Visita de um dia ao Mont- Saint Michel

maio 20, 2017 | Posted in Cultura Francesa | By

Mont-Saint Michel

Com guia acompanhante sempre ao seu lado.

Oferecemos 3 formas de passeio:

1.Passeio em onibus de excursão de um dia (fazendo parte de um grupo ja formado, mas com guia brasileiro somente pra voces).

2.Passeios para grandes grupos, com onibus privativo.

3.Passeio de Van/carro para grupos pequenos com guia.

 

 

Transporte de Paris ao Monte Saint Michel, guia e Tickets incluidos no valor. Almoço não incluido.

Saida : 7:30

Volta : 22:30



Os destaques

    Visite um dos mais importantes locais de peregrinação na Idade Média, Património Mundial da UNESCO, localizado em uma pequena ilha perto da Normandia, a 360km de Paris!

    Descubra as maiores marés da Europa - até 15 metros em seis horas - de um lugar impregnado de 13 séculos de história e espiritualidade

Descrição

Património Mundial da UNESCO, perto da costa da Normandia, é uma obra de arte arquitectónica medieval. Explore 20 quartos, belos jardins e desfrutar de vistas panorâmicas sobre o mar eo céu.

Mont Saint-Michel é uma pequena ilha Normanda e a Abadia do Mont Saint Michel é certamente a sua maior glória, em pé como um grande soldado de pedra, enquanto as ondas quebram sobre as rochas. 

No século 10, os monges beneditinos construiram uma abadia neste estranho Monte que ficava cercado de agua e se transformava em uma ilha isolada do mundo quando a maré subia. Hoje, ele atrai multidões como há centenas de anos para sua arquitetura e sua posição majestosa.

Com mais de 20 salas para explorar, pináculos e torres que dominam a cidade, há muito para descobrir.Para isso, verifique em sua chegada e será atribuído um grupo para uma turnê.

Como você anda através da Abadia, considerar a olhar para o mar que sobe e desce (estas são as marés mais altas na Europa, até 15 metros faixa de corrente em apenas seis horas). Suba até o topo da abadia e admirar a vista de tirar o fôlego. Você vai se sentir como o senhor de um castelo. Ou o abade de um mosteiro.

Datas para participar de um grupo de excursão (mas com guia acompanhante privado so pra voces) :

  • Sabado 20 maio 2017
  • Sabado 17 julho 2017
  • Sabado24 juin 2017
  • Terça 04 julho 2017
  • Terça 11 julho 2017
  • Domingo 23 julho 2017
  • Terça 01 agosto 2017
  • Terça 08 agosto 2017
  • Sabado 12 agosto 2017
  • Sabado 19 agosto 2017
  • Sabado 26 agosto 2017
  • Terça 29 agosto 2017
  • Sabado 23 setembro 2017

As outras modalidades de visita podem ser em qualquer outro dia.

 

Para maiores informações:

 

Leia mais...

Passeios e Circuitos pela Europa com guia brasileiro

maio 18, 2017 | Posted in Cultura Francesa | By

Leia mais...

Hôtel des Invalides – Musée de l’Armée (série Paris’ Drops)

fevereiro 9, 2017 | Posted in Cultura Francesa | By

Jules H. Mansart, arquiteto do Hotel dos Inválidos, sob Luís XIV.

arbustos em formas de balas de canhões.

Leia mais...

Farmácias francesas: o que comprar

dezembro 7, 2015 | Posted in Cultura Francesa | By

Ola pessoal!
Hoje estou aqui para falar um pouco sobre as diferenças entre os produtos recomendados/receitados pelos dermatologistas franceses e brasileiros.
Quem costuma ir aos dermatologistas franceses sabem que a maior parte deles recomenda os Anthelios da La Roche Posay como creme protetores solares, e os cremes de dia e noite da La Roche, Roc, Avene, etc.

Simbolo de farmacia na França. Tem um em frente cada uma.

Simbolo de farmacia na França. Tem um em frente de cada uma.

Os produtos que os medicos dermatologistas franceses receitam são outros, bem diferentes. Aqui não ha o conceito do que é caro é que é bom. O importante é a composição do produto não a embalagem ou se ele esta na moda .

Bom vamos as listas de alguns itens que os dermatologistas recomendam, que estão na categoria “remedios” dermatologicos, portanto como não se faz propaganda de remédio pouca gente conhece, mas voce pode comprar sem receita qualquer um deles. Se voce tem receita medica, o produto é subsidiado pelo governo e voce não paga o valor total .
Para manchas na pele (melasma, manchas de velhice, sol, cicatrizes etc)
Leucodinine B 30ml – 7 euros (mais ou menos)

leucodinine
Pomada de textura pesada tipo vaselina, com cheiro não muito agradavel (leia-se ruim) , mas que funciona super bem para clarear manchas e hiperpigmentações. Tem de usar bastante tempo, tipo uns 3 meses no minimo, mas o resultado é permanente.
Dura 6 meses se aplicado diariamente (noite somente) no rosto. Se voce for usar no rosto, mãos, cotovelos, joelhos, etc, é bom comprar mais.
Uma vez terminado o tratamento, o resultado se mantém com filtro solar somente.
Diferente dos produtos para manchas com hidroquinone, e resultado é permanente.

Serum antioxidante super vitaminado:
JALDES Oxelio Topique Gel protection solaire – 30ml – 20 euros (mais ou menos).

oxelio topique
Composição : Alfacaroteno e betacaroteno de cenoura, lycopeno de tomate, vitamine E natural, vitamine C, vitamine A, vitamine B5, em uma base de oleo de amendoas, abricot e oleo de jojoba. Para recuperação de colageno apos cirurgias, cicatrizes, queimaduras, etc. E claro, pra quem não tem problema, ele é um otimo produto anti idade/anti rugas/anti flacidez facial.
Esta maravilha da um banho em muitos produtos famosos. A recomendação é usar 4 gotas somente, na pele molhada, de manha ou a noite, eu sinceramente uso 3 gotas somente e espalho bem porque tenho a pele oleosa (mas não fica oleoso).
Um tubo de 30 ml dura 1 ano se voce usar a quantidade recomendada, 3 a 4 gotas por dia.
Ele substitui serum, creme hidratante e se coloca direto na pele antes do filtro solar (para o dia). Se voce preferir usar ele a noite, use no lugar do serum.

Protetor solar:
Daylong – varios tamanhos, entre 8 e 20 euros, dependendo da quantidade.

daylong
Esta linha, de fabricação suissa, é feita para ser aplicada somente uma vez por dia.
Ele possui a tecnologia de lipossomas, o que faz com que ele não “vença”.
E claro que se voce vai pra piscina e depois que sai se seca com a toalha, vai ter de reaplicar porque voce esfregou a pele e o produto saiu. Mas se voce não esfregar ele dura o dia inteiro. Otimo antes da maquiagem, para os dias na cidade, enfim.
E facil saber quanto produto voce precisa por ano, porque por exemplo voce precisa colocar no rosto cerca de 1,30 ml por dia, portanto um tubo de 30 ml vai durar um pouco menos de 30 dias. Conte 300 ml por ano somente para o rosto. Pra voce aplicar a quantidade direitinho o ideal é ter uma colherinha de medida como a menor dessa foto (eu comprei esse conjuntinho por 1 euro no ebay, 25 centimos de correios):

colheres medidasEditando o artigo: acabei de descobrir que existe Daylong no Brasil (o que me deixa pasma de os dermatologistas preferirem um filtro solar como o Anthelios que vence super rapido), aqui vai o link do site: http://www.daylong.com.br Não tenho ideia de preços ai no Brasil.
Depois da mesma empresa, o Actinica lotion 80ml – cerca de 15 euros (dura 76 dias o tubo se aplicado somente no rosto).

actnica lotion
Este é mesmo um produto considerado “remedio”. Repare que ele tem 80 ml porque é mesmo so pra ser usado no rosto, colo, cabeça (se a pessoa não tem cabelo, pois ele é indicado apos quimio), mãos, etc. Normalmente se voce usa esse creme voce nem deve estar na praia. Ou se estiver, estara vestido com roupas protetoras.
Ele não permite mesmo que o sol passe, é indicado para pessoas com cancer de pele, filhos da lua, albinos, pessoas com vitiligo, etc. Eu tenho ele e acho ele otimo, mas prefiro o Daylong porque não é tão oleoso. Mas pra quem tem mesmo necessidade, ele funciona super bem (super testado, eu passo o dia inteiro na rua, no sol, etc).
Todos são otimos para antes da maquiagem.
Bom, seriam essas as minhas dicas, espero que ajude nas proximas compras. Voce pode copiar a foto do blog e mostrar em qualquer farmacia. Esses são produtos que eu uso ha anos e não troco por nada, portanto recomendo mesmo, eles funcionam muito bem. Eu compro sempre no inicio do ano pra controlar quanto tempo dura rsrs. Eu passo o dia na rua, no sol, no vento, no frio, etc; portanto os produtos foram mesmo testados em todo terreno.

A leucodinina eu ja não uso mais porque ja clareou o que tinha de clarear e agora eu so uso filtro solar pra evitar novas manchas.

Leia mais...

Atentado em Paris: como fica a sua viagem

novembro 15, 2015 | Posted in Cultura Francesa | By

 

je suis Paris

Depois de alguns meses sem escrever, venho aqui dar informações e opinião em relação à situação de Paris.

Em primeiro lugar, gostaria de esclarecer alguns pontos básicos que acredito que estejam causando confusão:

