Fotografando Paris : Veja o que você pode e o que não pode fotografar na França

setembro 4, 2012 | Posted in Cultura Francesa, Turismo dicas | By

Oi pessoal!

Estou de volta finalmente!

Hoje vou falar sobre as leis referentes a fotografias e filmagens por aqui.

Diferente dos EUA e do Brasil, onde você tem direito por lei a registrar qualquer coisa (e colocar no youtube depois rsrs), aqui as leis são diferentes.

É claro que os turistas tem uma certa margem de tolerância quanto a estas infrações mas é bom saber o que você não pode fotografar por aqui:

  • Policia, carro de policia e seguranças em geral. Se você quiser tirar fotos deles, peça pra eles e você tem de aparecer na foto também. Se forem dois policiais, peça pra um tirar a foto de você com o outro. Mas sempre peça permissão.

  • Crianças e adolescentes. Esses nem pedindo autorização você pode fotografar.

  • Pessoas na rua. Aqui cada indivíduo mantem os seus direitos de imagem, então não tire foto de ninguém em especifico. E claro que ao filmar a torre Eiffel ou tirar fotos, você vai ter varias pessoas na volta. Isso tudo bem, mas não da pra realmente focar ninguém em especifico.

  • Vitrines, interiores de supermercados e lojas, etc.

Na duvida, pergunte.

Artistas de rua podem ser fotografados, mas deixe uma contribuição sempre.

Se você vir alguma coisa esquisita tipo briga ou confusão, e começar a filmar, você pode arranjar problemas. A policia vai vir pedir pra você apagar tudo ou confiscar a sua maquina.

Seja o que for, tente tirar fotos que você esteja também. Por exemplo, se você quiser mesmo tirar foto de uma vitrine, fique em frente da loja a tire uma foto sua na frente da vitrine.

Essas leis não são muito conhecidas pelos turistas, e é normal a gente ter blogs e revistas fotografando pessoas na rua pra mostrar como se vestem, etc. Da mesma forma é normal, por exemplo, nos EUA, você chegar e começar a filmar a policia em ação, em uma blitz por exemplo. Ou mesmo entrar em uma loja filmando sem autorização. Quando se chega aqui e as pessoas reclamam, dizem que os franceses são mal educados. As leis é que são diferentes.

Enfim, você pode fotografar o seu prato de comida, por exemplo, no restaurante, e ate pedir para algum empregado do restaurante tirar fotos da mesa de vocês, etc. Isso não é problema. Desde que vocês estejam nas fotos, é claro. Podem ate tirar fotos com os empregados, se eles permitirem é claro. É bom sempre perguntar.

A gente, como é de costume no Brasil, costuma fazer coisas que sabemos que estão erradas, simplesmente “porque tem outros fazendo”. Isso fica então a critério de cada um, seguir as leis ou não, afinal vocês podem fazer de conta que não sabiam.

Este artigo é só pra esclarecer que caso alguém reclame, eles estão no seu direito de reclamar mesmo. Não entenda como algo pessoal tipo “eles não foram com a minha cara”.

Não esqueça de antes de perguntar dizer bonjour porque aqui eles levam a mal se voce ja sai logo lascando um “posso fotografar isso?”.

Isso parece super hyper obvio pra muitos, mas acredite, tem muita gente no Brasil que ja sai lascando um “olha, onde é a famacia mais proxima?”. Pelo menos no meu estado rsrs.

De resto, relaxe e aproveite as suas ferias!

Bom meus amigos, por hoje é só.

Leia mais...

Dicas de viagem! O que vestir em Paris no verão!

maio 1, 2012 | Posted in Cultura Francesa, Turismo dicas | By

Verão em Paris, o que colocar na mala?

Ola pessoal!

Em primeiro lugar, gostaria de esclarecer uma coisa que faz um pouco de confusão com o pessoal no Brasil, que não esta sempre viajando. Quando é inverno no Brasil, aqui é verão. Quando é primavera aqui, é outono no Brasil, ou seja sempre ao contrario. Pode parecer obvio para os viajantes acostumados, mas acreditem que muita gente não sabe.

Então, vamos falar um pouco do que colocar na mala para estar preparada para o verão parisiense.

E normal as pessoas ficarem um pouco inseguras ao virem para Paris, já que aqui os parisienses terem fama de andarem sempre na ultima moda e ligarem muito para estilo, etc.

Vamos começar então pelo começo:

O conceito de moda aqui é bem diferente do que no Brasil. Apesar da Europa ser dita como lançadora de moda para o resto do mundo, o Brasil segue muito mais o estilo Americano de vestir (eu costumo chamar de moda Miami, ou moda Califórnia, cabelos mechados e alisados, roupa sexy, você sabe do que eu estou falando né?).

Os parisienses estão mais preocupados em acessórios do que em outfits completos da moda, ate porque aqui, pela qualidade e preço das roupas (sem crediário…) não se tem como ficar fazendo shopping terapia todo o sábado. As pessoas usam as roupas ate não dar mais mesmo, inventando, criando, pintando e bordando (as vezes literalmente rsrs), com o que tem. Por isso echarpes e cintos são um must por aqui. Assim se muda o visual com uns poucos euros, sem precisar ficar comprando blusas e calças o tempo todo. E de resto, vivem usando e repetindo os seus básicos de qualidade que compraram a 10 anos atras.

Vamos então as dicas:

Ah… o verão! Corpo a mostra!

Hora de mostrar que todas aquelas horas malhando na academia valeram a pena, mostrar que você esta em plena forma e que nem aparenta a idade que tem, certo? Não. Pelo menos em Paris.

 Aqui não se tem cultura nem moda de praia. Não traga shorts ou blusas com costas de fora, porque depois você não pode entrar nas igrejas ,etc. Bermudas (larguinhas) são bem vindas mas saias são mais polivalentes, dando pra usar de dia, com sapatinho tipo bailarina e camisete ou camisetinha lisa, e de noite com sapatos sociais e uma blusa bonita você já esta pronta para jantar em um lugar fino ou mesmo ir ao Moulin Rouge, etc. Esqueça a roupa de academia em casa.

Não compre roupa nova pra vir. Roupas por aqui não ficam velhas, elas se tornam “ vintage”. Pode usar sem medo, desde que sejam de boa qualidade. Sapatos bons pra caminhar são sapatos velhos, usados e amolecidos, portanto nada de ficar gastando os euros que você poderia usar pra gastar por aqui comprando um sapato pra vir.

 Tenha cuidado com estampas muito florais ou oncinhas, porque elas são muito casuais e depois fica difícil de usar se você precisar ir a algum local que exija traje social. Prefira as cores lisas e mantenha-se fiel a uma paleta de cores para não precisar trazer muita coisa. Uma saia tipo secretaria em cor neutra tem muito mais utilidade do que uma saia florida, a não ser que você saiba combinar muito bem com outras coisas bem discretas.

 Não mostre muito a pele: Se você esta com uma blusa muito aberta, cubra as pernas. E Vice versa. Tenha atenção a sua idade: aqui as pessoas se vestem de acordo com a idade, mesmo estando com o corpo bonito, umas bermudas curtas podem ficar ótimas em uma adolescente, mas não são muito bem vistas de você já passou dos 50. Mesmo que você tenha lindas pernas.

 Prefira sapatos fechados ou bailarinas para andar pela cidade, sandálias cansam muito os pés e podem ser usadas de vez em quando mas não todos os dias. A não ser que você esteja bem acostumada em usá-las.

 E por ultimo, mas não menos importante: Não se vista para “arrasar”. Aqui ninguém faz isso (só os turistas).

Mesmo que o seu intuito seja encontrar o seu príncipe encantado por aqui, os franceses não encaram muito na boa essa coisa de popuzuda, leggings com tops curtos, e minivestidos super ultra sexy – você corre o risco de ser mal interpretada.

Mantenha-se discreta e assim você chamara a atenção pelo lado positivo e não pelo negativo. Invista na maquiagem, no cabelo, enfim, tem varias coisas que você pode fazer para ficar bonita sem ficar muito provocante. No Brasil é super normal, mas aqui não. O meu marido mesmo ate chama essas oncinhas, leggings e botas por fora da calça apertada de “estilo brasileiro”. E para quem quer saber, ele não acha bonito.

 Enfim, resumindo, entre um minivestido apertado de costas de fora e umas calças de linho largas e uma camisete, fique com a segunda opção. No mais, relaxe, você esta de férias e no verão é mais provável que você veja mais os outros turistas por aqui do que franceses.

 Agora, uma lista do que você deve colocar na mala:

 1 Saia reta clássica lisa, ou saia plissada, lisa também

2. Uma bermuda ou saia mais informal.

Sapatilha, sapato boneca, sapatenis, enfim, sapatos bons pra caminhar. Ou espere para comprar uns Mefistos por aqui. Esses são sapatos super confortáveis para caminhar, franceses. Campers são ótimos também, porém são espanhóis. Traga uns scarpins para sair a noite.

Calça jeans – 1 somente, para viagens de trem, passeios no campo tipo em Giverny ou Versailles, etc.

3 Camisas ou camisetes de cor lisa

2 Calças de linho largas para andar no dia a dia. De preferencia a fibras naturais: Rami, seda, canhamo, algodão, também são ótimos.

3 camisetas pequenas (não traga camisetas coloridas com coisas escritas na frente, traga tipo baby look lisas que assim você pode colocar echarpes e estar bonita.

Echarpes e lenços de seda.

Aproveite para trazer as suas joias ou bijuterias que você herdou da sua avo e nunca usou porque no Brasil coisa velha não se usa. Aqui você vai fazer o maior sucesso com um detalhe vintage no seu outfit. Lenços antigos, bolsinhas do tempo do guarana de rolha, broches do tempo que a sua bisa ainda era mocinha, enfeite de cabelo, enfim, vale tudo desde que não seja uma peça de 10 centímetros de tamanho, é claro (tirando a bolsa, é claro, essa poder ser maior do que 10 cm, logico).

Enfim, aproveite para testar os seus dotes criativos e traga peças básicas, muitos acessórios de qualidade, lenços , etc (deixe os brincos de plastico e bijuterias douradas de 10 cm para a sua viagem aos USA).

 Atenção:

Esta é somente a minha opinião. Na realidade, desde que voce não esteja usando burka, tudo é permitido.  De resto, algumas restrições quanto as igrejas, restaurantes finos, Moulin Rouge e nada mais.

Leia mais...

Eleições para presidente na França: O que muda na vida dos turistas e moradores Brasileiros por aqui.

abril 29, 2012 | Posted in Cultura Francesa, Vistos e permanencia, Viver em Paris | By

Ola a todos !

Tenho recebido muitos e-mails a respeito das eleições presidenciais aqui na França. Como todos sabem, o atual presidente francês, Sarcosy, não é muito amigável com os estrangeiros (imigrantes) e muitos brasileiros tem tido dificuldades em conseguir visto nestes últimos meses mesmo depois de casados com cidadãos franceses, coisa que nunca tinha acontecido.

A boa noticia é que provavelmente ele não se reeleja. Engraçado que ele mesmo é casado com uma estrangeira, mas não vamos entrar em discussões a respeito do Sarcosy e a sua politica anti imigração, até porque na verdade a politica visa muito mais os cidadãos das ex- colonias francesas que vem pra cá e trazem a família inteira para se aproveitarem dos subsídios do governo,etc. Mas acaba sobrando pra todos, visto que não pode haver leis especificas para cada nacionalidade e o “justo paga pelo pecador” rsrs desculpem a frase feita…

Então aqui vão umas dicas para quem esta pensando em vir viver aqui, ou mesmo a turismo: Não quero entrar em analises politicas ou sociais, vou tentar ser clara e simples:

Os Brasileiros continuam super bem recebidos como turistas, as pessoas andam mais nervosas do que o normal pelas ruas porque a diferença do que sera a vida de todos se o Sarcosy ou Hollande vencer é grande. Daqui a pouco tempo, em 6 de maio, tudo se esclarece, com certeza dando a presidência para Hollande. Não se preocupem porque se você pegar um francês estressadinho pela frente fique descansado porque não é nada pessoal…

 Quanto a vistos para quem é casado com franceses ou europeus em geral: Estes dois últimos meses o Sarcosy tem mesmo dado ordens para dificultar muito o processo do visto, portanto, se você puder esperar só mais um pouquinho e dar entrada no seu visto depois do Hollande vencer, seria melhor.

Depois de saberem os resultados de quem sera o presidente, os consulados e Prefectures de Police irão começar a serem mais amigáveis com os cônjuges de cidadãos franceses ou europeus. Se você esta por aqui, casado com francês/a e sem visto, espere que tudo se acerta com o Hollande.

Para os turistas:

Quanto ao dia das eleições, não há feriado, esta tudo aberto (museus, etc) e deve haver alguma manifestação pelas ruas, mas nada que atrapalhe os seus passeios.

Leia mais...

Louis Vuitton, a historia de perseverança de um jovem que entrou para a historia da moda

janeiro 20, 2012 | Posted in Compras em Paris, Cultura Francesa | By

Mal se pronuncia o nome Louis Vuitton, o famoso monograma LV vem nas nossas mentes. Essa marca, mais cobiçada e copiada no mundo, é um símbolo de luxo e know-how, o símbolo de sucesso para todos os adoradores de qualidade, historia e de moda. Louis Vuitton também é o simbolo do sucesso da perseverança e do idealismo.

