Coisa de pobre… ou coisa de Europeu ?

Ola pessoal !

Mais uma analise das diferenças culturais entre Brasileiros e Europeus (Franceses, no caso…).

Tenho feitos muitos passeios (claro, é o meu trabalho né ?) e tenho notado que as vezes quando eu proponho alguma coisa eu ouço a famosa expressão « eu não faço isso! Isso é coisa de pobre ! »

Enfim, o que é visto como coisa de pobre no Brasil aqui são coisas perfeitamente aceitáveis para classe media e classe alta.

Vamos la :

  1. Encher as garrafas de água na rua, nas fontes disponíveis pela cidade. A água é potável, gostosinha e esta sempre gelada… enfim ótima e além disso é de graça. Todo mundo utiliza. Então nada de ficar com vergonha e vir com frases do tipo « eu quero pagar pela minha água, isso é coisa de pobre…. » ha ha sem comentários.

  2. Usar o metro… Alexia…. coitadinha, você não tem carro????(ok, tenho) rsrs escrevi muito neste paragrafo mas achei melhor dar uma encurtada e resumir: Todo mundo usa os transportes publicos. E claro que se for a noite, voce tiver toda arrumada pra uma festa e preferir um taxi, otimo, mas no dia a dia o metro é otimo se voce vive dentro de Paris.
  3. Pedir “carafe d’eau” no restaurante, em vez de “bouteille d’eau”. Qual é a diferença? A primeira é de graça rsrs. É uma jarra de água da torneira (ótima água por sinal), e a outra é uma garrafa de água engarrafada, que custa cerca de 4 euros nos restaurantes, ou mais.

  4. Cortar o cabelo e fazer manicure em casa, assim como arrumar a sua própria casa: Enfim, coisas de Europeu… aqui se gasta mais em cinema, teatro, viagens, livros, e se economiza nos serviços em geral. Aqui todo mundo sabe se virar, não há o costume de se ter quem faça tudo por você… No Brasil todo mundo tem “secretaria”, aqui uma secretaria tem de ter curso superior, enfim você precisa pagar cerca de 2000 euros pra ter uma, e uma empregada de limpeza/empregada domestica custa 1300 euros por mês (aqui “secretaria” e “empregada de limpeza/empregada domestica” são profissões diferentes).

  5. Repetir roupa: eu já falei nisso muitas vezes, então não vou entrar mais em detalhes, enfim essa é uma terra onde não se faz crediários, se compra coisa de qualidade, pra durar muito tempo e se repete muuuito as roupas. Não há essa de mudar de guarda roupa a cada estação. Normalmente uma pessoa da minha idade (40 e tantos rsrs) já tem roupa suficiente para todas as ocasiões, e compra muito menos do que um(a) jovem ainda montando o guarda roupa. Existem peças que são praticamente eternas (bolsas, sapatos sociais, jaquetas de couro, etc), e duram mesmo a vida inteira. Aqui nada fica velho, vira “Vintage”, nada sai de moda, fica “retro”.

  6. Esperar os saldos para comprar: Essa coisa de ficar comprando sem perguntar o preço, pra não “parecer pobre”, é coisa de brasileiro; aqui se procura por meses um casaco até encontrar um que seja perfeito: bonito, que vista bem, seja quentinho, e esteja com preço ótimo (normalmente se espera as liquidações de inverno).

  7. Guardar coisas como sacolas de compras, luvas e guarda chuvas como se fossem bens preciosos rsrs. Isso mesmo, estes não são coisas descartáveis aqui. Não tem essa de comprar um guarda chuva na rua só pra usar na chuva e depois colocar fora. Tem pessoas que fazem passeios comigo que me pedem o guarda chuva emprestado e depois não devolvem mesmo que eu peça de volta porque afinal é “uma porcariazinha” onde se viu pedir de volta, que coisa de pobre!

  8. Compram roupa usada em brechó (e vendem): isso mesmo, reciclar é bom e assim ninguém fica acumulando coisa que não usa mais.

  9. Compram livro usado e usam a biblioteca e videoteca do bairro pra pegar vídeos e livros emprestados (em vez de comprar DVD pirata…).

