Como a França lidaria com o « rolezinho » nos shoppings.

janeiro 17, 2014 | Posted in Compras em Paris, Cultura Francesa, Pontos turisticos | By

 

Ola pessoal !

Mais um tema polemico « made in Brazil »…

Enfim como seria encarado este problema por aqui, na terra da “Liberté, Egalité et Fraternité”.

Bom, não vou dar a minha opinião sobre o rolezinho no Brasil, porque não é este o intuito deste artigo. Vou fazer somente uma comparação de como este problema seria resolvido por aqui (de acordo com as leis).

1.Qualquer manifestação publica com mais de 20 pessoas tem de ser declarada com antecedência na policia ou no caso daqui, na Mairie (especie de sub-prefeitura, pra simplificar) – tem de ser autorizada por escrito. Tem de ter um “líder” e o nome do mesmo fica registrado como responsável caso haja algum problema. Isso aconteceu com a manifestação anti casamento gay, por exemplo, que o pessoal fez uma estrago grande nos jardins dos Champs de Mars (o espaço verde atras da torre Eiffel). Acabaram sem conseguir nada, só uma conta de 100 mil euros pelo estrago.

Então, onde esta a liberté?? Bom como junto há também a Igualité, é igual pra todo mundo: quebrou, estragou coisa que não é sua, você paga e pronto. Igual pra todo mundo.

  1. Em ambientes comerciais, quem manda é o dono (loja ou restaurante não é um local publico, e sim coletivo, que são coisas diferentes). Aqui não tem essa de chegar um grupo de 10 em um café, sentar em uma mesa e pedir somente um café e os outros ficarem só olhando. São postos pra rua, porque o espaço é pra clientes. Se você não consome você não é cliente.

  2. Em museus, por exemplo, qualquer grupo maior de 15 pessoas exige reserva e o nome do guia ou responsável. Grupos entram por porta especial e as vezes tem um funcionário do museu pra acompanhar caso eles não estejam com um guia credenciado pelo governo.

    Não tem essa de chegar um grupo de 200 pessoas como se fossem “individuais”. Individuais são casais, pessoas sozinhas e famílias de no máximo 8 pessoas. Mais do que isso é considerado “grupo”.

  3. Restaurantes só aceitam “grupos” com reserva. Eu mesma, como guia, tenho de fazer esses procedimentos mesmo já conhecendo o pessoal nos museus, restaurantes, etc. Quando eu estou com um grupo de 12 pessoas por exemplo, eu entro primeiro, sozinha no restaurante e pergunto se é possível eles nos atenderem sem reserva. Se não for, paciência. Mas tem de pedir permissão.

  4. Lojas: grupos de mais de 15 pessoas precisam de reserva ou pelo menos de autorização. Você não pode simplesmente “invadir” uma loja com um grupo sem avisar que esta fazendo e sem ter permissão.

  5. Centro comercial aqui é local de compras e os “visitantes” são bem vindos para conhecer, mesmo sem comprar nada, porém desde que não atrapalhem o fluxo normal do comercio do local. Grupos grandes precisam de autorização dos seguranças pra entrar e tem de deixar o nome do responsável.

  6. Manifestações culturais, danças, musica e gritos não são permitidos em locais públicos sem ter autorização. Voce ve gente dançando e cantando aqui pela rua a até dentro do metro, mas qando a policia chega eles tem de sair. Somente os que tocam nos corredores do metro tem autorização, os que estão dentro dos vagões não. Existem musicos e grupos tocando nas ruas que tem autorização.

  7. Existe código de etiqueta na vestimenta. Aqui quem cria o código de como as pessoas devem se vestir é o dono do local. Se ele não permite pessoas com roupa de praia no estabelecimento, pessoas com roupas de praia serão barradas. Ponto final.

Bom, estou falando de regras básicas de bom comportamento que devem ser seguidas aqui na França. E logico que as leis não são as mesmas que as do Brasil.

Eu já fui expulsa (como guia) de museus e restaurantes por causa de grupo falando muito alto em museu, e por sentar em restaurante e o pessoal olhar o cardápio e não querer nada. No caso do restaurantes eu fui pedir desculpas ao dono por levar o pessoal, disse que não sabia que eles não iriam consumir, e com o museu escrevi uma carta pedindo desculpas ao diretor.

Enfim, eles são os donos e eles dão as regras. Cabe a gente respeitar.

Repare que em momento algum eu falei em “racismo” aqui. A gente no Brasil esta acostumado a encaixar tudo como “racismo”. Eu mesma sou acusada de racismo frequentemente por “escrever sobre a França”. Recebo e-mails me ameaçando de processo, etc.

Enfim, Aqui na França, se você não sabe se comportar ou não segue as regras, tanto faz de que raça você é. Se você se comporta bem, você é bem vindo, se não, não é.

A gente não vai à casa de um amigo aos gritos, levando 100 pessoas sem avisar né? Ele também não iria gostar, mesmo conhecendo você e sendo seu amigo.Portanto o mesmo acontece nos estabelecimentos comerciais.

Aqui na França o dono do local é o “dono da casa”. Voce é apenas um convidado.

Enfim, este artigo é mais pra divertimento e considerações sobre um assunto que esta se ouvindo falar muito no Brasil. Eu não sou estou dando a minha opinião sobre os acontecimentos no Brasil, so estou comentando como seria se fosse por aqui. A principio nem deixariam acontecer.

Leia mais...

Chinon, Carlos VII e Joana D’Arc

junho 14, 2013 | Posted in Cultura Francesa, Destinos, Pontos turisticos, Turismo dicas | By

 

CHINON, CARLOS VII E JOANA D’ARC

por
(Romulo M. Ribeiro)

A única coisa que me vem ao espírito, quando penso naquele castelo imponente, além daqueles condes, reis, e o encontro decisivo entre Joana D’arc e o futuro rei Carlos VII é o frio. Fico imaginando como seria morar, ou de repente “se esconder” na época, naquele imenso castelo-fortaleza de Chinon. A paisagem, vista das torres, é digna de qualquer filme de ficção, onde as águas do rio Vienne, brincam de espelho com o céu e as nuvens incessantes; ondes são os corvos que mandam naquele espaço celeste, naquelas árvores seculares. Mas o inverno é bem frio, e nota-se, pelos tamanhos das lareiras do castelo, que na época o povo devia botar muita lenha naquelas fogueiras.

A cidade de Chinon é cercada pelos rios Vienne e Loire, a imensa floresta de Chinon – muitos animais selvagens ainda vivem naquele espaço – e as infinitas vinhas. O famoso vinho de Chinon, assim como outros da região, são frutados na degustação. Se guardamos o vinho na boca, podemos sentir um curioso gosto de argila no fundo da língua. Ao olfacto predomina-se o olor de cassis.

Mas, voltando à historia, fora naquele castelo que Carlos VII recebera Joana D’arc. Ela tinha somente 17 anos e dizia ter tido visões e visitas de anjos. E que recebera “ordens” e instruções divinas para salvar a França, e que o rei, em apuros, não poderia recusar uma ordem vinda de entes superiores: ele deveria lhe confiar um exército. Como todos os franceses temiam algum atentado ao futuro rei, em plena e eterna guerra contra os ingleses, as autoridades e os mais próximos de Carlos VII, até então regente secreto, resolveram organizar uma pequena cerimônia, onde um outro homem se vestiu, simulando ser o Delfim (golfinho, que na França é o termo para designar o herdeiro de um trono).

Joana D’arc, ao ser apresentada ao “falso” rei, não se convenceu. Deu uma volta entre os convidados e se ajoelhou em frente ao verdadeiro Carlos VII, cuja identidade era completamente desconhecida do povo. Todos ficaram impressionados, e foi o início de uma grande cumplicidade entre a força de um reino e a força de um espírito ( eis que a jovem Joana não tinha muita força para segurar sua espada, mas ganhara todas suas batalhas, inclusive as de Orleans, Reims e Compiegne, liberarando a França de seus invasores).

A cidade de Chinon fica a 240 km de Paris e, entre suas caves trogloditas, seus vinhos saudáveis, seu festival “musica show” (início de julho), seus bares e restaurantes, entre os quais o “le cafe français”, merece uma boa visita. Sem contar com os outros castelos tão próximos, como o de Saumur, Azay-le-rideau e o “chateau d’Ussé” – os jardins foram desenhados por Le Nôtre (*) – que inspirara Charles Perrault em seu fabuloso conto “A bela adormecida”.

Para ir à Chinon por transporte comum, o mais simples seria pegar o TGV (trem bala) na gare de Montparnasse, em Paris – 50 mn até Tours, e pegar um ônibus – 30mn – até Chinon. As reservas podem ser feitas pela internet pelo site http://www.sncf.com/fr/.

Pode-se também alugar um carro com carteira internacional e GPS. Fala-se portugues no hotel ‘Le Plantagenêt’ 12 Place Jeanne d’Arc – Chinon(www.hotel-plantagenet.com/)

* le nôtre também desenhou os jardins de Versalhes, entre outros.

 

Leia mais...

Museus Grátis de Paris: Lista com endereço, horários e metro mais proximo

junho 20, 2012 | Posted in Pontos turisticos, Turismo dicas | By

Ola Pessoal!

Peço desculpas a todos pelas minhas ausencias aqui pelo blog. Tenho deixado voces “aos cuidados da Stephany”, mas tive de arranjar um tempo para vir escrever novamente.

Existem centenas de Museus em Paris e muitos bons museus são gratuitos e valem a pena serem visitados.