A saga da Vuitton tem suas origens em uma pequena aldeia remota no berço Jura, Anchay.Louis Vuitton (nascido em 1821) vem de uma família pobre de moleiros e carpinteiros. Aos 14 anos, ele resolve viajar, a pé, (400 km!) para Paris, para aprender durante uma jornada de dois anos, como trabalhar com madeira.

Depois, o jovem Vuitton é contratado como aprendiz de um fabricante de baús de viagem (antigas malas) que era usado pela alta sociedade em suas mudanças e viagens. O jovem rapaz trabalhou muito para criar alguma coisa diferente, que fosse alem de útil, pratico e bonito. O conceito de aliar beleza e praticidade foi pioneira na época.

Louis Vuitton

Louis Vuitton

O destino extraordinário de Louis Vuitton está ligado a Napoleão III , pois ele se tornou o favorito da Imperatriz Eugenie, em 1853. A partir dai, a sua sorte começa a mudar e ele começa e ver os frutos de tanto trabalho e pesquisa.

Com seu sucesso, Louis Vuitton fundou sua própria empresa no ano seguinte e se mudou para a Rue des Capucines.

A sua grande primeira idéia, foi criar um tecido altamente resistente, revestido, que irá substituir o couro. Um golpe de gênio: usar um material menos restritivo do que a pele natural e com melhor cheiro, porque as malas de couro da época eram famosas pelo mal cheiro.

Louis Vuitton - publicidade de 1898

Louis Vuitton - publicidade de 1898

 

Gradualmente, Louis Vuitton vai obedecer as necessidades de sua clientela abastada, melhorando a pele (couro e a sua nova invenção de tecido revestido), criando o conceito de malas “a prova d’água”, e lidando com os cantos das malas (com ponteiras de metal), etc

Vuitton vai seguir passo a passo a evolução da moda e as exigências da sua clientela, criando novos modelos, e comecando a fazer bolsas para o dia a dia.

Ele também se adapta aos novos meios de transporte: ele vai acompanhar o lançamento dos primeiros trens, barcos a vapor, e depois também vê o surgimento dos carros. As malas (antes em estilo bau de viagem) tem de se tornar cada vez mais leves e portateis.

Em 1859, a oficina se muda para a Rue Scribe, as pessoas começam a viajar mais e as malas rígidas dão lugar as malas flexíveis, mais leves, estilo bolsas de viagem, em vez dos antigos baus.

A Marca LV foi sempre caracterizada pelo monograma. As malas sempre tiveram o seu nome escrito.

Sem duvida, o jovem Louis Vuitton tinha uma ótima ideia de marketing. Ele foi o pioneiro na ideia de lançar bolsas com designer, e criar uma marca.
Nesta altura, as copias e falsificações começam também a aparecer. Hoje em dia, a LV é a marca mais falsificada no mundo.
Muito foi desenvolvido desde la, e criadores como Marc Jabobs, Takashi Murakami entraram para a família LV para engrandecer ainda mais as diferentes linhas e modelos das bolsas.

Na verdade, todas as outras bolsas de marcas famosas surgiram imitando os passos da Louis Vuitton, não em estilo ou modelos, mas em conceito. Ele foi o pioneiro, ele foi quem pesquisou como criar modelos, enfim, qualquer bolsa hoje em dia deve alguma coisa a esta marca.

Antes das bolsas LV, as pessoas usavam uma especie de saquinhos como bolsas de mão. Você pode ver nos filmes…

Diferente de muitas outras marcas, a empresa LV hoje em dia, faz questao de patrocinar artes, museus e teatros no mundo inteiro, tem ótimas condições de trabalho para os funcionários (beeeem diferentes da Nike, por exemplo). Enfim, essa é uma empresa politicamente correta.

O tempo passou e a LV diversificou os seus produtos, e temos desde sapatos, joias, relógios, etc. Mas as bolsas continuam sendo o forte da marca.

Agora, termino este artigo com alguns fatos sobre as bolsas LV:

 

Louis Vuitton - publicidade atual

Louis Vuitton - publicidade atual

  • As bolsas Louis Vuitton verdadeiras não tem defeitos de fabricação. São perfeitas, e o monograma nunca e cortado ao meio em uma bolsa.
  • Essa bolsa não é uma bolsa para ser usada somente em momentos especiais, uma Louis Vuitton é feita para ser usada no dia a dia, porque e super-resistente e durável. Essa e uma bolsa “pra bater mesmo”.
  • As LV não são as bolsas mais caras do mundo nem são consideradas bolsas de snobe, ou de “quem quer aparecer”, pelo menos na Europa. Esta cheio de gente no metro usando bolsas da LV. Depois da Longchamp, a LV é a marca mais vista na mão das francesas (claro, sem contar as bolsas sem marca, que são a maioria sempre, quem qualquer lugar).
  • As bolsas mais caras do mundo são as bolsas da Hermes. Estas bolsas chegam a 40.000 euros. As bolsas LV Variam entre 300 e 3.000 euros. Grande diferença.
  • O conceito de “ter 50 bolsas diferentes” não faz parte da cultura europeia. Aqui as pessoas tem 1 bolsa para o dia a dia, uma para viagem e outra para festas. Assim podem investir em alguma coisa de qualidade, porque sabem que vão usar a bolsa por muito tempo, pela vida inteira mesmo.
  • As bolsas LV passam de mãe pra filha e ficam mais lindas a medida que o tempo passa. Não existe o conceito de que “você tem de ter o ultimo modelo”.
  • A louis Vuitton nunca entra em liquidação, nunca faz promoções e não e vendida em outros locais que não sejam as lojas da Louis Vuitton. Comprar uma LV falsificada incentiva o trabalho escravo, infantil, e o crime organizado. Se você não pode comprar uma bolsa legitima, compre uma bolsa original qualquer, de outra marca, existem modelos lindíssimos para todos os gostos e bolsos que são comercializadas por empresas honestas.
  • As bolsas LV são fabricadas na França, Espanha e Estados Unidos. Não existe LV legitima feita em outros locais. A LV não tem fabricas em países de terceiro mundo para se aproveitar de salários baixos e mas condições de trabalho. Qualidade em primeiro lugar!
  • Eu costumo acompanhar pessoas em compras por aqui, e quando se fala em LV, a maioria dos brasileiros faz cara feia, porque é um bolsa de snobes, etc. Preferem gastar o mesmo dinheiro (ou muito mais) comprando 10 bolsas diferentes. Pra que 10 bolsas? Coisas culturais…
  • Temos que ver pelo lado ecológico também. Quanto mais quantidade de produtos você consome, mais você degrada os recursos naturais do planeta. Ter UMA bolsa para usar todos os dias (ou boa parte deles) da sua vida é muito mais PC (politicamente correto) do que comprar 100 bolsas ou mais no decorrer dos anos. E sai mais barato, mesmo que a sua única bolsa seja uma Louis Vuitton cara.

 

 

 

Leia mais...

Compras em Paris: como analisar se as roupas e accessórios que você esta comprando valem o preço que você esta pagando

outubro 16, 2011 | Posted in Compras em Paris, Cultura Francesa, Turismo dicas | By

Você sabe avaliar se uma roupa ou óculos que você esta pensando em comprar vale mesmo a pena?

Uma das coisas que nos pensamos quando viemos a Paris é investir em alguma coisa de qualidade, que realmente não falta por aqui.

Óculos, bolsas sapatos, cintos, roupas, enfim, o que não faltam são opções. Vamos analisar como decidir na hora de investir uma grande quantia de dinheiro neles.

Roupas: Mulheres, de uma forma geral, não resistem quando chegam a Paris e veem todas estas marcas famosas e grifes que são muito mais caras no Brasil, e não pensam duas vezes antes de comprar alguma coisa de marcas europeias ou mesmo americanas. Mas vale mesmo a pena?

Quanto a qualidade, vale a pena sim, mas sera que vale a pena você comprar?

Roupas de marcas como Chanel, Armani, Dolce e Gabana, etc, são realmente de alta qualidade e vão durar pra sempre. Se você optar por um modelo mais clássico, você terá a sua roupa para o resto da vida. Como escolher então o que comprar?

Invista em algo que você vai usar mesmo. Coisas de qualidade são resistentes e duráveis, e é melhor investir em algo que você vai usar regularmente, portanto não pense em comprar um vestido de festa super chamativo se você não costuma ir a muitas festas. Eu, por exemplo, prefiro muito mais investir em roupas usáveis no dia a dia. Calças da Armani e da Calvin Klein, assim como Republic of banana’s, blazers para o dia a dia fazem parte do meu guarda roupa, sendo as peças compradas nas lojas mesmo, ou nos outlets.

Óculos, sapatos e acessórios:

Existem marcas ótimas para óculos, e outras que tem linhas de óculos de sol como parte da coleção de roupas. Saiba analisar quais são as especialidades das marcas: Prada e Jimmy Choo para sapatos, Guess para jeans, Armani para ternos, blazers, camisas e calças, Ray ban para óculos e… claro, Louis Vuitton para bolsas e carteiras. Escada faz muita coisa boa, desde óculos, sapatos ate perfumes.

 

Agora, o que fazer se você não conhece a marca da roupa e quer avaliar se a roupa vale a pena?

  • E importante, em primeiro lugar, ver a etiqueta e de que material e feito.
  • Roupas feitas com fibras naturais, misturadas com uma percentagem pequena de sintético ou seda duram mais.
  • Verifique como se lava a roupa. Se você não é de lavar roupa fina a mão, e gosta de jogar tudo na maquina, não compre coisas que sejam para lavar a mão. Por melhor que seja a qualidade da roupa, se você não seguir as instruções de lavagem, você estraga a roupa.
  • Veja se a roupa é para ser lavada a seco e avalie se vale a pena.
  • Não compre nada que contenha acrílico. Esse sintético fica com cara de velho e com bolinhas depois do primeiro uso. É jogar dinheiro fora.
  • Só compre roupas que venham com botoes sobressalentes, e melhor ainda, com a linha para você costurar o botão. Ficar com uma roupa sem poder usar só por causa de um botão perdido é uma pena.
  • Botoes sobressalentes também são uma dica de que a qualidade da roupa e boa.
  • Repare nas costuras interiores da roupa: fios soltos, costuras tortas pedem que você coloque a roupa de novo na prateleira.
  • Roupas e jeans com costura forrada por dentro são um ótimo sinal de que a roupa e de boa qualidade.
  • Qualquer roupa de la em tweed tem de ter forro. Não compre calcas nem casacos sem forro porque é sinal de péssima qualidade e dão alergia ao entrar em contato com a pele.
  • Tweed de linho com viscose, por exemplo, pode ser comprado sem forro se as costuras forem forradas.
  • Avalie se a roupa esta vestindo bem e tem um bom corte. Roupa de boa qualidade tem bom caimento.
  • Veja se os botoes são feitos em algum material mais nobre, como madrepérola, metal, ou madeira. Botoes de plastico não são bom sinal, a não ser que a roupa seja uma calca social, por exemplo, onde um botão de outra cor não ficaria bem.
  • O mesmo para zipers: os de metal duram mais, mas temos de avaliar se o estilo da roupa suportaria um zíper de metal. Novamente, as calcas sociais não ficam bem com um zíper tao pesado.
  • Existem vários tipos de linho, e aquele que é lisinho, e você não vê as bolinhas no fio, são de melhor qualidade, mais finos. Não que o linho com bolinhas no fio não seja bonito e durável (eu acho lindo), ele é um linho mais barato, portanto não pague uma fortuna por linho que não seja totalmente liso.

Se você é como eu, que prefere qualidade a quantidade (eu tenho somente 5 bolsas – todas boas), invista em uma Louis Vuitton, mas se você é daquelas que tem 30 bolsas em casa e adora variar de acordo com a cor da roupa, não vale a pena, pegue o dinheiro e compra montes de outras coisas legais que você vai usar mais.

Vale lembrar que no Brasil as pessoas compram e usam roupas baseadas em moda, portanto se você não se vê usando a mesma bolsa por 5 anos consecutivos, não gaste dinheiro nelas. Eu ando usando as mesmas 5 bolsas rsrs há mais de 5 anos…mmmm talvez seja tempo de comprar outra…

Se você precisar de ajuda para guiar as suas compras, eu estou disponível para levar você em lojas que são a sua cara! É só entrar em contato.

Leia mais...

Dicas de presentes para dar para franceses

agosto 24, 2011 | Posted in Cultura Francesa | By

Se você tem algum amigo ou amiga francês(a), ou é amigo(a) de alguém casado com um francês, e esta pensando em trazer ou enviar qualquer coisa “made in brazil” aqui vai uma listinha das coisas brasileiras que os franceses adoram e vão ficar muito gratos!

Esta lista é composta de coisas que com certeza vão agradar muito quem receber. Os franceses e famílias francesas de modo geral, adoram arrumar a casa e ter coisas bonitas na parede ou na cozinha. Qualquer coisa tipica mais simples como pano de pratos bordados é muito bem vindo. Aliás acho que com certeza estas coisas da lista também agradam brasileiros que estão fora do Brasil a muito tempo também.

