a este visto depois de 1 ano de vida em comum em solo francês.

 

Visto de trabalho: Existem vários vistos de trabalho: de expert, de talentos, etc. Este é um visto que só pode ser conseguido se você tem uma empresa que esteja disposta a contratar você e passar pelo longo e difícil processo de contratação de estrangeiros não residentes. Porem….uma vez aqui, com um visto de estudante, você poderá trocar aqui mesmo o seu visto por visto de trabalho, caso consiga um emprego, e uma vez terminado os seus estudos, você poderá trocar para visto de trabalho. Chegar aqui já com visto de trabalho é um pouco mais difícil, mas pode acontecer.

 

Estes são os vistos para viver aqui. Note que vir sem visto, na esperança de conseguir um visto de long sejour aqui é uma grande ilusão. Diferente de países como Portugal, por exemplo, que de vez em quando “legaliza todo mundo que esta ilegal”, isso aqui não acontece. Portanto, uma vez entrando aqui sem visto, você pode ficar 3 meses, ou fazer o truque (ilegal…) de entrar e sair da UE, mas isso não funciona a longo prazo.

Então, na verdade, o mais importante mesmo é começar a pensar em vir, planejar com antecedência, planejar tudo direitinho, pra não chegar aqui e depois ficar colocando a culpa no governo francês.

Eles não tem nenhuma obrigação de legalizar você, já que a principio você entrou como turista.

Quem vem como turista e “resolve ficar” mostra, na visão do pessoal do governo Frances, um ato de ma fé, visto que realmente, sair de férias, chegar aqui, “gostar”, e resolver deixar tudo pra traz, família, casa, compromissos, contas pra pagar, estudos ou emprego, não existem mesmo. Sinceramente, quem é que iria acreditar?

Eu, pelo menos, não conseguiria me imaginar saindo de férias para, digamos, passar 2 semanas na “Tailândia”, chegar la e simplesmente “resolver não voltar”, deixando apartamento, trabalho, roupas, carro, compromissos, dinheiro no banco e contas pra traz.

Quando se planeja mudar de pais, temos que nos organizar direitinho, deixando as nossas coisas em algum local, ou vendendo tudo, liberando o apartamento ou casa, ou pelo menos o seu quarto na casa dos seus pais, fazendo um seguro de saúde internacional de longo prazo, avisando no trabalho que você vai se “demitir”, etc. Fica meio ruim largar tudo de repente, porque caaaaaso você queira voltar, você deixou tanta m…. pra traz e com certeza muita gente desapontada com você, que nem o seu emprego de volta você poderá ter.

Então, antes de vir:

  • Faca uma lista do que você tem e que pode ser vendido. Comece a vender as suas coisas e a juntar o dinheiro para começar a sua vida aqui.
  • Avise no trabalho que você esta planejando sair do pais, em digamos 1 ano.
  • Comece a aprender um pouco de francês. Compre um livro e estude por conta própria, já que este não é o momento de ficar fazendo mais gastos com escolas.
  • Veja quem, na sua família poderá guardar as suas coisas que você não pode trazer mas não quer se desfazer. Com o tempo, você pede pra eles enviarem aos poucos, ou nas suas férias você vai trazendo.
  • Faca as contas de quanto você precisa mesmo, pra viver aqui. Planeje de acordo.
  • Não pense que uma vez chegando aqui você vai estar apto a começar a trabalhar. O processo de validação do visto, abertura de conta, compra de telefone, etc, demora uns 2 meses. Planeje bem para não ficar estressado ate tudo se arranjar.
  • Se você vem pra estudar, comece o processo do Campus france com 6 meses de antecedência.
  • Procure apartamentos, fale com as pessoas, pesquise qual seria o melhor local pra viver aqui. Não deixe isso pra ultima hora, porque na pressa você corre o risco de ficar pagando caro e vivendo em um local que é longe de onde você precisa ir.
  • Pare de gastar em supérfluos e pague todas as suas contas antes de vir.
  • Avise a imobiliaria que você vai deixar o imovel, ou se você for proprietario, alugue a sua casa ou deixe alguém de confianca para cuidar do imovel.
  • Cancele subscricoes de revistas, jornais, internet, etc.

Bom, estas são as dicas de alguns pontos a considerar para quem quer viver aqui. É claro que este texto é dirigido a pessoas “como eu”, que não são ricas. Se dinheiro não é problema você pode simplesmente ir ao consulado e pedir o seu visto, vir pra ca e ficar indo e vindo ao Brasil pra ir organizando o que ficou pra traz aos poucos. A principio estou pensando em pessoas que não podem ficar todo o tempo gastando 2000 euros em tickets em idas e vindas ao Brasil a toda a hora.

 

Leia mais...

Renovação do visto de Turista na Europa (União Europeia)

março 11, 2011 | Posted in Vistos e permanencia | By

Este artigo é um complemento a serie de artigos sobre vistos e estadas de longo e curto prazo na Europa.

Tem vindo muita muita gente perguntar sobre como renovar um visto de turista na Europa, então, atendendo a pedidos, aqui vão umas dicas e considerações.

Estou partindo do principio que você que esta lendo isto, em busca de como renovar o seu visto de turista, é cidadão brasileiro, sem dupla nacionalidade Europeia. Se você é Europeu ou tem passaporte Europeu, você não precisa de nenhum tipo de autorização para viver, trabalhar ou passear na Europa.

 

Considerações a levar em conta quanto a renovação do visto de Turista na Europa:

 

1. Não existe visto de turista para Brasileiros. Não se pode renovar um visto que não existe. De acordo com a lei de reciprocidade, nenhum brasileiro necessita de visto de turista para vir a passeio para a Europa, assim como Europeus não precisam de visto para passear no Brasil.

O carimbo que você recebe no passaporte não é um visto, é um comprovante de entrada em território Europeu. Você carimba para entrar, e para sair. Entre um carimbo e outro pode ter até 90 dias.

Note bem, 90 dias não são 3 meses. Se os meses que você vem passar aqui são de, respectivamente, 31, 30, 31 dias, o total e de 92 dias. Se você ficar 92 dias, você esta já esta em situação irregular. Provavelmente ninguém vai encrencar com 2 dias. Estou só esclarecendo que 90 dias e 3 meses não são sinônimos.