E possivel programar uma viagem com poucos gastos (ou nenhum) em entradas de museus. a boa noticia é que os museus desta lista são tão pouco conhecidos pelso turistas que não tem filas pra entrar.

Aqui vai, então, a lista os melhores  Museus que tem entrada gratuita em Paris. Coloquei alem do endereço, a estacão de metro mais próxima, mas se você quiser mesmo economizar, vá caminhando, porque a maioria deles estão bem no centro de Paris!

Se você selecionar também os Jardins, parques e Igrejas de Paris para ver durante a sua estada por aqui, o custo dos tickets de entradas cai a zero. As igrejas e catedral são todas gratuitas, exceto algumas partes especiais como subir na torre da Catedral de Notre Dame, por exemplo. A própria torre Eiffel tem um show de luzes fantástico todos os dias as 10 horas da noite, de graça. Tem muito o que fazer em Paris para não somente economizar, mas sair um pouco do circuito super turistico.

Não esqueça de que você não é obrigado a subir a torre Eiffel. Muitos turistas preferem ir la, olhar e passear pelo parque ao lado, em vez de pagar 9 Euros pra subir até o alto. Se as filas de verão estiverem muito grandes, poupe o seu tempo e va conhecer outros locais menos cheios de gente, como estes Museus:

Musée de la Vie Romantique · 16 Rue Chaptal
Metro 2, 12: Pigalle; Metro 2: Blanche
Ter-dom 10:00-18:00, seg e feriados fechado
Entrada gratuita para exposições permanentes.

Musée Cernuschi ·
Avenue Velasquez 7
Metro 2: Monceau; Metro 2, 3: Villiers
Ter-dom 10:00-18:00, seg e feriados fechado
Entrada gratuita para exposições permanentes.

Petit Palais / Musée des Beaux-Arts de la Ville de Paris ·
Avenida Winston Churchill
Metrô: Champs-Élysées – Clemenceau
Ter-dom 10:00-18:00, seg e feriados fechado
Entrada gratuita para exposições permanentes.
Construída para a Exposição Universal em 1900 pelo arquiteto Charles Girault, que agora abriga o Museu de Belas Artes da Cidade de Paris: pinturas medievais e renascentistas, desenhos, mobiliário do século 18 e obras de artistas franceses como Gustave Courbet, Delacroix Eugène e Jean Ingres.

Musée d’Art Moderne de la Ville de Paris ·
11 Avenue du Président Wilson
9 Metro: Alma – Marceau, Iéna
Ter-dom 10:00-18:00, seg e feriados fechado
Entrada gratuita para exposições permanentes.

Musée Cognacq-Jay ·
Elzevir Rua 8
Metro 1: Saint-Paul
Ter-dom 10:00-18:00, seg e feriados fechado
Entrada gratuita para exposições permanentes.
As coleções de arte por d’Ernest Cognacq (século 18)

Musée Carnavalet / Histoire de Paris ·
23 rue de Sévigné
Metro 1: Saint-Paul
Ter-dom 10:00-18:00, seg e feriados fechado
Entrada gratuita para exposições permanentes.
Museu dedicado à história de Paris.

Maison de Balzac
Rue Raynouard 47
Metro 6: Passy
Ter-dom 10:00-18:00, seg e feriados fechado
Entrada gratuita para exposições permanentes.
Museu dedicado ao escritor francês Honoré de Balzac

Maison de Hugo Victor
6 Place des Vosges
Metro 1: Saint-Paul Metro, 1, 5, 8: Bastille
Ter-dom 10:00-18:00, seg e feriados fechado
Entrada gratuita para exposições permanentes.

Compagnonnage du Musée
10 rue Mabillon
Metro 10: Mabillon
Entrada gratuita para exposições permanentes.

Museu do Perfume : Fragonard Musee Du Parfum
9 Rue Scribe
Metro: Opera

Musée Bíblia  et Terre Sainte- Institut Catholique de Paris
21 rue d’Assas
Metro 12: Rennes
fecha Sábado de 16:00-18:00
Cerâmica e outros itens da Palestina: remonta a 5000 aC até 600 dC

Curie Musée (Institut du Radium)
11 Rue Pierre et Marie Curie
Metro 10: Lemoin Cardeal, 7 Metro: Place Monge
Ter-sex 10:00-18:00 (excepto em Agosto, na última semana de dezembro e nos dias feriados)
Entrada gratuita para exposições permanentes.
O Museu Curie é no piso térreo do Pavilhão Curie, em um dos prédios do Instituto Curie. Este laboratório, construído a algumas ruas de distância do “barracão”, onde o casal Curie descobriu o polônio e o rádio em 1898, foi construída especialmente para Marie Curie pela Universidade de Paris e do Instituto Pasteur, entre 1911 e 1914.

Zadkine Musée
100, rue d’Assas
Metro 4: Vavin; Metro 12: Notre-Dame-des-Champs;
Ter-dom 10:00-18:00, seg e feriados fechado
Entrada gratuita para exposições permanentes.
Museu sobre o escultor russo Ossip Zadkine.

Musée Bourdelle
18 Rue Antoine Bourdelle
Metro 12: Falguière
Ter-dom 10:00-18:00, seg e feriados fechado
Entrada gratuita para exposições permanentes.

Para saber mais sobre os outros Museus de Paris, leia tambem: A lista dos 10 lelhores museus de Paris com endereco e estação de metro mais próxima.

 

Leia mais...

Giverny e o Jardim de Monet

março 26, 2012 | Posted in Destinos, Pontos turisticos, Turismo dicas | By

Giverny fica na Normandia e as principais atracões são com certeza a Casa do Monet (com os famosos jardins) e o Museu (que tem as obras do Monet).

 

Giverny

 

Casa do Monet - Giverny

Casa do Monet – Giverny

 

 

 

 

Após a morte de Claude Monet, em 1926, seu filho Michel herdou a casa e o jardim de Giverny.
Ele não viveu lá e foi a Blache, a enteada de Monet, que cuidou da propriedade.
Infelizmente, após a Segunda Guerra Mundial a casa e o jardim foram negligenciadas. Em 1966, Michel Monet fez a Academie des Beaux-Arts como herdeira da propriedade.

Em 1977, Gérald Van der Kemp foi nomeado Curador em Giverny. André Devillers, que teve a oportunidade de ir com Georges Truffaut – um jardineiro amigo de Monet – ajudou a reconstruir o jardim como era na época do mestre. Muitos dizem que foi ele quem construiu o jardim para o Monet, ou seja eles foi o criador do jardim e depois de alguns anos foi quem o reconstruiu, mas não sei se e verdade ou não.

Como é um passeio ate Giverny?

Pra quem vem passar uns dias em Paris e está pensando em conhecer os arredores, Os Jardins de Giverny são uma atração incrível que fica apenas a 45 minutos de Paris. Os jardins so abrem na primavera e verão, portanto quem esta programando a viagem para a partir de abril, esta é uma otima ideia!

Chegando lá, você vai ate casa de Claude Monet, o “Pai do Impressionismo”. Descubra os famosos jardins criados pelo pintor impressionista, e a famosa ponte japonesa no meio dos caminhos floridos e lagos do jardim.

Os jardins foram replantadas e tudo foi restaurado como era no passado. Aproveite o passeio! Este é o lugar ideal para ir quando o tempo está bom, porque é basicamente uma atividade ao ar livre.

Para passeios com guia brasileiro acompanhante, de trem/onibus ou van: alexiaoliveira@gmail.com

 

Alexia e Italo em Giverny

Alexia e Italo em Giverny

Leia mais...

Ferias em Paris: Jardins de Luxemburgo, o lugar ideal para visitar durante a Primavera

março 21, 2012 | Posted in Pontos turisticos | By

Muito apreciado pelos parisienses, o Jardin de Luxembourg e uma dependência do Palácio de Louxembourg.

O antigo palácio real (Palácio de Louxembourg) é a sede do Senado desde 1958.

Jardim de Luxemburgo

Jardim de Luxemburgo na primavera

Localizado ao longo de Saint-Germain-des-Prés e do Bairro Latino (Quartier Latin), os Jardins de Luxemburgo foram criados por iniciativa da rainha Maria de Médicis.

Fontaine Marie de Medicis

Fontaine Marie de Medicis - Jardim de Louxembourg (wikipedia foto)

O Jardim de Louxembourg foi feito para “matar as saudades” de sua Florença natal, e foi criado inspirado dos Jardins Boboli (Florence). Maria de Medicis pediu que fossem trazidas flores de Florence e que a arquitetura do lugar lembrasse a arquitetura dos Jardins encontrados na sua terra natal.

Menos regular do que o Jardin das Tulherias (Catherine de Medicis), o Jardim de Luxemburgo continua sendo um dos mais belos jardins em Paris.

Esse Jardim se difere também do Tuileries porque parece mais um parque. Ladeado pelo Senado, é decorado com muitas estátuas e oferece muitas atividades. Esculturas, passeios para crianças, jardins de plantas e flores estão espalhados por todo.

 

Os Jardins de Luxembourg contam com numerosos monumentos e estátuas, sendo então uma especie de museu ou galeria de artes a céu aberto. A coleção de arte e esculturas são dos século XVII século XVIII, século XIX e século XVI.

Luxemburgo era amado pelos escritores que viviam nos arredores do Jardim: Baudelaire, Lamartine, Musset, Verlaine, Victor Hugo, George Sand, Balzac, Hemingway, Sartre.