  1. Fechamento das fronteiras não significa que ninguém entra e ninguém sai. Simplesmente Significa que há controle de fronteira, como por exemplo quando se vai para Londres saindo de algum pais da União Europeia (você tem de apresentar o passaporte, só isso). E como se a França tivesse saído da União Europeia por um momento (isso é provisório).
  2. As fotos que circulam na internet que mostram Paris vazia ou mesmo “uma Paris fantasma” é bobagem e são fotos de um outro período (ha uma foto da Champs Elysées completamente vazia, que deve ter sido tirada as 6 horas da manha no verão, pois as arvores estão verdes (agora é outono). A vida segue. Estamos todos chocados mas a maioria não se deixa levar pelo desespero ou medo. Temos de seguir adiante. O intuito do terrorismo é aterrorizar, portanto se a gente se deixa aterrorizar estamos deixando o terrorismo vencer. Hoje eu sai na rua e os cafés estavam cheios, tudo normal. Como em qualquer outro domingo.
  3. Ha também fotos de “gente chorando pelas ruas”, francamente, deve haver gente (parentes) chorando em frente dos locais onde aconteceram os atentados e onde eles perderam familiares, amigos ou mesmo ainda estão à espera de informações. Mas as pessoas continuam a sorrir umas para as outras como de costume. Eu não estou vendo ninguém chorando pelas ruas.
  4. Não há toque de recolher nenhum. Até tive de rir com essa noticia.
  5. As companhias aéreas estão funcionando, assim como os trens, etc.
  6. Ha no momento algumas alterações no metro, mas os transportes estão funcionando.
  7. Como sempre, o uso do véu ou de qualquer coisa que tape a cabeça não é proibido por lei e nunca foi. Você não pode tapar o rosto, mas o cabelo ou a cabeça pode. Pode usar véu, boné, bandana, boina, touca, etc. Ninguém vai achar que você é terrorista por causa disso.
  8. Museus e monumentos estão fechados até dia 17 deste mês (novembro).
  9. Se você esta apavorado, com medo, etc. Eu aconselho a não vir porque andar estressado e vendo terrorista em cada pessoa com cabelo e olhos escuros pela rua é muito estressante. Se pra você muçulmano e terrorista são sinônimos, saiba que 30% da população Parisiense é muçulmana. Se isso causa alguma desconforto, cancele a viagem.
  10. Eu tenho visto brasileiros rasparem a barba antes de viajar para não “serem confundidos com terrorista”. Gente, barba esta na moda, todo mundo usa (ok, os homens). Ser moreno, ter olhos escuros ou usar barba não transforma você em um suspeito nem vai fazer você mais ou menos bem vindo por aqui.
  11. Eu recebi uma mensagem pelo whatsapp de uma “amiga” que foi muito engraçada: Alexiaaaa ta viva? estou preocupada com você porque você tem cara de árabe! rsrs …Enfim com tantas mensagens de solidariedade e de gente querendo saber se esta tudo bem comigo e família esta moça estava preocupada com eu ser de alguma forma envolvida como suspeita. (Na verdade os cristãos e católicos não fazem parte dos suspeitos, @sopraesclarecer)
  12. Enfim, não estou dizendo que você deve vir ou deixar de vir, porque ninguém sabe se os ataques vão continuar. So estaria esclarecendo o que estou vendo de informação errônea pela internet.
  13. Eu sinceramente, penso que haverá outras tentativas de ataque, mas não acredito que conseguirão ser realmente postos em pratica.
  14. Repare que o ataque ao Estádio de France foi um ataque que “não deu muito certo”. Acredito que a ideia seria largar as bombas no momento da saída do pessoal (para fazer mais vitimas possíveis), mas com o numero de policiais e segurança, não aconteceu.
  15. Note que qualquer um que resolve amarrar um cinto bomba na sua cintura em nome de Deus não deve ser considerado uma mente muito genial, eles podem planejar, organizar, etc. mas a policia, o exercito e o governo francês tem pessoas muito mais inteligentes pra contra atacar. A principio desde que não se baixe a guarda, um outro ataque por enquanto será improvável “pela lógica”.
  16. Enfim, Paris já passou por varias situações terríveis na sua historia, e como sempre vai superar.
  17. A França e o modo de viver do povo francês  continua sendo símbolo de liberdade. Os Franceses sabem viver e o fazem com arte.  Se essa liberdade incomoda alguns, cabe à nos mantê-la viva. Não vamos deixar  o terrorismo vencer. Vamos nos levantar e seguir em frente.

Leia mais...

Viver em Paris: do sonho a realidade

junho 21, 2015 | Posted in Vistos e permanencia, Viver em Paris | By

Muitos brasileiros ( não só..) sonham em um dia morar em Paris, nem que seja por uma temporada, tipo 3, 6 meses ou 1 ano.

Como transformar esse sonho em realidade?

Tudo é possível desde que haja planejamento e foco. Se você colocar este objetivo como prioridade, você pode sim, vir estudar aqui, ou mesmo passar umas “ferias prolongadas” na aposentadoria. Ou mesmo ficar pra sempre!

O que é necessário então, para morar na França?

Você precisa vir com um visto de long sejour. Sem esse visto você só poderá ficar por 3 meses, e não terá direito a médicos, subsídios, etc.

Eu já vivi em vários lugares e posso dizer que pra mim, Paris é o melhor lugar pra morar. Eu simplesmente amo viver aqui. Não tenho queixas mesmo. Nenhuma.

 

Quais são os vistos de long sejour disponíveis?

Visto Visiteur: Este visto é concedido para quem vem pra ca e não esta pensando em trabalhar. Você fica como se fosse um “turista a longo prazo”. Este visto exige que você comprove que tem pelo menos 1300 euros por mês, durante 12 meses (o visto é de um ano, renovável).

De resto, você precisa também ter seguro de saúde internacional, porque você não vai ter direito a assurance maladie (segurança social). Este visto Visiteur é bom para aposentados também, ou pessoas que tem renda fixa para comprovar. Você pode comprovar renda fixa ou apresentar provas bancarias de que tem este dinheiro já na sua poupança ou conta bancaria. Este foi o meu primeiro visto aqui na França.

 

Visto de estudante: Para quem vem estudar (logico…). Você precisa fazer o processo do Campus France no Brasil para ter este visto. O importante e ter como provar que você tem 500 euros por mês durante 12 meses, e inscrição em alguma instituição de ensino que tenha 20 horas ou mais de aulas por semana.

No resto do tempo livre você esta autorizado a trabalhar.

 

Visto de Vida familiar: Este é o visto para quem e casado com europeu ou com quem tem residencia aqui. O PACS só da direito a este visto depois de 1 ano de vida em comum em solo francês.

 

Visto de trabalho: Existem vários vistos de trabalho: de expert, de talentos, etc. Este é um visto que só pode ser conseguido se você tem uma empresa que esteja disposta a contratar você e passar pelo longo e difícil processo de contratação de estrangeiros não residentes. Porem….uma vez aqui, com um visto de estudante, você poderá trocar aqui mesmo o seu visto por visto de trabalho, caso consiga um emprego, e uma vez terminado os seus estudos, você poderá trocar para visto de trabalho. Chegar aqui já com visto de trabalho é um pouco mais difícil, mas pode acontecer.

 

Estes são os vistos para viver aqui. Note que vir sem visto, na esperança de conseguir um visto de long sejour aqui é uma grande ilusão. Diferente de países como Portugal, por exemplo, que de vez em quando “legaliza todo mundo que esta ilegal”, isso aqui não acontece. Portanto, uma vez entrando aqui sem visto, você pode ficar 3 meses, ou fazer o truque (ilegal…) de entrar e sair da UE, mas isso não funciona a longo prazo.

Então, na verdade, o mais importante mesmo é começar a pensar em vir, planejar com antecedência, planejar tudo direitinho, pra não chegar aqui e depois ficar colocando a culpa no governo francês.

Eles não tem nenhuma obrigação de legalizar você, já que a principio você entrou como turista.

Quem vem como turista e “resolve ficar” mostra, na visão do pessoal do governo Frances, um ato de ma fé, visto que realmente, sair de férias, chegar aqui, “gostar”, e resolver deixar tudo pra traz, família, casa, compromissos, contas pra pagar, estudos ou emprego, não existem mesmo. Sinceramente, quem é que iria acreditar?

Eu, pelo menos, não conseguiria me imaginar saindo de férias para, digamos, passar 2 semanas na “Tailândia”, chegar la e simplesmente “resolver não voltar”, deixando apartamento, trabalho, roupas, carro, compromissos, dinheiro no banco e contas pra traz.

Quando se planeja mudar de pais, temos que nos organizar direitinho, deixando as nossas coisas em algum local, ou vendendo tudo, liberando o apartamento ou casa, ou pelo menos o seu quarto na casa dos seus pais, fazendo um seguro de saúde internacional de longo prazo, avisando no trabalho que você vai se “demitir”, etc. Fica meio ruim largar tudo de repente, porque caaaaaso você queira voltar, você deixou tanta m…. pra traz e com certeza muita gente desapontada com você, que nem o seu emprego de volta você poderá ter.

Então, antes de vir:

  • Faca uma lista do que você tem e que pode ser vendido. Comece a vender as suas coisas e a juntar o dinheiro para começar a sua vida aqui.
  • Avise no trabalho que você esta planejando sair do pais, em digamos 1 ano.
  • Comece a aprender um pouco de francês. Compre um livro e estude por conta própria, já que este não é o momento de ficar fazendo mais gastos com escolas.
  • Veja quem, na sua família poderá guardar as suas coisas que você não pode trazer mas não quer se desfazer. Com o tempo, você pede pra eles enviarem aos poucos, ou nas suas férias você vai trazendo.
  • Faca as contas de quanto você precisa mesmo, pra viver aqui. Planeje de acordo.
  • Não pense que uma vez chegando aqui você vai estar apto a começar a trabalhar. O processo de validação do visto, abertura de conta, compra de telefone, etc, demora uns 2 meses. Planeje bem para não ficar estressado ate tudo se arranjar.
  • Se você vem pra estudar, comece o processo do Campus france com 6 meses de antecedência.
  • Procure apartamentos, fale com as pessoas, pesquise qual seria o melhor local pra viver aqui. Não deixe isso pra ultima hora, porque na pressa você corre o risco de ficar pagando caro e vivendo em um local que é longe de onde você precisa ir.
  • Pare de gastar em supérfluos e pague todas as suas contas antes de vir.
  • Avise a imobiliaria que você vai deixar o imovel, ou se você for proprietario, alugue a sua casa ou deixe alguém de confianca para cuidar do imovel.
  • Cancele subscricoes de revistas, jornais, internet, etc.

Bom, estas são as dicas de alguns pontos a considerar para quem quer viver aqui. É claro que este texto é dirigido a pessoas “como eu”, que não são ricas. Se dinheiro não é problema você pode simplesmente ir ao consulado e pedir o seu visto, vir pra ca e ficar indo e vindo ao Brasil pra ir organizando o que ficou pra traz aos poucos. A principio estou pensando em pessoas que não podem ficar todo o tempo gastando 2000 euros em tickets em idas e vindas ao Brasil a toda a hora.

 

Leia mais...

Passeando com os espíritos

abril 14, 2015 | Posted in Cultura Francesa | By

Passear em Paris, às vezes, é como andar pelo tempo, andar passo-a-passo com a história em suas paisagens monumentais.

Andar ao léu, tentando esquecer ou lembrar algo, deixar fluir os pensamentos, ajustar as ideias, é coisa comum em todas as cidades do mundo. E faz parte da vida parisiense. Há sempre alguém andando sem rumo pelas ruas parques e avenidas.

Vendo e observando as atracões de hoje, percebemos que muitas paisagens não mudaram através do tempo. Algumas pediram reformas, mas continuaram vivas. Não podemos dizer a mesma coisa, em relação às pessoas. Elas se vão e outras nascem. Ou renascem, não sabemos. Claro que vários homens acompanham certos monumentos e se perpetuam por eles, deixando seus nomes, suas vidas, seus exemplos.

Temos exemplos múltiplos de monumentos que guardam legendas-vivas parisienses, começando pelo Panthéon, aquele imenso monumento aos mortos, entre os mais célebres da história; passando pelo Arco do Triunfo, aquela homenagem póstuma a um simples soldado, perfeitamente desconhecido, mas representante formal de todos os soldados e oficiais das guerras; Claro que temos muito mais, inclusive o próprio Hotel dos Inválidos, em princípio construído para hospedar os inválidos das guerras do rei Luís XIV, e que hoje hospeda os restos mortais de Napoleão I em sua dome.