 

2. Se você for pedir “renovação de visto de turista” na prefecture de police, eles vão rir de você. Como eu já disse ninguém renova visto que não existe.

 

3. A gente sabe, e o pessoal da imigração daqui também, que essa de “vir em ferias” e “depois afinal resolver ficar” não existe. Quem vem a turismo de verdade tem compromissos e obrigações no seu pais de residencia e volta depois das ferias. Pensando nisso, arranje uma bela desculpa se você quiser ficar mais tempo.

 

Eu não estou dizendo isso para tirar as esperanças de quem esta sem visto e pretende ficar. Estou esclarecendo certos pontos para que possamos entender melhor o que pode ser feito caso você queira ou necessite ficar mais tempo do que os 90 dias estipulados para quem não tem visto nenhum.

 

O que você pode fazer para extender a sua estada na Europa?

 

1. Peça “extensão de estada” em vez de “renovação de visto”. Dependendo da sua situação financeira aqui, provavelmente não será problema nenhum conseguir extensão;

Update 2013: Extensões de estada estão cada vez mais dificeis de conseguir.

Você claro, vai ter de provar que tem dinheiro suficiente para ficar aqui, além do seguro de saúde (que precisa ser renovado também) e prova de reserva de hotel. Você pede esta extensão na prefeitura.

 

2. Não “resolva que quer ficar” nas semanas próximas da sua data de partida. Comece a tratar da sua extensão com 2 meses de antecedência.

 

3. Se a ideia de ficar mais tempo do que os 3 meses que você tem direito como turista, lhe passar pela cabeça antes da viagem, considere ir ao consulado e pedir um visto “visiteur” para que você possa ficar aqui por um ano. Este visto é renovável pelo tempo que você quiser e tiver condições de ficar. Mesmo que você não tenha certeza de que vai ficar, se você quiser voltar e só voltar. Se quiser ficar, já tem tudo arrumado.

Basicamente este visto pede a prova de situação financeira, reserva de hotel ou apartamento (ou carta oficial de que alguém vai receber você em casa). Esse visto Visiteur não é difícil de fazer se você tiver todos os documentos para provar que pode ficar aqui por 1 ano.

 

4. Cuidado com a ideia de vir aqui sem visto, “arranjar emprego” e trocar o seu visto para visto de trabalho. Você pode até conseguir um emprego, o que não é difícil, mas o processo ate você conseguir ser contratado demora mais de 90 dias porque a pessoa que vai te contratar tem de colocar um anúncio a procura de alguém, esperar 3 meses, e se depois disso ninguém aparecer (nenhum residente aparecer), o emprego é seu. Mas por lei tem de dar “chance para os residentes” primeiro. Tente achar um emprego antes de vir, nos classificados locais, faca uma busca no google, por exemplo.

5. Para quem tem um “amor” Europeu: Se você namora/vive junto um(a) francês(a) ou outro cidadao da UE, e tem como provar que vocês estão juntos a mais de 1 ano (comprovante de aluguel no nome dos dois, conta conjunta, cartas,  declarações de testemunhas, tickets de avião, tudo vale) voce pode pedir um visto de long sejour de vida familiar/privado. Pergunte direitinho a(o) seu(sua) amada(o) se ele(a) esta disposto(a) a ajudar com o processo, porque os documentos do cidadão francês/europeu no consulado para fazer o pedido de visto sao fundamentais. Se vocês casarem, melhor ainda. A uniao de fato so é valida se voces viverem sobre o mesmo teto por mais de 1 ano. Relacionamentos online nao sao levados em conta.

Atenção: PACS, união de fato (união livre) não da direito a cidadania Europeia nem visto ,Para maiores informacoes sobre PACS, uniao livre e casamento, leia este artigo sobre PACS, casamento e uniao livre na França. Diferente dos Brasileiros que veem como familia qualquer namorado, aqui voce realmente precisa declarar perante que esta disposto a formar uma familia legitima com a outra pessoa, e e necessario viver sob o mesmo teto.

 

6. Sair da união Europeia para “zerar o contador”. Funciona, mas não esqueça de que o pessoal da imigração pode se dar conta do truque e não carimbar o seu passaporte. Mas é uma tentativa valida, porem ilegal.

 

7. Você pode trabalhar nesses 3 meses de estada de “turismo” aqui. Se alguém lhe oferecer um trabalho como baby sitter, por exemplo, pode pegar sem medo. Você só não pode assinar contrato, mas trabalhinhos esporádicos não são ilegais. Você não pode se candidatar a empregos que exigem que você assine contrato.

 

Espero que essas informações sejam úteis para quem já esta aqui, e esta tentando ficar por mais um tempo.

Não esqueça de que:

  • As extensões de estada podem ser negadas.
  • Se você já sabe que quer ficar aqui, tente, no consulado arranjar um visto antes de vir.
  • Arranjar prolongamento de estada sem voltar ao Brasil será sempre uma medida provisória.
  • Se você quer ficar aqui como residente e ter direito a ter um emprego, você vai ter de voltar ao Brasil mais cedo ou mais tarde para tratar de um visto de long sejour.
  • A ideia de vir sem visto e tentar algum tipo de renovação de estada é perfeito se você esta com a ideia “se eu puder ficar, tudo bem, se não der, tudo bem na mesma”.

 

Para maiores detalhes sobre vistos e permanência, de uma olhada na categoria vistos e permanência do ArtdeViv.

 

Leia mais...

Como abrir uma conta bancária na França

janeiro 25, 2011 | Posted in Viver em Paris | By

Como abrir uma conta bancaria na França ? Quem pode abrir? É necessário visto?

São muitas as perguntas sobre o mesmo tema…
Estou escrevendo este artigo em resposta a vários e-mails que venho recebendo ao longo destes meses e porque acho que essas informações podem ser úteis para todos que pretendem passar uma temporada maior do que 3 meses aqui na França.

