Como seria se as grandes cidades do Brasil tivessem um sistema de transporte como em Paris?

junho 24, 2013 | Posted in Cultura Francesa, Turismo dicas | By

 

Ola Pessoal. Estou acompanhando as manifestações no Brasil, e umas das reivindicações (objetivas) é uma melhora do sistema coletivo de transporte. Queremos um metro tipo o de Paris no Brasil?

Ou o metro daqui é muito simples pra gente, que esta acostumado com estações de metro em mármores e construções de luxo? Afinal é melhor ter transportes bonitos e caros ou simples e baratos? Não é melhor ter mais linhas, a toda hora, evitando muito acumulo de pessoas dentro dos transportes? O que é realmente o que se quer?

A rede de transportes públicos na região de Paris é altamente desenvolvida e funciona muito bem. O metro é o representante mais emblemático.

Nas últimas décadas, o crescimento da oferta focada em melhorar o serviço para os subúrbios com, entre outros, a criação da “Rede Regional Express” (RER), fez com que seja possível viajar entre cidades de Ile de france rapidamente. Se pode viver em uma cidade e trabalhar ou estudar em outra. Da mesma forma se pode ir e vir aos aeroportos Charles de Gaulle e Orly, que não ficam em Paris, usando o RER. Ou mesmo ir até a Disney passear.

Milhões de pessoas todos os dias usam o sistema de transporte parisiense e de subúrbio. Quem é residente e usa sempre os transportes pode ter um passe de uso ilimitado, que é ótimo e pratico, além de claro, ser muito mais barato do que ficar comprando bilhetes avulsos. Normalmente quem é empregado recebe este passe do patrão.

O metro se conecta com o RER e você faz a sua viagem pagando somente um ticket.

Outro sistema de transporte muito utilizado são os ônibus, ótima opção para idosos e pessoas com mobilidade reduzida, que não podem subir e descer as escadarias do metro.

Como assim? O metro de Paris não é moderno e lindo?

A simplicidade do metro Parisiense é motivo de reclamação dos turistas brasilieros

A simplicidade do metro Parisiense é motivo de reclamação dos turistas brasileros

Não. É feio, antigo (as primeiras linhas datam de 1900), com poucas escadas rolantes, com sistema de compra de tickets em maquinas (sem serviçais pra atender você ) e para muitos brasileiros, “cheira mal”. A maioria dos Brasileiros volta ao Brasil falando mal do sistema de transporte parisiense, pela questão estética, é claro. Dizem que no Brasil é que é bom, moderno, etc.

Eu sinceramente só sinto mal cheiro em locais no norte de Paris, onde ficam os guetos de imigrantes, gente que normalmente não teve boa educação no seu pais de origem e suja mesmo tudo, quebra, enfim.

metro de Paris


Metro de Paris – Varios vagões evitam que o metro esteja sempre superlotado

 

Em contrapartida, é barato e acessivel a todos. Aqui o deslocamento pra todo o lado não é problema, as crianças podem ir e vir da escola usando os transportes com segurança. Não há necessidade de alguém ir buscar as crianças na escola, elas sabem voltar pra casa sozinhas, ou em grupo de coleguinhas.

Um ticket comprado avulso custa 1,70 euros, um passe mensal para Paris e um pouquinho fora somente, custa 62 euros. Você com esse passe anda pra todo o lado. Este é um passe pra residentes, mas os turistas tem opções também: o navigo decouverte, e o paris visite. Ambos são comprados nos guichês do metro ou nas maquinas. Não há necessidade de comprar antes, por internet, etc. E só chegar e comprar.

Quando eu faço passeios aqui somente uma minoria acha mesmo legal o sistema de transportes aqui, porque para a maioria dos brasileiros, é muito feio, tinha de ser como em São Paulo, tudo em mármore, tudo bonito. Mas claro, se as pessoas querem luxo, tem de pagar mais. Aqui desde que seja seguro, pratico, eu não me importo se as paredes da estação são em azulejo ou em ouro. O objetivo dos transportes é transportar pessoas de uma lado pra outro. Só isso.