  10. Participam das feiras de rua tipo “limpa guarda roupa”, ou “limpa garagem”, pra se desfazerem de coisas que não querem mais, dos moveis da vovó que morreu, das roupas que já não servem mais: isso não tem a ver com crise. Sempre se fez isso e é mais uma reunião de vizinhos do que uma “venda por necessidade de dinheiro”.

  11. Fazer pic nic: Embora eu não faça, e não goste muito, porque adoro entrar em um restaurante em ambiente fechado, os jovens e estudantes fazem muito. Detalhe: Trazer salada de macarrão em vasilha de plástico ou qualquer outro tipo de comida fria que não precise usar faca é uma coisa normal, ser farofeiro aqui não é coisa de pobre. Beber bebida alcoólica na rua eu ja acho excessivo se você tem mais de 30 anos. Essa do vinhozinho a beira do Sena é ótimo pra turista ou jovens, mas depois de uma certa idade não pega muito bem. Principalmente se você vive aqui.

    Enfim pessoal, a gente no Brasil cresce preocupado com o que os outros vão falar, compra muito só pra impressionar em vez de comprar o que precisa ou o que gosta, mas aqui é um pouco diferente, na verdade ninguém esta nem ai para como você se veste desde que você esteja decente e limpo. Enfim, relaxe, e aproveite as férias!Guia da europa

37 Comments
  1. Hahaha mais um ótimo artigo Alexia! Acabou que eu vou para a Alemanha, não para a França a trabalho, mas ainda assim vou estagiar um tempo em Nice rsrs’

    Suas dicas me ajudaram muito, obrigado! :D

    Abraços.

    • Ola Fernando!

      Que bom que voce gostou rsrs
      Alemanha? hmmm que maravilha!
      Voce esta indo parao pais mais rico da europa, enfim acredito que sera uma maravilha!
      Que cidade? ja sabe?
      Abraços
      Alexia

  2. Oi Alexia , tudo bom!

    Estou visitando a França no inicio de setembro e a minha duvida é com relação ao clima neste período e nós vamos com a nossa filha de 11 anos. Gostaria de saber quanto custa o seu serviço de guia para 02 dias e nós vamos para Disney e ficaremos 02 dias por lá e tenho dúvidas se ficamos no hotel por lá ou não , como você já percebeu tenho muitas dúvidas. Aguardo o seu contato. Bjs.

  3. Olá Alexia, vou viajar para Paris no começo junho – passar 2 meses e aproveitar para Conhecer a França e paises vizinhos – e estou preocupado com uma coisa … Posso usar o euro ( dinheiro europeu) ou terei problemas com paises que ainda não usam o euro? Para visitar outro país da UE como turista terei de cumprir alguma formalidade?Parte da minha familia é de origem Italiana, se pedir passaporte Italiano favorece para que eu posso circular pela Europa ou não faz diferença? Pela sua experiencia de Europa … Tem alguma dica para maximizar minha estadia pela França e arredores. Obrigado.

    Enio Jauhar

  4. Alexia! Estou amando o seu site! Lendo do começo ao fim!! Completíssimo!
    Pena que nao te-lo conhecido ano passado, em julho, quando fui visitar Paris!
    Adorei! Os franceses sao legais e se esforçam muito para tentar te ajudar!!
    Quero agradece-la por dividir tudo com os leitores, sem esconder nada, nadinha!
    Obrigada!!!
    Beijos,
    Lucimara

  5. Oi, Alexia =)
    Achei seu blog numa pesquisa sobre universidades francesas, só que o post em que eu entrei estava com os comentários fechados. Queria saber se posso me inscrever quando eu ainda não terminei o Ensino Médio (tipo, lá no final do 3º ano, mais ou menos na época em que se faz os vestibulares).
    A propósito, estava dando uma olhada e adorei os posts.
    Beijo.

  6. Olá Alexia, vou viajar para Paris no começo de maio – passar 10 dias na casa de uma amiga que mora em Nantes – e estou preocupado com o seguro-saúde e a “carta de acolhimento”. Você poderia me ajudar com isso? Em Nantes, onde minha amiga pode pegar esse documento oficial pra me mandar? Estou com um pouco de pressa, pois falta pouco mais de 1 mês, apenas, para a viagem. E o seguro saúde? Vi em outros posts seus que o site da MondialTravel é seguro, mas eu recebo o cartão saúde em casa? Como é? E é necessário tirar um cartão internacional ou posso viajar apenas com dinheiro em espécie mesmo?
    Obrigado!