Estive fazendo uma pesquisa sobre os Bancos na França e suas regras para abertura de contas/ cartões, juntei a minha experiencia própria a respeito e aqui vai a informação:

Quem pode abrir: Todo mundo que apresente os documentos necessarios e que tenha o montante de dinheiro para o deposito inicial (pode variar entre 100 euros ate 5000 – pela minha pesquisa).

É necessário visto? Sim, para contas de residentes – para contas de não-residente não é necessario (obvio)


Os principais bancos franceses são:

* Allianz Banque
* AXA Banque (internet banking)
* Banque Accord (internet banking)
* Banque Populaire (alguns sites regionais são em Inglês)
O Banque Populaire de la Côte d’Azur International Branch (todos falam Inglês)
* Barclays França (tem site em Inglês)
* BNP Paribas
* Caisse d’Epargne
* CIC
* Credit Agricole Crédit Agricole
* Credit Lyonnais
* Mutuel crédito
* Credit du Nord
* HSBC France (internet banking e do site em Inglês)
* ING Direct (internet banking)
* La Banque Postale
* MonaBanqu (internet banking)
* Société Générale

Abrindo uma conta em um banco francês

Um estrangeiro que é (ou vai ser) residente em França por mais de três meses, pode abrir uma conta bancária francesa (compte bancaire). Um estrangeiro que não é (nem pretende ser) residente em França, poderá abrir uma conta de não residente (compte não-residentes). É uma boa oportunidade caso você queira ter uma conta em Euros.

O compte não-residentes

Nem todos os bancos têm disposição para uma conta de não residente, e outros impõem restrições sobre quem pode abrir uma conta, com base no seu local de residência (é geralmente mais fácil para a UE-residentes do que aqueles em países fora da UE), o saldo de abertura mínima e outros fatores. Alguns bancos têm instalações para uma conta a ser aberta fora da França.

Documentos necessários para abrir uma conta pode variar, mas geralmente incluem: comprovante de endereço residencial (uma conta recente) e comprovante de identidade.

Conta bancária francesa para residentes (se você mora ou vai morar na França)

Um estrangeiro que vive  na França pode abrir uma conta bancária (ou varias).
Alias, você deve abrir uma!

Isso facilitara muito a sua vida e você poderá optar por um melhor plano de telefone celular, internet e TV a cabo, por exemplo.
Tambem é importante ter uma conta bancaria para que as suas contas sejam diretamente debitadas. É uma preocupação a menos. Você não precisa se preocupar qual é o dia que vence a conta da luz ou água, tudo pode ser debitado automaticamente.
A maioria dos bancos têm uma grande variedade de tipos de conta, mas a conta mais básica costuma ser a conta corrente (compte à vue, também chamado de compte de um armazém de vue ou um compte cheque). Outros tipos comuns de conta são as contas correntes remuneradas e conta poupança.

Os documentos necessários para abrir uma conta são os seguintes:

* Os cidadãos da UE: Prova de identidade (passaporte válido ou carteira de identidade)
* Os cidadãos não-comunitários: Comprovante de residência (carte de séjour)
* Comprovante de endereço em francês: uma conta de serviço, contrato de locação ou título de propriedade
* Comprovante de rendimentos ou estado: Contrato de trabalho / comprovante de rendimentos / prova de status (por exemplo: um cartão de estudante)  – se você estiver depositando uma grande soma de dinheiro o comprovante de rendimentos pode não ser necessário.
* Referência: a partir de outros bancos onde as contas são realizadas (normalmente só é necessária para os empréstimos a descoberto)
* Em alguns casos, uma certidão de nascimento

Abrir uma conta pode ser feito em um dia e os cartões e talões de cheques normalmente chegam dentro de uma semana a dez dias depois da conta a ser aberta. Você tem de ir ao banco retirar os cheques e o cartão.

Contas conjuntas:

As contas podem ser realizadas em nomes comuns (alias muito útil para quem esta pretendendo apresentar provas de vida em comum para fins de visto).

Note que uma conta mantida por duas pessoas terão as palavras “et” ou “ou” entre os nomes.
No caso de uma conta detida em nome M et Me Xyz, ambos titulares da conta deve assinar um cheque, enquanto que no caso de uma conta em nome M OU Mme Xyz, seja titular da conta pode assinar. Se você for mesmo usar esta conta, escolha a opção “ou”. Se for só para guardar dinheiro mesmo, pode escolher a opção “et” mas não aconselho… imagina se acontece alguma coisa e um dois dois tem um acidente (ou acontece qualquer imprevisto) e não pode assinar… o outro fica com a conta bloqueada.

Os bancos franceses vão cobrar por certos itens, por exemplo, em alguma taxa que é paga para ter uma conta, há uma taxa para ter um cartão (e segundo cartão), pode haver um encargo para a instalação de internet banking e para as operações em alguns bancos .

Usando uma conta de banco francesa:

Dependendo do tipo de conta escolhido um livro de cheques e cartões de pagamento e retirada em dinheiro (o Carte Bleue – ou “cartão azul”) será emitido.

Ler e escrever números em Frances:

Ao escrever ou ler números francês, é importante saber a localização de pontos e vírgulas.

* Um ponto marca a milhares de pessoas, enquanto uma vírgula separa os centavos: mil euros está escrito € 1.000,00 (Mil euros)
* A vírgula marca a frações em porcentagem: ponto cinquenta e dois e seis por cento é escrita 52,6% (cinquante deux seis pourcent Virgule)

Os pagamentos com cartão

* Pagamentos por cartão Carte Bleue são aceitos na maioria dos lugares em França.
O pagamento é feito usando o código PIN; assinaturas podem ser solicitadas ao longo de um determinado montante
* Procure o símbolo do(Carte Bleue) CB Visa ou MasterCard
* Observe que o BC do débito não é um cartão de crédito! O dinheiro vai ser debitado imediatamente da sua conta!
* Dinheiro máquinas, caixas eletrônicos (distributeurs) são fáceis de encontrar na maioria das cidades e aldeias e são simples de usar (sendo da mesma forma como no resto do mundo): insira o cartão e siga as instruções em texto. Muitas máquinas permitem a opção de selecionar o texto em Inglês
* Pode haver restrições à utilização de uma conta quando viajam para o exterior, portanto se você estiver pensando em usar o cartão em outro pais pergunte ou olhe direitinho no web site do banco para ter certeza. Cada banco tem regras diferentes.