E o passeio pode continuar… Outros lugares, por exemplo, muito visitados por turistas do mundo inteiro, onde também encontramos túmulos de personalidades do passado, são os cemitérios. Entre os vários cemitérios da Cidade Luz, é precisamente no cemitério Pêre Lachaise, que há um sepulcro, entre os mais visitados da cidade: o do senhor Hippolyte Léon Denizard Rivail, mais conhecido por Allan Kardec. Hippolyte teria adotado este pseudónimo, por acreditar que este teria sido seu nome em sua vida anterior, ou em uma de suas encarnações anteriores, segundo explicações dos Espíritos Superiores, por ele questionados.

Allan Kardec, que era um grande Pedagogo, começou a ser convidado para participar das famosas “mesas redondas”, que os médiuns organizavam na época, na capital francesa. No início, não acreditava muito, mas frequentava as seguidas reuniões, a convite de amigos. Acabou constatando que algo se passava. Que existia uma verdadeira comunicação entre os médiuns e aqueles seres espirituais, por eles recebidos.

29997152

Kardec não era nenhum “mago” e, pelo que consta, também não tinha poderes mediúnicos, mas simplesmente começou a registrar tudo o que presenciara. Estudou inúmeras questões que cientificamente formulava aos vários espíritos, por intermédio de médiuns diferentes. Somente as respostas coerentes e que eram comuns entre vários “intérpretes” distintos eram validadas.

Kardec é atualmente considerado o Pai do Espiritismo, e de suas pesquisas minuciosas, publicou vários livros, entre eles estão:

O Livro dos Espíritos; O Livro dos Médiuns; O Envangelho, segundo o Espiritismo; O Céu e o Inferno e A Gênese.

Sua sepultura é um dólmen sagrado, semi-aberto, sempre repleto de flores e visitantes, e tem um busto de bronze, com os olhos bem vivos e abertos, visando o poente. O original do busto foi escultado por Charles-Romain Capellaro, aluno de David d’Angers,  em 1870. Por curiosidade, o escultor fora exilado da França em 1972, voltando somente 10 anos depois.

O monumento pode ser visitado na 44a divisão do cemitério Pêre Lachaise, no 20° distrito de Paris, entre os metrôs Pêre Lachaise e Gambeta. Aproveitem a oportunidade e visitem também os sepulcros de Oscar Wilde, Molière, Chopin, La Fontaine, Victor Noir, Jim Morrison, entre outros, mas não deixem de continuar os passeios pelas ruas, parques e avenidas… De repente poderão encontrar uma pessoa pelos jardins, com o nome de Allan e o sobrenome de Kardec. Se o encontrarem, não se assustem, pode não se tratar de um fantasma, mas de uma simples reencarnação, ou uma homenagem póstuma.

Quanto ao busto original do Kardec, está muito bem guardado, posso mostrá-los.

Este passeio está incluído no roteiro número 4 –

http://www.artdeviv.com/passeios-de-carro/

 

 

Leia mais...

Quanto dinheiro voce realmente precisa para passear pela Europa?

dezembro 14, 2014 | Posted in Cultura Francesa | By

No ultimo artigo, eu escrevi um pouco sobre a falta de necessidade de voce trazer uma mala enorme cheia de roupas e coisas para usar por aqui.
Infelizmente as pessoas no Brasil são bombardeadas diariamente com ideias impostas de que precisamos de isto e aquilo, que há uma real necessidade de ter 20 pares (ou mais) de sapatos, e de viver comprando coisas.
Quando se vive em um pais onde não há “facilidades de pagamento”, a gente aprende a pensar bastante antes de comprar coisas novas.
O que voce “deseja” e o que “voce realmente precisa”?

Ao viajar pela Europa, normalmente se pensa “oooba chance de fazer mais comprinhas!”.
E claro que no Brasil qualquer coisa custa carissimo em relação ao resto do mundo.
Então, vale a pena encher a mala de coisas que voce precisa e que costuma comprar no Brasil por 5 vezes mais. Ou não…

Agora vamos a algumas considerações em relação ao quanto voce realmente necessita para vir passear por aqui:

1. Europa é um local cheio de historia e cultura. Tem coisas diferentes, pessoas diferentes, e basicamente o que se quer quando se viaja é isso mesmo, ver coisas diferentes.
2. Faça um orçamento baseado nos tickets de transporte (avião para ir e vir, locomoção entre paises da Europa). Este é o principal.
3. Depois, organize as acomodações. Hotel, apartamento, hostal/albergue, etc. Leve em conta que em cidades grandes, normalmente o importante é estar bem localizado, mais do que estar em um super hotel. Diferente de ir digamos, para a Tailandia, onde a diversão sera basicamente praia e o proprio hotel/resort, na Europa o hotel sera somente um local para dormir e tomar banho.
4. Organize passeios, entradas em museus, e planeje um roteiro equilibrado entre locais pagos e gratuitos. Na França, por exemplo, igrejas são gratuitas, em outros paises da Europa como Espanha, algumas igrejas são pagas.
5. Se o seu orçamento é apertado, esqueça os restaurantes indicados pelos blogs que dizem que voce teeeem de ir em tal tal local. Comer bem é um habito enraizado na cultura Europeia, a principio se voce for nos locais onde os moradores comem, e souber pedir um prato que lhe agrade, voce vai comer bem. Não há necessidade real de ir a restaurantes turisticos, caros e feitos basicamente para pegar o seu dinheiro.
6. Enfim, depois de se organizar com um orçamento razoavel/normal onde inclua gastos com transportes, acomodação é passeios, é hora de pensar nas famosas “comprinhas”.
7. Compras ocupam tempo. Leve em conta o tempo que voce tem, e se, por exemplo, voce tem somente 3 dias para desfrutar de uma cidade, eu aconselho a nem pensar em gastar uma manhã fazendo compras. Eu diria que seria melhor usar o tempo para visitar algum local legal.
8. Realmente, se voce for analizar, comprar roupas somente “pra aproveitar o preço” sai caro. Compre bem e fique livre de ter necessidade de comprar novamente em tudo o que é viagem. Uma roupa de qualidade não necessariamente precisa ser carissima, mas também não vai ser “baratinha”. Comprar bugiganga é jogar dinheiro fora, porque depois de algumas lavagens a peça esta imprestavel.
9. Analise se os cosmeticos que voce esta pensando em comprar são realmente “tudo isso”.
Quem le o meu blog sabe que eu adoro maquiagem, mas sinceramente falando, sombras por exemplo, são somente uma mistura de mica, talco, cor e conservantes. Precisa pagar 40 euros por um duo? Na verdade voce esta pagando pela embalagem. Não se iluda. Repare que em se tratando de ingredientes, vale a pena olhar com calma o rotulo, muito do que se acha maravilhoso é simplesmente uma mistura de produtos baratos… Existem shampoos da Kerastase, por exemplo, que não tem nada de especial, somente são carregados com silicone, por isso deixam os cabelos bonitos. De resto, se voce for ver, a Kerastase continua usando produtos como sulfatos, parabenos e afins, que na verdade não diferem de qualquer garnier da vida .
10. Depois de muito pesquisar sobre os tão falados altissimos preços dos cosmeticos importados no Brasil, fui bisbilhotar o site da sephora (no Brasil) e não vi nenhuma grande diferença entre os preços daqui, sendo que no site brasileiro voce pode comprar em 10 vezes sem juros (com frete gratis). Note que produtos da MAC por exemplo, são também “importados” pra gente aqui.

 
11. Eu costumo dizer (quem me conhece sabe disso), que se voce chega aos 40 anos e ainda não tem roupa pra ir a um evento inesperado, voce esta comprando errado – voce já deveria ter um bom par de sapatos, uns dois ou tres bons vestidos de festa/coctail de qualidade de modelos bem polivalentes e neutros que permitem voce a ir a um jantar, festa, etc. Não faz sentido voce ter a real necessidade de comprar uma roupa nova a cada batizado, casamento ou formatura que aparece. De preferencia para um bom guarda roupa com peças de qualidade, basicas, e depois “enfeite” com coisas mais baratas e da “moda” se voce quiser. Note que se até a Kate Middleton repete roupa e sapatos em eventos, quem somos nos para não poder o fazer?
12. Enfim, esta lista é um pouco desorganizada, meio que saindo da ideia original, mas o que eu quero dizer é que se voce for ver o que voce realmente precisa pra vir passear por aqui, tirando o basico “transportes/alojamento/alimentação/passeios”, o resto voce gasta se quiser e se puder. A ideia de que viajar para a Europa é uma coisa carissima é um pouco de exagero. Barato não é, mas viajar nunca é de graça. Na verdade viajar pela europa pode sair mais barato do que viajar pelo Brasil.

13. Da tranquilo pra vir a Paris, por exemplo, gastando cerca de 60 euros por dia/pessoa (não estou incluindo hotel e avião).
Veja bem os seus gastos em um dia tipico de passeio em Paris:
Cafe da manha: incluído na diaria do hotel. Se não estiver incluído, um café com leite/ou café preto normal grande/ou cha/ou chocolate quente com um coissant/ou pão com manteiga sai cerca de 5 euros.
Almoço: Eu recomendo sentar em comer comida de verdade para economizar. Voce come por cerca de 15 euros (entrada, prato e sobremesa). Locais que eu recomendo: Saint Michel ou Montmartre. Ambos tem inumeros restaurantes bons a baratos.
Jantar: Mesmo valor: 15 euros
nota: uma garrafa de agua que pode ser enchida nas fontes de agua potavel (não é no chafariz das praças!) 1 euro.
Passeios: digamos que voce faça dois passeios pagos por dia: passeio de barco: 12 euros + um museu pago 12 euros (louvre por exemplo). Note que voce pode tranquilamente passear pela cidade indo somente em locais gratuitos. Voce não precisa entrar em todo o local, por exemplo voce pode visitar os Invalidos somente por fora, visitar a capela, etc, e pronto. Selecione o que voce quer realmente ver.
Transportes para se deslocar pela cidade: Organize-se para percorrer areas. Não fique saltando de um lado para outro da cidade. No dia de visitar Champs Elysées, por exemplo, visite Patit palais, Grand Palais, Invalides, Torre eiffel, jardim de Tuilleries, Louvre, e tudo o que estiver por perto.
No outro dia va para a area antiga, Quartier Latin, Saint Germain, Ile de La cite, Marais, etc.
Fazendo isso voce precisara de no maximo 4 tickets de metro por dia: cerca de 6 euros.

Pronto!
Total: 60 euros!!!
Em Paises mais baratos, como Portugal, os valores caem muito!
Aproveite para fazer compras em Portugal, Espanha, etc.

Atenção: Escolha a dedo as cidades que voce for visitar. Visitar 10 paises em 15 dias é uma maratona e voce so gasta dinheiro, perde tempo viajando, se cansa. Planeje pelo menos 3 dias em cada local (mais é melhor), para voce realmente mergulhar dentro do local. O ideal é visitar poucos locais e o fazer bem feito.

