Chinon, Carlos VII e Joana D’Arc

junho 14, 2013 | Posted in Cultura Francesa, Destinos, Pontos turisticos, Turismo dicas | By

 

CHINON, CARLOS VII E JOANA D’ARC

por
(Romulo M. Ribeiro)

A única coisa que me vem ao espírito, quando penso naquele castelo imponente, além daqueles condes, reis, e o encontro decisivo entre Joana D’arc e o futuro rei Carlos VII é o frio. Fico imaginando como seria morar, ou de repente “se esconder” na época, naquele imenso castelo-fortaleza de Chinon. A paisagem, vista das torres, é digna de qualquer filme de ficção, onde as águas do rio Vienne, brincam de espelho com o céu e as nuvens incessantes; ondes são os corvos que mandam naquele espaço celeste, naquelas árvores seculares. Mas o inverno é bem frio, e nota-se, pelos tamanhos das lareiras do castelo, que na época o povo devia botar muita lenha naquelas fogueiras.

A cidade de Chinon é cercada pelos rios Vienne e Loire, a imensa floresta de Chinon – muitos animais selvagens ainda vivem naquele espaço – e as infinitas vinhas. O famoso vinho de Chinon, assim como outros da região, são frutados na degustação. Se guardamos o vinho na boca, podemos sentir um curioso gosto de argila no fundo da língua. Ao olfacto predomina-se o olor de cassis.

Mas, voltando à historia, fora naquele castelo que Carlos VII recebera Joana D’arc. Ela tinha somente 17 anos e dizia ter tido visões e visitas de anjos. E que recebera “ordens” e instruções divinas para salvar a França, e que o rei, em apuros, não poderia recusar uma ordem vinda de entes superiores: ele deveria lhe confiar um exército. Como todos os franceses temiam algum atentado ao futuro rei, em plena e eterna guerra contra os ingleses, as autoridades e os mais próximos de Carlos VII, até então regente secreto, resolveram organizar uma pequena cerimônia, onde um outro homem se vestiu, simulando ser o Delfim (golfinho, que na França é o termo para designar o herdeiro de um trono).

Joana D’arc, ao ser apresentada ao “falso” rei, não se convenceu. Deu uma volta entre os convidados e se ajoelhou em frente ao verdadeiro Carlos VII, cuja identidade era completamente desconhecida do povo. Todos ficaram impressionados, e foi o início de uma grande cumplicidade entre a força de um reino e a força de um espírito ( eis que a jovem Joana não tinha muita força para segurar sua espada, mas ganhara todas suas batalhas, inclusive as de Orleans, Reims e Compiegne, liberarando a França de seus invasores).

A cidade de Chinon fica a 240 km de Paris e, entre suas caves trogloditas, seus vinhos saudáveis, seu festival “musica show” (início de julho), seus bares e restaurantes, entre os quais o “le cafe français”, merece uma boa visita. Sem contar com os outros castelos tão próximos, como o de Saumur, Azay-le-rideau e o “chateau d’Ussé” – os jardins foram desenhados por Le Nôtre (*) – que inspirara Charles Perrault em seu fabuloso conto “A bela adormecida”.

Para ir à Chinon por transporte comum, o mais simples seria pegar o TGV (trem bala) na gare de Montparnasse, em Paris – 50 mn até Tours, e pegar um ônibus – 30mn – até Chinon. As reservas podem ser feitas pela internet pelo site http://www.sncf.com/fr/.

Pode-se também alugar um carro com carteira internacional e GPS. Fala-se portugues no hotel ‘Le Plantagenêt’ 12 Place Jeanne d’Arc – Chinon(www.hotel-plantagenet.com/)

* le nôtre também desenhou os jardins de Versalhes, entre outros.

 

Leia mais...

Giverny e o Jardim de Monet

março 26, 2012 | Posted in Destinos, Pontos turisticos, Turismo dicas | By

Giverny fica na Normandia e as principais atracões são com certeza a Casa do Monet (com os famosos jardins) e o Museu (que tem as obras do Monet).

 

Giverny

 

Casa do Monet - Giverny

Casa do Monet – Giverny

 

 

 

 

Após a morte de Claude Monet, em 1926, seu filho Michel herdou a casa e o jardim de Giverny.
Ele não viveu lá e foi a Blache, a enteada de Monet, que cuidou da propriedade.
Infelizmente, após a Segunda Guerra Mundial a casa e o jardim foram negligenciadas. Em 1966, Michel Monet fez a Academie des Beaux-Arts como herdeira da propriedade.

Em 1977, Gérald Van der Kemp foi nomeado Curador em Giverny. André Devillers, que teve a oportunidade de ir com Georges Truffaut – um jardineiro amigo de Monet – ajudou a reconstruir o jardim como era na época do mestre. Muitos dizem que foi ele quem construiu o jardim para o Monet, ou seja eles foi o criador do jardim e depois de alguns anos foi quem o reconstruiu, mas não sei se e verdade ou não.

Como é um passeio ate Giverny?

Pra quem vem passar uns dias em Paris e está pensando em conhecer os arredores, Os Jardins de Giverny são uma atração incrível que fica apenas a 45 minutos de Paris. Os jardins so abrem na primavera e verão, portanto quem esta programando a viagem para a partir de abril, esta é uma otima ideia!

Chegando lá, você vai ate casa de Claude Monet, o “Pai do Impressionismo”. Descubra os famosos jardins criados pelo pintor impressionista, e a famosa ponte japonesa no meio dos caminhos floridos e lagos do jardim.