 

  1. Sandálias havaianas
  2. Cachaça
  3. kit para fazer caipirinha (copo, socador, etc)
  4. Qualquer bijuteria de pedras semi-preciosas do Brasil. Pode ser também uma pedra ametista bonita pra decoração, se você esta disposto(a) a carregar o peso.
  5. Esculturas e artesanato brasileiro para decoração da casa, coisas tradicionais ou modernas são bem vindas.
  6. Toalhas de renda made in Bahia
  7. Roupas de algodão made in Bahia
  8. Cosméticos da natura ou qualquer marca que tenha produtos naturais, com ervas ou sementes da Amazônia.
  9. Castanhas do para, de caju, frutas cristalizadas.
  10. Kit para tratamento de queratina para o cabelo (a moda pegou por aqui, e é caaaro…)
  11. Condicionadores da “Seda” (não vale os Pantenes da vida porque tem aqui).
  12. Camiseta da seleção brasileira (não espere ver eles usando a camisa, mas eles gostam de “ter” no armário)
  13. Bikini (não escolha muuuuito cavado porque aqui não se usa, mas ter uma roupa de praia made in Brazil é trés chic por aqui).
  14. Cangas, saídas de praia e bronzeadores com Urucum.
  15. Um cd de bossa nova.

     

Os franceses não são muito de usar coisas sintéticas e não apreciam muito coisas de plastico. Se você não puder comprar alguma coisa legitima, e melhor pensar em alguma outra coisa. A única vestimenta que pode ser de tecido sintético e mesmo a camisa da seleção, porque eles não vão usar mesmo.

Coisas de madeira, metal, algodão, palha, canhamo ou linho são muito bem vindas. Ate um porta moedas é bem vindo, desde que seja feito em couro ou tecido natural, ou palha.

 

 

Leia mais...

Dicas de turismo: Comer e beber na França

agosto 10, 2011 | Posted in Cultura Francesa, Turismo dicas, Viver em Paris | By

Na França, de maneira geral, se toma café da manha (petit dejeuner) entre sete e oito da manha. O almoço (le dejeuner), entre meio dia e uma hora da tarde, e o jantar (le diner), entre sete e oito e meia da noite. Os franceses costumam convidar os seus amigos para jantar em casa, por volta de duas horas antes tomam “l’aperitif” – o aperitivo. E depois do jantar costumam propor um digestif – o digestivo.

Diferente de varias outras culturas, recusar bebidas alcoólicas não é mal educado. Se você não quiser beber é só dizer que não, não precisa inventar que esta tomando medicamentos ou que é alérgico.

As refeiçoes familiares, sobretudo em épocas festivas, podem durar varia horas e os pratos servidos parecem infintos.

Como os franceses vão servindo os pratos aos poucos, em vez de colocar tudo na mesa, tente comer pelo menos um pouco de cada coisa, e não se encha muito para não sobrecarregar o estomago.

Se você não comer alguma coisa, você terá de ficar esperando o outro prato que sera servido somente depois que todos terminarem o prato (não precisa limpar o prato, coma o que você puder ou quiser).

Outra coisa, não existe muito a opção de repetir o prato, portanto não peça mais, porque muitos outros pratos virão em seguida. Tente não demorar mais do que os outros e acompanhe o ritmo, porque e meio chato fazer todos os outros ficar a espera de você terminar de comer para eles poderem passar para o prato seguinte.

 

Se você for convidado por algum francês ou família francesa para comer, nunca apareça de mãos abanando. Leve alguma coisa. Você pode levar o vinho ou a sobremesa (você pode comprar uma torta de framboesa, que todo mundo gosta!), ou mesmo flores.

Na minha opinião, levar o vinho pode ser meio complicado porque normalmente as pessoas que cozinham já selecionam os vinhos que irão ser servidos com o jantar então se você for intimo de algum dos membros da família é melhor perguntar que vinho eles preferem. Não esqueça de cumprimentar quem cozinhou, não somente o dono da casa. É simpático elogiar as comidas quando você prova elas, e pode ate perguntar o nome do prato, como se faz, enfim, mostre algum interesse pela comida.

Para os franceses, culinária é uma arte, e deve ser apreciada como tal. Não comece a dizer que sua mãe faz um prato parecido, nem que o prato ficaria melhor se fosse com feito com a carne brasileira.

Detalhe: nunca, em hipótese alguma, apareça com um pack de cerveja em um jantar com franceses!

Se você estiver indo a casa de casais mistos (francês e brasileiro, por exemplo), pergunte quem vai cozinhar e que estilo sera o jantar, se francês ou brasileiro. Se for brasileiro, e super simpático aparecer com uma garrafa de cachaça mesmo, e de preferencia limão e todos os ingredientes para fazer uma caipirinha. Ah, certifique-se primeiro se na casa já existe um fazedor de caipirinha oficial, e se tiver, fale com ele/a o que seria bom levar e deixe ele/a dar o show.

 

No restaurante:

Na França, pode-se encontrar muitos restaurantes que oferecem especialidades estrangeiras. Devido ao seu passado colonial, os restaurante norte-africanos são bastante numerosos. Se você tem um espirito curioso e tempo, vá a um desses pequenos restaurantes algerianos ou tunisianos: o Couscous é um prato delicioso. Tem também a cozinha marroquina, que é rica em cores e sabores, sendo considerada uma das melhores do mundo.

É claro, aproveite também para degustar os inúmeros pratos regionais franceses também!

Se você estiver apressado ou não quiser entrar em um restaurante para comer, escolha um dos vários sanduíches que podem ser comprados em praticamente todas as esquinas e padarias.

Não esqueça que nos restaurantes o “menu” é o “pacote” que vem incluído o prato principal, sobremesa, ou prato principal e entrada, enfim, veja com atenção as diferentes opções.

Os restaurantes normalmente exigem que você peca entrada, prato principal e talvez sobremesa. Se você quer algo mais simples e rápido, opte pelas inúmeras brasseries, cafés ou creperies, porque nestes lugares você pode pedir somente um prato (grande!) que vem com a refeição completa. Sai mais rápido e mais barato.

Leia mais...

Lista de Profissionais Brasileiros e Portugueses na França: Médicos, Dentistas, advogados e tradutores que falam a nossa língua.

julho 25, 2011 | Posted in Viver em Paris | By

Lista de Profissionais Brasileiros e Portugueses na França: Médicos, Dentistas, advogados e tradutores que falam a nossa língua.

As vezes, por melhor que a gente fale uma língua, tem momentos que seria bom poder falar a nossa própria. Pensando nisso estou colocando aqui uma lista de profissionais brasileiros e portugueses que trabalham em Paris e arredores. Eu particularmente só conheço os serviços do primeiro, o Sérgio dos Anjos, tradutor dos meus certificados e certidões. Caso você experimente os serviços de algum deles e quiser recomendar (ou não), fique a vontade para dar a sua opinião.
Aqui vai então uma lista de médicos, advogados, psicólogos, dentistas, enfim, a lista não e nem de longe completa. Se você trabalha como cabeleireira, baba, webmaster, eletricista, pedreiro, profissional de limpeza ou oferece qualquer outro serviço aqui, e fala português, deixe um comentário ou mande um e-mail para ter o seu nome incluído.

Tradutores Brasileiros

Traducteur assermenté (tradutor juramentado)
Sérgio Bittancourt dos Anjos
97, rue de Charonne – 75011 Paris
tél: 01.43.73.71.98.
adresse e-mail: sbdosa@noos.fr

Traductrice assermentée
Mme Ana Villas-Boas
90, ave. des Champs-Elysées
75008 Paris
Tél: Port. 06.08.68.83.87
adresse e-mail: ana.villas-boas@wanadoo.fr

Traducteur technique
Monsieur Idálio de Carvalho
48, rue des Vinaigriers
75010 Paris
Tél: 01.46.07.07.59

Traductrices littéraire
Mme Inô Riou et Mme Paula Salnot
English, Brazilian Portuguese, Spanish into French
57, avenue de la Republique
75011 Paris, France
Tél: cell : +33 6 03 70 57 58 home : +33 1 75 50 92 69
adresse e-mail: paulasalnot@gmail.com

Traductrice/Interprète de portugais
Madame Claudia Laville
Expert prés la Cour d’Appel de FORT DE FRANCE
8 rue du Château Gaillard – Chars 95750
Tel: 06.64.11.30.08
adresse e-mail: sct.laville@wanadoo.fr

Traducteur journaliste/littéraire
Aris Jover
Tél. 01 43 43 85 01
adresse e-mail: arisvolcans@wanadoo.fr

Traductrice – Interprète de conférence
Portugais – Français (Anglais – Espagnol)
Karina Barros
22, rue Berthollet 75005 Paris
Tél./Fax : +33 (0) 1 55 43 94 26
Port. : +33 (0) 6 07 76 48 85
adresse e-mail: barros.karina@wanadoo.fr

Fisioterapeuta Brasileira

Cristiane Deretti Moreiras
31, rue Gabriel Péri
Charenton le pont (metro linha 8)

 

Medicos Brasileiros

Paulo ROCHA

cardiologue (ADELI 75 16 8403 6)
Téléphone/fax : 01 47 83 78 71 ou 06 78 95 74 71
Domicile : 10 villa du Mont Tonnerre Paris 75015
e-mail : paulorocha@wanadoo.fr
et
Consultations à l’Institut Arthur Vernes
Service de Cardiologie au 01 44 39 53 16. Fax 01 45 44 88 29
procha@institut-vernes.fr
36 rue d’Assas Paris 75006. Deuxième étage
M° Rennes ou St Placide.
ou
Cathétérismes cardiaques : diagnostique et interventionnel
R-V en hémodynamique au téléphone 01 45 33 63 15
à la Clinique Alleray-Labrouste. Fax 01 48 28 70 04
64 rue Labrouste Paris 75015
M° Plaisance ou Convention.

Médicos de clinica geral Portugueses

Dr. Paulo Moreira
75 Rue des Pyrenees
75020 Paris
Tel 0143482337

Dr. Victor Garcia
10 Rue Gabriel Peri
92320 Paris
Tel  0147353949

Dr. Pedro Sanches
73 Bis Chaussee Jules Cesae
95130 Franconville
teu  0134141003/ 0130405310

Dentistas Brasileiros

Dra. Heloïse Neder Galesi (E-mail: hgalesi@free.fr)

18 rue Simart 75018 Paris
tél.: 01 42 23 09 19

Dr. Manoel Valério Pereira da Silva (Quartas e sabados)
18 rue Simart 75018 Paris
tél.: 01 42 23 09 19

Psicólogos e Psicanalistas Brasileiros/Portugueses

Teresa Esquivel

psychologue clinicienne, psychothérapeute

adultes, adolescents et enfants

bilingue portugais/français

cabinet: 3, rue de Madrid

78990 Elancourt

Tél: 01 30 68 28 36

 Cristiane CARDOSO

Psicologa clinica – psicanalista
44, rue de la Butte aux Cailles, 75013, Paris
Tel.: +33 (0) 7 50 60 34 66
Email: psychologueaparis13@gmail.com

Dra Alessandra CALABRIA-HERMANN
Psiquiatria e Psicoterapia
Adultos, Adolescentes e Crianças

76.Promenade des Anglais
Nice 06000
tel.0648600722

Dr. Cristina Lindenmeyer-Saint Martin
Psicanalista e Psicoterapeuta
44, rue de Sévigné
75003 Paris
Tel.: 01 48 04 58 76

Mayra Maitê LAVOIE
Psicóloga clínica
Psicoterapeuta de orientação analítica
Consultório privado
16, rue Robert Fleury 75015 Paris
06 99 23 39 10

Ana Maria COPIN
Psychologue clinicienne – Psychanalyste
Relaxation thérapeutique (méthode Jean Berges, pour enfants à partir de l’âge de 4 ou 5 ans et adolescents)
32 Rue Truffaut 75017 – Paris
01 42 94 18 35 – 06 85 70 38 46

Advogados Brasileiros:

Vincensini Edgar
55 rue de Varenne – Paris 75007
Tél. 09.50.98.82.72

Fernando Santiago
63 Av. Franklin Roosevelt  75008 PARIS
Telefone: 0142561400

Rafaela Pacheco Cintra do Prado
Advogada brasileira com mestrado em Direito na França.
Atua em Direito estrangeiro e Direito Internacional privado.
Endereço: 11 Rue Salomon Reinach 402
69007         LYON

Advogados Portugueses:

José COELHO
Avocat
60, Bld. Rouget de Lisle
- 93100 MONTREUIL SOUS BOIS
Tél. : 01 55 86 25 56
Fax : 01 48 47 53 47
Mobile : 06 75 59 86 50
jose.coelho10@wanadoo.fr

Cecilia COELHO
Avocat
60, Bld. Rouget de Lisle
- 93100 MONTREUIL SOUS BOIS
Tél. : 01 55 86 25 56
Fax : 01 48 47 53 47
Mobile : 06 14 07 93 45
c.coelhoavocat@gmail.com

Louis Philipe Birra
328 Rue du General de Gaulle  BP03
76231BOIS GUILLAUME
Telefone: 0235599480

Marie- Lucille Macedo
250 BIS BD ST GERMAIN
75007 PARIS
Telefone 0149546464

Maria Maranhao-Guitton
26 Rue Beaubourg
75003 PARIS
Telefone 0140261520

 

Leia mais...