Cheques

Uma identidade com fotografia (por exemplo passaporte, autorização de residência ou carta de condução) pode ser solicitado quando voce pagar com cheque.
O seu nome tem de estar exatamente como no passaporte ou se não couber opte pelo sobrenome (nome de família) completo. Pelo menos foi isso que me disseram para fazer no meu banco. Como o meu nome era muito extenso tive de cortar o meu nome (primeiro nome).
Os cheques são aceitos como um pagamento em dinheiro.
Atenção: Se o banco não pode pagar  o seu cheque por falta de fundos, o banco é obrigado a relatá-lo à autoridade da França bancário nacional (o Banco de França) que vai impor uma bancaire interdit que proíbe o titular da conta de cheques por cinco anos.

* O cheque só pode ser cancelado, se for perdido, roubado ou se houver suspeita de fraude
* É ilegal passar cheques pós-datados (ilegal mesmo).
* A seleção é válida em França durante um ano e oito dias (12 meses, 8 dias).

Ao receber pagamentos com cheques, sempre escreva o número da conta bancária , e assine o verso do cheque antes de depositá-lo.

Quando um talão de cheques se aproxima do fim, o banco enviará um outro, se você preencheu o  formulário solicitando a renovação automática. A renovação também pode ser feitas através do preenchimento do formulário fornecido em um talão de cheques. A retirada pode ser feita na agência mesmo.

Outras informações importantes sobre bancos na França:

Ao receber ou pagar grandes quantias de dinheiro em uma venda privada (por exemplo, comprar um carro usado por meio de um anúncio de classificados), é recomendado usar um cheque de Banque, essa forma de pagamento é garantido pelo banco emissor. Isso proporciona tanto a garantia do comprador e vendedor de pagamento adequado.

O beneficiário deverá solicitar, por escrito, que o banco prepare o cheque. Fornecer o número da conta a ser debitada, do nome do beneficiário e o montante. O pedido deve ser feito um dia ou dois antes e é necessário pagar encargos bancários pelo cheque (umas taxas extras pelo serviço).

Ao abrir uma conta, o banco oferece várias cópias de RIB (relevé d’identité bancária). Esta é uma forma que estabelece as referências bancárias e detalhes de conta e de identidade. Ele contém o numero de compte (número da conta), o código de l’établissement (código do banco) e o código guichet du (código de classificação). Normalmente você sai do banco já com essas informações. O cartão e o talão de cheques vem depois.

Essas informa coes (RIB) são solicitados ao estabelecer pagamentos de contratos regulares por débito automático em uma conta (prélèvement automatique), por exemplo, para o pagamento de contas de luz, telefone, internet, etc. Essas informacoes tambem são necessarias para a criação de pagamento automático em uma conta, por exemplo, a Segurança Social, os benefícios Bolsa Família ou salários.

Leia mais...

Trabalhar e estudar em Paris! Intercambio Au Pair em França!

novembro 10, 2010 | Posted in Viver em Paris | By

Viver em Paris: Dicas de como você pode fazer o seu sonho tornar-se realidade!

Se você sempre sonhou em percorrer o mundo, falar varias línguas, que tal tentar um intercâmbio como Au pair?

Você tem entre 18 e 28 anos? Gosta de cuidar de crianças? Então Au pair pode ser a solução para você conhecer a França!

A estada da “fille au pair” é a melhor forma de fazer um intercâmbio econômico, seguro, além de compartilhar o dia-a-dia de uma família francesa.

O programa Au pair é voltado principalmente (não somente) a pessoas do sexo feminino que buscam uma experiência de vida no exterior.

A “fille au pair” é considerada um membro da família que a acolhe, além de participar das atividades cotidianas, tendo a oportunidade de conhecer um novo país, viajar, explorar uma nova cultura e praticar o idioma. O programa normalmente e de 1 ano e você pode renovar ou não. E possível mudar o visto depois e simplesmente ficar no pais com visto de trabalho, portanto, se você esta pensando em vir trabalhar em Paris, Au pair pode ser um bom começo! Quando o seu intercambio estiver chegando ao fim, comece a procurar emprego, e quando o seu visto estiver vencendo (2 meses antes), você vai a prefeitura, pede para mudar de status comprovando que já tem emprego garantido (por isso e importante começar a procurar emprego antes do intercambio terminar!)

No intercambio Au pair você terá à sua disposição um quarto individual, receberá uma ajuda de custo (tipo uns 80 euros por semana – os valores variam de família para família) e compartilhará das refeições junto aos membros da casa – você não tem de pagar alojamento nem comida. Muitas vezes você ira viajar com a família de férias também – sem pagar nada. O principal objetivo é que a participante aproveite cada momento de sua estada, criando bons laços e adquirindo novos conhecimentos. Dependendo da família, pode ser necessário ter carteira de motorista – mas você pode ser Au pair em Paris sem carteira de motorista, não há obrigatoriedade.

A “fille au pair” deverá ajudar (nao é empregada nem faxineira, é so ajudar mesmo) a família a cuidar das crianças e também freqüentar uma escola de francês. Todos os recursos possíveis estarão ao seu alcance para que ela possa não só aperfeiçoar a linguá francesa, como também viver momentos inesquecíveis !

Para maiores informações, vá ao web-site do Cheguei Paris

Boa sorte!

Leia mais...

Custo de vida em Paris: Viver em Paris sai caro?

novembro 6, 2010 | Posted in Viver em Paris | By

Viver em Paris faz parte do sonho de muita gente, e não é impossível!