Os jardins foram replantadas e tudo foi restaurado como era no passado. Aproveite o passeio! Este é o lugar ideal para ir quando o tempo está bom, porque é basicamente uma atividade ao ar livre.

Para passeios com guia brasileiro acompanhante, de trem/onibus ou van: alexiaoliveira@gmail.com

 

Alexia e Italo em Giverny

Alexia e Italo em Giverny

Leia mais...

Bretagne, passeio imperdivel pela terra do Asterix

agosto 27, 2011 | Posted in Destinos | By

Ola Pessoal, estou de volta das minhas férias e finalmente achei um tempinho pra contar sobre a minha viagem a Bretagne. Aqui vai um pouco da historia do local:

A Bretanha, Bretagne ou Brittany, é o lar de muitos monumentos megalíticos (os menires, famosos entre nos por causa das historias do Astérix) que estão espalhadas em toda a península. O maior alinhamentos estão perto de Carnac. O porque destes monumentos terem sido postos no local  (durante o período neolítico)  ainda é desconhecida, e muitos habitantes locais são relutantes em especular sobre o assunto, ou seja, não adianta perguntar por la que ninguém sabe.

 

Monolitos (Menires) em Carnac, Bretagne

Monolitos (Menires) em Carnac, Bretagne (fonte: wikipedia)

A Bretagne é conhecida também  pelas esculturas em pedra chamadas de calvário,  com cenas da crucificação  talhada, estes calvarios sao encontrados nas encruzilhadas em aldeias e pequenas cidades, especialmente no oeste da Bretanha, passamos por muitos nos nossos passeios.

Calvarios -Bretagne- France

Calvarios -Bretagne- France

Terra de Celtas, com numerosas  castelos, A Bretagne  tem várias antigas cidades fortificadas. A cidade murada de Saint-Malo (Sant-Malou), uma atração turística popular, é um porto importante que liga a Bretanha com a Inglaterra e as Ilhas do Canal. Foi o local de nascimento do historiador Louis Duchesne, Chateaubriand aclamado autor, o, o Surcouf corsair e o explorador Jacques Cartier. A cidade de Roscoff (Rosko) é servido por ligações de ferry com a Inglaterra e Irlanda.

Para ler mais sobre Saint Malo, leia o meu outro artigo sobre Saint Malo

Aqui vai um resumo das cidades mais importantes da Bretagne, estou colocando também o nome dos lugares em breton (bretão), o dialeto local, as vezes é uma confusão esta diferença de nomes nos mapas locais, por isso e bom saber que os lugares tem vários nomes, um nome francês, um nome Gaulês e o nome Bretão. O dialeto Breton e ainda falado na região:

  •         Nantes (Gallo Naunnt, Breton: Naoned): 282,853 Habitantes no município (2006), 804,833 na área urbana.
  •    Rennes (Gallo: Resnn, Breton: Roazhon): 209,613 Habitantes no município (2006), 521,188 na área urbana.
  •         Brest (Brest Breton): 148,316 Habitantes no município (2006), 300.000 na área urbana.
  •         Saint-Nazaire (Gallo: Saint-Nazer, Breton: Sant-Nazer): 71,373 habitantes no município (2006); Localizado na área urbana de Nantes.
  •         Lorient (Breton: um Oriant): 58,547 habitantes no município (2006), 190.000 na área urbana.
  •         Quimper (Breton: Kemper): 64,900 habitantes no município (2006).
  •         Vannes (Breton: Gwened, Gallo Vann): 53,079 habitantes no município (2006), 132,880 na área urbana.
  •         Saint-Brieuc (Gallo: St. Bérieu, Breton: Sant-Brieg): 46,437 habitantes no município (2006), 121,237 na área urbana (2005).
  •         Saint-Malo (Gallo Saentis Malo Breton: Sant-Malou): 52,737 habitantes no município (2007), 81,962 na área urbana.
  •         Redon (Gallo Rdon, Breton: Redon): 9,601 habitantes no município (2006), 52,758 na área urbana.

A ilha de Ushant (Breton: Enez Eusa, francês: Ouessant) é o ponto mais ocidental do norte-Bretanha e França, e marca a entrada do Canal Inglês. Outras ilhas ao largo da costa da Bretanha incluem – os nomes são esquisitos mesmo:

Ome Bréhat Vriad
Batz ome Vaz
Verbasco Molene
Ome em Sun
Glénan ilhas inizi Glenan
Ome Groix Groe
Belle Isle ar Gerveur
Houat Houad
Hoëdic Edig
Isle-aux-Moines Enizenac’h
Ilha d’Arz anos Arzh

A costa da Bretagne tem uma interessante e incomum coloração rosa.  A Côte de Granit Rose  está localizado no departamento de Côtes d’Armor da Bretanha. Ela se estende por mais de 30 km (19 milhas) de Plestin-les-Greves para Louannec e é um dos pontos ( no litoral) com mais circulacao da Europa. Esta pedra especial rosa é muito incomum e pode ser encontrado em outras poucos lugares no mundo: Ontário, Canadá, China e Córsega.

Cote de Granit Rose - Bretanha - France

Cote de Granit Rose - Bretanha - France

A paisagem tem inspirado artistas, incluindo Paul Signac, Marc Chagall, Wintz Raymond e sua esposa Renee Wintz Carpentier, que tanto pintou cenas do litoral e da aldeia. Paul Gauguin teve a sua famosa escola de Pont-Aven no departamento Finistère, e as cenas da Bretanha foram  muito pintadas por ele. Esta também é uma terra que tem muita tradição em artes e principalmente pintura. Pont-Aven é uma das cidades com grande tradição e boas escolas e galerias de arte.