Boa viagem!!!

Leia mais...

Mais dicas de como viajar leve sem chegar ja com excesso de bagagem

novembro 21, 2014 | Posted in Cultura Francesa, Turismo dicas | By

Ola pessoal !

Estou escrevendo mais uma vez sobre este assunto, porque sei que é super dificil as pessoas se desapagarem de tudo o que usam normalmente no dia a dia ao fazerem uma viagem.
Resultado ? Uma mala super grande, com coisas que na verdade e pessoa poderia passar tranquilamente sem.
Em uma viagem de, digamos, uma semana, não ha necessidade de uma mala enorme.
Como a maioria dos hoteis em Paris são pequenos, até é uma boa ideia não trazer uma super mala pra ficar ocupando espaço.
Como eu ja disse aqui, os brasileiros são famosos na Europa por serem os que andam com as malas maiores, e muitos motoristas de taxi com carro normal ja desistiram de nos atender.
Bom vamos as dicas :

1. Uma calça jeans pode ser usada aqui por cerca de 5 dias (não precisa ser consecutivos) sem precisar lavar (aqui a maioria faz assim). Isso pode parecer inadimissivel para muitos, mas se voce acha muito nojento, peça para lavarem no hotel e pronto. Mas desde que voce não seja desastrado e fique derramando molhos e doces nas roupas, uma calça jeans da tranquilo. E claro que voce nao vai vir somente com uma calça, mas não precisa mais de uma jeans. Traga junto uma calça de sarja escura ou calça mais social (tipo de alfaiataria), e uma saia e pronto, voce ja tem roupa pra qualquer ocasião. Se voce quiser trocar o jeans por uma legging, tudo bem. Mas não precisa trazer um monte de coisas.
2. Blusas : se for inverno, dois pulovers, duas blusas mais leves pra colocar por baixo e um ou dois cardigans. Pronto, nao precisa mais do que isso. Se voce esta pensando em ir a algum local super chic, uma blusa bonita (camisa por exemplo), e um cardigan esta mais que bom.
3. Um casaco adequado à estação : Se for inverno, um super casado de rua, não importa se ele não é super chic, porque afinal quando voce entrar em algum restaurante ou outro local voce tira ele. Casaco de inverno é pra rua e não pra dentro de « casa ». Se for primavera ou verão, uma jaquetinha jeans ou blazer, ou mesmo um cardigan de algodão servem. Para outono um casado « de outono », ou seja não precisa ser super hyper quente. Venha com o casaco na mão, não precisa colocar na mala.
4. Sapatos : não precisa muitos : um tenis para andar caminhando por ai, um sapatenis ou sapato baixo preto e um sapatinho mais social, tipo scarpin não muito alto. Se for verão e voce estiver super acostumada com sandalias, traga uma. Sandalias não são adequadas à grandes caminhadas.
5. Maquina fotografica, Iphone, um pequeno laptop ou tablet. Isso vai na mala de mão, juntamente com os fois e cabos, etc. Não esqueça os transformadores de voltagem, um adaptador universal etc. Não esqueça de trazer alguma coisa para transferir as suas fotos para o computador porque muitas vezes as pessoas deixam de tirar fotos porque ja não tem mais espaço livre no aparelho.
6. Produtos de higiene : Shampoo pequeno, creme, sabonete pequeno (normalmente nem é necessario porque os hoteis tem). Maquiagem para senhoras : traga coisas bem usadas, que voce não tem muito amor, porque em viagem podem quebrar. O ideal é trazer um duo de sombras velho, ou essas mini paletas com 4 sombras. Um ou dois batons, que podem servir de blush também, filtro solar, creme hidratante (se voce tiver um que sirva para rosto e corpo melhor ainda, um item a menos. Base, po compacto ou bases sequinhas que não precisam de po. Ou so po para colocar por cima do filtro solar.
Note que no inverno voce precisa mesmo de um creme hidratante, não é uma questão de vaidade, é mesmo porque o frio queima a pele e descama. Um bom creme para mãos ou mesmo o filtro solar deve estar sempre na bolsa. Um protetor labial é suficiente para a familia toda para a viagem.
7. Escova de cabelo, pente. Elasticos para prender o cabelo, grampos para fazer um coque, etc. Não precisa trazer a caixa toda !
8. Touca e luvas para o inverno, Chapeu ou boné para o verão (pode ser chapeu de praia mesmo).
9. Guarda chuva ou sombrinha em qualquer estação.
10. Roupa interior, que pode ser lavada na pia do hotel (por favor não fique acumulando roupa suja, va lavando). Meias, etc.
11. Bolsa de mão : so uma, a que voce vem no avião. Esqueça os bolsas super pesadas, que mesmo sem nada dentro ja são horriveis pra carregar. Escolha uma que caiba : mapa da cidade onde voce esta passeando, um bloquinho de notas com lapis com anotações do que voce quer ver, comprar, etc, carteira, uma garrafa de agua, uma pequena necessaire (pequeeena!) para colocar band-aid, comprimidos para dor de cabeça, remedios para indigestão, etc), filtro solar (que serve como creme de mão), protetor labial, baton (voce não precisa de mais itens de maquiagem na bolsa, so o batom), maquina fotografica, iphone, e por favor deixe o tablet no hotel. Coloque uma sacola de compras dessas tipo « ecologicas » para as suas compras – uma que seja beeeeem dobravel. A sua coluna agradece.
12. So isso. Precisa de uma mala super grande ?

 

 

Leia mais...

Situação legal de concubinas, namoradas e companheiras em relação à lei francesa.

janeiro 26, 2014 | Posted in Cultura Francesa | By

 

Ola pessoal

 

Voces viram que o presidente Hollande se “separou” da sua companheira Valerie ?

Bom, depois de ver tanto comentario pela net tipo “ela vai tirar tudo dele”. “Ela fica com a metade de tudo que ele tem” etc. Resolvi escrever este artigo.

 

Valérie Trierweiler nunca foi casada com o presidente Hollande e nem o estatuto de “primeira dama” foi aceito pelos franceses, embora ela tenha feito este papel. Ela não tem como “tirar” alguma coisa do presidente, pois não eles não tem filhos. Em relacionamentos informais, mesmo que durem 10, 20 anos, ninguém tem direito a nada. Nem a heranças, etc. Muitos no Brasil comentarem que ela era “interesseira”, sem saber dos fatos, sinceramente ela pode ter varios defeitos, e a maioria dos franceses nunca gostou dela, mas sinceramente, ela não estava com o Hollande por dinheiro.

 

Agora, usando este exemplo e direcionando a nossa realidade para dar informações que podem salvar a sua vida (brincadeirinha) e o seu tempo:

 

Eu recebo muitos e-mails de moças e senhoras que viveram por aqui com franceses ou mesmo em relacionamentos a semi-distancia (com alguns encontros esporadicos nas ferias), e ao terminarem o namoro, perguntam “então, o que eu tenho direito agora $$$$?”, como se merecessem um premio por terem “aguentado” o companheiro ou namorado.

 

 

Enfim… culturas diferentes e leis completamente diferentes. No Brasil a mulher ainda é vista pela lei como um objeto para procriação e “rainha do lar”, que merece “pagamento” pelos serviços prestados aos homens. A mulher, de acordo com as leis brasileiras, mesmo só sendo namoradas e nem vivendo sob o mesmo teto, tem direito a um dinheiro para “compensar o tempo despendido”, em função do homem, em detrimento da sua própria vida. Depois de 2 anos tem até direito a herança.Eu conheço mulheres que ao arranjarem um namorado largam tudo, pra dedicar-se inteiramente ao seu amor…

 

 

Aqui na França, a lei não acha que as mulheres “param de viver”, só porque estão namorando, seguem trabalhando, enfim continuam a ter a sua vida independente. Alias nem estimulam esse tipo de atitude de largar tudo por causa do ser amado.

 

Enfim, isso tudo é para dizer que Pacs, concubinagem, namoros, e afins não dão direito a restituição financeira. Casamento só da restituição financeira se for feito com contrato de comunhão total de bens, se não só os filhos é que tem direitos. Ah, detalhe, aqui voce herda dividas também, se for casada, se não paga perde tudo, casa, etc. Então cuidado com os gastos do seu amor frances, ou do pai ou mãe do seu amor. Pode sobrar pra voce…

 

Companheiros, ligados por Pacs , tem alguns direitos, como o de declarar impostos juntos, e de um ser dependente do outro na segurança social (Assurance Maladie). De resto, nada mais. Não há direito a vistos, heranças, pensões de viuvez, etc. Você segue sendo sempre “solteiro” aos olhos da lei.Voce pode requerer uma pensão por velhice se voce vive aqui ha mais de 15 anos legalmente, mas por viuvez não.

 

 

Namorados, companheiros ligados por união de fato ou concubinagem não tem direito a declaração de impostos conjunta nem a declarar ninguém como dependente.Terminado o namoro, é so um obrigado querida, to indo…

 

 

Acredito que agora fique mais fácil de entender o porque da importância da luta dos homossexuais em relação a legalização do casamento. Realmente aqui, para assegurar o futuro do companheiro, só casando.

Somente casados podem adotar uma criança e um ficar um como pai e outro como mãe (ou dois pais e duas mães), mas namorados não tem como, um adota, o outro pode ensinar a criança e lhe chamar de pai, mas legalmente o companheiro ou namorado da mãe não pode ser o pai adotivo da criança.

Enfim… estes são apenas alguns esclarecimentos, até pra ajudar voce a decidir que tipo de relacionamento voce quer pra voce caso encontre o principe encantado/a por aqui.

 

 

 

 

Leia mais...

Como a França lidaria com o « rolezinho » nos shoppings.

janeiro 17, 2014 | Posted in Compras em Paris, Cultura Francesa, Pontos turisticos | By

 

Ola pessoal !

Mais um tema polemico « made in Brazil »…

Enfim como seria encarado este problema por aqui, na terra da “Liberté, Egalité et Fraternité”.

Bom, não vou dar a minha opinião sobre o rolezinho no Brasil, porque não é este o intuito deste artigo. Vou fazer somente uma comparação de como este problema seria resolvido por aqui (de acordo com as leis).

1.Qualquer manifestação publica com mais de 20 pessoas tem de ser declarada com antecedência na policia ou no caso daqui, na Mairie (especie de sub-prefeitura, pra simplificar) – tem de ser autorizada por escrito. Tem de ter um “líder” e o nome do mesmo fica registrado como responsável caso haja algum problema. Isso aconteceu com a manifestação anti casamento gay, por exemplo, que o pessoal fez uma estrago grande nos jardins dos Champs de Mars (o espaço verde atras da torre Eiffel). Acabaram sem conseguir nada, só uma conta de 100 mil euros pelo estrago.

Então, onde esta a liberté?? Bom como junto há também a Igualité, é igual pra todo mundo: quebrou, estragou coisa que não é sua, você paga e pronto. Igual pra todo mundo.