Palacio de Luxembourg - Jardim de Louxemburg

Palacio de Luxembourg - Jardim de Louxemburg (foto - wikipedia)

Aberturas e horários

Abertura: 7:15 – 08:15.

Fechamento: 21:30

Aberto todos os dias da semana e feriados.

 

Serviços disponíveis para quem passeia com crianças:

 

Creche (14h-18h) de maio a meados de setembro para crianças entre 18 meses a 6 anos.

Parque (a partir das 10h) para crianças de 7 a 12 anos.

Passeios de pônei, balanços, tênis, aluguel de barco para navegar na Bacia.

Teatro de Marionetes.

 

Endereço:

Rue de Médicis X Rue de Vaugirard

75006 PARIS

Outros pontos turísticos e lugares de interesse na área:

Saint-Germain-des-Prés Musée / d’Orsay / Montparnasse

 

Como chegar:

Metro:Odéon

RER : Luxembourg

Ônibus : 21,27,38,58,82,83,84,85 ou 89

 

Leia mais...

Square du Vert Galant, para aproveitar o por do sol no Sena

março 15, 2012 | Posted in Pontos turisticos, Turismo dicas | By

Mais um otimo artigo da leitora Luana Veloso!

Hoje vou dar uma dica muito parisiense. Existe uma Paris para cada tipo de pessoa, e eu poderia dizer que esse post é sobre a “Paris para quem não quer gastar muito”, mas eu prefiro dizer que essa é a “Paris de quem sabe aproveitar a vida”. Se você é uma dessas pessoas que suspira de alegria e enche os olhos de água quando se depara com um belo pôr-so-sol, então você não pode perder o espetáculo que é vê-lo se pondo no rio Sena, logo atrás da Pont-des-Arts, enquanto você escuta um som maravilhoso de algum músico tocando um blues que parece seguir o ritmo do Sol!

De muitos pontos ao redor do Sena é possível ver o entardecer, porém, existe um lugar especial chamado Square du Vert-Galant (o nome do Square vem do apelido do Rei Henri IV que era chamado assim por ser muito galanteador;  o porquê de seu nome ser dado ao Square é o fato de que ele gostava muito do lugar).

Square e Pont Neuf

No final da tarde muitas pessoas se dirigem à padaria mais próxima, compram o pão que mais lhe agradam (a maioria opta pelas tradicionais baguetes) para comer com um delicioso queijo acompanhado de um bom vinho francês e seguem para a Pont Neuf que dá acesso ao Square (basta descer umas escadas que ficam bem no meio da ponte). Agora você já sabe, compre seu pão seu vinho e voilà! Viva como um Rei francês sem precisar matar ninguém para se manter no trono e sem precisar gastar muito para tanto!

Tem gente que  reclama por ser um programa romântico, mas, eu sempre fui sozinha para Paris e sempre aproveitei MUITO! Então não importa se você está com seu namorado, sua namorada, com seus amigos ou sozinho! Se a última opção é o seu caso, faça de um bom livro seu melhor amigo!

Pont des Art vista da Pont Neuf

Pont des Art vista da Pont Neuf Foto: Wikipedia

Não exite em se estender e esperar para que as luzes na cidade se acendam, o espetáculo também é lindo!

Ah! E se você quer saber mais sobre a história dele, tem um filme ótimo que se chama Henri IV. Assisti há 2 semanas e recomendo!

COMO CHEGAR :

Na Pont Neuf tem uma estátua do Rei Henri IV, ao lado dela fica o acesso ao Square.
Metrô: PONT NEUF

 

 

Leia mais...

Descobrindo A cidade Luz – Passeios guiados em Paris no inverno

outubro 1, 2011 | Posted in Pontos turisticos, Turismo dicas | By

Estou escrevendo este artigo em resposta a vários e-mails que recebi, perguntando sobre os passeios guiados em Paris durante o inverno e período de Natal.

Aqui vão alguns dos trechos dos e-mails e as respostas:

…estava com receio de ir a Paris no inverno porque acredito que e difícil passear pelas ruas no frio…

Se você estiver agasalhado, não vai sentir frio. E sempre bom lembrar que se o frio apertar e só parar para beber um bom chocolate quente para aquecer um pouco… E caminhando não se sente tanto frio. Usamos também o metro e ônibus.

As pessoas gelam na rua porque ficam paradas por muito tempo olhando mapas e se perguntando para onde irão. Se você esta com um roteiro claro e com guia, isso não acontece.

Eu também dou dicas do que vestir para os passeios, não se preocupem, e também posso indicar locais onde podemos comprar roupas de inverno bem baratas caso vocês não tragam roupa suficiente. E bom lembrar que o inverno em Paris e seco, e ensolarado, portanto a gente se agasalha e fica quentinho.

…Voce esta disponível para fazer passeios no Natal?

Sim, tanto Natal como Ano Novo!

…Alexia já fizemos um passeio com você no verão e adoramos. Estamos indo com os nossos filhos passar o Natal em Paris. Os passeios seriam os mesmos ou podemos mudar um pouco o programa visto que já vimos os pontos principais?

Os passeios guiados por mim no inverno são diferentes sim. Temos outras coisas pra ver por aqui, e muito mais museus incluídos no roteiro (lugares fechados).

Bom, estas são algumas das perguntas que eu achei interessante responder em um artigo, para ficar a disposição de todos os leitores.

Guia brasileiro em Paris mostra a voce a cidade Luz no Inverno!

Guia brasileiro em Paris mostra a voce a cidade Luz no Inverno!

Você esta planejando vir a Paris no inverno? Esta e uma estacão onde Paris parece saída de um conto de fadas. Com a diminuição do tempo de luz do dia (começa a anoitecer bem mais cedo do que no verão), você tem a experiencia de ver a maravilhosa iluminação de Natal pelas ruas de Paris quando ainda não e muito tarde (no verão a noite só chega as 11 horas) e provavelmente você ainda vai estar na rua, programando o seu jantar.

Leia mais...

Ponte Alexandre III em Paris, a ponte mais exuberante do rio Sena

setembro 1, 2011 | Posted in Pontos turisticos | By

A ponte Alexandre III é a ponte  que liga a Avenida Champs Elysees com os Invalides e a área da Torre Eiffel. Ela fica mesmo no centro de Paris, e é um ponto turístico imperdível. Ela passa pela Rua onde se encontram o Grand Palais, e Petit Palais, construidos na mesma época. Apesar da pont Neuf (a ponte mais antiga de Paris) ser a mais procurada pelos turistas brasileiros (na minha experiencia), eu realmente aconselho a tirar um tempinho para passar pela Ponte Alexandre III, que é sem duvida a mais linda de Paris. Esta ponte e linda tando de noite como de dia.

Ponte Alexandre III - Paris (Foto: wikipedia)

Ponte Alexandre III - Paris (Foto: wikipedia)

A ponte, com as suas lampadas exuberantes em estilo Art Nouveau, esta decorada com querubins, ninfas e cavalos alados dourados em cada extremidade, e foi construída entre 1896 e 1900. É dedicada ao czar Russo (obvio) Alexandre III  quando ele concluiu a Aliança franco-russa em 1892. O seu filho Nicholas II colocou a pedra de fundação em outubro de 1896. O estilo da ponte Alexander III  reflete o mesmo estilo do Grand Palais,  na margem direita.

A construção da ponte é uma maravilha da engenharia do século XIX, que consiste em um arco de aço de seis metros de altura.. O design, desenvolvido pelos arquitetos  Bernard e Gaston Cousin, foi sujeito a controles rigorosos para que a ponte não obscurecesse a visão do Champs-Elysées ou do Invalides.
Esta ponte Alexandre III é classificada como monumento histórico.

No centro dos arcos, ninfas do Sena com as armas da França corresponde com ninfas com as armas da Rússia Imperial, do outro lado, ambos são em cobre martelado.

Ponte Alexandre III em Paris - Detalhe Ninfas

Ponte Alexandre III em Paris - Detalhe Ninfas - foto wikipedia

Esta é  sem duvida a ponte mais exuberante e famosa de Paris. Ela aparece em inúmeros filmes tais como:

  •     No filme Angel-A É na Ponte Alexandre III que Angela e André se atiram no Sena.
  •     No filme Anastásia (1997), a ponte está danificada por Rasputin quando tentava matar  Anastásia, que na vida real era a neta de Alexandre III.
  •     No filme Ronin, a equipe de espiões se reúnem com alguns negociantes de armas embaixo da ponte na margem direita.
  •     No filme A Very Long Engagement, o personagem de Marion Cotillard mata François Levantal embaixo da ponte.
  •     No filme de James Bond James 1985 A View to a Kill, Bond (Roger Moore) chega a um impasse na ponte em um Renault ( táxi roubado).
  •     No filme  Midnight em Paris, a ponte é retratada em várias cenas, incluindo a final.

Metro mais proximo: Invalides

Veja no mapa como chegar:

Ponte Alexandre III mapa

Ponte Alexandre III mapa

Leia mais...

O que comprar em Paris? Dica de Souvenir

julho 26, 2011 | Posted in Compras em Paris, Pontos turisticos, Turismo dicas | By

Ola Pessoal! Mais um artigo da nossa querida leitora Luana Veloso!

Vamos falar de coisa boa? C-O-M-P-R-A-S !!!
Sempre que viajo quero comprar presente pra todo mundo, uma pequena lembrança claro, afinal, a conta bancária não está lotada!
E outra, sempre que alguém sabe que você está indo viajar, já fala: “Não esquece do meu presentinho!” Pois bem, vou dar umas dicas de coisas legais e baratas que  todo mundo vai AMAR receber!