Como chegar:
A Bretagne fica a cerca de 500 km de Paris, não sendo então o lugar ideal para um passeio de 1 dia somente. O ideal e programar alguns dias por la, e aproveitas para explorar a área. As cidades são perto umas das outras e se você se concentrar em conhecer bem uma área somente terá muito o que ver sem precisar viajar muito entre as cidades. Eu estive em Finistère nestas férias, na área perto de Quimper.

mapa da France mostrando a Bretagne

mapa da France mostrando a Bretagne

As cidades que possuem aeroportos por perto são: Brest, St. Malo, Lorient e Rennes. Voos entre a Bretanha e as Ilhas do Canal são servidos pelo aeroporto de Saint-Brieuc.  Outros aeroporto menores tem vôos domésticos em Quimper, e Lannion e Pont-Aven.

Serviços de trem TGV tem ligação da região com cidades como Paris, Lyon, Marselha e Lille. Esta é a maneira mais fácil de ir a Bretagne, ou então de carro (não esqueça o GPS!)
E, falando em GPS, esta é sem duvida uma ótima opção. Alugar um carro, mesmo na Bretagne, e sair a explorar a área.

Comidas tipicas:

A Bretagne é famosa por ser a terra da cidra, dos morangos, crepes e biscoitos amanteigados, e caramelos com manteiga salgada (parece esquisito, mas são uma delicia). Existem vários locais onde se pode parar e visitar as fabricas, e comprar os produtos locais. Creperias são o que não falta, é claro.

 

Alexia em Carnac

Alexia em Carnac

Leia mais...

Saint Malo: Antiga Terra de piratas e corsários na Bretanha

abril 13, 2011 | Posted in Destinos | By

 Saint-Malo Visita com guia acompanhante.

(Breton: Sant-Malou; Gallo: Saent-Malo) é uma cidade portuária fortificada, na Bretanha, no noroeste da França sobre o Canal Inglês.

Fica a mais ou menos 400 km de Paris (cerca de 6 horas de onibus). O ideal é programar uma noite, assim voce pode aproveitar e adicionar o Mont Saint Michel no roteiro, ja que os locais são proximos.

O que recomendamos:

Saida de manha de Paris em onibus, chegada em Saint Malo, check in no hotel e passeio guiado pela cidade.

No outro dia, saida do hotel e onibus até  Mont-Saint Michel. Visita ao Monte e Abadia.

Volta à Paris diretamente do Mont Saint Michel. Tickets para a Abadia de Saint Michel incluidos.

 

Os corsários de Saint-Malo:

Saint-Malo tornou-se notória como a casa dos corsários, corsários franceses e, por vezes piratas.

Não eram só os navios Ingleses que eram forçados a pagar “um tributo”, ao passar pelo Canal mas eles também foram os responsáveis por trazerem riquezas de longe.

 

Jacques Cartier:

Navegou o Rio Saint Lawrence e visitou as cidade de Quebec e Montreal, sendo, portanto, creditado como o descobridor do Canadá.

O que comer em Saint Malo:

Saint-Malo tem uma das maiores concentrações de restaurantes de frutos do mar na Europa. É famosa por suas ostras locais da aldeia vizinha de Cancale.

Os crepes são também tradicionais na região, não deixe de provar. Os crepes salgados se chamam Galletes e os doces são crepes mesmo.

 

 

Leia mais...

Mala de rodinha, mala de mão ou mochila? Qual a melhor opção?

março 25, 2011 | Posted in Destinos, Turismo dicas | By

Artigo escrito pela Leitora Ingrid Fernandes!

Se voce quiser participar também, envie o seu artigo para o Artdeviv!

Cada viajante tem um perfil, um estilo e uma preferência. Alguns preferem o modo tradicional e viajar com malas de rodinhas, para serem puxadas e economizar energia por não carregar peso. Outros preferem à mala de mão, com o objetivo de carregar menos pertences e porque ela tem aquele charme retrô. Os mais descolados preferem viajar com mochilas estilo cargueiras e adoram carregar “a vida nas costas”.
Mas na hora que decidimos viajar sempre nos deparamos com a dúvida de qual é a melhor opção de bagagem. Por este motivo, para o meu primeiro artigo aqui no Artdeviv eu decidi falar sobre as vantagens e desvantagens de cada uma delas.

Malas com rodinhas: É pratica, poupa esforço em carregar peso durante a maioria do percurso. A mala de rodinhas tem a vantagem de que o viajante pode organizar melhor seus pertence e algumas possuem divisórias que funciona como nécessaire, o que realmente é uma vantagem para as mulheres que adoram levar acessórios minúsculos! A desvantagem da mala com rodinhas é que eventualmente o viajante terá que despachá-la, vai ser bem difícil carregá-la no bagageiro do avião / ônibus, porque as dimensões não permitem. É com este tipo de mala que algumas pessoas costumam exagerar e levar mais do que necessário, pois geralmente o espaço é maior.