  1. Em ambientes comerciais, quem manda é o dono (loja ou restaurante não é um local publico, e sim coletivo, que são coisas diferentes). Aqui não tem essa de chegar um grupo de 10 em um café, sentar em uma mesa e pedir somente um café e os outros ficarem só olhando. São postos pra rua, porque o espaço é pra clientes. Se você não consome você não é cliente.

  2. Em museus, por exemplo, qualquer grupo maior de 15 pessoas exige reserva e o nome do guia ou responsável. Grupos entram por porta especial e as vezes tem um funcionário do museu pra acompanhar caso eles não estejam com um guia credenciado pelo governo.

    Não tem essa de chegar um grupo de 200 pessoas como se fossem “individuais”. Individuais são casais, pessoas sozinhas e famílias de no máximo 8 pessoas. Mais do que isso é considerado “grupo”.

  3. Restaurantes só aceitam “grupos” com reserva. Eu mesma, como guia, tenho de fazer esses procedimentos mesmo já conhecendo o pessoal nos museus, restaurantes, etc. Quando eu estou com um grupo de 12 pessoas por exemplo, eu entro primeiro, sozinha no restaurante e pergunto se é possível eles nos atenderem sem reserva. Se não for, paciência. Mas tem de pedir permissão.

  4. Lojas: grupos de mais de 15 pessoas precisam de reserva ou pelo menos de autorização. Você não pode simplesmente “invadir” uma loja com um grupo sem avisar que esta fazendo e sem ter permissão.

  5. Centro comercial aqui é local de compras e os “visitantes” são bem vindos para conhecer, mesmo sem comprar nada, porém desde que não atrapalhem o fluxo normal do comercio do local. Grupos grandes precisam de autorização dos seguranças pra entrar e tem de deixar o nome do responsável.

  6. Manifestações culturais, danças, musica e gritos não são permitidos em locais públicos sem ter autorização. Voce ve gente dançando e cantando aqui pela rua a até dentro do metro, mas qando a policia chega eles tem de sair. Somente os que tocam nos corredores do metro tem autorização, os que estão dentro dos vagões não. Existem musicos e grupos tocando nas ruas que tem autorização.

  7. Existe código de etiqueta na vestimenta. Aqui quem cria o código de como as pessoas devem se vestir é o dono do local. Se ele não permite pessoas com roupa de praia no estabelecimento, pessoas com roupas de praia serão barradas. Ponto final.

Bom, estou falando de regras básicas de bom comportamento que devem ser seguidas aqui na França. E logico que as leis não são as mesmas que as do Brasil.

Eu já fui expulsa (como guia) de museus e restaurantes por causa de grupo falando muito alto em museu, e por sentar em restaurante e o pessoal olhar o cardápio e não querer nada. No caso do restaurantes eu fui pedir desculpas ao dono por levar o pessoal, disse que não sabia que eles não iriam consumir, e com o museu escrevi uma carta pedindo desculpas ao diretor.

Enfim, eles são os donos e eles dão as regras. Cabe a gente respeitar.

Repare que em momento algum eu falei em “racismo” aqui. A gente no Brasil esta acostumado a encaixar tudo como “racismo”. Eu mesma sou acusada de racismo frequentemente por “escrever sobre a França”. Recebo e-mails me ameaçando de processo, etc.

Enfim, Aqui na França, se você não sabe se comportar ou não segue as regras, tanto faz de que raça você é. Se você se comporta bem, você é bem vindo, se não, não é.

A gente não vai à casa de um amigo aos gritos, levando 100 pessoas sem avisar né? Ele também não iria gostar, mesmo conhecendo você e sendo seu amigo.Portanto o mesmo acontece nos estabelecimentos comerciais.

Aqui na França o dono do local é o “dono da casa”. Voce é apenas um convidado.

Enfim, este artigo é mais pra divertimento e considerações sobre um assunto que esta se ouvindo falar muito no Brasil. Eu não sou estou dando a minha opinião sobre os acontecimentos no Brasil, so estou comentando como seria se fosse por aqui. A principio nem deixariam acontecer.

Leia mais...

Passeando com “Midnight in Paris”

setembro 17, 2013 | Posted in Cultura Francesa | By

(Rômulo Marques Ribeiro)

Para quem tem planos em viajar para a França e pretende conhecer Paris, fica uma dica: ver o “midnight in Paris” de Woody Allen. O filme é uma viagem pelo tempo e propõe um roteiro maravilhoso pela Capital e seus arredores. A ideia de passear, revendo as cenas do filme, fotografando-as, seria como guardar dois álbuns distintos e íntimos ao mesmo tempo.

Claro que estar em Paris, já é uma forma de estar dentro de uma tela enorme. A cidade é tão bela e vasta, que fica até difícil escolher um ponto de partida e organizar um roteiro eficaz. Afinal, a gente fica olhando para tudo quanto é lado e acaba por não apreciar as coisas corretamente, ou não entender suas histórias, seus símbolos e suas razões.

Por um roteiro resumido, o passeio ficaria em mais ou menos 8 horas andando, com pausas para cafés, vinhos e almoço. Um bom “départ” seria pelo museu do Louvre. Sem entrar, somente no pátio externo, precisamente na área das pirâmides. Comece a fotografar. Com a câmera e com seus próprios olhos. Pode-se focar a grande pirâmide ao centro com as alas do museu aos seus lados. Para obter a mesma perspectiva do filme, basta ir atrás das pirâmides, e tirar umas fotos delas, deixando um bom espaço para a ala Denon, aquela que faz fronteira com o rio Sena, pela esquerda.

cropped-Museu-do-Louvre1.jpg

Continuando o passeio, podemos atravessar o jardim, fotografando os lagos e suas fontes. Não deixem de apreciar e fotografar as esculturas expostas no jardim, todas são famosas e estão lá há muitos anos, inclusive a “Alexandre combattant”, de Charles Leboeuf, além de várias de Auguste Rodin, como a “Eve”, a “méditation”, “l’ombre” e a “le baiser”, expostas ao lado da “orangerie”, entre outros artistas.

Passear pelo jardim de Tuilleries, ou pelas cenas do Midnight in Paris, na verdade seria somente um pretexto para visitar a orangerie e ver as “nynphéas” de Claude Monet, além das “jeunes filles au piano” de Renoir, “l’etreinte” de Picasso, vários Matisse, Derain entre outros grandes deste mundo.

Depois de visitar a orangerie, e dar uma voltinha pela praça “Vandome”, logo ao lado da igreja da Madeleine, o melhor seria subir a avenida Champs Elysées, que começa na praça da Concorde, indo pelo passeio, do lado dos números ímpares, até o arco do triunfo… aproveitando para fotografar o “grand palais” e o “petit palais”, sem entrar; e voltar, pegando a Avenue Montagne, e caminhar uns 50 metros, até a praça François I. Fotos para a segunda imagem do filme, logo na segunda cena, aos sons de Sidney Brechet.

Saindo da praça, descemos a avenue Montagne, até chegar ao Trocadero. Pausa para fotos… e duas opções: ou tomar um cafezinho no ‘café do trocadero’, que decora o filme por duas cenas, ou um chocolate quente no “chez Carette”, considerado o melhor chocolate quente de Paris.

Depois é só descer pelas escadas do Trocadero, atravessar o rio Sena, pela ponte Alexandre III – fotos,  e andar até o museu Rodin, ali perto dos “invalides”. Para a visita completa ao museu, melhor deixar para um outro dia, mas para tirar algumas fotos perto do “le penseur” não custa nada. Aliás, o preço para visitar os jardins é somente 1€50 e a cena do filme, com a participação da Carla Bruni é interessante e histórica, afinal na época das filmagens, em julho de 2010, ela era a primeira dama francesa.

O caminho mais prático para ir até a ilha de ‘la cité’ seria continuar pelo cais, visitando a ponte dos artistas e a “pont neuf”, onde o personagem Gil passeia com a Adriana e começa a ter dúvidas, quanto ao seu casamento com inez. Chegando à ilha, melhor fazer uma pausa, apreciar os movimentos das pessoas e observar o rio em suas margens. Fotos.

Uma pausa para o almoço se impõe e a melhor coisa seria viajar no tempo, ir ao Polidor, aquele restaurante que Gil frequenta com os Fitzgerald, Hemingway e os amigos. Os menus variam entre 18 e 40€, com entrada e o prato principal. Tem vinhos ótimos.

Uma boa opção, para depois do almoço, seria caminhar pela beira do rio Sena, visitando os “bouquinistes”, aqueles vendedores de livros antigos ou usados, e comprando algum cartão postal, ou um livro. Ou revista. Ao lado, vale a pena ir à igreja de Notre Dame e à ilha de Saint Louis. Talvez, e dependendo do tempo, um sorvetinho no Bertillon, o melhor do país.

Para terminar esta parte das visitas, uma ida rápida ao Panthéon e às escadarias da Igreja Saint-Étienne-Du-Mont, lugar onde Gil encontra, ou pensa encontrar o velho Royce que o leva para os anos 20, aos sons dos sinos da meia-noite.

img_1168

A melhor coisa para terminar o passeio, ou a viagem, seria pegar o metrô, em direção à “porte de Clignancourt” e visitar os antiquários do mercado das pulgas, procurar um velho vinyl do Cole Porter, ou um par de brincos… antes de subir a Montmartre, visitar a igreja de Sacré Coeur e suas escadarias, sua praça dos artistas, o museu Salvador Dali, e degustar um bom vinho tinto sob a luz crepuscular de um fim de tarde bem francês.

E para quem gosta de cinema, que é fã de Woody Allen, já viu o filme “midnight in Paris”, e que não tem viagem marcada, a solução seria fazer um pé-de-meia e deixar o sonho se realizar.

Obs. Outros passeios e opções são possíveis, para visitar todas as cenas do filme, como o castelo de Versalhes, a casa do Monet (80 km de Paris), o jardim de Luxembourg, e vários passeios noturnos, como o “moulin rouge”, entre outros restaurantes e bares, e os cais do rio Sena.

Para maiories informações:

romribeiro@orange.fr

Leia mais...

Guias em Portugues em varias cidades da Europa – lista de contato

agosto 24, 2013 | Posted in Cultura Francesa | By

Ola pessoal!