Para quem não sabe, o termo “Suvenir” vem do verbo francês “Souvenir” que significar “lembrar”!
Paris é a cidade que mais tem lojinha de souvenir na vida!!
Alguns dos principais pontos são:

– Rue de Rivoli – próximo ao Musée du Louvre
– As ruazinhas da Rive Gauche – perto da Catedral Notre Dame
– As ruazinhas atrás da Basílica de Sacre Coeur em MontMartre

Enfim, o que não falta são endereços! Pra ser sincera, os preços não variam muito, então, não perca seu tempo procurando – pois eu mesma fiz isso e perdi muito tempo de viagem e no final nem valia a pena –

Bom, segue algumas coisas que eu comprei e agradou MUITO quem recebeu

AVENTAL
Se alguém que você quer presentear gosta de cozinhar, esse é o presente!
São baratos, com uma qualidade ótima e lindos!

Dicas de o que comprar em Paris para trazer como souvenir

Dicas de o que comprar em Paris para trazer como souvenir

LENÇOS E CACHECÓIS
Se tem um povo que sabe usar bem esse acessório são os franceses! Um mais lindo que o outro! Comprei uns que parecem de seda e paguei 2  Euros!!!

lencos lindos com motivos parisienses

Lencos lindos com motivos parisienses

IMÃ DE GELADEIRA
Parece besteira, e  eu sou suspeita pois faço coleção, mas vale muito a pena … Se você viaja por muito países, cidades … Pode trazer um de cada lugar pra sua mãe que ela vai amar a coleção!

ima de geladeira com a torre eiffel

Dicas de souvenirs: imas de geladeira com a Torre Eiffel

CHAVEIRO TORRE EIFFEL
Eu sempre trago um monte de chaveiros! Você compra 3 por 1 euro daqueles meninos africanos que ficam vendendo na rua, assim se esqueci de alguém eu dou um chaveiro! Além de que eles são uma graça, eu tenho um em cada chave ! Dica: Não compre os coloridos, pois eles desbotam! Compre os de metal bronze

Chaveiro da torre eiffel

Chaveiro da torre eiffel – otima lembranca para dar para os amigos!

 

PINTURAS
Sempre compro umas gravuras que parecem pinturas dos principais pontos turísticos da cidade, aí você dá pra pessoa e ela emoldura.
Fica lindo na decoração! E também são baratas, eu compro naquelas bancas verdes que tem nas margens do Rio Sena, achei ali com o melhor preço!
Posters em museus são um pouco mais caros, mas também é uma boa ideia pra quem gosta de arte, decoração e está com o orçamento um pouco mais folgado!

E vocês? o Que gostam de trazer de Souvenir??
Pra quem ainda não foi viajar, espero que aproveite as dicas!

A bien Tôt!

Luana Veloso

 

 

 

Leia mais...

O Musée Cognacq-Jay: Um dos melhores museus gratuitos de Paris

julho 10, 2011 | Posted in Pontos turisticos, Turismo dicas | By

Hoje irei falar de um dos museus que eu mais gosto em Paris.

O Musée Cognacq-Jay é um museu situado no Hôtel Donon no arrondissement 3 , na 8 rue Elzevir, Paris. Está aberto diariamente, excepto segunda-feira; entrada é gratuita. O museu é tao bom que é difícil acreditar que é gratuito!

O acervo do museu foi formado entre 1900-1925 por Théodore-Ernest Cognacq (1839-1928) e sua esposa Marie-Louise Jay (1838-925), fundadores da loja de departamentos La Samaritaine.

Na ocasião da sua morte, Cognacq deu a coleção para a cidade de Paris, que em 1929 inaugurou o Musée Cognacq-Jay na 25, boulevard des Capucines.

Em 1990, o maravilhoso acervo foi transferido para o Donon Hôtel (este prédio e maravilhoso também, construído em 1575), no Marais, onde a coleção é apresentada em vinte salas de painéis (quatro andares) nos estilos de Luís XV e Luís XVI.

O museu contém uma excepcional coleção de arte e artigos de decoração, cerca de 1200 itens no total, com ênfase na França do século 18, que variam de cerâmicas europeias e chinesas, jóias entre outros, pinturas de Leopoldina-ES Boilly, François Boucher, Canaletto, Jean-Siméon Chardin, Jean-Honoré Fragonard, Jean-Baptiste Greuze, Maurice Quentin de La Tour, Sir Thomas Lawrence, Hubert Robert, Giovanni Battista Tiepolo, e Jean-Antoine Watteau, esculturas incriveis de Jean-Antoine Houdon, Jean-Baptiste Lemoyne e Jacques-François-Joseph Saly, móbiliario atribuídos a Jean-François Oeben e Van der Roger Cruse.

 

O Século 17 também está representado, nomeadamente com duas pinturas de Rembrandt, enquanto século 19 é representado com obras de Camille Corot, Paul Cézanne e também Edgar Degas.

Este Museu maravilhoso fica bem perto da Place des Vosges, e vale a pena ver mesmo!

Este Museu pertence a Mairie de Paris, e você pode ver todas as informações no próprio site

 

 

 

Leia mais...

Descobrindo Paris: As margens do Rio Sena e as suas pontes

junho 5, 2011 | Posted in Cultura Francesa, Pontos turisticos | By

O Rio Sena sempre foi importante para o desenvolvimento cultural e econômico de Paris, de fato, podemos dizer que foi imprescindível.

Essa importância pode ser medida pelo número de monumentos que estão localizados perto de seu curso. Desde a Torre Eiffel (7eme) ate a Biblioteca Nacional da França (13eme), as margens do rio estão cheias de monumentos históricos. Um passeio de bateau mouche ou mesmo a pé, ao longo do rio sena é uma das melhores formas de ver o centro de Paris, através das suas margens.

Para você se situar um pouco na historia e entender mais sobre a importância das pontes que você vai encontrar, ligando tanto a rive gauche com a rive droite como ambas as margens com as ilhas no meio do sena (Ile de la cite e Ile Saint Louis), aqui vai um resumo da historia de Paris, visando exclusivamente as pontes:

Idade Média ao século XVI: As primeiras pontes são construídas em Paris

O Sena é um lugar rico e variado. No centro, ao redor de Ile de la Cité, as casas são também construídas umas sobre as outras, diretamente sobre o rio, sobre as pontes. A cidade de Paris se resume basicamente em Ile de la Cite. Lugares como o conhecido e central (hoje) Quartier Latin são considerados “subúrbios” nesta época.

O primeiro cais aparece no início do século XVI com a construção do Rei Filipe, o Belo, o Quai des Grands Augustins. As pontes são todas cobertas com casas de madeira, sendo estas um dos motivos da grande poluição que já se encontrava no rio nesta época (somente sendo resolvida seculos mais tarde).

Os arcos estreitos das pontes são ocupados por fábricas e outras atividades.

A Pont-Neuf (a ponte mais antiga de Paris, tem uma estacão de metro com o mesmo nome), nascida da vontade real, foi construída a partir de 1578. Esta é a primeira ponte onde não foi permitido casas construídas em cima.

XVII e século XVIII: o nascimento das docas em Paris

O desejo de embelezar e limpar Paris faz com que haja uma profunda transformação do Sena.

A criação em 1753 da Place Louis XV (agora chamada de Place de la Concorde) foi acompanhado da construção de um cais ao longo das duas margens (rive droite e rive gauche).

Casas construídas diretamente sobre o rio (em cima das pontes) são, então, demolidas, apesar da resistência dos moradores, que não gostaram nada da ideia de terem as suas casas destruídas.

O espaço liberado é reservado às margens ao redor das ilhas para a criação de cais mais elevados.

O século XIX: o triunfo de pontes e o embelezamento de Paris

Este século é marcado pela construção massiva de pontes que melhoraram a comunicação entre ambos os lados. Cada reinado desempenhou o seu papel e contribuiu como construtores em Paris, encorajados pela crescente urbanização e a expansão da capital. Em 1870, 15 pontes foram construídas, mais do que durante todos os séculos anteriores. A navegação é muito ativa nesta época. O Sena é o local preferido das Exposições Internacionais, realizada em Paris de 1855-1900.

O século XX: a convivência com o automóvel

É hora de conciliar o compromisso (e o conflito) dos usos das pontes: a circulação a pé e com carros.

O uso do Sena diminui e o tráfego se espalha por Paris com a construção de estradas em terra. Muitos produtos e mercadorias que antes vinham para Paris através do Sena começam a vir por terra. A Ponte Charles de Gaulle simboliza o fim do século com o seu longo avental horizontal.
Deixe-se levar por um passeio ao longo do Sena e descubra um panorama interessante, que não se limita somente às pontes. As margens do Sena são Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO.