Na verdade, depois de conseguir o visto, o maior problema é onde morar.
Os alugueis não são baratos e na maioria das vezes tem uma burocracia enorme para conseguir alugar alguma coisa.
Eu já disse e digo de novo que, se você fizer as contas, morar em Hostal (albergue ou pensão) é uma ótima opção no inicio.
O preço de um apartamento pequeno em Paris não custa menos de 1000 Euros e montes de dor de cabeça por causa da burocracia.
1000 divididos por 30 dias (um mês) sai 33.33 etc por dia.
Você pode pagar um hostal com menos de 10 euros por dia, sem problemas de burocracia, com alguém para limpar o banheiro todo dia! (os hostais tem pessoal de limpeza!) Outra vantagem é que se você encontra um emprego do outro lado da cidade e só mudar de Hostal, não precisa ficar procurando emprego em lugar perto ou com transporte acessível.


Claro que você pode dividir o apartamento, então pagaria somente 15 Euros, mas teria de dividir o espaço com alguém. Ok.
Isso se você consegue um apartamento por esse preço (mil Euros). O mais provável é encontrar algum apartamento por este preço mas não necessariamente « perto » do centro.
Claro que tem montes de transportes como metro, ônibus, trem, dependendo do lugar, mas ai você tem de adicionar o preço dos transportes no orçamento também.
Outra opção é alugar um quarto e torcer para que o pessoal do apartamento tenha uma rotina parecida com a sua. Eu já tive experiencia de dividir apartamento com outra pessoa que afinal vivia sempre « convidando » o namorado para ficar la, o casal gastando tudo em dobro e afinal pagávamos o mesmo porque oficialmente ele não morava la… tenha cuidado para não cair em fria. É sempre bom dividir apartamento com colegas da universidade ou trabalho, gente que você sabe que não vai sumir no meio da noite e deixar você com as contas para pagar sozinho.

Então, depois do alojamento resolvido, a segunda maior causa de preocupação é a alimentação.
O custo de alimentação é muito, mas muito relativo mesmo. Depende do que você come e das suas prioridades. Se você come em casa, sai muito mais barato com certeza.
Quantas refeiçoes completas você precisa por dia? Você precisa ter bolos e sorvete na geladeira todos os dias? Esses pequenos detalhes devem ser bem pensados antes de estabelecer um orçamento.
Quanto a minha experiencia, da para viver perfeitamente gastando 400 Euros por mês em alimentação/supermercado (produtos de limpeza incluídos, shampoo, etc). Esse é o dinheiro que eu gasto mas com certeza da para gastar muito menos. Eu compro vinho bom, tenho sempre 3 tipos de queijos diferentes na geladeira e chocolate, salmão defumado, etc. Se você não precisa disso, sai muito mais barato com certeza.
Eu não acho o custo de vida em Paris alto. E claro que se você vai a restaurante com frequência, isso pesa bastante na carteira. Um bom almoço ou jantar pode custar entre 30 a 200 euros dependendo do lugar (2 pessoas).

Dicas para economizar na alimentação:

1. Se você tem de comer no trabalho, leve comida de casa ou compre congelados no supermercado ou Picard surgeles (loja que vende comida otina congelada, muito mais barata que restaurante mas uma delicia – é fácil de encontrar tem montes de lojas Picard por todo o lado em Paris).
2. Faca bolos em casa e economize um monte de dinheiro. Um bolo ou torta na rua pode custar caro, se você faz em casa e barato. Eu sempre faço.
3. Use os cupões de desconto dos supermercados, aproveite as promoções, faça a “cart de fidelite” nos supermercados. Eu as vezes pago metade do preço por causa destes detalhes. Neste site podemos encontrar varias promocoes nos restaurantes, voce pode receber os descontos por email, e usa se quiser.


Promotions restaurant

4. Mantenha uma rotina de compras, estabeleça o que você vai comprar e não improvise muito, tipo “ah.. isso parece gostoso… vou comprar!”. Faça uma lista e compre só o que esta escrito, se você quer provar uns chocolates diferentes ou qualquer outra coisa, espere uma ocasião especial.

Se mesmo assim a situação ainda ficar apertada, não esqueça que você pode encontrar uns trabalhos extras como babysitter, por exemplo, em sites como o www.bebenounou.fr.
As famílias pagam entre 7 a 10 euros por hora e o trabalho é leve. Se for para tomar conta de mais de uma criança a família tem de pagar mais, pelo menos 12 euros.
A maior parte das vezes os pais das crianças precisam de babysitter para horários noturnos – tipo se eles querem ir jantar fora sem as crianças no sábado a noite. Então você só tem de brincar com as crianças um pouco, tratar do banho, dar o jantar e colocar para dormir. Fácil, fácil e você pode ler, estudar ate os pais chegarem.

Para saber mais sobre como economizar em Paris leia

Lista de Precos nos supermercados de Paris

Compras baratas: Onde encontrar lojas outlets e grandes descontos em Paris

Leia mais...

Condições de entrada na França: Dicas para não ser barrado no aeroporto

outubro 28, 2010 | Posted in Vistos e permanencia | By

Muita gente tem medo de viajar porque vive lendo noticias de brasileiros com a entrada recusada em países europeus.
Na verdade muitas noticias são sensacionalistas e querem mesmo é captar a atenção dos leitores, não contando todos os fatos.
A maioria das pessoas recusadas nos aeroportos realmente falham em apresentar algum documento exigido. Por isso, gostaria de colocar algumas informações a respeito das condições de entrada em território francês e quais os documentos devemos ter em mãos ao chegar ao aeroporto:

1.PASSAPORTE VÁLIDO:

O passaporte deverá ter validade de 6 meses a partir da data da ida ou 3 meses a partir da data da volta.

2.COMPROVANTE DE ESTADIA

reserva de hotel -pode ser a copia enviada por e-mail, imprimida. / atestado de acolhimento oficial* / voucher de excursão

passagem de ida e volta comprovando a saída da Europa – não precisa ser volta ao Brasil.

carta da empresa (se a viagem for profissional)

*Atestado de acolhimento – “attestation d’accueil” é um documento oficial (Cerfa n°10798*03) emitido pela Mairie ou Préfecture de police do município onde mora a pessoa que irá acolher você. Você  deverá apresentar este documento à Polícia da Fronteira no momento da chegada, caso seja necessário apresentar os documentos.
Uma carta ou e-mail de uma amigo ou familiar dizendo que você vai ficar alojado na casa/apartamento dele não serve, tem de ser o documento oficial. Tenha em mente que você deverá ter o documento oficial em mãos, não adianta apresentar a cópia do documento dizendo que o amigo está no aeroporto a sua espera com o documento verdadeiro. Peça para a pessoa enviar por correio o documento oficial, não esqueça de pedir para enviar por Sedex, ou você vai ter de esperar uns 2 meses até chegar a carta. (Atenção: atestado/declaração de acolhimento  e carta convite não são a mesma coisa!)