E você? Qual é a sua opinião? E melhor um sistema de metro de luxo com 4 linhas como o de São Paulo, ou um mais simples com 16 linhas, conectado a trams (eletricos)? O que você, sinceramente, escolheria?

metro paris: muito simples para o gosto refinado dos Brasileiros?

métro Paris: muito simples para o gosto refinado dos Brasileiros?

Já que agora, finalmente “acordamos”, quem sabe vamos rever as nossas necessidades? Ou continuamos com essa ideia de que tudo tem de ser de luxo?

Leia mais...

Chinon, Carlos VII e Joana D’Arc

junho 14, 2013 | Posted in Cultura Francesa, Destinos, Pontos turisticos, Turismo dicas | By

 

CHINON, CARLOS VII E JOANA D’ARC

por
(Romulo M. Ribeiro)

A única coisa que me vem ao espírito, quando penso naquele castelo imponente, além daqueles condes, reis, e o encontro decisivo entre Joana D’arc e o futuro rei Carlos VII é o frio. Fico imaginando como seria morar, ou de repente “se esconder” na época, naquele imenso castelo-fortaleza de Chinon. A paisagem, vista das torres, é digna de qualquer filme de ficção, onde as águas do rio Vienne, brincam de espelho com o céu e as nuvens incessantes; ondes são os corvos que mandam naquele espaço celeste, naquelas árvores seculares. Mas o inverno é bem frio, e nota-se, pelos tamanhos das lareiras do castelo, que na época o povo devia botar muita lenha naquelas fogueiras.

A cidade de Chinon é cercada pelos rios Vienne e Loire, a imensa floresta de Chinon – muitos animais selvagens ainda vivem naquele espaço – e as infinitas vinhas. O famoso vinho de Chinon, assim como outros da região, são frutados na degustação. Se guardamos o vinho na boca, podemos sentir um curioso gosto de argila no fundo da língua. Ao olfacto predomina-se o olor de cassis.

Mas, voltando à historia, fora naquele castelo que Carlos VII recebera Joana D’arc. Ela tinha somente 17 anos e dizia ter tido visões e visitas de anjos. E que recebera “ordens” e instruções divinas para salvar a França, e que o rei, em apuros, não poderia recusar uma ordem vinda de entes superiores: ele deveria lhe confiar um exército. Como todos os franceses temiam algum atentado ao futuro rei, em plena e eterna guerra contra os ingleses, as autoridades e os mais próximos de Carlos VII, até então regente secreto, resolveram organizar uma pequena cerimônia, onde um outro homem se vestiu, simulando ser o Delfim (golfinho, que na França é o termo para designar o herdeiro de um trono).

Joana D’arc, ao ser apresentada ao “falso” rei, não se convenceu. Deu uma volta entre os convidados e se ajoelhou em frente ao verdadeiro Carlos VII, cuja identidade era completamente desconhecida do povo. Todos ficaram impressionados, e foi o início de uma grande cumplicidade entre a força de um reino e a força de um espírito ( eis que a jovem Joana não tinha muita força para segurar sua espada, mas ganhara todas suas batalhas, inclusive as de Orleans, Reims e Compiegne, liberarando a França de seus invasores).

A cidade de Chinon fica a 240 km de Paris e, entre suas caves trogloditas, seus vinhos saudáveis, seu festival “musica show” (início de julho), seus bares e restaurantes, entre os quais o “le cafe français”, merece uma boa visita. Sem contar com os outros castelos tão próximos, como o de Saumur, Azay-le-rideau e o “chateau d’Ussé” – os jardins foram desenhados por Le Nôtre (*) – que inspirara Charles Perrault em seu fabuloso conto “A bela adormecida”.

Para ir à Chinon por transporte comum, o mais simples seria pegar o TGV (trem bala) na gare de Montparnasse, em Paris – 50 mn até Tours, e pegar um ônibus – 30mn – até Chinon. As reservas podem ser feitas pela internet pelo site http://www.sncf.com/fr/.

Pode-se também alugar um carro com carteira internacional e GPS. Fala-se portugues no hotel ‘Le Plantagenêt’ 12 Place Jeanne d’Arc – Chinon(www.hotel-plantagenet.com/)

* le nôtre também desenhou os jardins de Versalhes, entre outros.

 

Leia mais...