Glossário Básico Paris:Tudo o que você queria saber sobre Paris mas tinha vergonha de perguntar

julho 22, 2011 | Posted in Turismo dicas, Viver em Paris | By

Glossário Básico Paris: Tudo o que você queria saber sobre Paris mas tinha vergonha de perguntar.

Estou escrevendo este glossário básico de Paris em resposta a vários e-mails que recebi desde que o ArtdeViv começou. Embora tenha respondido por e-mail individualmente a cada leitor, notei que a maior parte das perguntas eram sempre as mesmas.
Então, para informar os próximos curiosos sobre Paris, aqui vai a lista dos termos que mais tiveram perguntas:

O que é Rive Gauche e Rive Droite? Qual é a melhor? Ficam longe uma da outra?

Rive Gauche ( Margem Esquerda) – Paris é dividida entre margem direita e esquerda. No meio, o rio Sena. Algumas de suas famosas ruas são Boulevard Saint Germain des Prés e Saint Michel. Não existe uma margem “melhor” do que a outra, ambas são importantes, tem pontos turísticos e vale a pena visitar. Você pode cruzar as pontes e ir de uma margem a outra em 5 minutos (caminhando). A Rive gauche é mais segura, mais “francesa”, e não tem cinturões de miséria nas cidades dos arredores.

Rive Droite (Margem Direita) – Em frente à margem esquerda do rio e, geralmente, refere-se à metade norte da cidade. Sua rua mais famosa é, inegavelmente, os Campos Elísios (Champs Elysees), mas há outros, como a Rue de la Paix e Rue de Rivoli e a famosa avenue Montaigne. Ah um probleminha, porém, pois essa região é cercada por regiões bem complicadas socialmente, evite a parte norte de Paris à noite.

Qual é o melhor arrondissement?

Arrondissements – Paris é dividida em vinte arrondissements (seriam como distritos ou bairros).
O primeiro é o ponto “central da Paris do seculo XIX”, e os outros são estabelecidos no sentido horário como um espiral. Detalhe: o centro mesmo, hostoricamente falando, não seria “o Louvre”, e sim a Notre Dame, portanto pode-se dizer que o arrondissement 5 ou 4 são mais centrais que o 1 .
Como se trata de uma tal unidade básica para a cidade, eles são constantemente citados nos guias, quase sempre usando apenas o seu número associado (1er, ou 2em etc.). Não se pode dizer ao certo qual é o melhor arrondissement, depende muito de gosto.
Se você é turista vai preferir ficar nos primeiros, porque tem mais pontos turísticos. Se você quer curtir a noite e as “ruas vermelhas” de Paris talvez prefira a 18eme (mas este arondissement pode ser (muito) perigoso a noite). Para quem quer ver uma Paris menos turística pode preferir a 14eme, 15eme, etc. Para quem esta vinda a Paris pela primeira vez, eu aconselho dedicar-se mais aos arrondissents 1 ao 9, mas sem deixar de ir a Montmartre (18) que e onde esta a Sacre Cour (de dia).
O Louvre está no 1er, o Arc de Triomphe está na 8eme. Leia mais sobre os arrondissements em  Pontos turisticos de Paris por area (arrondissement)
Note que como os arrondissements são em sentido de espiral, a 15eme por exemplo (onde eu vivo), não esta necessariamente longe do centro. Eu estou a 10 minutos da Torre Eifell, que fica na 7eme. Se eu cruzar a ponte estou na 16eme.

Afinal o que é o tal Quartier Latin? Vale a pena ir la? Vale!
O Quartier Latin – uma região à esquerda do Banco no 5 º arrondissement
O quartier Latin tem sido o centro da vida intelectual e universitária de Paris ha mais de 700 anos.
Vale a pena ir conhecer som certeza. Alias essa area é uma das mais interessantes e antigas de paris.

O que é o Marais? É uma rua ou arrondissement?
O Marais é composto fica entre 3eme e a 4eme na margem direita, é um bairro que manteve muitas ruas pequenas e ainda guarda muito da “Paris antiga”. Foi onde viveu Balzac, Victor Hugo entre outros escritores famosos. Imperdível. Tem muitos pontos turisticos e lugares interessantes.

Quem foi esse tal de Haussman?
Haussmann – Barão que foi o responsável pelo projeto de planejamento urbano de Paris de 1852-1870. Os vinte arrondissements data dessa época. O nome Haussmann é conhecido por todos os parisienses.

O Metro de Paris é seguro? É verdade que cheira mal?
Metrô – O metrô de Paris. É extenso e serve quase todos os cantos da cidade. É um dos maiores do mundo e bem organizado. Tem linhas muito antigas e outras novas e modernas. É seguro. Nunca tentei usar o metro de noite em estações perto da 18eme ou 19eme (os 2 arrondissements mais “barra pesada” de Paris). Nunca senti mal cheiro. Na verdade todos os transportes públicos de Paris são completamente “usáveis”, não precisa ter medo. So não da pra baixar a guarda totalmente, mas isso voce ja sabe ne?

O que é RER? O cartão de metro serve também para o RER?
RER – Réseau Express Régional, semelhante ao metro, mas não fica embaixo da terra – são os trens suburbanos, (serve os subúrbios e regiões periféricas de Paris).
No centro da cidade, a distância entre as estações RER é mais significativa do que para o metro (não para muito), uma vantagem se você quiser ir distâncias maiores rapidamente – mesmo no centro da cidade. Se usa o mesmo cartão (passe de metro) para os 2.

O que são os Bateaux Mouches?
Bateaux Mouches – Este é o nome dado aos barcos que fazem tours pelo rio Sena.
Antigamente este era o nome de uma empresa de barcos especifica, mas hoje em dia é usado para se referir a todos os barcos de turismo.

Leia mais...

Casar na França – Um guia Prático

julho 20, 2011 | Posted in Vistos e permanencia, Viver em Paris | By

A França oferece duas maneiras diferentes em que duas pessoas podem dar o nó: o casamento e um tipo de alternativa de união civil, muito comum por aqui. De qualquer maneira, aqui está uma visão geral de como fazê-lo.
Estrangeiros podem se casar na França, ou com um cônjuge francês ou com outro estrangeiro, ou podem participar de um contrato de união (mais limitada em termos legais), mas mesmo assim reconhecidas legalmente – aberto a casais do mesmo sexo também. Isto é chamado o Pacte Civil de Solidarité ou, mais comumente, le Pacs.

Casamento

Todos os casamentos na França devem primeiro serem realizados por uma autoridade civil francesa antes de qualquer cerimônia religiosa. A cerimônia civil é realizada em uma aldeia, cidade ou prefeitura, la mairie, na frente do prefeito. É a conclusão da cerimônia civil que estabelece o casal como marido e mulher perante a lei.

A idade legal para casar sem o consentimento dos pais é de 18 para os homens e mulheres. A escolha da mairie deve ser aquele em que um ou ambos do casal a se casar declara tenham residido durante pelo menos um mês.

A documentação necessária deve ser apresentado à prefeitura, pelo menos, 20 dias antes da data proposta para o casamento. Em certos casos, o prefeito pode solicitar prova de que os participantes ainda não estão casados; para um estrangeiro, este pode ser referido como um certificat de capacité matrimoniale, popularmente chamado de certificado de solteiro,  e um certificat de coutume.

Sob a lei francesa, o anuncio publico do casamento deve ser afixado no Mairie nada menos do que 10 dias antes da data da cerimônia de casamento. O casamento em si pode ser realizada pelo prefeito, vice-prefeito ou vereador.

Não é incomum ter apenas a cerimônia civil, que é tratada com grande solenidade e uma certa quantidade de protocolo, sendo possivel convidar amigos e familia. Os noivos podem ir vestidos com os trajes de casamento que quiserem (vestido de noiva e comum, não precisa trocar de roupa se você tem o casamento religioso depois). Algumas Mairies tem salas especiais que podem ser arrumadas como você quiser para o casamento (por sua conta $$$, claro)

A certidão de casamento, acte de mariage, pode ser obtida a partir da Mairie onde o casamento foi realizado.

Casamento homossexual não é atualmente sancionada na França. O primeiro casamento foi realizado em Bordéus, entre dois homens em 2004, foi declarado nulo por um tribunal francês seis semanas mais tarde em um julgamento que já foi apelada e confirmado, mas homossexuais podem fazer PACS tranquilamente.

Se assim o desejarem, o casal pode então prosseguir para celebrar uma cerimônia religiosa, também é bastante comum. O clérigo realizar a cerimônia vai exigir um certificado de casamento civil antes do do casamento religioso.

O casal  receberá uma caderneta de famille. Este é um livro legal, que registra o casamento e os eventos subseqüentes na família, tais como nascimentos, mortes, divórcios ou mudanças de nome. É muitas vezes necessária para fins oficiais, e para se matricular uma criança na escola, por exemplo.

As mulheres casadas não são obrigados a mudar legalmente seu nome e, inversamente, qualquer dos cônjuges pode optar por mudar seus nomes ou para usar um nome de família hifenizado. Se você precisa pedir o visto de residencia depois do casamento, não mude o seu nome, isso só atrasara a obtenção do seu visto porque você terá de mudar passaporte e outros documentos.

O PACS

O Pacte Civil de Solidarité é uma união alternativa legal na França para os casais heterossexuais e homossexuais. Esses casais são chamados pacsés.

Enquanto ele fica muito aquém de conferir os direitos legais que os cônjuges casados ​​desfrutam, como o direito a permanência legal em solo francês, O Pacs que confere um estatuto jurídico que oferece tanto o reconhecimento oficial da união e uma série de direitos para ambos os indivíduos, bem como especificar bens comuns – você pode optar por fazer um contrato de comunhão de bens com Pacs também.

No entanto, o Pacs não tem qualquer relação legal sobre questões como a adoção de crianças.
O Pacs não da direito a visto imediato para viver aqui, você terá de provar a vida em comum (na mesma casa) através de contas bancarias conjuntas, correspondências de banco,declarações de testemunhas, contas etc. Algumas prefeituras exigem que os Pacses provem que vivem juntos por 3 anos (com algum outro tipo de visto, como o de estudante ou visiteur) antes de conceder a carte de sejour de Vida familiar/privada. A maioria das prefeituras pedem somente 1 ano, mas e bom conferir.
A Pacs pode ser assinado entre duas pessoas não casadas, independentemente da nacionalidade ou sexo, com 18 anos ou mais.

O que você precisa para se casar

– Um passaporte válido ou uma autorização de residência francesa para cada um dos cônjuges
Declaração de um endereço residencial francês (como uma conta de telefone ou de utilidade).
-Certificado de Coutume – emitida no Consulado Brasileiro aqui.
– A certidão de nascimento de cada um (emitidos nos três meses anteriores; certidões de nascimento estrangeiras devem ser traduzidas por tradutor juramentado, traducteur assermenté).

– Certificado de Solteiro para os estrangeiros – também pode ser emitido pelo consulado.

– Um certificado médico, certificat de l’examen prenuptial médico (emitido no prazo de três meses anteriores).

– Contrato de casamento, feito por um advogado francês estipulando que o casamento inclui um contrato pré-nupcial legal.

– Uma ou duas testemunhas, témoins, por cônjuge, se você não tem uma testemunha, um representante da prefeitura podem ficar como sua testemunha.

Para saber mais sobre casamento e Pacs, leia tambem o artigo Casamento, Pacs e uniao livre, saiba as diferenças legais de cada um deles.

Leia mais...

Descobrindo Paris: As margens do Rio Sena e as suas pontes

junho 5, 2011 | Posted in Cultura Francesa, Pontos turisticos | By

O Rio Sena sempre foi importante para o desenvolvimento cultural e econômico de Paris, de fato, podemos dizer que foi imprescindível.

Essa importância pode ser medida pelo número de monumentos que estão localizados perto de seu curso. Desde a Torre Eiffel (7eme) ate a Biblioteca Nacional da França (13eme), as margens do rio estão cheias de monumentos históricos. Um passeio de bateau mouche ou mesmo a pé, ao longo do rio sena é uma das melhores formas de ver o centro de Paris, através das suas margens.

Para você se situar um pouco na historia e entender mais sobre a importância das pontes que você vai encontrar, ligando tanto a rive gauche com a rive droite como ambas as margens com as ilhas no meio do sena (Ile de la cite e Ile Saint Louis), aqui vai um resumo da historia de Paris, visando exclusivamente as pontes:

Idade Média ao século XVI: As primeiras pontes são construídas em Paris

O Sena é um lugar rico e variado. No centro, ao redor de Ile de la Cité, as casas são também construídas umas sobre as outras, diretamente sobre o rio, sobre as pontes. A cidade de Paris se resume basicamente em Ile de la Cite. Lugares como o conhecido e central (hoje) Quartier Latin são considerados “subúrbios” nesta época.

O primeiro cais aparece no início do século XVI com a construção do Rei Filipe, o Belo, o Quai des Grands Augustins. As pontes são todas cobertas com casas de madeira, sendo estas um dos motivos da grande poluição que já se encontrava no rio nesta época (somente sendo resolvida seculos mais tarde).