Malas de mão: De todas as opções, sem dúvida esta é a menos prática. Se você for atleta de levantamento de peso, não verá problema em carregá-la ou arrastá-la por aí. Mas imagine você se deslocando de um lado para o outro com uma mala pesada sendo arrastada. Este tipo de mala pode ser usada para viagens curtas onde o viajante irá de carro ou não precisará carregá-la por mais de 5 minutos. As vantagens deste tipo de malas são poucas, mas a mais importante é que com ela, o viajante não vai recheá-la com tantos pertences, já visando o incômodo que será carregá-la. A desvantagem sem dúvida é a dificuldade de locomoção a pé para grandes distâncias, eventualmente o viajante será dependente de táxi.

Mochila: Geralmente usada pelos viajantes mais jovens, que viajarão para vários destinos na mesma viagem. Utilizada principalmente para viagens ao estilo mochilão. Antes de escolher este tipo de bagagem o viajante deve definir o estilo de viagem, se a viagem for para um único lugar, talvez a melhor opção seja mesmo a mala com rodinhas. A mochila precisa ser escolhida cuidadosamente, pois deve ter uma estrutura necessária para suportar e distribuir o peso adequadamente nas costas do viajante. Outro ponto importante diz respeito ao estado físico do viajante, pessoas com problemas na coluna não devem utilizar este tipo de bagagem. As vantagens da mochila é que o viajante tem mais facilidade de locomoção, fica mais fácil deslocar-se com maior rapidez e se eventualmente tiver que andar durante um longo percurso é menos incômodo do que a mala de mão, por exemplo. Além disso, também restringe o viajante de carregar mais pertences do que necessário, visando que tudo será carregado em suas costas. As desvantagens é a dificuldade de manter os pertences organizados, além do incômodo do peso de carregá-la. Alguns viajantes acham que são formigas e querem carregar mais do que podem suportar. O preparo físico para este tipo de bagagem é importante!

Cada viagem pede um tipo de mala diferente, é sempre bom analisar bem antes de viajar, principalmente para tornar a sua viagem mais simples e fácil.
Depois de decidir qual mala é a ideal para o seu tipo de viagem, não deixe de ler o artigo “Seja um ‘smart traveler’, conheça as vantagens de viajar leve”, e boa viagem!

Leia mais...

Como ir de Paris ao Castelo de Versailles de trem: Instruções passo a passo

fevereiro 20, 2011 | Posted in Destinos, Pontos turisticos, Turismo dicas | By

Existem vários tours para quem quer ir ao castelo de Versailles e eu (Alexia) recomendo os tours do Paris Trip porque já experimentei e foram ótimos. Eu fiz o tour ate Versailles – Guided Tour of Versailles. Este tour não oferece guia em portugues, mas voce pode optar por varios outros idiomas. Para passeios com guia que fale portugues, entre em contato pelo email que esta no final do artigo.

Mas… Se a sua ideia e economizar dinheiro, você pode ir ate Versalhes por conta própria. Segue aqui as minhas dicas passo a passo de como chegar ao Castelo de Versailles saindo de qualquer estação de RER no centro de Paris.

De Paris, você pode pegar o “RER – letra C” ate a estação Versailles-Rive Gauche (a ultima estacão) que fica a 5 minutos a pé do Castelo de Versalhes.

Tem 5 linhas de trem (RER é o trem suburbano): A, B,C,D e E.

Voce tem de pegar a linha de trem suburbano RER letra C para ir a Versailles.

Comece a sua viagem, indo em qualquer estação de metro / RER que você encontra ao redor da cidade, que será marcado com uma placa azul com um M /ou RER cercado por um círculo.
Seu objetivo é chegar à linha de RER C, a linha amarela que serve a metade ocidental da periferia parisiense. Se você tem um passe do dia ou da semana que é bom para, pelo menos, Zona 4, ignore esta próxima dica.

Vá ate um guichê da estação para comprar um bilhete que vá ate a zona 4, uma vez que Versailles está na Zona 4, fora da cobertura normal do Metro de Paris / Bus / RER (Bilhete que você usa para viajar em Paris). Em hipótese alguma de uma de “esperto” e vá sem ter o ticket certo na esperanca de que você podera dizer que não sabia.

No guichê: não entre em pânico. Há uma possibilidade de 50/50 do empregado falar Inglês muito bem e se não, eles vão entender “Chateau de Versailles”. Normalmente, a pessoa que esta te atendendo vai perguntar se você quer um bilhete de volta, perguntando “Aller Retour?”,”Aller retour” é simplesmente dois bilhetes simples. Cada bilhete custa em torno de 3 euros, então vai sair 6 euros para uma viagem de ida e volta.

Dica: não espere que seu cartão de crédito funcione no guichê. Muitos cartões de crédito simplesmente não funcionam na RATP / SNCF máquinas de cartão de crédito. E melhor ter dinheiro na mão e não esperar para usar uma nota de 50 euros. Pequenas notas ou moedas são as melhores. Vá em frente e compre bilhetes de regresso Aller-Retour para ganhar tempo (a menos que você esteja pensando em bisbilhotar um pouco a área e descobrir algumas atracões fora do trajeto tradicional do castelo e passar a noite lá).

Uma vez que você passou na catraca do Metro, procure um mapa para ver onde você está em relação à linha amarela C RER. Se acontecer de você estar em St. Michel / Notre Dame, Torre Eiffel (além de alguns outros) você já está na linha de RER C, tudo que você precisa fazer é encontrar a plataforma do trem direitinho.
Muitas estações em toda Paris servem várias linhas de metro diferentes e linhas de trem RER todos dentro da mesma estação. Isto significa que uma única estação pode ter vários níveis verticais e diversas plataformas indo em direções opostas.
Isto pode parecer confuso, mas siga um padrão que você vai memorizar rapidamente:

Todas as linhas RER são letras, de A a E, todas as linhas de metro são números de 1 a 14.