    • Ola Jose carlos

      Voce pode viajar somente com dinheiro sim. O cartão de credito ou debito internacional é somente uma segurança caso haja algum contratempo.
      Quanto ao seguro voce pode fazer pela internet pelo site da mondial e imprimir o comprovante. Isso é tudo o que voce precisa.
      Não ha um cartão fisico, bonitinho rsrs pra voce. Somente um papel. Existem empresas que oferecem um cartão bonitinho, mas custam mais, e nem sempre o serviço de resarcimento é tão rapido.
      Quanto a sua amiga, ela precisa ir a Mairie o mais rapido possivel para pedir uma atestation de acueil pra voce, e depois mandar o mais rapido possivel por fedex. Ou voce reserva um hostal barato por uns 5 dias e depois cancela quando chegar aqui. Eu digo que é melhor reservar um local barato porque voce sempre perde a primeira diaria por cancelamento em cima da hora. Tendo em vista que so o fedex pra mandar o documento seria 50 euros no minimo, mais 30 da atestation, se voce reservar um hostal por uns 40 euros ou mesno ainda sai mais barato mesmo perdendo o dinheiro da primeira diaria.

  7. Muito bom ! Parabéns por suas postagens que muito nos ajudam.
    Mas , perdoe-me : Um vinho (só 375ml) vai tão bem no Jardim de Luxemboug.kkk
    abraço e continue , é muito legal!

    • Oi Renato!!!
      kkkk eu também tenho muito o que aprender… tentando relaxar e não dar bola para o que os outros dizem…
      Eu fui criada ouvindo a frase “imagina o que os vizinhos vão pensar”… ja viu ne… tipica classe media brasileira que se preocupa mais com a sua imagem perante os desconhecidos do que perante voce mesma… mas devagar se vai longe… rsrs
      Abraços
      Alexia

  8. Olá, Alexia!

    Seus posts me ajudaram bastante na minha última viagem à Europa em janeiro/2013, em especial em Paris, onde fiquei por 6 dias não-consecutivos com meu marido. Tive pouquíssimo tempo entre a compra das passagens e a viagem pra me organizar, foram menos de 3 meses pra que tudo desse certo, e não podia contar com a ajuda do marido, pois ele estava em final de semestre na faculdade e enlouquecido com isso… Daí me apoiei nos blogs de dicas – dentre os quais o seu também. Ele foi se preocupar com a viagem na última semana antes do embarque, portanto, estava completamente por fora do que veria e o que teria pela frente. Nesse seu post, lembrei-me do dia em que disse a ele que precisávamos ir “caminhar na Champs Elysées”, pois isso também faria parte do roteiro turístico. Ele estranhou: “só caminhar?” Eu disse que sim e fomos. Saímos pelo Arco rumo à Champs, e ele incomodado… Depois, bateu a fome e sugeri que lanchássemos no Café Paul, que era o melhor e mais em conta. Ele torceu o nariz. Por fim, pedi “pra viagem”, e saímos com os pacotinhos nas mãos, em busca de um local pra fazer o lanche… Só encontrei um daqueles balaústres (ou sei lá o que é aquilo) que fica sobre umas passagens de carros e meu marido, pra lá de incômodo, perguntou: “será se pode comer aqui mesmo?” Eu disse que sim, que era normal, que todo mundo fazia isso, e que sendo na Champs Elysées, isso seria “parte do turismo”. Aí foi que ele entendeu e se tranquilizou, mas até então… Rola certa desconfiança mesmo, afinal você tá no primeiro mundo, comendo sanduíche em pé na rua… Para o padrão brasileiro, se fosse aqui, seria coisa de mendigo…
    Nosso padrão nacional é tão alto para algumas coisas e baixo para outras… :-P
    Abraços.