3.COMPROVANTE(S) DOS MEIOS DE SUBSISTÊNCIA

Dinheiro em espécie, cheques de viagem, cheques certificados, cartão de crédito internacional válido.

Quanto dinheiro você dera ter? 60 € por dia OU 30 € por dia se você tem um atestado de acolhimento.

4.SEGURO-SAÚDE:
Todos os estrangeiros, submetidos ou não a um visto de curta duração, que desejarem ingressar na França, devem obrigatoriamente estar munidos de um seguro-saúde e de repatriamento no valor mínimo de 30.000 euros e que cubra todo o território “Schengen” (França, Alemanha, Grécia, Espanha, Itália, Áustria, Portugal, Finlândia, Suécia, Noruega, Bélgica, Holanda, Dinamarca, Islândia e Luxemburgo).

Mais algumas informações:
Brasileiros que desejam permanecer menos de 3 meses na França – metropolitana beneficiam-se de isenção de visto se forem a passeio (turistas).
Se você for pensando em trabalhar – você precisa de visto de trabalho. Não venha para ficar ilegal aqui. É ruim para você trabalhar como ilegal porque você não tem nenhuma garantia de que irá receber o seu salário por exemplo, aliás e é comum após alguns meses de trabalho o próprio patrão denunciar você a imigração.
Aqui você conta com a concorrência de imigrantes de língua francesa das ex colonias, não e tão fácil conseguir emprego se você não fala francês. Todas as regalias e leis de legalização de imigrantes ilegais são para os cidadãos das ex colonias, não para os imigrantes ilegais de outras nacionalidades.
Ser deportado não e nada agradável, primeiro você vai ter de esperar julgamento – na prisão, só depois eles te enviam de volta e o seu nome fica registrado. Você pode ate voltar, mas nunca terá as regalias de um imigrante legal tendo a “ficha suja”.
Outro problema e que vindo como turista você nunca poderá mudar o status do seu visto sem voltar ao Brasil. Não adianta conseguir emprego e tentar ficar porque você não pode pedir autorização de trabalho com visto de turista.

Se você tem alguma dúvida a respeito de vistos e permanência,  deixe um comentário com a sua pergunta.

Nota: Este blog nao e escrito pensando unicamente nos leitores brasileiros, mas tento escrever sobre assuntos gerais que possam interessar e esclarerer duvidas de ambas as nacionalidades (portugueses e brasileiros). Neste caso, o artigo e sem duvida direcionado ao publico brasileiro.

Leia mais...

Viver na França: Visto de long sejour categorias “vida familiar/privada” e “empregado”

outubro 17, 2010 | Posted in Vistos e permanencia | By

Viver na França: Visto de long sejour categorias “vida familiar/privada” e “empregado”

Existem 4 categorias de visto de long séjour: visiteur, estudante, vida familiar / privado e empregado.

Vistos de longa duração são emitidos pelo Consulado da França no país que você reside antes de vir viver  na França.  Isso significa que se você vive em outro país que não é o que você nasceu, mas é residente, você pode fazer todo o processo onde você mora, não precisa voltar ao país de origem.

No meu caso eu fiz todo o processo de requerimento do visto de long sejour na China. Não precisei ir ao Brasil para fazer isso. Ás vezes lemos na internet que a pessoa deve requerer o visto no “país de origem”, mas isso não e verdade, o certo seria no “país de residência”.

Vistos de long sejour são válidos por 12 meses, renováveis, se você quiser permanecer e a sua situação não mudar. Esses vistos podem mudar de categoria, ou seja, você pode vir para estudar, e no próximo ano mudar para visto de trabalho porque conseguiu um emprego ou visto vida familiar se encontrou o amor de sua vida em terras francesas.

Já falei sobre os vistos de long sejour “visiteur” e estudante em Viver na França: Visto de long sejour categorias “estudante” e “visiteur” e falei sobre o que fazer depois de chegar aqui (para todas as categorias de vistos) no artigo Validação de visto de long sejour e visita ao OFII (Office Francais de l’Immigration et de l’Integration)

Visto de trabalho:

Para conseguir este visto você deve já ter  uma empresa querendo contratar você antes de vir. Normalmente a empresa trata dos papéis para o empregado e manda todos os documentos necessários para a requisição do visto no país de residência da pessoa.

A empresa tem de pedir uma autorização de trabalho para o empregador antes de você pedir o visto de trabalho no consulado.  Então basicamente o que você precisa para ter este visto é alguma empresa interessada não só em contratar você, como disposta a passar por este processo burocrático também. Se essa opção parecer difícil, eu aconselho pedir um visto  de long sejour “visiteur” no primeiro ano, nesse tempo você vem, procura emprego e renova o visto mudando de status. É melhor porque você tem tempo e pode escolher melhor. Não interessa o tipo de emprego que você conseguir, você tem direito a renovar o visto e mudar de status desde que a empresa esteja interessada em fazer o processo.

Vida familiar /privado:

Para requerer este visto você  deve ser casado(a) com um cidadão da EU (União Européia). Se o seu cônjuge não e Francês, mas é cidadão europeu você de cara recebe uma “carte de sejour” de 10 anos. Se o seu cônjuge for Francês você irá receber uma carta temporária de 1 ano, renovável, e depois de 4 anos você terá o sejour permanente.

Agora, antes da gente começar a dizer: porque? Isso não é justo, blábláblá, vamos analisar o seguinte fato:

O governo aqui sabe que quem é casado com Francês mais cedo ou mais tarde vai pedir naturalização e cidadania francesa, tendo então todos os direitos dos franceses. Por essa razão eles não dão o sejour permanente logo em seguida. Se dessem, haveria muitos “casamentos brancos”- aquele casamento que não e real, é feito somente por causa da residência.