Todas as linhas têm uma estação terminal, ou seja, a última estação da linha. Cada plataforma de trem e metrô vai marcar a linha que está e que direção está indo o trem, que é a estação terminal. Se você ainda não estiver em uma estação que serve o RER linha C, olhe para o mapas perto das escadas no metrô / RER linhas para ver como você pode chegar mais próximo da estação de RER C.

Uma vez que você estiver em uma estação de RER C, siga as indicações gerais e sinais na parede para o Versailles-Rive Gauche RER C plataforma.

O que pode estar confuso é que pode haver outros nomes no sinal junto com Versailles-Rive Gauche para outras estações terminais na mesma linha. Por exemplo, você pode ver um sinal de RER C que mostra a direção / estação terminal de Saint-Quentin-en-Yvelines, Versailles Chantiers de Versailles-Rive Gauche, tudo em um sinal. Enquanto a estação terminal não é antes a estação desejada (neste caso Versailles-Rive Gauche), você pode pegar a linha uma vez que vai na direção certa.

Assim que você chegar na plataforma do trem, olhe para a estação que você deseja, Versailles-Rive Gauche. Se o nome não está na placa, verifique o outro lado da plataforma,pois e provável que você esteja indo na direção oposta.

Quando o trem chega, as portas não se abrem automaticamente, alguém no trem, ou você, deve pressionar o botão verde ou prata na porta para abri-lo.

Uma vez no trem (se você tomou o trem certo) você não vai precisar acompanhar as estações desde Versailles-Rive Gauche será a última estação na linha e todos estarão saindo.

Após chegar à estação terminal, olha para a placa azul “Sortie” – sinais que marcam as saídas para a estação. Eventualmente, cada uma delas terá um nome de rua marcando o que lhe dá acesso. Você encontrará uma saída para Chateau de Versailles, que é apenas uma caminhada de cinco minutos a partir desta estação. Aproveite a sua visita.
A qualquer momento, se você estiver em duvida, e só olhar pra alguém e perguntar “Chateau de Versailles?”, mesmo que você não fale francês, você pode entender bem pelos gestos qual e o caminho. Na duvida pergunte de novo ate encontrar. Nao saia em outra porta ou você vai ter de caminhar mais pra encontrar o castelo.
Então, em resumo:

Linha => RER C (amarela)

Direção = Gauche> Versailles-Rive Gauche

Chegada Estação => Versailles-Rive Gauche (Zona 4)

 

UP – DATE (2/Abril/2011): Como a maioria das estações de trem ja não esta vendendo mais tickets junto com os bilhetes de metro, as filas para comprar tickets para o castelo de versalhes (na estação de trem) ficaram enormes! Eu aconselho chegar A Versailles cedo e comprar la mesmo.

Bom Passeio!

Para passeios Guiados com guia em Portugues ate Versailles contate: alexiaoliveira@artdeviv.com

Leia mais...

Dicas de turismo na França – Le Havre (Normandia)

janeiro 18, 2011 | Posted in Destinos | By

Normandia!
Como vocês já sabem, eu adoro ir a Normandia para passar os fins de semana ou feriados.
A Normandia é perto de Paris e tem varias cidades (villages) lindas e cada uma com as suas características individuais.
Já falei aqui no blog sobre outras cidades nos posts

Hoje vou falar sobre Le Havre!
Le havre é a principal cidade da Normandia, e alem de não ser muito visitada por turistas tem as suas belezas.
Eu costumo ficar em Le Havre e sair de carro para conhecer as villages ao redor, porque a localização de cidade é perfeita. Você pode ir de trem ou ônibus partindo de Paris. Depois você pode pegar ônibus para as outras cidades ao redor da costa.
Sinceramente falando ir a Le Havre para fazer turismo dentro da própria cidade não faz muito sentido tendo em conta as maravilhosas villages ao redor, mas entre todas as cidades da Normandia, Le Havre pode ser uma cidade muito legal para quem esta pensando em viver aqui. Le Havre é grande o suficiente para você conseguir emprego e não conta com a grande concorrência que existe em Paris. Outra vantagem é a praia!

normandie - le havre

dicas de turismo na Franca - Normandia

Também é conhecido por aqui que na Normandia e muito mais fácil de conseguir vistos de permanência.
Em La Havre as pessoas se vestem de modo muito mais simples do que em Paris, tudo é mais barato e a comida e ótima. Se vê muita gente usando blue jeans, por exemplo.
Eu costumo ficar no hotel Mercury, que tem um restaurante ótimo com uma carta de vinhos que já é famosa pela seleção e qualidade. O pessoal que trabalha no Hotel e muito simpático também. Você pode fazer as reservas para o Hotel Mercury usando a paginas de pesquisa de Hoteis aqui do blog mesmo. Eles tem um preço para “demi-pension” que inclui o quarto, café a manha e uma refeição completa no restaurante (você pode escolher se quer almoçar ou jantar).
Eu aconselho mesmo o Hotel Mercury – Bassin du Commerce em La Havre.
O nome de Le Havre significa simplesmente o porto ou do porto. Le Havre foi fundada como uma nova porta por ordem real, em parte para substituir os portos históricos de Harfleur e Honfleur, que se tornaram cada vez mais impraticáveis devido ao assoreamento. A cidade foi fundada em 1517, quando foi nomeado após Franciscópolis Francisco I da França e, posteriormente, chamado Le Havre-de-Grâce (“Porto de Graça”), após uma capela existente de Notre-Dame-de-Grâce (“Nossa Senhora da Graça “).