    • Oi Ildenice!!
      Muito obrigada pelo seu comentario e testemunho. Realmente o brasileiro é muito mais “fino” do que o europeu nestes detalhes rsrs.
      A gente também come tudo com garfo e faca, aqui se pega comida na mão, enfim… A maioria dos restaurantes não tem pratinho parao pão, se coloca na mesa mesmo (nunca dentro do seu prato rsrs). O meu marido mesmo so coloca o pão na mesa mesmo com o pratinho ao lado kkkkk que eu coloco.
      Eu tenho que confessar que mesmo fora do Brasil ha 20 anos ainda tenho problema em sair comendo pela rua, pois como voce disse a gente é educado pra achar que isso é coisa de mendigo… rsrs Temos tanto pra aprender sobre simplicidade… eu incluida.
      bj

  9. Olá Alexia,
    Já nos falamos por email e sempre que posso estou entrando no seu blog e articulando os meus planos.
    Adorei seus comentários, ficou perfeito.

    Abraços;
    Josué

  10. Oi Alexia..sou eu Sandra (a do crepe q quase me envenenou..rsrs). Amei o seu texto. Realmente há muitas diferenças entre os Brasileiros e Franceses. Penso que vc deve ficar bege com tantas besteiras..
    Infelizmente brasileiro tem isso de querer ser rico e sempre preocupado com os outros..tenha paciência..rsrs. Bjos (em outubro estarei aí!!)

    • Oi Sandra!
      Tudo bem? Claro que lembro de voce! Afinal voce não descobriu o que foi que tinha no crepe que fez voce passar mal?
      Quanto ao artigo, eu de forma nenhuma estou me queixando, e paciencia é uma coisa que eu tenho de sobra rsrs.
      Estou apenas mostrando pras pessoas que por aqui elas não precisam ficar tão preocupadas com as aparencias, que podem relaxar….
      So isso. Eu não me incomodo pessoalmente com isso, so acho que as pessoas podem ser mais felizes se relaxarem um pouco e não tentarem ficar todo o tempo “provando” coisas para os outros. A gente não tem na verdade de provar nada pra ninguém.

  11. Alexia,

    Uma palavra diz tudo sobre seu artigo

    excelente !!!

    Estou aqui emocionado com a mensagem emanada de seu artigo.

    Saudações

    Carlos Andrade

  12. Uma vez li uma reportagem sobre uma garota brasileira que morava na Europa e levou os pais de classe alta para passear na casa dela, eles acharam um absurdo ela lavar a própria roupa e “faxinar” a casa, mas depois eles acabaram se mudando também e adoraram o novo estilo de vida, mais livre destas obrigações sociais!!! Concordo plenamente com os europeus, cuide de você mesmo e guarde o dinheiro para os verdadeiros prazeres!!!!

    • Oi Mariana!
      Isso com com certeza acontece não somente na classe alta, acontece em todas as classes sociais que tem algum dinheirinho pra pagar nem que seja uma diarista. As mães nem ensinam os filhos a arrumarem a sua propria bagunça em casa e dpeois quando os mesmos vão morar sozinhos precisam sempre de ajuda. Quando alguém quebra o padrão as pessoas estranham mesmo.
      bjos e obrigada pelo comentario.
      Alexia

  13. Adorei o artigo. Parabéns para as “chamadas”. Muito bom. Quando será que vamos aprender a respeitar a cultura de outro povo e deixar de ser tão “tupiniquim”. Mas um povo que teve um pre-sidente por oito anos “nunca antes neste país…….” e ainda elege a sucessora, isso sim é uma “pobreza” de cultura, educação,de discernimento e tudo o mais que nós brasileiros já sabemos.
    Bjks de uma carioca aos 40º.

  14. Olá Aléxia,
    estou me organizando para fazer novo passeio aí. ainda espero seu comunicado com relação à sua vinda ao Brasil (Natal-RN). Bjos.

    • Ola Edilson!
      A quanto tempo! Espero que voces estejam bem! Estivemos com muitos problemas (saude) no ano que passou, tivemos que reformular alguns planos… mas Natal ainda esta na nossa lista…
      bj
      Alexia

  15. Como sempre, mais um Post absolutamente pertinente, Alexia…
    Parabéns!!!
    Super Abraço
    Maria Helena

  16. Adorei o seu artigo. Alexia “que pobreza” os comentários dos nossos patrícios. Ainda não aprenderam a respeitar os costumes de outros povos.Acabo de enviar um email para você pedindo o favor de encaminhar o seus artigo”Pontos Turísticos por área(arrondissement).Aventura de duas “senhorinhas”(eu 70 e minha irmã 69) por uma semana em Paris, sem falar o idioma. Planejamento todo está sendo feito pelo seu blog, que é o MELHOR.