Este artigo foi escrito em resposta a varios emails de leitores que me perguntam se eu tenho outros guias brasileiros (em outras cidades da Europa) para recomendar. Então aqui vai os contatos do nosso “grupo”, e links para os sites:

 

ALEMANHA:
BERLIM
Walter Rohr
www.berlin-events-tours.com

 

Maristela Pimentel Alves
http://www.areas-berlin.de

 

MUNIQUE :
Mario Dal Pra
www.dalpra.de

 

ÁUSTRIA:
SALZBURGO
Dietmar (Didi) Niederkofler
www.dididobrasil.com

 

VIENA
Christina Crisafulli
www.guia-viena.com

 

Gabriela Jemelka
www.austriaguides.com/jemelka

 

HOLANDA
AMSTERDAM
Silvia Oliveira
www.guiaemamsterdam.com.br

 

HUNGRIA:

Katalin Leimeiszter
http://www.hungriabonita.com/

 

BUDAPESTE
KRISTOF HORVATH
www.guia-de-budapeste.com

 

ESPANHA:
Barcelona
TAMY CAMPAGNOLA
www.barcelonadagema.com

 

 

INGLATERRA:
Londres
FERNANDO GRACIO
www.queenelizabethtur.com.br
ÌTALIA:
Milão
Mirko Uggeri”
http://tourguides.viator.com/tour-guide-mirko-uggeri-2611.aspx

Roma
Alessandro Innocca de Cesaris
http://www.professionalromeguide.com/pagine/ENG/about.asp

 

Bom, é isso! cada guia tem a sua propria proposta, valores, etc, de acordo com a economia de cada pais e com a particularidade de cada cidade. Tem locais que vale mais a pena fazer passeio a pé, outros que tem de ser com carro. Então, cada um de nos tem a sua proposta de acordo com a cidade.

E aqui vai o link para o nosso site:

Guiasdaeuropa.com

Leia mais...

Como seria se as grandes cidades do Brasil tivessem um sistema de transporte como em Paris?

junho 24, 2013 | Posted in Cultura Francesa, Turismo dicas | By

 

Ola Pessoal. Estou acompanhando as manifestações no Brasil, e umas das reivindicações (objetivas) é uma melhora do sistema coletivo de transporte. Queremos um metro tipo o de Paris no Brasil?

Ou o metro daqui é muito simples pra gente, que esta acostumado com estações de metro em mármores e construções de luxo? Afinal é melhor ter transportes bonitos e caros ou simples e baratos? Não é melhor ter mais linhas, a toda hora, evitando muito acumulo de pessoas dentro dos transportes? O que é realmente o que se quer?

A rede de transportes públicos na região de Paris é altamente desenvolvida e funciona muito bem. O metro é o representante mais emblemático.

Nas últimas décadas, o crescimento da oferta focada em melhorar o serviço para os subúrbios com, entre outros, a criação da “Rede Regional Express” (RER), fez com que seja possível viajar entre cidades de Ile de france rapidamente. Se pode viver em uma cidade e trabalhar ou estudar em outra. Da mesma forma se pode ir e vir aos aeroportos Charles de Gaulle e Orly, que não ficam em Paris, usando o RER. Ou mesmo ir até a Disney passear.

Milhões de pessoas todos os dias usam o sistema de transporte parisiense e de subúrbio. Quem é residente e usa sempre os transportes pode ter um passe de uso ilimitado, que é ótimo e pratico, além de claro, ser muito mais barato do que ficar comprando bilhetes avulsos. Normalmente quem é empregado recebe este passe do patrão.

O metro se conecta com o RER e você faz a sua viagem pagando somente um ticket.

Outro sistema de transporte muito utilizado são os ônibus, ótima opção para idosos e pessoas com mobilidade reduzida, que não podem subir e descer as escadarias do metro.

Como assim? O metro de Paris não é moderno e lindo?

A simplicidade do metro Parisiense é motivo de reclamação dos turistas brasilieros

A simplicidade do metro Parisiense é motivo de reclamação dos turistas brasileros

Não. É feio, antigo (as primeiras linhas datam de 1900), com poucas escadas rolantes, com sistema de compra de tickets em maquinas (sem serviçais pra atender você ) e para muitos brasileiros, “cheira mal”. A maioria dos Brasileiros volta ao Brasil falando mal do sistema de transporte parisiense, pela questão estética, é claro. Dizem que no Brasil é que é bom, moderno, etc.

Eu sinceramente só sinto mal cheiro em locais no norte de Paris, onde ficam os guetos de imigrantes, gente que normalmente não teve boa educação no seu pais de origem e suja mesmo tudo, quebra, enfim.

metro de Paris


Metro de Paris – Varios vagões evitam que o metro esteja sempre superlotado

 

Em contrapartida, é barato e acessivel a todos. Aqui o deslocamento pra todo o lado não é problema, as crianças podem ir e vir da escola usando os transportes com segurança. Não há necessidade de alguém ir buscar as crianças na escola, elas sabem voltar pra casa sozinhas, ou em grupo de coleguinhas.

Um ticket comprado avulso custa 1,70 euros, um passe mensal para Paris e um pouquinho fora somente, custa 62 euros. Você com esse passe anda pra todo o lado. Este é um passe pra residentes, mas os turistas tem opções também: o navigo decouverte, e o paris visite. Ambos são comprados nos guichês do metro ou nas maquinas. Não há necessidade de comprar antes, por internet, etc. E só chegar e comprar.

Quando eu faço passeios aqui somente uma minoria acha mesmo legal o sistema de transportes aqui, porque para a maioria dos brasileiros, é muito feio, tinha de ser como em São Paulo, tudo em mármore, tudo bonito. Mas claro, se as pessoas querem luxo, tem de pagar mais. Aqui desde que seja seguro, pratico, eu não me importo se as paredes da estação são em azulejo ou em ouro. O objetivo dos transportes é transportar pessoas de uma lado pra outro. Só isso.

E você? Qual é a sua opinião? E melhor um sistema de metro de luxo com 4 linhas como o de São Paulo, ou um mais simples com 16 linhas, conectado a trams (eletricos)? O que você, sinceramente, escolheria?

metro paris: muito simples para o gosto refinado dos Brasileiros?

métro Paris: muito simples para o gosto refinado dos Brasileiros?

Já que agora, finalmente “acordamos”, quem sabe vamos rever as nossas necessidades? Ou continuamos com essa ideia de que tudo tem de ser de luxo?

Leia mais...

Chinon, Carlos VII e Joana D’Arc

junho 14, 2013 | Posted in Cultura Francesa, Destinos, Pontos turisticos, Turismo dicas | By

 

CHINON, CARLOS VII E JOANA D’ARC

por
(Romulo M. Ribeiro)

A única coisa que me vem ao espírito, quando penso naquele castelo imponente, além daqueles condes, reis, e o encontro decisivo entre Joana D’arc e o futuro rei Carlos VII é o frio. Fico imaginando como seria morar, ou de repente “se esconder” na época, naquele imenso castelo-fortaleza de Chinon. A paisagem, vista das torres, é digna de qualquer filme de ficção, onde as águas do rio Vienne, brincam de espelho com o céu e as nuvens incessantes; ondes são os corvos que mandam naquele espaço celeste, naquelas árvores seculares. Mas o inverno é bem frio, e nota-se, pelos tamanhos das lareiras do castelo, que na época o povo devia botar muita lenha naquelas fogueiras.

A cidade de Chinon é cercada pelos rios Vienne e Loire, a imensa floresta de Chinon – muitos animais selvagens ainda vivem naquele espaço – e as infinitas vinhas. O famoso vinho de Chinon, assim como outros da região, são frutados na degustação. Se guardamos o vinho na boca, podemos sentir um curioso gosto de argila no fundo da língua. Ao olfacto predomina-se o olor de cassis.

Mas, voltando à historia, fora naquele castelo que Carlos VII recebera Joana D’arc. Ela tinha somente 17 anos e dizia ter tido visões e visitas de anjos. E que recebera “ordens” e instruções divinas para salvar a França, e que o rei, em apuros, não poderia recusar uma ordem vinda de entes superiores: ele deveria lhe confiar um exército. Como todos os franceses temiam algum atentado ao futuro rei, em plena e eterna guerra contra os ingleses, as autoridades e os mais próximos de Carlos VII, até então regente secreto, resolveram organizar uma pequena cerimônia, onde um outro homem se vestiu, simulando ser o Delfim (golfinho, que na França é o termo para designar o herdeiro de um trono).

Joana D’arc, ao ser apresentada ao “falso” rei, não se convenceu. Deu uma volta entre os convidados e se ajoelhou em frente ao verdadeiro Carlos VII, cuja identidade era completamente desconhecida do povo. Todos ficaram impressionados, e foi o início de uma grande cumplicidade entre a força de um reino e a força de um espírito ( eis que a jovem Joana não tinha muita força para segurar sua espada, mas ganhara todas suas batalhas, inclusive as de Orleans, Reims e Compiegne, liberarando a França de seus invasores).

A cidade de Chinon fica a 240 km de Paris e, entre suas caves trogloditas, seus vinhos saudáveis, seu festival “musica show” (início de julho), seus bares e restaurantes, entre os quais o “le cafe français”, merece uma boa visita. Sem contar com os outros castelos tão próximos, como o de Saumur, Azay-le-rideau e o “chateau d’Ussé” – os jardins foram desenhados por Le Nôtre (*) – que inspirara Charles Perrault em seu fabuloso conto “A bela adormecida”.

Para ir à Chinon por transporte comum, o mais simples seria pegar o TGV (trem bala) na gare de Montparnasse, em Paris – 50 mn até Tours, e pegar um ônibus – 30mn – até Chinon. As reservas podem ser feitas pela internet pelo site http://www.sncf.com/fr/.

Pode-se também alugar um carro com carteira internacional e GPS. Fala-se portugues no hotel ‘Le Plantagenêt’ 12 Place Jeanne d’Arc – Chinon(www.hotel-plantagenet.com/)

* le nôtre também desenhou os jardins de Versalhes, entre outros.

 

Leia mais...

O Parlamento francês aprova casamento aos homossexuais

abril 23, 2013 | Posted in Cultura Francesa, Vistos e permanencia, Viver em Paris | By

 

Oi pessoal

Começo o artigo de hoje com uma tradução do artigo publicado a poucos minutos atras, dia 23 de abril de 2013, as 17:15.

http://www.leparisien.fr/flash-actualite-monde/le-parlement-francais-ouvre-le-mariage-aux-homosexuels-23-04-2013-2752187.php
O parlamento francês nesta terça-feira aprovou o casamento civil aos casais homossexuais através de uma votação formal dos membros finalizando uma semana de debates acalorados, tornando França o decimo quarto país a reconhecer o casamento gay.
“Depois de 136 horas e 46 minutos de debate, o Parlamento aprovou o casamento para casais do mesmo sexo”, por 331 votos contra 225, diz o presidente da Assembleia Nacional Claude Bartolone.
A oposição de direita já anunciou um recurso ao Conselho Constitucional antes da promulgação da lei pelo presidente François Hollande.

Enfim, quem acompanha as noticias, sabe que a extrema direita francesa esta firmemente em oposição a esta lei. Esta oposição é algo inédito e inesperado, em um pais que foi o criador dos direitos humanos, o pais que sempre lutou por igualdade.

Vamos acompanhar pra ver quando realmente, na pratica sera possível casar aqui na frança.

Acredito que o primeiro casamento na frança sera bem divulgado. Vamos torcer para que seja breve.

Para os brasileiros e brasileiras que estavam a espera desta lei para legalizarem-se na frança, parabéns pela conquista.

Vale lembrar que brasileiros casados com cidadãos franceses tem direito ao visto, a famosa “carte de sejour”. Depois de 5 anos ha possibilidade de pedir a nacionalidade por naturalização, baseada em casamento.