Ele foi designado pela UNESCO como Patrimônio Mundial em 2005. A UNESCO declarou o centro da cidade de Le Havre Patrimônio Mundial da UNESCO em 15 de Julho de 2005, em homenagem a “utilização inovadora do potencial de concreto.” O espaço de 133 hectares, que representa, segundo a UNESCO, “um exemplo excepcional de arquitetura e urbanismo do pós-guerra”, é um dos raros Patrimônios contemporâneos Mundial na Europa.

Le Havre está situado no sudoeste da região de Pays de Caux. A cidade faz fronteira com a beira-mar do Canal Inglês, a oeste, foz do rio Sena para o sul e do litoral para o norte. Historicamente, o rio Sena marcou uma fronteira natural entre Haute-Normandie e Basse-Normandie, a cidade de Honfleur tem sido muitas vezes referido pela Havrais como sendo “na outra costa.” Como uma cidade portuária situada na costa exposta pantanoso, o Le Havre tem sofrido por muito tempo das ligações de terra pobre. Novas ligações rodoviárias foram construídos a partir, entre o mais notável é a Pont de Normandie, que liga as duas margens do Sena e reduz o tempo de viagem entre Honfleur e Le Havre para menos de 15 minutos.

Igrejas

* Le Havre Catedral: a primeira pedra do edifício foi lançada em 1536. É a sede do Bispo de Le Havre.
* Igreja de São José, um dos símbolos mais reconhecidos da cidade. A torre do sino é um dos mais altos na França, chegando a uma altura de 106 metros. Ela foi projetado por Auguste Perret.
* Igreja de St. Michel
* Igreja de Santo -Eglise Vicente
* Igreja de São Francisco -Eglise St. François
* Igreja de Santo Eglise St. Anne Anne
* Igreja de St. Marie
* St. Michel d’Ingouville capela (século 15)
* Graville Abbey, um monastério dedicado a Sainte Honorine, num terreno na margem norte do rio Sena.
* Igreja Presbiteriana Reforma (Eglise Réformée), 47 rue Anatole France, construído em 1857, bombardeado em 1941, o telhado e o teto foi reconstruído em 1953 por dois arquitetos do famoso Auguste Perret escritório: Jacques e Gérard Lamy Dupasquier, somente na construção de uma a cidade oferece tanto: a escola antiga e nova Perret arquiteturas no mesmo edifício.
As missas são de manhã aos domingos às 10h30.

Museus

* Musée des Beaux-Arts de André Malraux: este museu abriga uma coleção de arte abrangendo os últimos cinco séculos, as coleções de pinturas impressionistas são o segundo mais extenso da França, depois os do Museu d’Orsay, em Paris. Há pinturas de Claude Monet e outros artistas que viveram e trabalharam na Normandia. Algumas das pinturas são de Eugène Boudin, Eugène Delacroix, Gustave Courbet, Edgar Degas, Édouard Manet, Pierre-Auguste Renoir, Georges Seurat, Raoul Dufy, Alfred Sisley. Uma das mais recentes aquisições do museu é vago, temps d’orage par de Gustave Courbet. A coleção de Olivier Senn (1864-1959), dado ao museu em 2004, contém mais de 205 pinturas.
* Musée du Vieux Havre
* Musée d’Histoire Naturelle (Museu de História Natural)

Outros lugares interessantes para visitar:

* A casa do Armador (século 18)
* O tribunal antiga (século 18)
* A Câmara Municipal: o campanário moderna contém escritórios
* O “Volcan” centro cultural, construído por Oscar Niemeyer
* Praça de São Roque
* Jardim Japonês

Leia mais...

Dicas de turismo na França: Trouville (Normandia)

novembro 5, 2010 | Posted in Destinos | By

 

 

 

Olá a todos, aqui estou eu mais uma vez dando dicas de turismo na Normandia!

Então, dando seguimento á serie “dicas de turismo na França”, depois de escrever os artigos:Dicas de Turismo na França – Deauville (Basse Normandie) ,Dicas de Turismo na França- Rouen (Haute-Normandie) , Dicas de Turismo na França-Mulhouse (Alsace) e Dicas de Turismo na França – Honfleur (Basse Normandie) hoje escreverei sobre Trouville .

 

 

Como já foi dito nos posts anteriores, Normandia é um lugar interessante e perto de Paris.

Em um fim de semana você pode visitar vários lugares diferentes.

Trouville fica mesmo ao lado de Deauville. É quase como uma continuação da mesma cidade, porém com características diferentes. Vale a pena conhecer!

 

Como já tinha dito passei o feriado de “finados” em Le Havre -Honfleur -Trouville. É tudo pertinho. Fiquei em um hotel em Le Havre (cidade patrimônio mundial – ainda não descobri porque, não é muito bonita… deve ser pelo porto – nem me cansei em tirar fotos, vou voltar la para ver melhor, quem sabe tenho alguma boa surpresa). Adorei o hotel.

Assim como outros lugares na Normandia, Trouville sempre chamou a atenção de artistas pela sua beleza natural.

Claude Monet pintou varias paisagens de Trouville, assim como outros pintores famosos.

Assim como Deauville, Trouville é o destino de férias de parisienses e de turistas que preferem ficar perto de Paris. Também tem um lindo Cassino como Deauville mas não é uma praia tão cara como Deauville. Eu aconselho conhecer as duas (estão mesmo uma do lado da outra).