Então vale a pena esperar 4 anos para receber isso.

Dizem (não sei se e verdade porque não passei por isso) que eles realmente checam se o casal vive junto, vindo na sua casa e pedindo para olhar as roupas, fotos, etc. Não posso afirmar se é verdade, mas acredito que isso acontece se o casal tem grande diferença de idade, cultura (tipo um é muçumano e outro catolico), ou padrão social muito diferente.

Outra forma de requerer o visto de long sejour “vida familiar/privada” é com o PACS (é basicamente um contrato oficial de união de fato) ou com união de fato normal. Nesse caso antes de requerer o visto o casal deve provar que vive junto ha pelo menos um ano.

Como provar? Com conta bancária conjunta, com comprovante de taxas, testemunhas, declaração do administrador do prédio que vocês moram, correspondências oficiais tipo do banco, por exemplo, servem pra mostrar que ambos tem o mesmo endereço, etc.

Nos condomínios eles geralmente tem o registro dos moradores, portanto quando vocês se mudarem ou você for viver junto, não esqueça de avisar que se mudou para eles declararem o seu nome nos registros do prédio. Aliás a maioria dos condomínios só entregam a cópia da chave com chip para abrir a porta principal se você declarar que esta morando no prédio.

O visto de long sejour vida familiar/privada dá todos os direitos de cidadão. Você pode fazer  o que quiser, trabalhar, pedir ajuda financeira do governo, etc. Esse é o visto mais difícil para mudar de status, então pense bem antes de pedi-lo. Só devemos requerer este visto quando sabemos que a relação será duradoura.

O casamento dá direito ao visto de long sejour, ou seja uma vez casado ninguém pode negar o visto. Com o PACS ou união de fato você pede o visto e dependendo da situação poderá ser negado.  É pouco provável que isso irá acontecer, mas em todo o caso se for negado você pode pedir uma prolongação de visto para casar e regularizar a situação. Eu sinceramente não conheço nenhum caso de pedido (autêntico) de visto de long sejour vida familiar/privado baseado em PACS ou união de fato que tenha sido negado – se o casal pode provar que tem condiçães financeiras de viver junto. Mas tenha o cuidado de entregar todos os documentos que eles pedem. Algumas pessoas não entendem porque tiveram o visto negado mas não entregam todos os documentos necessários, depois vão pra internet reclamar e as pessoas que lêem os artigos ficam com receio. “Eu não sabia” não dá direito a reclamações.

Outra coisa importante que eu gostaria de ressaltar e a importância de ter todas as informações atualizadas. Os consulados não atualizam os web sites com freqüência- isso eu posso afirmar, já verifiquei e o próprio consulado Brasileiro em Paris não tem informações atualizadas – Se você vai lá perguntar eles dizem outra coisa.

Então, antes de colocar listas do documentos pedidos pelo governo Francês, eu prefiro colocar o web site mais atualizado e correto para estes assuntos:

OFII – Office Français de l’Immigration et de l’Intégration

Este é o web site da própria entidade que autoriza (ou não) a sua estada aqui.  Nada diferente das informações que estão no web site do OFII são verdadeiras ou atualizadas.

Leia mais...

Viver na França: Visto de long sejour categorias “estudante” e “visiteur”

outubro 16, 2010 | Posted in Vistos e permanencia | By

Algumas Informações sobre o “Visto de long sejour “

Se vocês  estão  acompanhando os outros artigos do blog, já sabem que eu vivo em Paris e tenho (tinha quando cheguei) visto de long sejour categoria “visiteur”, válido como título de sejour depois de validado – veja como foi o processo de validação deste visto em Validação de visto de long sejour e visita ao OFII (Office Francais de l’Immigration et de l’Integration). Outros vistos de long sejour deverão passar pelo mesmo processo após entrada em território Frances.

A categoria “visiteur” é aquela que você  tem de provar que tem dinheiro ou fonte de renda estável e que não ira trabalhar em território Francês.

Entre outros documentos que eles pedem, estão:

1.     Prova de que tem seguro de saúde internacional durante toda a validade do visto (eu fiz um seguro de 1 ano). No Brasil parece que isso não e pedido mas como eu vivia em Shanghai, e era residente La, eles pedem isso. Paguei pouco mais de 200 euros por um seguro bem completo. Vantagens de viver na China…

2.     Declaração de moradia – onde você vai morar.

3.   Comprovação de que voce tem uma salario minimo frances por mes de estada: 1500 euros por mes por 12 meses que é a validade do visto.

Bom, voltando ao meu visto, com o visto “visiteur”  eu posso estudar, por exemplo. Aliás e super fácil conseguir vaga já estando aqui. A maioria das universidades aqui é mesmo do tipo “pagou entrou”, se você já tem curso universitário ou mestrado.  Entre elas a Sorbonne. Eu fiz um curso na Sorbonne logo quando cheguei e pela minha experiencia foi so chegar, e se inscrever (levando os diplomas e visto é claro)

A gente as vezes tem uma idéia errada de que as universidades são super concorridas e difíceis de entrar, mas o ensino na França é incrivelmente barato (300 euros/ano – Sorbonne é mais cara) e de fácil acesso (se voce tem um bom curriculo). O maior problema sempre será vir para cá com um visto válido e que  permita a você realizar os seus projetos aqui.

Não esqueça de que um visto de turista – ou para nós brasileiros- vir sem visto nenhum, dá direito a ficar aqui por 90 dias como turista e pronto, você não pode mudar o status do seu visto. Você poderá renovar (ou não, dependendo da boa vontade do pessoal na policia) o visto de turista por mais tempo, mas como você tem de provar que tem dinheiro, então e melhor já vir com o visto de long sejour “visiteur” de 1 ano, totalmente renovável e com possibilidade de mudar de status- para visto de união familiar se você pretende casar aqui, ou para visto de trabalho de você arranjar um emprego, ou mesmo visto de estudante.

Estudar na Franca nao e tao dificil como parece! informe-se!