Os arcos estreitos das pontes são ocupados por fábricas e outras atividades.

A Pont-Neuf (a ponte mais antiga de Paris, tem uma estacão de metro com o mesmo nome), nascida da vontade real, foi construída a partir de 1578. Esta é a primeira ponte onde não foi permitido casas construídas em cima.

XVII e século XVIII: o nascimento das docas em Paris

O desejo de embelezar e limpar Paris faz com que haja uma profunda transformação do Sena.

A criação em 1753 da Place Louis XV (agora chamada de Place de la Concorde) foi acompanhado da construção de um cais ao longo das duas margens (rive droite e rive gauche).

Casas construídas diretamente sobre o rio (em cima das pontes) são, então, demolidas, apesar da resistência dos moradores, que não gostaram nada da ideia de terem as suas casas destruídas.

O espaço liberado é reservado às margens ao redor das ilhas para a criação de cais mais elevados.

O século XIX: o triunfo de pontes e o embelezamento de Paris

Este século é marcado pela construção massiva de pontes que melhoraram a comunicação entre ambos os lados. Cada reinado desempenhou o seu papel e contribuiu como construtores em Paris, encorajados pela crescente urbanização e a expansão da capital. Em 1870, 15 pontes foram construídas, mais do que durante todos os séculos anteriores. A navegação é muito ativa nesta época. O Sena é o local preferido das Exposições Internacionais, realizada em Paris de 1855-1900.

O século XX: a convivência com o automóvel

É hora de conciliar o compromisso (e o conflito) dos usos das pontes: a circulação a pé e com carros.

O uso do Sena diminui e o tráfego se espalha por Paris com a construção de estradas em terra. Muitos produtos e mercadorias que antes vinham para Paris através do Sena começam a vir por terra. A Ponte Charles de Gaulle simboliza o fim do século com o seu longo avental horizontal.
Deixe-se levar por um passeio ao longo do Sena e descubra um panorama interessante, que não se limita somente às pontes. As margens do Sena são Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO.

 

Aqui a lista das 37 pontes de Paris, com links para a wikipedia, para você saber mais sobre cada uma delas, assim como ver as fotos também:

  1. Pont amont
  2. Pont National
  3. Pont de Tolbiac
  4. Passerelle Simone-de-Beauvoir (somente para pedestres), inaugurada em 13 de julho de 2006
  5. Pont de Bercy
  6. Pont Charles-de-Gaulle (1996)
  7. Viaduc d’Austerlitz
  8. Pont d’Austerlitz
  9. Pont de Sully (que atravessa a parte leste da l’Île Saint-Louis)
  10. Pont de la Tournelle (entre la rive gauche et l’Île Saint-Louis)
  11. Pont Marie (entre l’Île Saint-Louis et la rive droite)
  12. Pont Louis-Philippe (entre l’Île Saint-Louis et la rive droite)
  13. Pont Saint-Louis (somente para pedestres, entre l’Île de la Cité et l’Île Saint-Louis)
  14. Pont de l’Archevêché (entre la rive gauche et l’Île de la Cité)
  15. Pont au Double (entre la rive gauche et l’Île de la Cité)
  16. Pont d’Arcole (entre l’Île de la Cité et la rive droite)
  17. Petit-Pont (entre la rive gauche et l’Île de la Cité)
  18. Pont Notre-Dame (entre l’Île de la Cité et la rive droite)
  19. Pont Saint-Michel (entre la rive gauche et l’Île de la Cité)
  20. Pont au Change (entre l’Île de la Cité et la rive droite)
  21. Pont Neuf (atravessa a ponte oeste da l’Île de la Cité, a mais antiga (apesar do nome…), foi construída entre 1578 et 1607)
  22. Pont des Arts (para pedestres, esta é e ponte onde os casais colocam os cadeados pendurados)
  23. Pont du Carrousel
  24. Pont Royal
  25. Passerelle Léopold-Sédar-Senghor (1999) (somente para pedestres, antiga Passerelle de Solférino, renomeada em 2006)
  26. Pont de la Concorde
  27. Pont Alexandre-III
  28. Pont des Invalides
  29. Pont de l’Alma (em baixo desta ponte tem o túnel onde morreu a princesa Diana)
  30. Passerelle Debilly (apenas para pedestres)
  31. Pont d’Iéna
  32. Pont de Bir-Hakeim (atravessa a l’Île aux Cygnes,a terceira Ilha de Paris, pouco conhecida pelos turistas)
  33. Pont Rouelle (viaduto ferroviário da ligne C do RER atravessando a l’Île aux Cygnes)
  34. Pont de Grenelle (atravessa a l’Île aux Cygnes)
  35. Pont Mirabeau
  36. Pont du Garigliano (antigo Viaduc d’Auteuil ou Viaduc du Point-du-Jour)
  37. Pont aval

Leia mais...

Entenda melhor a cronologia da história da França para poder aproveitar ao máximo o seu passeio em Paris

maio 29, 2011 | Posted in Cultura Francesa | By

Alem de todos os detalhes que cercam o planejamento de uma viagem, um fator importante para aproveitar ao máximo a sua temporada em Paris é lembrar um pouco da historia da França que todos estudamos na escola.

Paris é um museu a céu aberto, e as vezes pode tornar-se um pouco frustrante olhar tudo por aqui sem entender como ela foi feita e quem construiu o que. Vocês verão as datas de quando cada monumento foi contruído nos panfletos informativos que temos a disposição aqui, então com esta lista vocês podem saber exatamente quem começou e quem terminou cada obra.

Pensando nisso, resolvi fazer uma lista de datas e períodos importantes na historia da França, para você poder entender melhor o que cada rei fez pela cidade, e quando eles viveram. Muito destes nomes vocês irão ver por aqui, em estatuas, nomes de ruas, etc.

Segue aqui a minha lista (é uma especie de resumo), comentada, para ajudar você a se situar no tempo e no espaço quando vier a Paris:

 

10 000 AC Era Paleolítica

5000 – 2500 AC Era Neolítica – Existem provas de civilizações desta época já habitando Paris, mas eles não deixaram construções nem existe nada desta época nas ruas de Paris, foram encontrados vestígios em escava coes, mas muito pouca coisa. A área da França onde tem mais vestígios desta época fica no Sul da França

51 AC – 486 DC Gaule (Ainda não existia o pais “França”, mas essa época ficou bem conhecida por nos através das historias do Asterix, os gauleses que foram uma eterna dor de cabeça para o império romano)

486 – 751  Merovingiens – Dinastia dos 3 primeiros reis da Franca:

481 – 511  Rei Clovis – Ele se converteu ao catolicismo e foi quem criou o pais “França”.

629 – 638 Dagobert I

721 – 737 Thierry IV

751 – 987  Carolingiens – Segunda dinastia de Reis franceses:

751 – 768 Rei Pepin le Bref (o Breve)

768 – 814 Charlemange (conhecido por nos como Carlo Magno, não foi um rei somente, mas um grande e poderoso imperador, ate hoje considerado pelos franceses um heroi nacional. Foi quem deu ordem as igrejas de educar as criancas, alfabetizando e dando ensino basico. Foi então o criador das escolas na França.

843 – 877 Charles II

877 – 879 Louis II

879 – 882 Louis III

898 – 923 Charles III

936 – 954 Louis VI

996 – 987 Louis V

987 – 1328 Capetiens , Rei Hugues Capets – Terceira Dinastia de Reis franceses: Pode-se dizer que foi a partir desta dinastia que Paris realmente se desenvolveu como a capital do Pais.

987 – 996 Hugues

996 – 1031 Robert II le Pieux (O piedoso)

1031 – 1060 Henri I

1060 – 1108 Philippe I

1096 – Construção da Basillica Vézelay

1108 – 1137 Louis VI

1130 Construção da Abadia de Fontenay

1137 – 1180 Louis VII

1180 – 1223 Philippe II (Construiu uma fortaleza onde hoje temos o Louvre, as ruínas deste castelo ainda podem ser vistas no subsolo do Museu). Todos os outros reis que vieram a seguir contribuíram com a construção do Louvre, ate Napoleao. O Louvre que vemos hoje e o resultado do esforço conjunto de todos os reis da Franca (e imperador) a partir de Philipe II.

1223 – 1226 Louis VIII

1226 – 1270 Louis IX

1270 -1285 Philippe le Hardi III

1285 – 1314 Philippe le Bel IV (o belo) – Em 1307 Philippe IV prende e condena por heresia os Templários, com a ajuda do Papa Clement V.

Jacques de Molay (templário mestre) é queimado lentamente em frente de onde é, hoje em dia, a Square Du Vert Galant, em Ile de La cite. Dizem que Jacques amaldiçoou o rei, e o papa no momento da sua morte. O papa Clemente V morreu 1 mês depois da morte do templário mestre, e 5 cinco meses depois o rei morre. Os próximos reis desta dinastia tiveram vida muito curta, marcando o fim da dinastia dos Capetians (parece que a maldição funcionou lindamente…).

1039 – O papa muda para Avignon

1350 – 1364 Jean II le bom (o bom)

1364 – 1380 Charles V

1380 – 1422 Charles VI

1422 – 1461 Charles VII

1431 Jean d’Arc foi morta (queimada)

1461 – 1483 Louis XI

Fim da Idade Media 1486

1483 – 1498 Charles VIII

1483 – 1595 Período do Renascimento

1498 – 1515 Louis XII

1539 – O Rei Francos I declara a língua francesa a língua oficial da França

1559 – 1560 François II, fim da guerra com a Itália

1589 – 1610 Henry IV (assassinado por Ravaillac)

1610 – 1643 Louis XIII

1643 – 1715 Louis XIV Roi Soleil (Rei sol)

1661 Louis XIV começa a construção de Versalhes, que sera a casa dos reis Louis XIV, Louis VX e Louis VXI.

1715 – 1774 Louis XV

1774 – 1792 Louis XVI

1778 As colônias americanas e a França assinaram o tratado militar de 06 de fevereiro.

1789 A revolução Francesa

Tomada da Bastilha em 14 de Julho (este e um feriado nacional hoje em dia, não planeje passeios em museus aqui)

A declaração “Droits de l’homme” (Direitos do Homem) 26 de Agosto

As riquezas da Igreja são entregues a França – 2 de Novembro

1792 Primeira Republica

1793 Louis XVI é guilhotinado em 21de Janeiro (ele estava preso na Torre do Templo em Paris, com a sua família)

1793 Marie Antoinette é guilhotinada em 16 de outubro (depois da morte do seu marido, o Rei XVI, ela foi para a Conciergerie, onde ficou 72 dias a espera da sua morte).

1795 França adota o sistema métrico

1796 Napoleão é nomeado general do exercito Italiano

1799 Criação do Banco da França

1804 – 1814 Napoleão I (esta e a data que ele se tornou imperador, coroando-se a si próprio na Catedral de Notre Dame)

1809 Napoleao conquista Moscou

1814 – 1824 Louis XVIII

1814 Restauração

1816 Napoleão perde a batalha de Waterloo

1821 Morte do Napoleao I

1824 – 1830 Charles X

1830 – 1848 Louis-Philippe I

1848 Segunda Republica

1852 – 1870 Segundo Império com Napoleon III (Sobrinho do Napoleao I) – Reconstrução de Paris com o Barão De Haussmann (prefeito da cidade) entre 1853 e 1870.

1858 Visão de Bernadette Soubrious em Lourdes

1862 Victor Hugo escreve o famoso romance “Les Miserables”

1871 Terceira Republica

1887 – 1894 Sadi Carnot

1889 World Expo em Paris com a torre Eiffel

1898 “J’accuse” é escrito por Émile Zola

1905 Uma lei finalmente separa os poderes do estado e da igreja

1906-1913 Clemenceau

1914 – 1918 Primeira Guerra mundial

1926 Morte de Claude Monet

1936-1945 Segunda Guerra Mundial

Petain 1940-1944

Dia D em 6 de junho de 1944

1944 – 1946 Charles De Gaulle

1944 Em 21 de Abril 21, França finalmente da as mulheres o direito ao voto.

1946 – 1947 Leon Blumme

1947 Quarta Republica

1947-1954 Vincent Henrauriol

1954-1959 René Coty

1959 Quinta Republica

1959-1969 Charles de Gaulle

1962 Fim da guera com a Algeria

1968 – Manifestações estudantis em Maio

1969 – 1974 Presidente Pompidou

1970 Morte de Charles De Gaulle

1974 Valéry Giscard d’Estaing eleito presidente

1981 François Mitterrand eleito presidente

1988 François Mitterrand re-eleito presidente

1991 Edith Cresson, Primeiro ministro

1995 Jacques Chirac é eleito como o quito presidente da Quinta Republica

1996 Francois Miterrand morre

2001 A constituição é mudada, e o mandato do presidente é diminuído para 5 anos em vez de 7 anos.

2002 Jacques Chirac re-eleito presidente

2007 Nicolas Sarkozy eleito como o Sexto Presidente da quinta republica

Leia mais...