 

 

Hoje vou falar sobre Festa da Maçã, fruta típica na região.

A “Fete de la pomme” inicia amanhã, com varias atrações.

A feira dura 2 dias, sábado e domingo (6 e 7 de Novembro).

No sábado, as 14 horas um desfile de grupos folclóricos abre oficialmente a feira.

Esse desfile dura 4 horas.

Com a abertura da feira, tem inicio, também as 14 horas o Concurso da Melhor torta de Maçãmeilleiur gateau aux pommes. Em frente do “L’Office de Tourisme”

 

A seguir:

15h – 17h: Atelier de geléias – Na “Mairie” (prefeitura)

15h – 16h: vários jogos envolvendo Maçãs. (deve ser engraçado!)

20h 30: Concerto ao ar livre.

 

No Domingo:

10h – 13h: Venda de Tortas de Maçã e outras gostosuras como geléias, bebidas, etc.

12h – 18h: Mais desfile folclóricos! Vale a pena ver os trajes típicos da região! Tem as roupas estilo Viking que eu já comentei nos outros artigos sobre a Normandia! Pena que não poderei ir… :(

14h: Momento ecológico: plantar macieiras!

15h: Filme sobre a fabricação de cidra na região.

15h 30: Degustação! Tortas, doces e bebidas pra todos! Bem… ainda bem que não vou mesmo, estou de dieta de novo…

16h 30: Divulgaçao do vencedor do concurso “A melhor torta de Maçã”, entrega do premio (não descobri qual e o premio mas deve ser dinheiro e um troféu? Não sei.

 

Bom essa é a programação oficial da prefeitura, claro que cada restaurante, empresa e associação vai estar presente com outras atividades, degustações e concursos.

 

Leia tambem os outros artigos do blog para mais Dicas de turismo na França!

 

Leia mais...

Honfleur (Normandia)

novembro 1, 2010 | Posted in Destinos | By

Visita guiada à Honfleur

 Saida de manha de Paris

Volta à noitinha

A apenas 200 km de Paris!

 

A historia de Honfleur é antiga, a primeira referencia a esta vila foi em 1027.

Durante o século XII o porto de Honfleur foi muito importante para o transporte de mercadorias entre França e Inglaterra.

Honfleur e fantástica! E realmente imperdível. A arquitetura das casas feitas em ardosia e a linda vista do porto serviram como inspiração de muitos pintores como Gustave Courbet, Eugène Boudin, Claude Monet e Johan Barthold Jongkind, formando a l’École de Honfleur que contribuiu para o aparecimento do movimento impressionista.

Honfleur é também a cidade natal de Erik Satie, e a sua casa é hoje um museu.

Honfleur é hoje cheia de galerias de arte por todos os lados, além de restaurantes e pequenas lojas onde você pode comprar os produtos tradicionais da região, tais como tapeçaria tipica (toalhas de mesa), enchidos, Cidra (especie de vinho de maçã) e Calvados (uma especie de cognac de maçã). Como eu já tinha falado antes nos outros artigos, os leite e derivados são especialidades da região, e produtos feitos com maçãs são típicos também Nos restaurantes eles servem muitas sobremesas baseadas em maçãs.

Uma curiosidade sobre o povo Normando e que eles nunca respondem « sim » ou « não », são sempre evasivos tipo « talvez.. » « pode ser » ou « oui et non ». Então não tente obter respostas muito diretas deles. Para quem gosta de quadrinhos, tem o « Asterix entre os Normandos » que mostra um pouco de como é o povo. Eles são uma espécie de Vikings franceses, e por muito tempo tiveram a reputação de não saberem o que é medo.

Enfim, Honfleur é um lindo lugar para visitar!

Para maiores informações sobre os passeios guiados:

Leia mais...

Dicas de Turismo na França – Deauville (Normandia)

outubro 6, 2010 | Posted in Destinos | By

Dicas de Turismo na França!

Ola pessoal,  dando seguimento à serie de dicas de turismo na Normandia, hoje vou falar sobre a Basse Normandie, mais especificamente Deauville.

Deauville é uma espécie de Riviera Normanda, onde a classe alta e famosos de Hollywood costumam fazer férias.

Ficou conhecida como o berço da moda de Coco Chanel, porque foi lá que ela abriu a sua primeira loja de roupas.

Também e conhecida porque e onde muita gente famosa tem/teve suas casas, só pra dar um exemplo, foi lá que Yves Saint Laurent morou.

Deville é também o lugar onde acontece o Festival de cinema Americano e o Festival de cinema Asiático.  Deixo ai os links pra quem estiver interessado em maiores informações:

Deuville tem incríveis hotéis, estilo grandes palácios, eu fiquei no Deauville Golf Barriere (http://www.lucienbarriere.com), embora muito lindo e  um hotel de 4 estrelas e esta sempre fazendo promoções (nos pagamos só 50% do valor da estada). Coloquei a foto do hotel na galeria de fotos abaixo, o Barriere tem uma rede de hotéis de luxo e o Cassino. Mesmo que você não goste de jogar, não perca a oportunidade de ir tomar um cafe no Cassino, quem sabe você  encontra o Al Pacino por lá… :)  É tudo pertinho mesmo, a Villa é pequena.