 

Aqui a lista das 37 pontes de Paris, com links para a wikipedia, para você saber mais sobre cada uma delas, assim como ver as fotos também:

  1. Pont amont
  2. Pont National
  3. Pont de Tolbiac
  4. Passerelle Simone-de-Beauvoir (somente para pedestres), inaugurada em 13 de julho de 2006
  5. Pont de Bercy
  6. Pont Charles-de-Gaulle (1996)
  7. Viaduc d’Austerlitz
  8. Pont d’Austerlitz
  9. Pont de Sully (que atravessa a parte leste da l’Île Saint-Louis)
  10. Pont de la Tournelle (entre la rive gauche et l’Île Saint-Louis)
  11. Pont Marie (entre l’Île Saint-Louis et la rive droite)
  12. Pont Louis-Philippe (entre l’Île Saint-Louis et la rive droite)
  13. Pont Saint-Louis (somente para pedestres, entre l’Île de la Cité et l’Île Saint-Louis)
  14. Pont de l’Archevêché (entre la rive gauche et l’Île de la Cité)
  15. Pont au Double (entre la rive gauche et l’Île de la Cité)
  16. Pont d’Arcole (entre l’Île de la Cité et la rive droite)
  17. Petit-Pont (entre la rive gauche et l’Île de la Cité)
  18. Pont Notre-Dame (entre l’Île de la Cité et la rive droite)
  19. Pont Saint-Michel (entre la rive gauche et l’Île de la Cité)
  20. Pont au Change (entre l’Île de la Cité et la rive droite)
  21. Pont Neuf (atravessa a ponte oeste da l’Île de la Cité, a mais antiga (apesar do nome…), foi construída entre 1578 et 1607)
  22. Pont des Arts (para pedestres, esta é e ponte onde os casais colocam os cadeados pendurados)
  23. Pont du Carrousel
  24. Pont Royal
  25. Passerelle Léopold-Sédar-Senghor (1999) (somente para pedestres, antiga Passerelle de Solférino, renomeada em 2006)
  26. Pont de la Concorde
  27. Pont Alexandre-III
  28. Pont des Invalides
  29. Pont de l’Alma (em baixo desta ponte tem o túnel onde morreu a princesa Diana)
  30. Passerelle Debilly (apenas para pedestres)
  31. Pont d’Iéna
  32. Pont de Bir-Hakeim (atravessa a l’Île aux Cygnes,a terceira Ilha de Paris, pouco conhecida pelos turistas)
  33. Pont Rouelle (viaduto ferroviário da ligne C do RER atravessando a l’Île aux Cygnes)
  34. Pont de Grenelle (atravessa a l’Île aux Cygnes)
  35. Pont Mirabeau
  36. Pont du Garigliano (antigo Viaduc d’Auteuil ou Viaduc du Point-du-Jour)
  37. Pont aval

Leia mais...

Panthéon: uma das maravilhas da Rive Gauche de Paris

maio 7, 2011 | Posted in Pontos turisticos | By

 

O Panteão de Paris (em francês Panthéon de Paris) é um monumento em estilo neoclássico situado no monte de Santa Genoveva, no 5.º arrondissement de Paris, em pleno Quartier Latin.

À sua volta dispõem-se contruções lindas, como a igreja de Saint-Étienne-du-Mont (que vale a pena visitar também), a Biblioteca de Santa Genoveva, a Universidade de Paris-I (Panthéon-Sorbonne), a prefeitura do 5.º arrondissement e o Liceu Henrique IV. Da rua Soufflot consegue-se uma perspectiva favorável do Panteão, a partir do Jardim do Luxemburgo.

Tem 110 metros de comprimento e 84 metros de largura. A fachada principal está decorada com um pórtico de colunas de estilo coríntio que apoiam um frontão triangular da autoria David d’Angers. O edifício, em forma de cruz grega, é coroado por uma cúpula de 83 metros de altura, com um lanternim no topo. O seu interior está decorado por pinturas acadêmicas de Puvis de Chavannes, Gros e Cabanel, entre outros.

Perto do Jardim de Louxembourg e ao lado da Igreja Saint Ettiene du Mont, O Pantheon de Paris é um monumento que vale a pena visitar.

Local onde descansam os mais celebres nomes da historia Francesa, cercado pelos prédios da Sorbonne -em frente ao Pantheon fica a Faculdade de Direito da Sorbonne, ao lado a faculdade de Letras, esse prédio vale a pena conhecer.

Pantheon de Paris

Pantheon de Paris/foto: wikipedia

Muita gente não gosta de entrar dentro do Pantheon por que, alem de meio mórbido, tem pouco para ver em relação ao preço a ser pago pelo bilhete (cerca de 9 Euros). Realmente é meio caro, mas o passeio vale muito a pena.

 

interior do Pantheon de Paris

Patheon de Paris – interior foto: wikipedia

Outra vantagem de visitar o Pantheon e que você tem muito o que ver nos arredores, como o lindo Jardim de Louxembourg.

Se você subir em direção ao rio sena, você ira direto a Catedral de Notre Dame. Eu aconselho você a pegar a Rue Saint Jaques, porque e cheia de lojinhas para você comprar as suas lembranças para os amigos, miniaturas da torre Eiffel, calendários lindos, echarpes, enfim, tem muito entre o que escolher.

 

Leia mais...

Passeios em Paris: Place des Voges, Marais e arredores

maio 5, 2011 | Posted in Pontos turisticos | By

A Place des Vosges é a mais antiga praça de Paris. Ele está localizado no bairro de Marais (rive droite/margem direita), e fica bem entre o terceiro e quarto arrondissement de Paris.

Se eu fosse descrever esta Praça, diria que lembra um pouco a Placa Major em Madrid, mas em menor escala, e com uma Praça de verdade ao centro, com brinquedos para crianças, fonte de água ao centro, enfim, uma Praça como a gente está acostumado a ver no Brasil.

O grande interesse desta Praça são as belas arcadas que a rodeiam, as lindas galerias de arte e o Museu/casa do Victor Hugo, escritor do famoso livro “Os Miseráveis” que se tornou um filme, e o “Catedral de Notre Dame”, que ficou conhecido por todos por causa do desenho da Disney, o “Corcunda de Notre Dame”. O ticket para entrar no museu-casa do Victor Hugo custa 5 euros e quase nunca tem filas. Vale a pena!

Place des Vosges

Originalmente conhecido como Place Royale, a Place des Vosges foi construída por Henri IV em 1605-1612. Uma verdadeira praça de 140 metros quadrados, ela fez parte do primeiro programa europeu de planejamento da cidade real.

A Place des Vosges, inaugurada em 1612 com um carrossel grande para comemorar o casamento de Luís XIII e Ana de Áustria, é o protótipo de todas as praças residenciais das cidades europeias que estavam por vir. O que foi novidade na Place Royale, em 1612 foi que a fachada foram todas construídos com o mesmo desenho, de tijolo vermelho, e pedra (pedra de Paris, esta pedra amarelada que e comum de ver por todo o lado nas construções em Paris) abobadados sobre arcadas que se destacam em pilares quadrados.

Embora sejam designadas no Pavilhão do Rei e da Rainha, nenhum personagem real já viveu na praça aristocrática.
Moradores famosos da Place des Vosges

* N º 1 A Madame de Sévigné nasceu aqui
* No. 6, “Maison de Victor Hugo” Victor Hugo 1832-1848, no que era então o Hôtel de Rohan-Guéménée, agora um museu dedicado à sua memória, gerido pela Prefeitura de Paris
* No. 7 Sully, ministro do grande Henrique IV
* No. 8 poeta Théophile Gautier e escritor Alphonse Daudet
* No. 9 (Hôtel de Chaulnes), sede da Academia de Arquitetura, atualmente, também habitada por Galerie Historisimus
* No. 11 1639-1648 ocupada pela cortesã Marion Delorme
* No. 14 (Hôtel de la Rivière). Os seus tectos pintados por Lebrun foram reinstalados no Musée Carnavalet. O rabino David Feuerwerker, Feuerwerker Antonieta e Marmor Atara
* No. 15 Marguerite Louise d’Orléans, esposa de Médici Cosimo III
* No. 17 ex-residência de Bossuet
* No. 21 Cardeal Richelieu 1615-1627
* No. 23 pós-impressionista pintor Georges Dufrénoy

A Raca des Vosges esta localizada próxima às estações de metro: Bastille, Chemin Vert, Bréguet – Sabin ou Saint-Paul.

É servido por linhas 1, 5 e 8.

Um passeio interessante de fazer durante uma manha seria descer no metro Bastille, pegar a Rue Antoine, caminhar ate a rua Beautreillis Birague (você caminha 3 quadras até encontrar esta rua) e virar a direita. Esta pequena rua e cheia de lojinhas interessantes. E só seguir reto que você encontra a Place des Voges.

Depois de vista a praça , volte pela mesma rua e siga a Rue Antoine, você vai passar pela linda Igreja St. Paul-Saint Louis, e mais ou menos depois da igreja a rua muda de nome para Rue Rivoli, siga reto e você vai encontrar o Hotel de Ville (a prefeitura de Paris, um prédio lindíssimo, com museu) e logo em seguida, sempre seguindo reto, a Tour Saint Jaques (ponto de inicio da peregrinação até Santiago de Compostela, na Espanha).

 

Place des Vosges - Paris

Place des Vosges - Paris, foto wikipedia

Espero que você aprecie bastante este passeio, é realmente muito lindo!

Depois de ver a tour Saint Jaques, e só seguir a sinalização e virando a esquerda você vai direto para a Ile de La Cite, onde está a Saint Chapelle, Conciergerie e Notre Dame!

Aconselho você seguir o passeio por Paris vendo a Ile de France, depois, durante a hora do almoço, encontrar uma brasserie na margem esquerda do sena-rive gauche, e seguir a Rue Saint Michel para Ver a área das Grandes Universidades, Sorbonne, Pantheon, Jardim de Louxembourg e outras igrejas da área.

Bom passeio!

Aqui vai o link do texto da wikipedia de onde tirei a foto, tem mais fotos pra ver!

Place des Voges – Wikipedia

 

 

 

Leia mais...