Para ler mais (em portugues):

http://www.publico.pt/mundo/noticia/franca-aprovou-o-casamento-gay-1592249

Leia mais...

Coisa de pobre… ou coisa de Europeu ?

março 12, 2013 | Posted in Cultura Francesa | By

Ola pessoal !

Mais uma analise das diferenças culturais entre Brasileiros e Europeus (Franceses, no caso…).

Tenho feitos muitos passeios (claro, é o meu trabalho né ?) e tenho notado que as vezes quando eu proponho alguma coisa eu ouço a famosa expressão « eu não faço isso! Isso é coisa de pobre ! »

Enfim, o que é visto como coisa de pobre no Brasil aqui são coisas perfeitamente aceitáveis para classe media e classe alta.

Vamos la :

  1. Encher as garrafas de água na rua, nas fontes disponíveis pela cidade. A água é potável, gostosinha e esta sempre gelada… enfim ótima e além disso é de graça. Todo mundo utiliza. Então nada de ficar com vergonha e vir com frases do tipo « eu quero pagar pela minha água, isso é coisa de pobre…. » ha ha sem comentários.

  2. Usar o metro… Alexia…. coitadinha, você não tem carro????(ok, tenho) rsrs escrevi muito neste paragrafo mas achei melhor dar uma encurtada e resumir: Todo mundo usa os transportes publicos. E claro que se for a noite, voce tiver toda arrumada pra uma festa e preferir um taxi, otimo, mas no dia a dia o metro é otimo se voce vive dentro de Paris.
  3. Pedir “carafe d’eau” no restaurante, em vez de “bouteille d’eau”. Qual é a diferença? A primeira é de graça rsrs. É uma jarra de água da torneira (ótima água por sinal), e a outra é uma garrafa de água engarrafada, que custa cerca de 4 euros nos restaurantes, ou mais.

  4. Cortar o cabelo e fazer manicure em casa, assim como arrumar a sua própria casa: Enfim, coisas de Europeu… aqui se gasta mais em cinema, teatro, viagens, livros, e se economiza nos serviços em geral. Aqui todo mundo sabe se virar, não há o costume de se ter quem faça tudo por você… No Brasil todo mundo tem “secretaria”, aqui uma secretaria tem de ter curso superior, enfim você precisa pagar cerca de 2000 euros pra ter uma, e uma empregada de limpeza/empregada domestica custa 1300 euros por mês (aqui “secretaria” e “empregada de limpeza/empregada domestica” são profissões diferentes).

  5. Repetir roupa: eu já falei nisso muitas vezes, então não vou entrar mais em detalhes, enfim essa é uma terra onde não se faz crediários, se compra coisa de qualidade, pra durar muito tempo e se repete muuuito as roupas. Não há essa de mudar de guarda roupa a cada estação. Normalmente uma pessoa da minha idade (40 e tantos rsrs) já tem roupa suficiente para todas as ocasiões, e compra muito menos do que um(a) jovem ainda montando o guarda roupa. Existem peças que são praticamente eternas (bolsas, sapatos sociais, jaquetas de couro, etc), e duram mesmo a vida inteira. Aqui nada fica velho, vira “Vintage”, nada sai de moda, fica “retro”.

  6. Esperar os saldos para comprar: Essa coisa de ficar comprando sem perguntar o preço, pra não “parecer pobre”, é coisa de brasileiro; aqui se procura por meses um casaco até encontrar um que seja perfeito: bonito, que vista bem, seja quentinho, e esteja com preço ótimo (normalmente se espera as liquidações de inverno).

  7. Guardar coisas como sacolas de compras, luvas e guarda chuvas como se fossem bens preciosos rsrs. Isso mesmo, estes não são coisas descartáveis aqui. Não tem essa de comprar um guarda chuva na rua só pra usar na chuva e depois colocar fora. Tem pessoas que fazem passeios comigo que me pedem o guarda chuva emprestado e depois não devolvem mesmo que eu peça de volta porque afinal é “uma porcariazinha” onde se viu pedir de volta, que coisa de pobre!

  8. Compram roupa usada em brechó (e vendem): isso mesmo, reciclar é bom e assim ninguém fica acumulando coisa que não usa mais.

  9. Compram livro usado e usam a biblioteca e videoteca do bairro pra pegar vídeos e livros emprestados (em vez de comprar DVD pirata…).

  10. Participam das feiras de rua tipo “limpa guarda roupa”, ou “limpa garagem”, pra se desfazerem de coisas que não querem mais, dos moveis da vovó que morreu, das roupas que já não servem mais: isso não tem a ver com crise. Sempre se fez isso e é mais uma reunião de vizinhos do que uma “venda por necessidade de dinheiro”.

  11. Fazer pic nic: Embora eu não faça, e não goste muito, porque adoro entrar em um restaurante em ambiente fechado, os jovens e estudantes fazem muito. Detalhe: Trazer salada de macarrão em vasilha de plástico ou qualquer outro tipo de comida fria que não precise usar faca é uma coisa normal, ser farofeiro aqui não é coisa de pobre. Beber bebida alcoólica na rua eu ja acho excessivo se você tem mais de 30 anos. Essa do vinhozinho a beira do Sena é ótimo pra turista ou jovens, mas depois de uma certa idade não pega muito bem. Principalmente se você vive aqui.

    Enfim pessoal, a gente no Brasil cresce preocupado com o que os outros vão falar, compra muito só pra impressionar em vez de comprar o que precisa ou o que gosta, mas aqui é um pouco diferente, na verdade ninguém esta nem ai para como você se veste desde que você esteja decente e limpo. Enfim, relaxe, e aproveite as férias!Guia da europa

Leia mais...

Visitando Paris com atitude positiva – relaxe e aproveite ! Deixe as criticas de lado.

fevereiro 28, 2013 | Posted in Cultura Francesa | By

Ah, a Europa… a gente cresce ouvindo falar de castelos, reis, rainhas, grandes conquistadores, de todos os grandes nomes que fizeram a historia da humanidade, dos direitos humanos, das leis, das primeiras universidades do mundo, das fantásticas obras de arte, dos grandes compositores, das grandes invenções, das grandes marcas, da moda, dos cosméticos, enfim, a Europa é o máximo rsrs.

Enfim, pra quem nasceu em um pais novo, como o Brasil, não tem como ficar com uma pequena (ou grande) sensação de inferioridade em relação a Europa. Afinal o Brasil tem tanto problema, é tão novinho…

Então, finalmente viemos visitar a tão falada Europa! Sonho sendo realizado!

Parece geral que uma atitude « normal » de « defesa da pátria brasileira » se instale no nosso pensamento ao colocarmos os pés aqui. Afinal o meu Brasil brasileiro é uma maravilha, até Deus é brasileiro né ?

Não da pra comparar o novo mundo com o antigo. Cada um teve o seu passado, e chegar aqui só pra ficar dizendo « mas se fosse no Brasil as flores estariam mais lindas », ou « com esse dinheiro eu como como um rei no Brasil », « essas francesas são horríveis, bonita é a mulher brasileira »enfim, a gente conhece a conversa. Pra mim esse tipo de conversa é puramente pra tentar disfarçar um grande sentimento de inferioridade que a gente aprende a ter no Brasil. Que não tem motivo real, esta só na nossa cabeça mesmo.

Pois é, França e Brasil são países completamente diferentes, as pessoas são diferentes, o sistema politico é diferente, os países passaram por experiencias diferentes, enfim… mas nenhum é melhor ou pior do que o outro. São apenas diferentes. Tente visitar a França com « olhos curiosos », em vez de « olhos críticos », ou « olhos comparativos » . Você vai aproveitar mais, se divertir mais e enfim, vai aproveitar o seu dinheiro de forma positiva, afinal não é barato vir passear por aqui.

Ao visitar os locais por aqui, aproveite, não fique comparando… relaxe um pouco. Sim, as pessoas são diferentes no mundo inteiro, e todos temos pontos positivos e negativos. Todos os locais tem problemas também, não existe pais « sem problemas ». Mas também não existe pais sem beleza, pontos positivos na cultura, enfim.

As pessoas são diferentes, os hábitos são diferentes, o clima é diferente… o sistema de trabalho é diferente.

Pra mim a maior bandeira que brasileiros de norte a sul levantam pra « provar que os brasileiros são superiores » é o tal « 3 banhos por dia », e « comer de 3 em 3 horas ». O numero 3 no Brasil deve ser um numero sagrado, talvez evocando a santíssima trindade… sei la, mas quem não cumpre estas regras de ouro não pode ser boa pessoa. Eu ouço isso praticamente toda a semana.

Enfim, aqui não existe nem tempo pra isso, e os médicos aqui não recomendam comer de 3 em 3 horas se você é uma pessoa saudável. Ninguém pode parar de trabalhar pra « ir comer », no horário de serviço. Aqui também não ha como ficar voltando pra casa no meio do dia pra « tomar o banho numero 2 ». E também o clima daqui é completamente diferente. Nem se transpira.

Mas, pronto, não existe certo ou errado. Se você tem de comer tando, ou se lavar tanto, e tem como o fazer, ótimo, tem pessoas que não tem essa possibilidade pois passam o dia na rua (eu sou uma delas, ah como sou terrível). Enfim não ha « certo e errado » nestes assuntos.

Quem acompanha o blog a tempos sabe que eu estou fora do Brasil há mais de 20 anos, já vivi em Lisboa, Shanghai (Xangai em português), e enfim conheço muitos, mas muitos países (e cidades) mesmo. Todos, tem pontos positivos e coisas lindas pra ver. De verdade!

E a França não é exceção. Portanto, aproveite, venha com uma atitude positiva, gostar de um outro pais não significa “desmerecer” o Brasil. A gente é claro ama o Brasil, ama a culinária Brasileira, o clima, as pessoas. Países não são como time de futebol, que se você “torce” para um tem de estar contra o outro. Da pra amar e aproveitar muitos locais sem com isso “desgostar” dos outros.

Enfim, este é mais um artigo que não fala de locais pra visitar. Acredito que voce encontre informação suficiente nos antigos artigos sobre pontos turisticos. O que eu estou tentando com estes ultimos artigos é falar um pouco sobre “como visitar a Europa”, em vez de “o que visitar”. Eu acredito que a nossa atitude positiva é fundamental para poder realmente aproveitar os passeios por aqui.

Bons passeios!

Leia mais...

Mitos sobre a França : Analise as informações que você encontra na internet.

fevereiro 2, 2013 | Posted in Cultura Francesa | By

Bom, depois de milhares de anos sem escrever estou de volta.

Tenho andando bem ocupada com os meus passeios, e também respondendo e-mails dos leitores do blog. Baseada nestes e-mails estou escrevendo este artigo.

Existem certas « verdades » que se espalham pela internet que devem ser lidas mais como “informação a ser analisada” do que « verdade absoluta ».