O único inconveniente e a localização, então pra quem não esta de carro eu aconselho um hotel mesmo no centro da cidade. Não esqueça que voce pode pesquisar hoteis aqui mesmo no blog. Esse hotel e meio difícil de encontrar e a noite o portão principal fica fechado, foi uma aventura encontrar o portão secundário, demorou digamos, uns bons 100 minutos. O meu conselho é pedir um mapinha no hotel para garantir um bom retorno do jantar ou jantar no restaurante do próprio hotel que é maravilhoso.

Outra coisa que se vê muito são coisas estilo Viking, rota dos Vikings, essas coisas.

Lugares interessantes:

  • La place de la Mairie
  • O Cassino
  • La piscine olympique
  • O porto
  • Place Morny
  • A praia

Leia mais...

Dicas de Turismo na França- Rouen (Normandia)

outubro 4, 2010 | Posted in Destinos | By

Ola Pessoal, aproveitando a idéia de escrever sobre dicas de turismo na França vou postar mais alguns lugares que conheci e que vale a pena colocar na sua lista pra visitar. O bom e que são todos perto de Paris, então da pra ver tudo de uma vez só se você se programar direitinho. Eu fiz um fim de semana cada um, mas e possível visitar esses lugares “numa só passada”.

Haute-Normandie!


Eu estive lá em fevereiro passado, tinha nevado bastante mas estava ensolarado, estava tudo branco de neve mas temperatura super agradável. Lindo!

Bom, se existe uma Haute-Normandie existe também a Basse-Normandie, mas essa fica pra um outro post.

A gente ouve falar que o segredo da culinária francesa é: manteiga, manteiga e mais manteiga. Isso com certeza pode se dizer da culinária da Haute-Normandie. Eles são grandes produtores de leite, queijos e manteiga, então da pra imaginar como é a comida! E muito boa, perfeita para o inverno.

Falando um pouco mais de culinária francesa, pela minha experiência o único lugar onde se usa montes de manteiga, creme e queijos nos pratos é mesmo a Normandia.

Esse também e o lugar onde nasceu o famoso licor Bénédictine.

Vou falar um pouco sobre Rouen, a capital da Haute-Normandie.

É conhecida por causa da Joanna D’Arc (ela foi queimada em Rouen), mas esse e só um detalhe mesmo, a cidade e muito linda.

Lugares interessantes para visitar:

Cathedral de Notre Dame , e a sua “Tour de Beurre” (torre de Manteiga- não falei que era tudo na base da manteiga por lá?)

O Gros Horloge que na verdade e um relógio astronômico datado do século XVI . Fica na rua do Gros Horologe. Impossível de não lembrar.

Outras famosos pontos turisticos são:

Os restaurantes são muito bons e não são caros, a comida como já falei e ótima. Não vou indicar hotel porque estive em um muito bom mas era no meio do caminho- na entrada da cidade, como estávamos de carro tudo bem, mas com certeza você pode encontrar um hotel ou albergue mesmo no centro de Rouen. Não gosto de ficar empurrando nomes se eu acho que sem a minha ajuda você pode encontrar coisa melhor.

Não esqueça de dar a sua contribuição, algum lugar interessante que você foi e gostaria de indicar. Deixe o seu comentário!

Leia mais...

Dicas de Turismo na França-Mulhouse (Alsace)

outubro 4, 2010 | Posted in Destinos | By

Estou voltando de um fim de semana maravilhoso e gostaria de partilhar com vocês algumas informações a respeito.

Estive fazendo turismo em Mulhouse,  na região de Alsace.

Mulhouse (Alsace)

Mulhouse situa-se a aproximadamente 30 km ao norte da Basiléia, na Suíça, a uns 15 km da fronteira francoalemã e a uns 120 km ao sul de Estrasburgo. Fica a 500 kilometros de Paris e você pode ir de trem (Gare SNCF de Mulhouse, Tél. 08 36 35 35 35 – SOLEA (Transport de l’agglomération mulhousienne), Tél. 03.89.66.77.77)

Eu nunca tinha ouvido falar dessa Villa, e a única coisa que conhecia dessa região era o vinho Riesling, mas fiquei surpreendida com a diversidade de lugares e atrações turísticas. Eu realmente recomendo que você inclua-a na sua rota turística.

Mulhouse e famosa por seus museus, especialmente o Cité de l’Automobile e o Musée Français du Chemin de Fer.

Outros monumentos e atrações a não perder:

  • Hôtel de ville do século XV.
  • Praça da Bolsa e prédio da Sociedade Industrial de Mulhouse do século XIX.
  • Museu do Automóvel (coleção Schlumpf).
  • Museu das Estradas de Ferro.
  • Museu da Eletricidade (Electropolis).
  • Museu de Impressão em Tecidos.
  • Jardim Zoológico e botânico.
  • EcoMuseu alsaciano (Museu de casas antigas da Alsácia, para lá transportadas e restauradas).
  • Torre do Belvédère. Panorama 360°.
  • Rota do vinho.

A comida, como não poderia deixar de ser devido a proximidade, lembra muito a comida alemã. As especialidades são: choucroute, spâtzle, Kougelhopf, “bredeles” e os vinhos de Alsace são o Riesling e o Pinot noir, (gris ou blanc).

Quanto a acomodação, eu optei por usar o site Residhotel que tem montes de promoções e preços ótimos. Você pode ficar em apartamentos com cozinha e tudo, tem lavanderia, breakfast (opcional), wi-fi, etc. Falei deste blog no hotel e eles me enviaram por email esse link com descontos, espero que seja util!


pub

Se vocês tem outras rotas turísticas que querem aconselhar , deixe o seu comentário!

Leia mais...