O Roteiro do Código Da Vinci em Paris com endereços

abril 29, 2011 | Posted in Pontos turisticos, Turismo dicas | By

Está precisando de algumas idéias de como programar o seu roteiro em Paris? Que tal seguir os passos do livro/filme Código Da Vinci?

Coloco aqui alguma informação sobre cada um dos lugares que aparecem no livro/filme, e espero que vocês se divirtam bastante fazendo este roteiro. Aconselho ver o filme de novo só pra ter tudo fresquinho na memoria quando vierem!

O Hotel Ritz de Paris, na Place Vendome

A Place Vendôme é conhecida por suas famosas (e caras) boutiques e hotéis de luxo, como o Ritz. Muitos designers famosos tiveram seus salões nesta praça, como Coco Chanel, que viveu la. Também foi onde Chopin viveu.

No Código Da Vinci, Robert Langdon se hospedou no Ritz, descobrindo as paredes decoradas com afrescos, ricamente decorado Renascença e cadeiras Luís XVI em madeira dourada em torno de sua mogno enorme cama de dossel. Não da pra ver por dentro, a não ser que você queira ficar hospedado lá.

Infelizmente os preços não são muito amigáveis, o quarto menor custa mais de 600 Euros a diária.

Mas de qualquer forma a place Vendome é um ponto turístico que vale a pena ver em Paris. E legal começar o roteiro por la mesmo.

Endereço Place Vendome 15

75001 Paris

A Grande Pirâmide do Louvre

O “Código Da Vinci” fala que a pirâmide do Louvre contém exatamente 666 peças de vidro – para o deleite dos amantes de mistérios, um numero que dá o que pensar.

Atenção: há controvérsias:

Depois da publicação do livro, as vidros da piramide já foram contados diversas vezes, e foram encontrados outros números: O número mais citado é 698. É também muitas vezes chamado 789, em honra da Revolução Francesa de 1789.

Local: Carrousel du Louvre

75001 Paris

A Grande Galerie do Louvre

No “Código Da Vinci” O crime original da trama se desenrola na Grande Galeria do Louvre, Jacques Saunière é encontrado morto perto da Mona Lisa de Leonardo da Vinci. “Langdon estava na entrada do túnel interminável de Grand Hall, cujo vidro abóbada desapareceu na escuridão.” “A galeria tem 500 metros. A largura é igualmente impressionante. Podemos acomodar dois trens de passageiros lado a lado.”

A descrição do livro é realmente próximo da realidade neste caso.

Endereço: Louvre 75001 Paris

O famoso quadro de Caravaggio “A Morte da Virgem”

No “Código Da Vinci” Para escapar de seu agressor, Jacques Saunière aciona o sistema de alarme. “O homem de 76 anos, agarrou com ambas as mãos a primeira imagem que apareceu à sua direita, um Caravaggio…”A pintura tem na verdade quase quatro metros de altura, difícil de levantar por um senhor de 76 anos! Bom, mesmo assim vale a pena ver!

Endereço Museu do Louvre, a Galeria Principal, 75001 Paris

 

A Mona Lisa, um misterioso Ícone

No “Código Da Vinci” “A Salle des Etats foi um dos poucos “cul de sac” (beco sem saída) do Museu do Louvre, a única sala que se abria para o centro da Grande Galeria.”

De fato, a ala Denon estava sendo reformado quando Dan Brown escreveu O Código Da Vinci. A Mona Lisa foi movida e, em seguida, substituído na Salle des Etats, que não é um beco sem saída e tem duas portas de frente para a Grande Galeria, a terceira se abre para o terraço Denon .

Endereço: Museu do Louvre, Salle des Etats, 75001 Paris

A Igreja de Saint-Sulpice

No “Código Da Vinci” O assassino foi para Saint-Sulpice para encontrar a chave escondida na igreja. Um monumento construído sobre as ruínas de um antigo templo dedicado à deusa Ísis.

O vaticano nega que a igreja de Saint-Sulpice seja um vestígio de um templo pagão da antiguidade. A fundação da igreja data do século XII e da primeira pedra do atual edifício foi lançada em 1646. De qualquer forma, estão la o relógio de sol em estilo romano e o lugar foi, sem dúvida, ponto de encontro de muitas ordens secretas, como a Irmandade de Sião. Esta é a segunda igreja mais importante de Paris, depois da Catedral de Notre Dame. Vale a pena colocar no seu roteiro! Fica pertinho do Jardim de Louxembourg.

Endereço 2 rue Palatine 75006 Paris

Este roteiro pode ser feito em uma manhã, deixando o resto da tarde livre para outros passeios.

Espero que as informações ajudem você a fazer o passeio por conta própria, mas se você quiser fazer esse passeio guiado por mim, é só entrar em contato!

 

 

 

Leia mais...

Saiba programar as suas férias em Paris: Veja quanto tempo é necessário para ver cada ponto turístico, museu ou monumento.

abril 17, 2011 | Posted in Pontos turisticos, Turismo dicas | By

Paris, com a sua imponente Torre Eiffel, e a sensação romântica de ver a cidade através de um passeio pelo rio Sena, alem da história cultural, devem ser visitadas em alguma primavera na vida de todos.
Ao visitar Paris, os pontos turísticos e valor cultural da cidade compensam e muito o valor pago pela viagem, especialmente na primavera, quando o clima faz um passeio pelo rio Sena tão convidativo. Os dias são longos e você tem luz diurna ate quase 10 da noite.
A cidade oferece 10 pontos turísticos considerados imperdíveis para os visitantes que vem pela primeira vez. O que se segue é um breve resumo sobre cada um destes destinos, assim como o tempo necessário para ver cada um destes monumentos. Evite fazer roteiros de “20 minutos em cada museu”, a não ser que você tenha um passe tipo paris pass, senão sai muito caro.

 

Louvre: O Louvre é o museu de arte mais visitado do mundo (mais de 8 milhões de turistas visitaram o país em 2006). A Mona Lisa de Leonardo da Vinci, Madonna e as rochas e a Virgem e o Menino com Santa Ana estão entre as obras de arte em exposição. Alexandros de Antioquia Vênus de Milo também está abrigada no museu. O edifício foi um palácio real durante os tempos medievais. (Para quem gosta de arte, recomendo pelo menos uma manha inteira dentro do Louvre, pra quem não só gosta como entende de arte, recomendo um dia inteiro).

Jardin des Tuileries: Também conhecido como o Jardim das Tulherias, ocupa o grande espaço vazio entre as alas norte e sul do Louvre. O Sena é para o sul. O Jardim das Tulherias cobre cerca de 63 hectares. O espaçoso jardim, que se irradia na primavera, oferece esculturas clássicas e modernas, grandes bacias, canteiros de flores e aves selvagens. O espaço onde está localizada uma vez foi um palácio ao lado do Louvre, que  foi completamente perdido por um incendio em 1871, abrindo espaço para o jardim. (Lugar ideal para descansar depois de uma visita ao Louvre). O Jardim des Tuileries e grande, reserve tempo para ver, recomendo no minimo 40 minutos. Aproveite para relaxar por aqui, e comer qualquer coisa.

Centre Georges Pompidou: um museu de arte com design exclusivo (muita gente diria “interessante”), biblioteca de pesquisa em música, tem este nome por causa do Georges Pompidou, que era o presidente da França em 1969-1974. O edifício, inaugurado em 1977, inclui os grandes tubos coloridos na parte externa traseira. As cores dos tubos mostram o seu conteúdo: Amarelo para a eletricidade, o vermelho para o aquecimento, azul para o ar, e verde para a água. (Tempo recomendado: Uma manha inteira – Recomendado somente para quem gosta de arte contemporânea) Fecha as tercas feiras.

Place des Vosges: É a mais antiga praça de Paris, construído no reinado de Henrique IV de 1605-1612. A Place des Vosges foi  a primeira tentativa de Paris para o planejamento urbano  e é composto de 39 casas cada um feito de tijolo vermelho, com revestimentos de pedra. Algumas das casas são museus, apresentando os seus residentes de 400 anos atrás. (Vale a pena passar pelo menos 30 minutos la, lugar fantástico para tirar fotos)A casa/museu de Victor Hugo fica a esquerda de quem entra, e so ir ate o fundo.

Notre Dame de Paris: Esta  catedral católica romana levou quase 200 anos para ser construida,  comecando em 1163 e concluída por volta de 1345. A catedral, com suas torres distintas sobre a fachada oeste, foi parte de muitos acontecimentos históricos, incluindo a colocação da coroa de Cristo de espinhos por São Luís, durante a construção da Sainte-Chapelle em 1239, e Henrique VI é coroado rei da França, em 1431. (Se você não subir na torre, uns 20 minutos e suficiente) Napoleao se “auto-coroou” aqui tambem,

Sainte Chappelle: Uma capela gótica no coração de Paris foi rapidamente concluída, uma vez que foi consagrada em 1248, após os planos para sua construção iniciada em 1241. Luís IX  (San Louis)de França construiu esta capela para ser a capela palácio real. Também foi construído para abrigar as relíquias preciosas, como a Coroa de espinhos de Cristo, a Imagem de Edessa e 20 outras relíquias de Cristo. (Pelo menos 30 minutos). O palacio real que existia na epoca nao existe mais, mas a capela foi preservada (ainda bem!)