Estudar na França: Lista das Universidades francesas com links para os web sites.

maio 18, 2011 | Posted in Viver em Paris | By

Estudar na França é o seu sonho mas não sabe por onde começar? Pensando nisto, preparei uma lista das principais universidades francesas com os links para os web sites delas, assim você pode começar a sua pesquisa. As universidades publicas francesas são abertas e não tem que concorrer a vaga, portanto uma vez que você possa provar que esta apto a entrar na universidade (o comprante de que passou no vestibular é uma prova, por exemplo), você pode pedir uma vaga. Note que no Brasil todos os processos de obtenção do visto de estudante estão a cargo do Compus France portanto uma vez escolhida a cidade e universidade que você quer ir, e bom esclarecer como deve ser feito o processo para obtenção do visto de estudante no próprio site do Campus France.

Só para ajudar você a decidir, fique sabendo que se você clicar em um link e encontrar o termo “Grandes Ecoles”, saiba que esta é uma universidade paga e que tem processo de seleção. Se você esta atras de escolas publicas, escolha as universidades francesas. As universidades Americana, British e Católicas são todas universidades particulares, caras e com processo de seleção.

Embora a maioria dos estudantes prefira procurar vagas nas universidades em Paris, considere procurar informações sobre universidades fora de Paris também, porque como a concorrência entre os estrangeiros e menor, e mais provável que você consiga uma vaga. Já imaginou estudar em uma linda cidadezinha no interior da França? Alem de aproveitar os baixos custos de vida, você experimentara a verdadeira cultura francesa, longe do internacionalismo de Paris, que sempre estará a sua espera nos inumeros feriados, feriadões e férias que você vai ter!

 

Leia mais...

Intercâmbio cultural e hospedagem “free”: Sim, é possível e você também pode fazer!

abril 14, 2011 | Posted in Turismo dicas, Viver em Paris | By

Inspirada na minha filosofia de viajante independente, resolvi falar neste artigo sobre a possibilidade de realizar intercâmbio cultural durante a viagem de férias. Sim, é possível fazer intercâmbio sem precisar ficar meses em um país.

Existem comunidades virtuais de viajantes independentes, onde a filosofia é a hospedagem gratuita em troca de intercâmbio cultural. Entre essas comunidades, os mais conhecidos são o Hospitality Club (http://www.hospitalityclub.org/) e o CouchSurfing (http://www.couchsurfing.org/).

De uma forma geral, nestas comunidades basicamente você “se oferece” para receber pessoas em sua casa e também “solicita” hospedagem na casa de outros membros com o perfil compatível com o seu. Esses membros estão espalhados em todos os continentes, e você tanto pode receber na sua casa uma pessoa do Japão, como pode hospedar-se em Paris!

A primeira vista parece um pouco de loucura, mas cada uma destas comunidades possui regras claras para seus participantes, que são auto reguladas pelos membros e geralmente são respeitadas. Além disso, essas comunidades possuem ferramentas de segurança e verificação de seus membros, como uma forma de ajudar na segurança do projeto.

COMO FUNCIONA:

1) Você deve criar um perfil em um dos sites (eu indico o CouchSurfing), como um site de relacionamento, porém muito mais específico, já que o foco é voltado para hospedar e ser hospedado. Quanto mais detalhista você for, melhor na hora de solicitar hospedagem;

2) Depois de ter um perfil completo, participe dos grupos. Cada cidade tem um grupo. O grupo de Paris é um dos mais movimentados e ativos do CouchSurfing;

3) Se você mora no Brasil, nas principais capitais também tem grupos ativos, participe dos eventos e conheça pessoas. Isso é importante como forma de iniciar sua fase de confiança no projeto. Eu aconselho isso, assim você verá por si só que o projeto é realmente sério;

4) Antes de sua viagem pesquise pessoas que moram na sua cidade de destino, leia o perfil completo da pessoa e veja se há afinidade com você;

5) Se tiver a intenção de se hospedar, envie um e-mail solicitando, informe o período que você ficará na cidade e fale um pouco de você;

6) Você também pode simplesmente solicitar companhia para alguns passeios, alguma pessoas se disponibilizam a apresentar a cidade, tomar um drink ou apresentar alguma balada legal.

Sou entusiasta deste projeto, já hospedei pessoas na minha casa em São Paulo, já acompanhei em passeios pela cidade, baladas e fiz ótimos amigos entre brasileiros e estrangeiros. Isso tudo sem sair de São Paulo.

Claro que existem pessoas que não procuram entender a filosofia do projeto e acabam se equivocando ao tentar conseguir hospedagem de graça para economizar dinheiro na viagem, mas logo percebe-se que são a grande minoria e geralmente não conseguem nada além de uma recusa por parte de algum membro da comunidade.

Pessoas altamente conservadoras geralmente não se identificam com o projeto, mas se este não é o seu caso, vale a pena acessar os sites indicados e conhecer um pouco mais sobre assunto. Quem sabe na sua próxima viagem você acabe se hospedando na casa de um típico parisiense e tendo a oportunidade de mergulhar de cabeça na cultura e dia-a-dia da cidade luz?

Leia mais...

Paris Impressionista: Museus Marmottan, D’Orsay e L’Orangerie

abril 12, 2011 | Posted in Cultura Francesa, Pontos turisticos, Turismo dicas | By

A origem de uma revolução artística: 1874. Em meio a hostilidades e rigidez das regras de pintura da época, Claude Monet e seus amigos resolvem fazer uma exposição mostrando uma nova forma de pintar. Essa exposição foi feita em um salão próprio, particular, onde eles poderiam mostrar as suas obras sem ter que entrar dentro do “esquema” estético da época.

A premiere foi um sucesso. A obra de Monet “Impression, Le Soleil” causou um tal efeito no publico da época que deu nome ao novo movimento que surgia: “O Movimento impressionista”.

O Impressionismo mostra elementos de cores contrastantes e pinceladas fortes, usando a luminosidade como fator fundamental. Os temas pintados são temas cotidianos, paisagens locais e populares.

Paris e arredores, assim como a costa da Normandia foram os lugares elegidos pelos pintores a serem retratados e recriados.

Estas obras foram primeiramente expostas no Museu Marmottan-Monet. Instalado em um hotel particular do quartier Ranelagh, este museu expôs cerca de 300 obras de artistas impressionistas, como Renoir e Manet.

O museu Marmottan-Monet ainda hoje expõe grande parte da obra de Claude Monet, sendo considerado por alguns muito melhor do que o Museu de Giverny, onde fica a casa do Monet.

Em continuação ao sucesso do movimento impressionista, cria-se outro espaço dentro do Jardim de Tuileries: O Museu de L’Orangerie.

As margens do Rio Sena, em frente ao Louvre, a antiga gare d’Orsay se torna outro templo dedicado ao impressionismo. O Museu D’Orsay é hoje em dia considerado um dos mais belos museus do mundo.

Estes 3 museus tem uma coisa em comum alem de guardar as mais belas obras do movimento impressionista do mundo: A luz natural que ilumina o ambiente destes museus tornam estes os lugares ideais para expor arte impressionista.

Lugares como Honfleur, Etretat e outras perolas da Costa da Normandia foram retratados por Monet, assim como pelos seus amigos impressionistas.

Jardins, praias, pontes e parques e belas paisagens naturais são retratadas de uma forma fantástica neste estilo de pintura.

No impressionismo não há espaço para retratos de reis e rainhas, nem para pinceladas imperceptíveis fazendo uma especie de “fotografia realista”.

Você vai poder ver cada pincelada do artista, e ver que parece que nenhuma e da mesma cor do que a outra. A mistura das cores da-se ao olhar as pinturas mais ao longe, misturando-se no todo da obra.

Não deixe de reservar um espaço na sua agenda para ver com calma pelo menos um destes museus.

Aqui vão os endereços do impressionismo em Paris.

Clique no web site dos museus para ver um pouco das obras que estão a sua espera:

 

Musee Marmottan-Monet

2, Rue Louis-Boilly, 75016

www.marmottan.com

 

Musee de L’Orangerie

Jardin de Tuileries, 750101

www.musee-orangerie.com

 

Musee d’Orsay

1, Rue de la Legion-d’Honneur, 75007

www.museeorsay.fr

 

Temporada: Os Museus de L’Orangerie e Marmottan estão fechados na terça, o Musee d’Orsay na segunda-feira.

Leia mais...

Culinária Francesa: Dica de como preparar uma Tartiflette

março 29, 2011 | Posted in Cultura Francesa, Restaurantes, Viver em Paris | By

ola pessoal, deixo voces hoje com mais um otimo artigo da leitora Luana Veloso!

Hoje vou dar uma dica super simples de como preparar um ótimo prato com sabor francês! Quando eu morava na França comia em restaurantes todo santo dia ! Sempre que eu chegava ao mercado via aquela infinidades de ingredientes mas não sabia o que fazer com eles! Um amigo meu percebeu que eu gastava todos meus euros comendo e resolveu me ensinar algumas receitas que ele tinha aprendido com o pai dele que é um chef super conceituado na França! Um dos pratos que eu mais gostei foi a Tartiflette, não apenas por ser maravilhosa no quesito sabor, mas por ser fácil de preparar! Fica a dica pra pessoas que moram/ vão morar na França e acham que vão morrer de fome por não saber cozinhar ou para aqueles que gostam de aprender pratos simples e saborosos para os almoços de domingo!

 

RECEITA

Ingredientes:
1,2 Kg de batatas cortadas em 4 partes
350 gramas de Bacon picado em cubinhos
1 lata creme de leite
1 cebola picada
300 gramas reblochon
200 gramas queijo mussarela em fatias finas*
2 colheres requeijão*

* Esse ingredientes não são usados na receita original, eu uso pois no Brasil o creme de leite diferente do “crème fraiche” que ele utilizam na França e também porque fica mais saboroso com mussarela =p

 

1 – Coloque as batatas em água para cozinhá-las
(o tempo para o cozimento depende de cada fogão, porém, não espere elas ficarem muito moles, tire-as da água ainda meio durinhas)

2 – Corte a cebola e refogue junto com o bacon até que o bacon fique bem frito

3 – Unte uma forma com manteiga e coloque uma camada de batatas, depois cubra com uma camada de bacon, adicione outra camada de batatas e finalize com o restante do bacon

4 – Coloque o creme de leite (sem soro), 2 colheres de requeijão e o queijo mussarela

5- Para terminar, coloque o reblochon em fatias em cime e leve ao forno até gratinar

C’est fini! Pode tirar do forno, servir e deixar todo mundo boquiaberto achando que você anda fazendo curso de gastronomia ;-P

 

 

Au revoir!

Luana Veloso

Leia mais...

Como comprar tickets de trem em Paris e metro usando as maquinas de venda automática

março 3, 2011 | Posted in Turismo dicas, Viver em Paris | By

Este é um guia de como usar máquinas de venda automática de bilhetes que estão dentro e em torno de Paris.

As maquinas servem para comprar bilhetes para o metro de Paris, ônibus, elétrico e trem RER, então você pode comprar de bilhetes de trem para viajar entre cidades, na região de Paris e arredores.

As maquinas de venda automática de bilhetes de trem são encontrados em todas as estações de trem de Paris (Gare de Lyon, Gare du Nord, Gare Montparnasse, Gare Saint Lazare, Gare de l’Est, Gare d’Austerlitz, Gare de Bercy) e em algumas estações de Metro de Paris / RER e nos aeroportos.

 

Existem maquinas para venda somente de passes de metro, mas eu aqui estou falando das maquinas onde você pode comprar os tickets de trem RER também, essas são as mais difíceis de usar.

 

Estas máquinas de venda funcionam com uma tela sensível ao toque. Eles aceitam moedas de Euro e cartão de credito ou debito.

Os tickets são entregues na bandeja inferior (abaixo). A impressão do bilhete pode ser um pouco lenta, por isso seja paciente e espere ate completar a sua transação. Confira se você já recebeu os bilhetes todos, as vezes a maquina entrega 3 bilhetes de uma vez só e depois demora um pouco para entregar o ultimo. Espere.
Passes de Passe Navigo Découverte, Paris Visite e cartão, não são vendidos a partir dessas máquinas.

Você terá que visitar um guichê / cabine para a aquisição destes e falar com algum ser humano mesmo, uma vez que eles vêm com cartões de papel adicional para identificação e você tem de entregar foto e preencher uma folha com o seu nome e outras informa coes. Você pode depois de ter o cartão colocar mais dinheiro nele usando essas maquinas.
Acima da tela é uma grande barra preta contendo uma CB (Carte Bleu), símbolo do cartão de débito. Quando uma máquina de venda automática de bilhetes não está funcionando, um vermelho “Hors Service” (“Out of Service”) estará aceso nesta barra preta.

Verifique se este sinal não esta aceso antes de tentar usar uma destas máquina. Além disso, se a máquina está com poucas moedas para o troco, um sinal vermelho acende-se logo abaixo do aviso “Rend La Monnaie” para indicar isso.

Olhando atentamente para o painel de pagamento, vemos que a máquina de bilhetes aceitam Mastercard e cartões de crédito Visa, cartão de débito Carte Bleu, moedas e cartões em dinheiro Mondeo.
Esta bem visível um slot (buraco para colocar o cartão) para cartão de Navigo. Esse slot pode ser usado para recarregar um Navigo Passe ou Passe Navigo Decouverte.