Hoje gostaria de falar também um pouco a respeito de visto de estudante e como fazer para vir estudar aqui. Todo o processo de visto no Brasil é bem mais complicado que nos outros países (não me perguntem porque).

No Brasil você antes de pedir um visto de estudante para estudar na França, você tem de passar primeiro pelo processo de inscrição do Campus France. Depois de criar um “dossier’ no site e completar todas as etapas do processo (são 6 etapas), você pode ir requerer o visto no Consulado apresentando o seu número de dossier Campus France acompanhado dos documentos seguintes:

Passaporte válido; com no mínimo 3 meses de validade depois do fim do visto que você esta pedindo, portanto, se você esta pedindo um visto de 6 meses, o seu passaporte deve ter no mínimo 9 meses de validade. Essa informação não é dada claramente no Brasil  mas na maioria das vezes causa atrasos na emissão do visto. Consulados de vários países pedem isso para emitir o visto Frances, então como os vistos são emitidos pelo governo Frances é melhor garantir e entregar um passaporte com validade longa.

  • Foto recente (dependendo do consulado o tamanho varia), normalmente entre 3×4 a 3.5×4.5
  • Copia do último diploma e certificado de estudante ou pesquisador, se for o caso.
  • Justificativa de inscrição ou de pré-inscrição (eles só aceitam pré inscrição caso você tenha pago o curso em avanço) na Universidade/escola Francesa: documento que demonstre a resposta definitiva ou sinal positivo da universidade pública ou privada habilitada pelo governo francês.

Se você vem através de bolsa da União Européia ou francesa, apenas a apresentação do documento correspondente “pode” ser suficiente. Isso é melhor perguntar.

  • Justificativa de recursos: Você  deve fazer prova que dispõe de recursos financeiros suficientes durante o ano universitário. Não ha um valor estipulado, mas o que se encontra de informação em consulados franceses de outros países e o mínimo de 500 euros/mês. Se você é bolsista, deve fornecer um documento escrito da entidade onde consta o valor da bolsa,  especificando se e mensal, semestral, etc.

Em caso de ajuda familiar, você  deve apresentar uma declaração (assinada, firma reconhecida, etc.) com a justificativa de recursos (boletim de salário, extrato bancário, declaração de impostos, etc.).

Não esqueça de verificar como você vai receber  o dinheiro vindo do Brasil, eu recomendo o Western Union, uma por meio de empresa especializadas em transações internacionais, que no Brasil só e disponível  no Banco do Brasil (não  tenho certeza), mas aqui você pode receber o seu dinheiro em qualquer correio ou banco, mesmo não  tendo conta no mesmo. A transferência  leva 20 minutos para ser feita.

Em caso de recursos próprios, você pode apresentar o extrato bancário (não adianta pedir dinheiro emprestado e colocar no banco e tirar extrato, eles querem ver o seu histórico bancário, não somente o saldo. Não sei no Brasil, mas na China para eu comprovar que tinha meios próprios de sustento tive de mostrar o histórico das contas bancarias e investimentos de mais de 6 meses.

  • Comprovação de moradia: Parece meio sem sentido mas para conseguir o visto você tem de declarar a sua moradia (mesmo que provisória). Não é muito lógico porque as casas de estudantes pedem o seu visto de estudante para confirmar a sua estada. Para não complicar reserve um albergue qualquer (uma cama serve) só pra mostrar no consulado. Veja o link do Hostalworld no blog, tem alojamentos por 5 dólares. Com certeza você nem vai usar, porque depois de conseguir o visto você pode confirmar o seu lugar nas moradias estudantis.

Com o visto de estudante voce pode trabalhar em tempo parcial, o que as vezes ajuda nao so economicamente mas a sua propria insercao social e completa a sua experiencia! (desculpem a falta de acentos neste ultimo paragrafo, o computador ficou meio maluco e prefiro publicar assim mesmo e depois revisar mais tarde).

Leia mais...

6 dicas para escrever uma boa “Lettre de Motivation”

outubro 5, 2010 | Posted in Viver em Paris | By

Trabalhar na França.

6 dicas para escrever uma boa Lettre de motivation

Hoje gostaria de falar um pouco sobre uma coisa muito importante quando vamos procurar emprego na França:

A Lettre de motivation!

Essa  lettre de motivation deve ser escrita a mão, e como a maioria dos empregadores baseiam-se muito mais nessa carta do que no seu CV, achei que era necessário falar sobre isso.

Muitas vezes chegamos aqui e como não estamos muito acostumados a “viver em Frances”, por melhor que seja as nossas capacidades com a língua, cometemos alguns erros básicos por simples falta de não entender as diferenças culturais.

Aqui vão algumas dicas de como escrever uma boa Lettre de motivation:

1. Procure saber o nome da pessoa que vai ler a carta ou pelo menos o cargo que ocupa, não envie uma carta tipo “a quem possa interessar”.

2. Não seja muito formal como as cartas que estamos acostumados a escrever no Brasil.

3. Seja breve e não coloque muita informação sem deixar espaços em branco.

4. Coloque os seus contatos e como você pode ser encontrado, seja claro que você esta disponível e é a pessoa certa para a posição.

5. Escreva uma carta específica para cada emprego, coloque o nome da empresa e o cargo que você esta se candidatando, enfim, mostre que você fez uma pesquisa sobre a empresa e que a carta e só pra eles mesmo. Se eles sentem que a sua carta é uma carta de busca de emprego muito ampla, eles vão saber que você esta usando a mesma Lettre de Motivation pra 100 empregos diferentes. Seja específico.

6.Não mande copias de documentos se eles não pedirem.

Deixo aqui um link de um e-book (pdf) que é de graça e você vai encontrar muito mais informações a respeito de como ser bem sucedido na busca de emprego na França.
Você será direcionado para uma página que pedirá para colocar o seu nome e email.
Depois de receber o email (na mesma hora, espere alguns segundos) você tem de confirmar clickando no link que eles te mandarem, depois você será direcionado à página para fazer o download.
E rápido e eu aconselho mesmo esse livro (é facil de ler, em Frances, tem 24 páginas).

Les 10 Secrets des Lettres de Motivation

Leia mais...