Musée d’Orsay: Este edifício está situado na margem esquerda do Sena e está situado na antiga Estação Ferroviária de Orsay. Possui pinturas francesas 1848-1914. Entre as pinturas mais famosas são as de Van Gogh, Monet e Renoir. (Uma manha inteira)

Torre Eiffel: A famosa torre de observação e torre de transmissão de rádio foi construído em 1889. É a estrutura mais alta de Paris (1063 metros de altura) e é o monumento mais visitado do mundo . A estrutura, concebida pelo engenheiro Gustave Eiffel, foi construída em três anos, foi construído como uma entrada para a Feira Mundial marcando o centenário da Revolução Francesa. O melhor momento para ir a torre Eiffel é a noite ou a tardinha, quando os museus estão fechados. A uma serie de bons restaurantes e bistrôs ao redor, vá jantar por la ou mesmo na torre (tem 2 restaurantes dentro torre mas e melhor reservar antes de ir).

Avenue des Champs-Elysees: Uma das mais famosas ruas do mundo que inclui habitação afluente, cinemas, cafés e lojas especializadas de luxo. Continua a ser a segunda avenida mais caras (imóveis) no mundo, atrás da Quinta Avenida de Nova York. As rendas são tão altas quanto 1,25 milhões dólares por ano.. A Champs-Elysees é também o fim tradicional da última etapa do Tour de France. (são 3 km de Avenida, começando perto do Louvre em terminando no Arco do Triunfo) Programe bem a caminhada  para poder aproveitar e ver tudo, com uma pausa para um café.

Arc de Triomphe: Também um dos monumentos mais famosos do mundo, fica na extremidade oeste da Champs-Elysees. As honras arco aqueles que combateram pela França durante o regime imperial de Napoleão Bonaparte na França 1804-1815. Hoje, ele inclui um túmulo para o soldado desconhecido. (Se você não subir la em cima, uns 10 minutos sao suficientes).

Estes são 10 dos mais populares locais em Paris. A cidade oferece muito mais, incluindo passagens românticas ao longo do Sena, o cabaré Moulin Rouge, e algumas das mais belas arquiteturas góticas do mundo.

Uma viagem a Paris durante a primavera ou em qualquer momento exige pelo menos duas semanas, talvez mais, para apreciar o seu lugar na história do mundo da cultura. Tudo o que você tem que considerar: as mais belas obras de Leonardo da Vinci, Vincent Van Gogh e Claude Monet estão em Paris. Isso é motivo suficiente para visitar a Cidade luz.

 

Como você pode ver, estes são os pontos turísticos mais famosos de Paris e já foram falados muitas vezes aqui no blog.

Se você não tem tempo de ficar 2 semanas em Paris, tente optar pelas coisas que você goste mais.

Pesquise, veja se interessa antes de ir.

Eu tenho tido uma experiencia interessante com os meus passeios guiados aqui em Paris, mas realmente ver os monumentos “só porque você TEM DE VER” não é para mim a melhor ideia de diversão.

Eu já tive a experiencia de estar guiando um grupo que ao chegar no Museu d’Orsay perguntou:

“Onde esta a Monalisa?”

Eu disse: “Esta no Museu do Louvre”.

A pessoa respondeu: “Então porque estamos aqui?”

 

Pesquise, pergunte, veja se o local realmente interessa e não perca tempo no que pra você não tem valor!

  • Você esta em férias. Férias que não são baratas. Aproveite bem e relaxe.
  • Não vá ao “ Centre Georges Pompidou” se você não gosta de “modernices” , Eu pessoalmente não gostei do Centro na primeira vez que fui, eu aprendi a apreciar depois de muitas idas.
  • Não vá ao Louvre se você pouco liga pra arte e não gosta de “velharia”.
  • Tente ser coerente com os seus gostos e seja feliz. Não suba a torre Eiffel só pra contar para os outros na volta.
  • A maioria dos monumento tem fila pra entrar. Mesmo com passe você vai ter alguma fila as vezes.

Não desperdice o seu tempo se você não acha necessário. Gosto não se discute. Va onde você quer ir e pronto. Eu tenho tido grupos que preferem fazer um roteiro meio “mórbido” que não deixa de ser original, com catacumbas, cemitérios e mausoléus. Não deixa de ser interessante também, e afinal você e dono do seu nariz.

Eu, por exemplo, muito mais prefiro andar pelos jardins ao redor da torre do que enfrentar uma fila pra subir ate la em cima. Mas como eu já disse: gosto não se discute!

 

Leia mais...

O museu do perfume em Paris: Fragonard Musee Du Parfum

abril 16, 2011 | Posted in Compras em Paris, Pontos turisticos | By

No final do século 14, perfumes líquidos começaram a gradualmente substituir os sólidas (resinas e óleos usados como perfumes).

Águas perfumadas e tinturas foram procurados por seus valores medicinais.

 

Banhos eram considerados perigosa e insalubre por toda a Europa e, conseqüentemente, aristocratas utilizado quantidades crescentes de perfume para ocultar o odor de seus corpos mal-lavado.

Perfumes fortes e inebriantes, como o âmbar, almíscar, jasmim e tuberosa, eram persistentes o suficiente para encobrir maus odores em voga. Da mesma forma, a fragrância usada em luvas perfumadas trazida à França por Catarina de Medici, de sua terra natal (Toscana) mascaravam o cheiro desagradável de couro mal curtido.

 

A associação entre couro e perfume era tão forte que em 1656 a Corporação dos Glovemakers (fazedores de luvas) e perfumistas foi formado em França.

Sob Luís XIV, apelidado de “rei com cheiro mais doce de todos”, nessa agremiação foi concedido o monopólio da distribuição de perfume, que anteriormente pertencia a boticários e farmacêuticos.

 

A forte demanda por produtos perfumados, principalmente importados da Itália, encorajou a França a desenvolver a sua indústria próprio perfume. A região de Grasse, no sul da França, que gozava de um clima favorável e apoio local da Faculdade de Farmácia de Montpellier, começou a especializar-se em ambas as matérias-primas aromáticas e a produção efetiva de perfume.

 

A idade do Iluminismo viu uma grande expansão dos produtos de perfumaria. As águas perfumadas abriram caminho para colonias de toucador e banho de cheiros gradualmente foram incorporados ao dia a dia cotidiano da realeza e dos cidadãos abastados.

 

A corte francesa foi o modelo inquestionável de requinte e elegância em toda a Europa e, eventualmente, a França se tornou o lar dos maiores fabricantes de perfumes e perfumes mais inovadores. Enquanto Paris era a capital do comércio de produtos perfumados, a cidade de Grasse, com suas extensos campos de jasmim e rosa, se tornou a capital da produção. Como você pode ver por esta pequena historia do perfume francês, a ideia de que os franceses eram mal cheirosos é apenas um erro. Na verdade eles cheiravam a essências muito fortes e doces, dando assim a eles a fama de “cheirosos”.A realidade da época era que realmente ninguém tomava banho regularmente. Os banhos regulares foram introduzidos pelo contato com os povos indígenas das americas, que costumavam banhar-se nos rios para evitar que o cheiro corporal atraísse insetos e animais.

Foi durante este período que Grasse começou a adquirir a sua reputação mundial pela diversidade e qualidade da sua produção.

Para saber mais sobre a historia do perfume Frances, e ver como eram feitos os perfumes antigamente e como são feitos hoje, o Museu do Perfume é o melhor lugar para ir em Paris.

De Graça, e ainda com visita guiada (em inglês).

Você ainda terá a oportunidade de fazer compras na Boutique do Museu, que oferece uma variada gama de produtos de Higiene e perfumaria. Imperdível!

 

Museu do Perfume – Fragonard Musee Du Parfum

9 Rue Scribe, 75009 Paris, France +33 1 47 42 04 56 ‎ fragonard.com

Leia mais...

Paris Impressionista: Museus Marmottan, D’Orsay e L’Orangerie

abril 12, 2011 | Posted in Cultura Francesa, Pontos turisticos, Turismo dicas | By

A origem de uma revolução artística: 1874. Em meio a hostilidades e rigidez das regras de pintura da época, Claude Monet e seus amigos resolvem fazer uma exposição mostrando uma nova forma de pintar. Essa exposição foi feita em um salão próprio, particular, onde eles poderiam mostrar as suas obras sem ter que entrar dentro do “esquema” estético da época.

A premiere foi um sucesso. A obra de Monet “Impression, Le Soleil” causou um tal efeito no publico da época que deu nome ao novo movimento que surgia: “O Movimento impressionista”.

O Impressionismo mostra elementos de cores contrastantes e pinceladas fortes, usando a luminosidade como fator fundamental. Os temas pintados são temas cotidianos, paisagens locais e populares.

Paris e arredores, assim como a costa da Normandia foram os lugares elegidos pelos pintores a serem retratados e recriados.

Estas obras foram primeiramente expostas no Museu Marmottan-Monet. Instalado em um hotel particular do quartier Ranelagh, este museu expôs cerca de 300 obras de artistas impressionistas, como Renoir e Manet.

O museu Marmottan-Monet ainda hoje expõe grande parte da obra de Claude Monet, sendo considerado por alguns muito melhor do que o Museu de Giverny, onde fica a casa do Monet.

Em continuação ao sucesso do movimento impressionista, cria-se outro espaço dentro do Jardim de Tuileries: O Museu de L’Orangerie.

As margens do Rio Sena, em frente ao Louvre, a antiga gare d’Orsay se torna outro templo dedicado ao impressionismo. O Museu D’Orsay é hoje em dia considerado um dos mais belos museus do mundo.

Estes 3 museus tem uma coisa em comum alem de guardar as mais belas obras do movimento impressionista do mundo: A luz natural que ilumina o ambiente destes museus tornam estes os lugares ideais para expor arte impressionista.