Vamos aos pontos :

« Maio é o melhor mês para vir a Paris »

Depende. Se voce não se incomoda com multidões, e possibilidade de chuva e vento, Maio é ótimo. Primavera tem de ter chuva. Por isso tem flores lindas. Maio tem 3 feriadões (5 dias que são feriados) . Tem coisa que fecha…

Eu diria que os melhores meses aqui são os do outono (setembro, outubro, novembro).  Mas cada um tem o seu gosto.

« Os Hotéis em Paris não tem banheiro »

Se for um hostal eu entendo. Hotel decente, de 2 ou mais estrelas, tem banheiro sim.

« Os prédios na França não tem porteiro »

Tem sim, o meu tem. E claro que tudo depende do tipo de prédio. Tem uns que não tem, outros que tem.

« As mudanças de moradia aqui são todas feitas no muque porque não há companhias de mudança”

Mito. Tem e muito boas. E claro que tem de largar uns bons euros…

« Aqui os apartamento não tem maquina de lavar e todos tem de sair no domingo pra lavar roupa em local publico »

Mito. E claro que se você paga 400 euros por um cubículo, você não vai ter muitas das coisas básicas. Mas se você tem um apartamento decente, é claro que você tem maquina de lavar, de secar, etc. Normal.

« Os Franceses não tomam banho »

Verdade. Hahaha deixa eu explicar. O significado da palavra « banho » é originalmente « banho de banheira ». Banho de Chuveiro se diz « duche ». Acontece mesmo dos brasileiros, orgulhosos dos seus 3 banhos diários (sem comentários…) perguntarem para os franceses se eles tomam banho.

Eles não entendem a pergunta e respondem não. Tomar banho de banheira aqui é só se você esta muito estressado (pra relaxar), com dor nas costas, enfim, se gasta muita água… Eles (e eu) só tomo banho de chuveiro. A famosa « duche ». Alias eu tomo duche até depois do « banho ».

« O Franceses são chiquérrimos »

Eu acho que são diferentes. Nos no Brasil amamos comprar bugiganga e nos vestirmos com coisas baratas, roupas sintéticas, e viva o « made in china ». Vale mais a quantidade do que a qualidade.

Aqui o pessoal boicota os artigos chineses, compra coisa boa e repete, repete, as mesmas roupas muito. E claro que se você esta pagando 500 euros em uma jaqueta você não vai comprar uma jaqueta amarela com flores azuis. Voce vai comprar alguma coisa mais discreta, pra ficar fácil de usar por muitos e muitos anos e de repetir bastante. Então viva o preto, o cinza e o beje. Com cores discretas e básicas, que combinam entre si as pessoas parecem mais “chics” do que usando uma calça amarela com camiseta cor de rosa escrita “Hello Kitty”.

« A melhor baguete de Paris é na boulangerie XYZ »

Não ha realmente ninguém que tenha experimentado TODOS os baguetes de Paris a ponto de dar uma informação verdadeira .

Existem alguns prêmios que algumas boulangeries recebem e depois o pessoal fica repetindo que a melhor baguete de Paris é tal tal pelos blogs.

Pão, doces, chocolate e perfumes dependem de gosto. Eu não pego metro, ônibus ou táxi pra comprar pão. Eu compro pão na boulangerie que eu tenho perto de casa e pronto. Como todo mundo.

« Perfumes em Paris só na Benlux »

Mito. Benlux tem os mesmos descontos de de-tax que varias outras boutiques.

Os parisienses nunca compram na Benlux. Compram nas Lafayettes para os lançamentos, e Sephora para os que já estão no mercado.

Turistas tem sempre um melhor negocio no free shop do aeroporto.

« Vir a Paris e não comer no restaurante XYZ é não vir a Paris.

Mito. Não ha restaurante em Paris que seja assim tão único e tão especial que você tem de ir nele.

Se fosse verdade, seria um local tão turistão que o melhor seria fugir do mesmo.

“A crise esta tão terrivel que as pessoas andam vendendo o que tem pelas ruas”

Mito. Essas feiras que existem pela França são de origem medieval. E cultural “reciclar” por aqui. Se a pessoa não usa mais as roupas, vende na feira. Não tem nada a ver com a crise. Se chamam “feiras limpa guarda roupa” (vide dressing). São feiras que as familias vão e é quase uma especie de confratenização de vizinhos.

” A “medicina” na França (e na Europa toda) é muito atrasada”

 A França recebeu até hoje 12 premios Nobels de medicina (entre os 66 ao todo contando com paz, literatura, etc), Enquanto o Brasil somente 1 em 1966 (totalizando 1 ao todo em todas as areas). A economia europeia é em grande parte “sustentada” pela exportação de tecnologia medica (Alemanha e França sendo os maiores exportadores). Então porque todo mundo usa remedios da Pzifer, Bayer e Roche se a medicina aqui é tão atrasada aqui? e porque se usa então aparelhos medicos made in Germany, France, etc.

Enfim, é verdade que o Brasil é um paraiso pra quem quer fazer cirurgia plastica barata (assim como a Thailandia e Coreia do Sul), mas isso não significa que somente o fato do Brasil ser otimo neste mercado coloca o Brasil como uma das medicinas mais avançadas do mundo.

Bom, a lista não se acaba…

Existem pessoas que escrevem somente pra manter o blog atualizado, indicando coisas que nem eles usam ou acreditam que seja realmente bom. Tem pessoas que realmente acreditam na informação que escrevem porque não sabem mais e generalizam. Portanto, pesquise, e tire as suas próprias conclusões. Inclusive em relação as coisas que EU escrevo.

 

frase-o-ignorante-afirma-o-sabio-duvida-o-sensato-reflete-aristoteles-92510

 

 

Leia mais...

Como fazer compras em Paris : Regras de etiqueta nas lojas e restaurantes.

setembro 9, 2012 | Posted in Compras em Paris, Cultura Francesa, Turismo dicas | By

Ola pessoal. Não sei se todos sabem, mas eu sou guia aqui em Paris e passeios com turistas brasileiros todos os dias por aqui. Muitos dos meus artigos são inspirados em situações reais do meu dia a dia.

Existem algumas diferenças em relação as lojas fora das « Américas ». O Brasil segue muito o sistema de atendimento americano, as lojas sempre tem muitos funcionários que ficam a sua disposição pelo o tempo que você quiser ficar na loja. Tem gente no Brasil que ate escolhe uma funcionaria com o mesmo tipo físico e « manda » ela vestir as roupas pra você ver como fica. E elas fazem !!!

Essa maneira “servil” do povo, e de outro lado, o pessoal que nem sabe que existem palavras como “por favor” ou “muito obrigado”, existe em locais onde houve escravidão. Nos ainda seguimos estes mesmo parametros de comportamento, apesar de nos acharmos tão moderninhos. Realmente ha pessoas que acham mesmo que so porque estão pagando não precisam dizer bom dia, por favor ou muito obrigado. coisas do nosso passado colonial.
Ha brasileiros que dizem na minha cara “que bom dia que nada… eu to pagando!” Esse é o nosso Brasil…

Aqui, existem poucos funcionários nas lojas, e na maior parte das vezes, você não terá uma pessoa para ficar a sua espera enquanto você decide o que comprar.

Também, diferente do conceito de que quem esta pagando tem direito a fazer qualquer coisa, aqui não é bem assim. Aqui a ideia é que se você esta pagando, você é quem precisa. Nas lojas, para os funcionários, tanto faz vender uma bolsa pra Maria, para a Joane ou para outra pessoa. O dinheiro é o mesmo.

Vamos então as dicas das diferenças em relação as compras no Brasil e aqui na França :

Brasil : Você entra na loja pra comprar um chocolate. Pega o chocolate, vai ao caixa. A moça registra o chocolate e fica a espera de você fazer o pagamento.

Ai, você começa a olhar para os lados, vê que afinal a loja também tem bombons, biscoitinhos e licores. Sai da fila sem avisar nada e volta as prateleiras. O seu chocolate e a moça ficam a sua espera, ate você se decidir o que quer. Afinal você já não quer mais o chocolate, e resolve que quer comprar biscoitos amanteigados.

Ah… você se lembra de um tipo de biscoito que uma amiga sua comentou e resolve ligar pra ela pra perguntar o nome. Tem gente na fila mas afinal você é que esta sendo atendida e eles que esperem afinal você esta gastando bastante e tem direito de fazer o que bem entender.

Situação normalíssima no Brasil. Afinal você sai da loja com biscoitinhos, licores e a moça esta contente porque ganhou uns centavos de comissão.

França : Em resumo, eles ficam malucos com esta situação. O pessoal da fila vai xingar você.

Para não sair da loja dizendo que os franceses são mal educados, tente somente entregar os produtos que você quer comprar no momento que você esta pronta mesmo pra pagar e ir embora. Olhe tudo primeiro. Depois entregue as coisas para o funcionário.

Lojas como a Sephora, Lafayettes e afins, são basicamente « self service ». Você pergunta o básico para a funcionaria e deixa ela em paz para atender outras pessoas. Tem pessoas que vieram a Sephora e saíram super decepcionados porque ao chegar e dizerem que queriam ver os produtos da Chanel, por exemplo, a funcionaria simplesmente indicou a prateleira e pronto.

« Como assim ? Eu quero alguém me atendendo !!!! Essa gente é muito mal educada ! » Afinal eu estou pagando, exijo tratamento VIP !!!

Bom… todos pagam, não só você… O sistema da Sephora é assim. Se você quer uma pessoa lhe atendendo, procure outra loja. Claro que voce deve perguntar se não esta encontrando alguma coisa ou quer uma saia em outra cor, ou numero maior, etc.

Essa conversa de marketing brasileiro que você terá um tratamento especial « só pra você, eu vou fazer um descontinho… ». Ou mesmo em um restaurante : « Vou pedir pra eles capricharem no seu prato la na cozinha ! » E uma coisa que não faz muito sentido por aqui.

Um francês ao ouvir ou perceber que você acha que merece um tratamento especial fica sem entender.

Essa coisa de dizer para as pessoas « capricha ! » E meio « falta de educação ». Na verdade, o que eles entendem é que você diz « Eu sei que você faz tudo mal feito, mas eu estou pedindo para você fazer o favor de tentar fazer bem feito desta vez ».

Entendem porque as vezes podem acontecer de haver alguma desentendimento nas lojas ? São apenas coisas culturais.

Eu mesma recebo as vezes emails de agencias pedindo para que eu acompanhe certos clientes mas eles ja avisam: Eles são VIP, favor fazer tratamento especial!  Como assim??? rsrs

Mais uma informação: Não peça desconto nem “presentes” nas lojas.  Não ha descontos por pagamento a vista, porque aqui todo mundo paga a vista. Não ha crediarios nem “parcelamento no cartão”, portanto para o funcionario tanto faz se voce paga no cartão de credito, debito, ou cash.  O importante é pagar.

Não esqueça, na Europa voce é somente “mais um turista brasileiro”, o mundo não para so porque voce chegou. Voce não tem o direito de fazer todo mundo nas lojas ou restaurantes ficarem em função de voce, afinal o que não falta em Paris é turista.

bjos a todos.

Leia mais...