A tela inicial desses máquinas de venda automática de bilhetes (“billetterie”) oferecem opções de idioma no canto superior direito. Normalmente você tem como optar entre francês, espanhol e inglês.
Depois de mudar para a língua que você entende melhor, vemos que nossas opções são tanto para recarregar um cartão Navigo Pass ou para comprar bilhetes individuais ou cadernetas de bilhetes.

Para recarregar um Navigo, por exemplo, comece inserindo cartão no leitor de cartão Navigo.
Tocando num retângulo azul na tela para começar a sessão de compra do bilhete.
As outras informações úteis que podemos ver na tela inicial:
As moedas são utilizáveis para compras até 30 €
Cartões do dinheiro Mondeo são aceites até 30 €
Cartões de débito Carte Bleu / Cartões de crédito são aceitos para compras superiores a 1 €

Basicamente você vai encontrar essas opções:
Bilhete Único para Paris: Se a maquina que você esta usando esta fora de Paris, vai oferecer os bilhetes mais populares em primeiro lugar: um bilhete único a partir desta estação ate Paris.

Estes bilhetes “estação ate estação”, com preços e distância entre as estações, são conhecidos como um boleto Ile-de-France.

O preço dos bilhetes varia dependendo de onde você está comprando o bilhete. Por exemplo, do Aeroporto Charles de Gaulle de Paris o preço do boleto Ile-de-France seria cerca de 10 €. Fontainebleau-Avon a Paris Gare de Lyon cerca de 9 €.
Mobilis Ticket: Para comprar bilhetes de uso múltiplo, são cupons plastificados para viagens ilimitadas em trens, RER, Metro, ônibus e eléctricos nas zonas 1 a 6 (todas as zonas) para um único dia até o final do serviço ( não é um período de 24 horas).

O número de zonas abrangidas pela Mobilis Ticket depende de onde a máquina de bilhetes está situada. Se, por exemplo, você esta na zona 6, o Mobilis Ticket automaticamente abrangera as zonas 1-6 Se você esta comprando um bilhete na Zona 4, o seu ticket vai abranger automaticamente as zonas de 1-4 (você pode mudar isso clicando em “Outras Opções”).
O botão “cancelar” anula a sessão de compra, retornando para a tela (em francês) de bem-vindo.
Outras opções: você pode digitar o nome da estacão que você quer ir (acho mais fácil assim).

Quando você começa a digitar o nome da estação de destino, a máquina irá oferecer sugestões dependendo do que você digitou. Clique no nome da estação desejada, quando ela aparece por baixo do teclado na tela para selecioná-lo como sua estação de destino. Neste ponto a maquina ira apresentar as opções de quantidade (quantos ingressos deseja comprar).
Bilhete (s) para os Aeroportos: Viagem para o Aeroporto Charles de Gaulle e Paris-Orly Airport tem preços especiais e exigem tickets específicos.
No final aparece a tela de pagamento e você pode escolher se vai pagar em dinheiro em dinheiro ou cartão de crédito / débito. Embora a escolha lê “Cash”, essas máquinas de bilhetes só aceitam moedas de Euro, e não notas. Ao pagar com moedas, selecionando o botão “cash” para desbloquear o entalhe das moeda, caso contrário, ficara bloqueado.

Se você escolher pagar com cartão, faca esta opção e insira o cartão. Espere para que o leitor (lentamente) lera o cartão. Cartões sem chips não são aceitos.
O PIN (senha) é obrigatório para todos de crédito / compras com cartão de débito. Três erros consecutivos em inserir o código PIN irá bloquear o seu cartão.

Complete a compra através da remoção de seu cartão quando você vê a tela acima e ouvir um “som” vindo da máquina.

A questão final é se você quiser um recibo impresso ou não. O recibo será impresso em um bilhete em branco. Depois disso, basta esperar que os bilhetes que você comprou sejam (lentamente) entregues na bandeja de recolha de fundo. Se você pagou com moedas, recolha o seu troco (se houver) do lado direito da bandeja de coleta, separados dos bilhetes.

 

Você pode ver mais informações sobre bilhetes de trem, e metro e todas as opções de transportes públicos que você tem, no site oficial dos transportes publicos em Franca

Leia mais...

Viver em Paris: Como comprar o passe de metro Navigo

fevereiro 15, 2011 | Posted in Turismo dicas, Viver em Paris | By

Se você está pensando em viver em Paris por uma longa temporada, é uma boa ideia comprar um passe de metro – O Navigo Decouverte vai ajudar você a economizar se você for usar bastante o metrô de Paris.

Partindo do principio que você vai querer conhecer bastante lugares, trabalhar ou estudar, o passe de metro e uma otima opção. Para quem usa o metro todos os dias e ótimo e pratico.
Não precisa ser residente para comprar o passe de metro Navigo. Se você estiver pensando em ficar todos os 90 dias que tem direito como turista aqui, o passe de metro Navigo vale a pena.

Vantagens de ter o passe de metro Navigo

É muito mais conveniente usar um passe em vez de lidar com os bilhetes de papel – ou, pior ainda, lidar com dinheiro e moedas para comprar os bilhetes de papel – toda vez que quiser ir a algum lugar.
O passe te da direito a viagens ilimitadas por todo o tempo de você carregar no cartão (uma semana, um mês, etc.)

Como comprar um Decouverte Navigo.

Comprar o passe de metro Paris Navigo Découverte é fácil. Você só precisa encontrar uma estação de metro com um guichê e pedir um. Se você não fala francês, você pode primeiro perguntar ao atendente se eles falam Inglês, ou você pode dizer isto:
“Bonjour. Je voudrais un passe Navigo Découverte, s’il vous plait “.

Em seguida, eles vão pedir-lhe quais as zonas que você deseja carregar o passe.
As Zonas 1 e 2 vão cobrir todas as suas viagens no centro de Paris.
Lugares como La Defense, Versalhes e aeroporto Charles de Gaulle estão fora das zonas 1 e 2, mas você pode comprar apenas um bilhete individual para raras ocasiões em que você vai viajar para fora da sua zona.

Então, a atendente vai perguntar quanto tempo (Combien de temps) que deseja carregar para o passe. Você pode carregar o Decouverte Navigo por semana ou por mês (une semaine, un mois).

Quanto custa o passe de metro Paris Navigo?

Um passe mensal vai ficar mais barato do que semanal.
O preço do passe semanal custa 17,20 € e um passe mensal é de 56,60 (Zonas 1 e 2).

Esteja ciente de o Decouverte Navigo não pode ser substituído ou devolvido, caso ele seja perdido ou roubado. Cabe a você manter o controle do mesmo. Não da para se usado por duas pessoas também.

Para obter um cartão mensal, você vai pagar um total de 66,60 €. (Isso é porque você tem de pagar uma taxa de 5 euros para o cartão, mais 56,60 por um mês para as zonas 1 e 2).
Se você estiver trabalhando não esqueça de perguntar se o seu patrão paga o navigo. As vezes eles pagam somente a metade do valor, mas já e melhor que nada :)

O atendente lhe entregará um pacote de plástico que contém três partes. Primeiro, há a parte da identificação, onde você precisa assinar o seu nome (traga uma caneta), retire o plastico para colocar a a sua foto (veja abaixo). A segunda peça é o cartão com o número de identificação e chip.

Se voce estiver com alguma duvida e so pedir ajuda.

Para usar o seu cartão: você passa o passe no leitor do bilhete em qualquer catraca do Metro. Não enfie o passe no lugar dos tickets de papel!

Se você estiver meio perdido sem saber como fazer, e só fazer uma cara de “ não sei usar isso” com o passe na mão que vai aparecer alguém rapidinho para ajudar.

Você vai precisar de uma foto 2,5 cm x 3 para o passe. Se você só tiver 3×4, corte um pouco rs rs que da.
Eu recomendo levar uma foto com você de casa, aqui e mais caro (bem mais caro!) e você não precisa ficar se preocupando em descobrir onde tirar a tal foto.
Mas caso você não tenha tempo ou esqueça, você pode tirar uma foto em cabines automáticas na própria estacão de metro. Não esqueça que as instruções são em francês e as vezes estao “fora de servico”.
As cabines de fotografias podem ser encontradas em quase todas as estações de Metro de Paris (disponível em muitas estações ao lado do guichê, e também no aeroporto CDG).
Você precisa de  moedas (parece que 5 moedas de 1 euro).
Se você vai usar a máquina no mesmo dia que esta pensando em fazer o passe, traga o seu par de tesouras pequenas para a estação de metro assim que você pode cortar a foto que recebe da maquina.

Como saber se o passe de metro esta valido ainda?

Uns 2 de dias antes de expirar o seu passe, você vai começar a receber um aviso sempre que você passar o cartão na catraca do metro: “Fin du Forfait” com a data de validade.
Depois e só ir carregar o cartão para mais um mês, o passe em si continua valido sempre, esse cartão só e feito uma vez.

É isso aí. Agora você está pronto para andar de metrô com facilidade, como um verdadeiro parisiense, em Paris.

Dicas:

  • So voce esta pensando em usar pouco o metro, considere comprar um carnet de 10 tickets que custa em torno de 12 euros.
  • Se voce esta querendo percorrer os museus de Paris, considere comprar o Paris Pass que alem de servir como passe de metro, voce entra de graca em todos os Museus, tem direito a degustacao de vinho e outros passeios em um so cartao.

Leia mais...

PACS, casamento e união livre na França: saiba as diferenças legais de cada uma delas

fevereiro 1, 2011 | Posted in Vistos e permanencia, Viver em Paris | By

PACS, casamento e união livre na França: saiba as diferenças legais de cada uma delas

Como a gente sabe as leis são diferentes em cada pais.
Quando se trata de questões legais e informações, é bem difícil de encontrar informações seja pela internet ou nos órgãos governamentais, então eu  fiz uma compilação e traduzi algumas leis a respeito das uniões com PACS, casamento ou união livre.
Aqui vai um resumo das informações que eu encontrei na Chambre de Notaires de Paris.

Em primeiro lugar gostaria de esclarecer a grande diferença entre a união de fato (união livre) no Brasil e aqui na França:
O fato de se viver por anos com uma pessoa não “transforma” a união em algo mais.

Você não tem direito a nada mesmo depois de 10 anos juntos. Se você quiser registrar essa união como uma “sociedade” você tem de fazer o PACS – Pacte civil de solidarité. Para maiores informações sobre o PACS vá ao site: http://vosdroits.service-public.fr
O PACS pode ser feito por pessoas do mesmo sexo ou não.

Quanto ao visto de permanência:
Casamento: Da direito imediato ao visto de long sejour com direito a trabalhar.
Casados com membros (não franceses)da UE : direito imediato a um visto de 10 anos.

up-date 2013: o casamento não da mais direito automatico ao visto. E necessario agora provar que o casal tem meios (casa, o marido trabalha, etc) de viver na França. Algumas cidades ja não dão mais a carte de sejour para quem vem como turista e casa. Tem de voltar ao Brasil.
Casados com Frances(a): Da direito imediato a um visto de long sejour de 1 ano, renovável e depois de 4 anos de residencia em território francês pode pedir nacionalidade (o processo e longo, pode demorar uns 2 anos mas vale a pena).
PACS e União livre: E necessária a prova de que o casal esta junto a mais de 1 ano para conseguir o visto. Não da direito imediato, mas é  um fator positivo (digamos: um ponto a mais) a considerar pela prefeitura ou consulado. PACS e união livre não dão direito a cidadania Francesa.
Filhos de um casal em PACS ou União livre tem os mesmos direitos dos filhos de casais casados, mas eles não são considerados para a mudança de direitos entre os casais, por exemplo, um casal com PACS ou união livre com filhos tem os mesmos direitos dos casais com PACS sem filhos.
A presença de filhos não mudam os direitos e deveres do casal.

Obrigações mutuas e direitos legais do PACS, casamento e união livre (união de fato)

OBRIGAÇÕES MUTUAS:

CASAMENTO
Dever legal de prestar socorro e assistência. Contribuição para as despesas do casamento na proporção respectivas capacidades dos cônjuges, na falta de acordo especial.

Seja qual for o regime matrimonial, o casal compartilha a dívida das famílias e as dívida contraída para a educação das crianças – sejam elas filhos do casal como de somente de um dos cônjuges.

PACS
A assistência mútua e ajuda material.
O  casal compartilha as dívidas da vida cotidiana.

UNIÃO LIVRE
Nenhuma exigência. Cada membro do casal é  livre para participar nos encargos da vida comum como bem entender  e é  responsável por suas próprias dívidas.

POSSE DE BENS:

CASAMENTO
De acordo com o regime matrimonial.

PACS
Cada membro do casal possui o que adquire.

Possibilidade de escolher o regime de comunhão de bens por acordo (os bens são considerados como pertencentes metade para cada “sócio”).

UNIÃO LIVRE
Cada membro do casal possui o que adquire. Nao há possibilidade de mudar o regime para comunhao de bens.

Arrendamento Residencial (aluguel de residencia)

CASAMENTO
Ambos os cônjuges têm os mesmos direitos.

Em caso de morte ou abandono, a locação (aluguel) é transferido para o outro.