Lugares como Honfleur, Etretat e outras perolas da Costa da Normandia foram retratados por Monet, assim como pelos seus amigos impressionistas.

Jardins, praias, pontes e parques e belas paisagens naturais são retratadas de uma forma fantástica neste estilo de pintura.

No impressionismo não há espaço para retratos de reis e rainhas, nem para pinceladas imperceptíveis fazendo uma especie de “fotografia realista”.

Você vai poder ver cada pincelada do artista, e ver que parece que nenhuma e da mesma cor do que a outra. A mistura das cores da-se ao olhar as pinturas mais ao longe, misturando-se no todo da obra.

Não deixe de reservar um espaço na sua agenda para ver com calma pelo menos um destes museus.

Aqui vão os endereços do impressionismo em Paris.

Clique no web site dos museus para ver um pouco das obras que estão a sua espera:

 

Musee Marmottan-Monet

2, Rue Louis-Boilly, 75016

www.marmottan.com

 

Musee de L’Orangerie

Jardin de Tuileries, 750101

www.musee-orangerie.com

 

Musee d’Orsay

1, Rue de la Legion-d’Honneur, 75007

www.museeorsay.fr

 

Temporada: Os Museus de L’Orangerie e Marmottan estão fechados na terça, o Musee d’Orsay na segunda-feira.

Leia mais...

Passeios baratos de Bateau Mouche pelo Rio Sena

março 21, 2011 | Posted in Pontos turisticos, Turismo dicas | By

Existem varias empresas que oferecem de passeios de Bateau Mouche pelo rio Sena em Paris, mas encontrar passeios de Bateau Mouche guiados por guias que falem português pode ser um problema em Paris.

A  ideia de escrever sobre o Batobus surgiu por causa de uma leitora aqui do ArtdeViv, que me escreveu um email perguntando sobre o Batobus. Achei que essa informação seria de interesse geral dos leitores.  Não estou autorizada a colocar o nome dela aqui, mas agradeço a dica! Talvez ela deixe um comentario aqui pra nos…

Batobus é um serviço que permite que você faça viagens de Bateau Mouche ao longo do Sena – sem comentários e sem guias.

Para quem não entende outra língua alem do português e não esta disposto a pagar mais caro por uma passeio onde não vai entender o que o guia diz, este passeio sem guia, mais barato, pode ser a solução.

Se você tiver um mapa de Paris que tenha assinalado os principais pontos turísticos de Paris (peça um de graça no seu hotel), você pode ir olhando e se localizando bem.

 

Você pode subir e descer em 8 paradas estratégicas: Torre Eiffel, Champs-Elysées, o Museu d’Orsay, Louvre, Saint-Germain-des-Prés, Notre-Dame, o Hôtel de Ville e Jardin des Plantes.

 

O serviço funciona a partir de finais de Março ate janeiro, e os horários variam de acordo com os meses do ano:

  • Das 10:00-7:00 em Março, abril e outubro.
  • Até as 9:00 (da noite, claro) Maio, junho, julho, agosto e setembro.
  • 10:30-16:30, em novembro, dezembro e janeiro (fica muito frio mais tarde).

 

Os barcos partem a cada 15 a 25 minutos. Você pode pegar o Batobus em qualquer um dos pontos. Em cada ponto tem um guichê onde você pode comprar os tickets. As filas não são muito longas e quem atende esta acostumado com turistas, portanto não tenha medo de ir comprar mesmo não falando uma palavra em Frances.

 

Existem várias opções de preços para fazer o passeio de bateau mouche com o Batobus

 

* bilhete semi-círculo, para uma única viagem durante um máximo de 4 pontos (7,50 €). Depois de sair você não pode entrar no barco de novo. Com esse ticket você só pode fazer metade do trajeto.

* bilhete de 1 dia, para viagens ilimitadas e pára (€ 11). Com este ticket você pode entrar e sair a vontade. Pode alias sair em todos os pontos e depois voltar e seguir o passeio.

* bilhete de 2 dias, para viagens ilimitadas e pára por 2 dias consecutivos (13 €).

* Bilhete “Escapade”, válida por um mês (22 €).

Crianças menores de 12 a pagam metade do preço, em média, para todos esses bilhetes à venda.

Você também pode os comprar os bilhetes por internet, no site do Batobus.

 

 

Leia mais...

Veja Paris a 150 metros de altitude passeando de Balão!

março 21, 2011 | Posted in Pontos turisticos, Turismo dicas | By

Pouca gente sabe mas Paris tem o maior balão de ar do mundo, funcionando desde 1999, para dar aos turistas uma experiencia única de ver Paris do alto de 150 metros de altitude!

 

Esse Balão fica no arrondissement 15, no Parc André Citroen (lindo parque para visitar também!) e esta aberto todos os dias a partir das 9 hora da manhã. A última “subida” acontece 30 minutos antes de fechar o parque.

mapa de paris - parque Andre Citroen

mapa de paris - parque Andre Citroen

O Ballon Air de Paris funciona com toda a segurança, dependendo do tempo (se esta propenso a trovoadas, por exemplo) os passeios são cancelados.

 

Durante os fins de semana o preço para subir no balão é de 12 Euros, e no meio da semana 10 Euros. Jovens entre 12 e 17 anos pagam 10 Euros e 9 Euros, (fim de semana e dia útil respectivamente). Crianças com menos de 3 anos não pagam.

O balão tambem monitora a condição do ar de Paris, mudando de cor entre verde (boa qualidade de ar – não poluído) ate vermelho (poluído). O balão proporciona uma visão do Champ de Mars, o Rio Sena, a Basílica do Sacré Coeur e a Catedral Notre Dame de Paris e muito mais.

Como a primavera em Paris pede passeios ao ar livre, se você tiver tempo de sair do circuito dos grandes museus e monumentos bem ao centro de Paris, o Ballon Air de Paris e uma ótima opção!

Parque Andre Citroen mostrando o Balao ao fundo

Parque Andre Citroen em Paris mostrando o Balao ao fundo

Foto author:Jotel photo taken Aug. 2004 (from wikipedia)

 

Você tem 2 opções de metro para chegar ate o Parque André Citroen:

  • Javel
  • Balard

Para saber mais informações sobre o passeio, visite o web site: www.ballondeparis.com

Se você não estiver muito certo a respeito das condições climáticas do dia, telefone para 01 44 26 20 00 ou peça para alguém no seu hotel telefonar para perguntar se tem passeio de balão neste dia. Eles só informam no dia mesmo.

 

Sobre o Parque André Citroen: (texto tirado da wikipedia em inglês, traduzido  por mim).

Aqui voce pode encontrar o texto em ingles na integra.

 

“O parque foi construído em torno de um gramado central, retangular, de aproximadamente 273 por 85 metros de tamanho.

É decorado com dois pavilhões com estufa (com plantas exóticas e vegetação mediterrânica), na parte Leste, que são separadas por uma área pavimentada, com fontes (nota minha: estas fontes são um espetáculo lindo – veja a foto acima, eles chamam de “águas dançantes”, no verão as crianças se divertem tomando banho e brincando nestas fontes).

A borda sul do gramado é delimitada por um monumental canal – o “Jardin des Metamorfoses ” – composto de uma piscina que reflete através das casas de granito, ladeada por uma passarela suspensa. No lado Norte são dois conjuntos de pequenos jardins: os seis “Jardins de série”, cada um com uma paisagem diferente e projeto arquitetônico, e “Jardim em Movimento”, que apresenta gramíneas selvagens selecionados para responder a diferentes taxas de velocidade do vento. A 630 metros de diagonal corta caminho pelo parque, que muda constantemente a sua forma.”

 

ADHZ9BW9T4J6

Leia mais...

Guia turístico particular em Paris – Roteiros turísticos personalizados de acordo com os seus interesses.

março 17, 2011 | Posted in Pontos turisticos, Turismo dicas | By

Passeios  por Paris!

Guias especializados, que falam portugues,  treinados para lhe ajudarem a conhecer a cidade Luz!

Sem pagamentos adiantados. voce so paga no dia do passeio.

O guia busca voce no hotel, e depois do passeio voce escolhe se quer voltar ao hotel ou ficar em algum outro local (dentro de Paris, é claro).

Estes são exemplos de roteiros que podem ser escolhidos:

Roteiro 1
Arco do Triunfo
Champs Elysees
Place de la Concorde
Jardim de Tuilleries
Torre Eiffel
Trocadero

Roteiro 2
Place Saint Germaim de Pres/Abadia de Saint Germain de Pres
Igreja de Saint Sulpice
Catedral de Notre Dame
Quartier latin
Sorbonne
Pantheon
Jardim de louxembourg

Roteiro 3
Eglise Magdalene
Place Vandome
Palacio garnier (l’Opera de Paris)
Galeries Lafayettes
Museu do Louvre

Roteiro 4
Montmartre:
Sacre Coeur
Place du tertre (praca dos artistas).
Passeio pela Ile de La Cite
Ruas medievais da ile de la cite
Marche au Fleurs – mercado de flores
Square du vert Galant

Roteiro 5
Place de la Bastille/Marais
Place des Vosges
Rue des Rosiers
Rue Antoine/ Eglise Saint Paul
Hotel de Ville
Tour Saint Jacques
Rue Rivoli

Roteiro 6
Passeio de dia inteiro a Versailles
Vamos e voltamos de trem.

 

Clique aqui para maiores detalhes.

 

 

 

 

Leia mais...