    • Oi Regina!
      Obrigada pelo seu comentario!
      Acabei de mandar o email com o artigo. Obrigada pela simpatia, fico contente que o blog esteja sendo util!
      bjos e bons passeios em Paris!
      Alexia

  17. Ola Alexia
    Voce é uma mulher muito inteligente, e conseguiu transformar um blog que poderia ter virado mais um a falar de “onde comprar o novo batom da moda” em Paris em um blog mais social, com analises sobre a cultura, as diferenças sociais, enfim, parabéns.
    Blogs sobre Paris que so falam em macarrons e baguettes a web esta cheia, a gente quer mais do que isso. Uma boa leitura mesmo não estando planejando uma viagem.
    Nada contra os seus artigos com dicas de compras alexia, não leve a mal, mas voce adiciona variedade, isso é necessario.
    bj de uma seguidora avida.

  18. Oi Alexia e leitores do artdeviv.
    Eu queria dar os parabéns pelo artigo, sempre leio o blog mas nunca comentei antes.
    Eu vivo no sul da França. Tem uma que eu quero contribuir: Aqui é normal se viver em apartamentos de 60 metros quadrados ou menos, e isso é porque não ha espaço mesmo no centro das cidades, os predios não podem ser mexidos, são todos “historicos”. Não é coisa de pobre, é porque não tem mesmo como encontrar grandes apartamentos no centro da cidade, que é sempre antiga. Até os restaurantes são tudo pequeninos.
    Em um pais como a França, onde a maioria (acho que é mais de 60 por cento) vive de SMIC (1300 euros eu acho), ganhar tipo uns 2500 euros é um otimo salario. E não se precisa de casas enormes, principalmente se é voce quem vai limpar!
    Eu ganho isso e vivo muito bem. Estou também querendo quebrar o estereotipo de que a mulher brasileira vem pra ca pra ser sustentada por europeu.
    Valeu Alexia!

    • Oi Rafaela!

      Obrigado pelo comentario! Mais uma pra quebrar o estereotipo da brasileira que vem ser sustentada pelo europeu. Obrigada e bjos
      Agora para os leitores em geral:
      Quanto aos nossos comentarions (meu e da Rafaela) espero que o pessoal entenda que estamos aqui colocando os valores da nossa renda pra mostrar que o que estamos dizendo não é coisa de pobre mesmo rsrs. Dizer “isso não é coisa de pobre, é normal…”, quando se vive sustentada pelos outros (ou seja, se é pobre haha) é meio hipocrisia ne? Por isso fiz questão de colocar mais ou menos a minha renda, e a Rafaela colocou a dela.
      bjos a todos

  19. Perfeito o Post!
    Pais rico (de primeiro mundo) não é quando o pobre anda de carro, mas sim quando o rico usa transporte publico… aliás, quando os serviços atendem a todos…!!!

    Abraços

    • Ola Vincente!
      Otimo comentario o seu. Realmente é isso mesmo. Os transportes publicos são realmente “publicos” aqui. Pra todos.
      Não ha local em Paris que voce esteja a mais de 400 metros de uma parada de transportes publicos.
      E os transportes são varios: metro, RER (trem suburbano), Tram (eletrico), onibus…
      Enfim, muitas das linhas do metro são antigas e feias, mas funcionam bem.
      Para o povo residente é melhor que o governo invista em novas linhas (para atender mesmo a todos) do que ficar reformando e deixando tudo lindo pra turista ver.
      Abraços e obrigada pelo comentario.

  20. A-do-rei este post! Tudo a ver!
    Na França e é assim mesmo. Tão bom…
    A gente no Brasil se preocupa muito com aparencia, até porque se vive dela muitas vezes.
    A gente sempre quer aparentar ter mais do que tem. O crediario é bem pra isso, pra gente ter as coisas que não pode haha. Vivemos na ilusão!
    bj Alexia, esse foi o melhor artigo dos ultimos tempos. Parabéns.

Comments are closed.