PACS
Em caso de abandono ou morte do titular do contrato de aluguel, a locação é transferida para o outro, independentemente da duração do PACS.

UNIÃO LIVRE
Em caso de abandono ou morte do locatário, o seu parceiro registrado tem direito a manter a ocupação se coabitantes viveram juntos por pelo menos um ano.

SUCESSÃO DE BENS:

CASAMENTO
Os cônjuges são herdeiros naturais um do outro.

PACS
Parceiros PACS não são herdeiros naturais uns dos outros. Caso o casal tenha interesse em assegurar ao outro alguma  herança, devera fazer testamento.

UNIÃO LIVRE
Nenhum direito de herança.

Caso o casal tenha interesse em assegurar ao outro alguma  herança, devera fazer testamento, dentro do limite de cota disponível para doacoes fora da família (25%), ou seja não e possível “deserdar” os herdeiros naturais (mãe, pais, irmãos) para deixar tudo para o namorado(a).

TRIBUTAÇÃO (TAXAS) A PAGAR:

CASAMENTO
Isenção de imposto sobre herança. Para doações: redução de 80.724 € e para além alíquotas progressivas 5-40%.

PACS
Isenção de imposto sobre herança. Para doações: redução de € 80.724 e além de alíquotas progressivas 5-40%.

UNIÃO LIVRE
Provisão apenas para fazendas de 1594 €.

imposto de taxa única de 60%.

IMPOSTO DE RENDA

CASAMENTO
Fiscal comum por agregado familiar.

Os  cônjuge compartilham o pagamento.

PACS
Os  cônjuge  podem optar por compartilhar o pagamento.

UNIÃO LIVRE
Tributação separada.

Não há possibilidade de compartilhar as taxas (ou seja, pagam mais).

SEGURANÇA SOCIAL E SAUDE:
CASAMENTO
Um cônjuge, sem benefícios sociais pode usar o seguro de saude (do governo) do seu cônjuge.

PACS
Um cônjuge, sem benefícios sociais pode usar o seguro de saude (do governo) do seu cônjuge.

UNIÃO LIVRE
Um parceiro nao pode usar os benefícios da sua cobertura de seguro para reembolso de despesas médicas do outro.

APOSENTADORIA
CASAMENTO
O viúvo ou a viúva tem direito a uma pensão.

PACS
Parceiros PACS não tem direito a uma pensão.

UNIÃO LIVRE
O parceiro não tem direito a uma pensão.

RUPTURAS:

CASAMENTO
divórcio judicial

PACS
Rescisão por mútuo acordo (declaração conjunta com o processo judicial) ou unilateral (por oficial de justiça).

UNIÃO LIVRE
Rescisão por mútuo acordo ou unilateralmente.

Nenhuma declaração a fazer, e so mudar de casa e pronto.

Up-date:

Tenho recebido muitos email de pessoas tentando vir pra ca, baseado em uma “união de facto” mental.

A união de facto (união livre) só é aceita pelo consulado como motivo para pedir visto se o casal vive junto no mesmo endereço e tem como comprovar isso legalmente.

Essa ideia de encontrar o príncipe encantado pela internet, se corresponder por Messenger, um no Brasil, outro aqui, e vir pra ca com visto por causa disso não funciona.

Isso não caracteriza união nenhuma aos olhos da lei. Tem de ser união no sentido físico, não somente mental.

Essa historia de encontros online que acabam em amor tem ainda muito preconceito aos olhos dos organismos governamentais, por isso é importante mostrar, ao pedir um visto, que ambos fizeram varias viagens para se ver durante o período de “namoro”. Tem mesmo de mostrar os tickets de avião para eles acreditarem que o casal pelo menos se conhece pessoalmente. Não pode ser somente um ticket, tem de mostrar todo um histórico de “relacionamento” mesmo.

Leia mais...

Como abrir uma conta bancária na França

janeiro 25, 2011 | Posted in Viver em Paris | By

Como abrir uma conta bancaria na França ? Quem pode abrir? É necessário visto?

São muitas as perguntas sobre o mesmo tema…
Estou escrevendo este artigo em resposta a vários e-mails que venho recebendo ao longo destes meses e porque acho que essas informações podem ser úteis para todos que pretendem passar uma temporada maior do que 3 meses aqui na França.

Estive fazendo uma pesquisa sobre os Bancos na França e suas regras para abertura de contas/ cartões, juntei a minha experiencia própria a respeito e aqui vai a informação:

Quem pode abrir: Todo mundo que apresente os documentos necessarios e que tenha o montante de dinheiro para o deposito inicial (pode variar entre 100 euros ate 5000 – pela minha pesquisa).

É necessário visto? Sim, para contas de residentes – para contas de não-residente não é necessario (obvio)


Os principais bancos franceses são:

* Allianz Banque
* AXA Banque (internet banking)
* Banque Accord (internet banking)
* Banque Populaire (alguns sites regionais são em Inglês)
O Banque Populaire de la Côte d’Azur International Branch (todos falam Inglês)
* Barclays França (tem site em Inglês)
* BNP Paribas
* Caisse d’Epargne
* CIC
* Credit Agricole Crédit Agricole
* Credit Lyonnais
* Mutuel crédito
* Credit du Nord
* HSBC France (internet banking e do site em Inglês)
* ING Direct (internet banking)
* La Banque Postale
* MonaBanqu (internet banking)
* Société Générale

Abrindo uma conta em um banco francês

Um estrangeiro que é (ou vai ser) residente em França por mais de três meses, pode abrir uma conta bancária francesa (compte bancaire). Um estrangeiro que não é (nem pretende ser) residente em França, poderá abrir uma conta de não residente (compte não-residentes). É uma boa oportunidade caso você queira ter uma conta em Euros.

O compte não-residentes

Nem todos os bancos têm disposição para uma conta de não residente, e outros impõem restrições sobre quem pode abrir uma conta, com base no seu local de residência (é geralmente mais fácil para a UE-residentes do que aqueles em países fora da UE), o saldo de abertura mínima e outros fatores. Alguns bancos têm instalações para uma conta a ser aberta fora da França.

Documentos necessários para abrir uma conta pode variar, mas geralmente incluem: comprovante de endereço residencial (uma conta recente) e comprovante de identidade.

Conta bancária francesa para residentes (se você mora ou vai morar na França)

Um estrangeiro que vive  na França pode abrir uma conta bancária (ou varias).
Alias, você deve abrir uma!

Isso facilitara muito a sua vida e você poderá optar por um melhor plano de telefone celular, internet e TV a cabo, por exemplo.
Tambem é importante ter uma conta bancaria para que as suas contas sejam diretamente debitadas. É uma preocupação a menos. Você não precisa se preocupar qual é o dia que vence a conta da luz ou água, tudo pode ser debitado automaticamente.
A maioria dos bancos têm uma grande variedade de tipos de conta, mas a conta mais básica costuma ser a conta corrente (compte à vue, também chamado de compte de um armazém de vue ou um compte cheque). Outros tipos comuns de conta são as contas correntes remuneradas e conta poupança.

Os documentos necessários para abrir uma conta são os seguintes:

* Os cidadãos da UE: Prova de identidade (passaporte válido ou carteira de identidade)
* Os cidadãos não-comunitários: Comprovante de residência (carte de séjour)
* Comprovante de endereço em francês: uma conta de serviço, contrato de locação ou título de propriedade
* Comprovante de rendimentos ou estado: Contrato de trabalho / comprovante de rendimentos / prova de status (por exemplo: um cartão de estudante)  – se você estiver depositando uma grande soma de dinheiro o comprovante de rendimentos pode não ser necessário.
* Referência: a partir de outros bancos onde as contas são realizadas (normalmente só é necessária para os empréstimos a descoberto)
* Em alguns casos, uma certidão de nascimento

Abrir uma conta pode ser feito em um dia e os cartões e talões de cheques normalmente chegam dentro de uma semana a dez dias depois da conta a ser aberta. Você tem de ir ao banco retirar os cheques e o cartão.

Contas conjuntas:

As contas podem ser realizadas em nomes comuns (alias muito útil para quem esta pretendendo apresentar provas de vida em comum para fins de visto).

Note que uma conta mantida por duas pessoas terão as palavras “et” ou “ou” entre os nomes.
No caso de uma conta detida em nome M et Me Xyz, ambos titulares da conta deve assinar um cheque, enquanto que no caso de uma conta em nome M OU Mme Xyz, seja titular da conta pode assinar. Se você for mesmo usar esta conta, escolha a opção “ou”. Se for só para guardar dinheiro mesmo, pode escolher a opção “et” mas não aconselho… imagina se acontece alguma coisa e um dois dois tem um acidente (ou acontece qualquer imprevisto) e não pode assinar… o outro fica com a conta bloqueada.

Os bancos franceses vão cobrar por certos itens, por exemplo, em alguma taxa que é paga para ter uma conta, há uma taxa para ter um cartão (e segundo cartão), pode haver um encargo para a instalação de internet banking e para as operações em alguns bancos .

Usando uma conta de banco francesa:

Dependendo do tipo de conta escolhido um livro de cheques e cartões de pagamento e retirada em dinheiro (o Carte Bleue – ou “cartão azul”) será emitido.

Ler e escrever números em Frances:

Ao escrever ou ler números francês, é importante saber a localização de pontos e vírgulas.

* Um ponto marca a milhares de pessoas, enquanto uma vírgula separa os centavos: mil euros está escrito € 1.000,00 (Mil euros)
* A vírgula marca a frações em porcentagem: ponto cinquenta e dois e seis por cento é escrita 52,6% (cinquante deux seis pourcent Virgule)

Os pagamentos com cartão

* Pagamentos por cartão Carte Bleue são aceitos na maioria dos lugares em França.
O pagamento é feito usando o código PIN; assinaturas podem ser solicitadas ao longo de um determinado montante
* Procure o símbolo do(Carte Bleue) CB Visa ou MasterCard
* Observe que o BC do débito não é um cartão de crédito! O dinheiro vai ser debitado imediatamente da sua conta!
* Dinheiro máquinas, caixas eletrônicos (distributeurs) são fáceis de encontrar na maioria das cidades e aldeias e são simples de usar (sendo da mesma forma como no resto do mundo): insira o cartão e siga as instruções em texto. Muitas máquinas permitem a opção de selecionar o texto em Inglês
* Pode haver restrições à utilização de uma conta quando viajam para o exterior, portanto se você estiver pensando em usar o cartão em outro pais pergunte ou olhe direitinho no web site do banco para ter certeza. Cada banco tem regras diferentes.

Cheques

Uma identidade com fotografia (por exemplo passaporte, autorização de residência ou carta de condução) pode ser solicitado quando voce pagar com cheque.
O seu nome tem de estar exatamente como no passaporte ou se não couber opte pelo sobrenome (nome de família) completo. Pelo menos foi isso que me disseram para fazer no meu banco. Como o meu nome era muito extenso tive de cortar o meu nome (primeiro nome).
Os cheques são aceitos como um pagamento em dinheiro.
Atenção: Se o banco não pode pagar  o seu cheque por falta de fundos, o banco é obrigado a relatá-lo à autoridade da França bancário nacional (o Banco de França) que vai impor uma bancaire interdit que proíbe o titular da conta de cheques por cinco anos.

* O cheque só pode ser cancelado, se for perdido, roubado ou se houver suspeita de fraude
* É ilegal passar cheques pós-datados (ilegal mesmo).
* A seleção é válida em França durante um ano e oito dias (12 meses, 8 dias).

Ao receber pagamentos com cheques, sempre escreva o número da conta bancária , e assine o verso do cheque antes de depositá-lo.

Quando um talão de cheques se aproxima do fim, o banco enviará um outro, se você preencheu o  formulário solicitando a renovação automática. A renovação também pode ser feitas através do preenchimento do formulário fornecido em um talão de cheques. A retirada pode ser feita na agência mesmo.

Outras informações importantes sobre bancos na França:

Ao receber ou pagar grandes quantias de dinheiro em uma venda privada (por exemplo, comprar um carro usado por meio de um anúncio de classificados), é recomendado usar um cheque de Banque, essa forma de pagamento é garantido pelo banco emissor. Isso proporciona tanto a garantia do comprador e vendedor de pagamento adequado.

O beneficiário deverá solicitar, por escrito, que o banco prepare o cheque. Fornecer o número da conta a ser debitada, do nome do beneficiário e o montante. O pedido deve ser feito um dia ou dois antes e é necessário pagar encargos bancários pelo cheque (umas taxas extras pelo serviço).

Ao abrir uma conta, o banco oferece várias cópias de RIB (relevé d’identité bancária). Esta é uma forma que estabelece as referências bancárias e detalhes de conta e de identidade. Ele contém o numero de compte (número da conta), o código de l’établissement (código do banco) e o código guichet du (código de classificação). Normalmente você sai do banco já com essas informações. O cartão e o talão de cheques vem depois.

Essas informa coes (RIB) são solicitados ao estabelecer pagamentos de contratos regulares por débito automático em uma conta (prélèvement automatique), por exemplo, para o pagamento de contas de luz, telefone, internet, etc. Essas informacoes tambem são necessarias para a criação de pagamento automático em uma conta, por exemplo, a Segurança Social, os benefícios Bolsa Família ou salários.

Leia mais...