O Roteiro do Código Da Vinci em Paris com endereços

abril 29, 2011 | Posted in Pontos turisticos, Turismo dicas | By

Está precisando de algumas idéias de como programar o seu roteiro em Paris? Que tal seguir os passos do livro/filme Código Da Vinci?

Coloco aqui alguma informação sobre cada um dos lugares que aparecem no livro/filme, e espero que vocês se divirtam bastante fazendo este roteiro. Aconselho ver o filme de novo só pra ter tudo fresquinho na memoria quando vierem!

O Hotel Ritz de Paris, na Place Vendome

A Place Vendôme é conhecida por suas famosas (e caras) boutiques e hotéis de luxo, como o Ritz. Muitos designers famosos tiveram seus salões nesta praça, como Coco Chanel, que viveu la. Também foi onde Chopin viveu.

No Código Da Vinci, Robert Langdon se hospedou no Ritz, descobrindo as paredes decoradas com afrescos, ricamente decorado Renascença e cadeiras Luís XVI em madeira dourada em torno de sua mogno enorme cama de dossel. Não da pra ver por dentro, a não ser que você queira ficar hospedado lá.

Infelizmente os preços não são muito amigáveis, o quarto menor custa mais de 600 Euros a diária.

Mas de qualquer forma a place Vendome é um ponto turístico que vale a pena ver em Paris. E legal começar o roteiro por la mesmo.

Endereço Place Vendome 15

75001 Paris

A Grande Pirâmide do Louvre

O “Código Da Vinci” fala que a pirâmide do Louvre contém exatamente 666 peças de vidro – para o deleite dos amantes de mistérios, um numero que dá o que pensar.

Atenção: há controvérsias:

Depois da publicação do livro, as vidros da piramide já foram contados diversas vezes, e foram encontrados outros números: O número mais citado é 698. É também muitas vezes chamado 789, em honra da Revolução Francesa de 1789.

Local: Carrousel du Louvre

75001 Paris

A Grande Galerie do Louvre

No “Código Da Vinci” O crime original da trama se desenrola na Grande Galeria do Louvre, Jacques Saunière é encontrado morto perto da Mona Lisa de Leonardo da Vinci. “Langdon estava na entrada do túnel interminável de Grand Hall, cujo vidro abóbada desapareceu na escuridão.” “A galeria tem 500 metros. A largura é igualmente impressionante. Podemos acomodar dois trens de passageiros lado a lado.”

A descrição do livro é realmente próximo da realidade neste caso.

Endereço: Louvre 75001 Paris

O famoso quadro de Caravaggio “A Morte da Virgem”

No “Código Da Vinci” Para escapar de seu agressor, Jacques Saunière aciona o sistema de alarme. “O homem de 76 anos, agarrou com ambas as mãos a primeira imagem que apareceu à sua direita, um Caravaggio…”A pintura tem na verdade quase quatro metros de altura, difícil de levantar por um senhor de 76 anos! Bom, mesmo assim vale a pena ver!

Endereço Museu do Louvre, a Galeria Principal, 75001 Paris

 

A Mona Lisa, um misterioso Ícone

No “Código Da Vinci” “A Salle des Etats foi um dos poucos “cul de sac” (beco sem saída) do Museu do Louvre, a única sala que se abria para o centro da Grande Galeria.”

De fato, a ala Denon estava sendo reformado quando Dan Brown escreveu O Código Da Vinci. A Mona Lisa foi movida e, em seguida, substituído na Salle des Etats, que não é um beco sem saída e tem duas portas de frente para a Grande Galeria, a terceira se abre para o terraço Denon .

Endereço: Museu do Louvre, Salle des Etats, 75001 Paris

A Igreja de Saint-Sulpice

No “Código Da Vinci” O assassino foi para Saint-Sulpice para encontrar a chave escondida na igreja. Um monumento construído sobre as ruínas de um antigo templo dedicado à deusa Ísis.

O vaticano nega que a igreja de Saint-Sulpice seja um vestígio de um templo pagão da antiguidade. A fundação da igreja data do século XII e da primeira pedra do atual edifício foi lançada em 1646. De qualquer forma, estão la o relógio de sol em estilo romano e o lugar foi, sem dúvida, ponto de encontro de muitas ordens secretas, como a Irmandade de Sião. Esta é a segunda igreja mais importante de Paris, depois da Catedral de Notre Dame. Vale a pena colocar no seu roteiro! Fica pertinho do Jardim de Louxembourg.

Endereço 2 rue Palatine 75006 Paris

Este roteiro pode ser feito em uma manhã, deixando o resto da tarde livre para outros passeios.

Espero que as informações ajudem você a fazer o passeio por conta própria, mas se você quiser fazer esse passeio guiado por mim, é só entrar em contato!

 

 

 

Leia mais...

Guia das 10 Melhores boulangeries de Paris com endereço e estação de metro mais próxima

abril 28, 2011 | Posted in Restaurantes, Turismo dicas | By

E quase impossivel não ficarmos encantados em um primeiro encontro com uma vitrine de uma boulangerie em Paris.

Apesar do surgimento recente de lojas da Starbucks e “unidades de McCafé”, as boulangeries parisienses, (especie de padarias/pastelarias) conseguiram suportar a produção em massa e globalização, continuando a produzir pães de qualidade, doces e bolos que são atraentes, suntuosos, e muitas vezes francamente irresistiveis. Com uma boulangerie em praticamente cada esquina, você nunca vai ficar com fome em Paris, e se você está procurando por baguete extra-especiais ou pela  famosa torta de framboesa francesa, aqui está um guia para dez das melhores padarias de Paris. Não deixe de experimentar!

    1. Le Grenier à Pain
    Endereço: 38 rue des Abbesses
    Tel: 33. (0) 1 46 06 41 81
    Metro: Abbesses
       

      2. Poilâne
      Endereço: 8 rue du Cherche-Midi
      Tel: 33. (0) 1 45 48 42 59
      Metro: Saint-Sulpice

      3. Pain d’Epis
      Endereço: Avenida 63 Bosquet
      Tel:. 33 1 45 51 75 01
      Metrô: Ecole Militaire

      4. Le Moulin de la Vierge
      Endereço: 166 avenue de Suffren
      Tel:. 33 1 47 83 45 55
      Metro: Denfert-Rochereau
      5. Maison Kayser
      Endereço: 14 rue Monge
      Tel: 33 (0) 1 44 07 17 81
      Metro: Mutualité Maubert

      6. Au 140
      Endereço: 140, rue de Belleville
      Tel: 33. (0) 1 46 36 92 47
      Metro: Jourdain

      7. Le Nôtre
      Endereço: 10 rue Saint Antoine
      Tel: 33. (0) 1 53 01 91 91
      Metrô: Bastille

      8. Boulangepicier
      Endereço: Avenida 73 de Courcelles
      Tel: 33. (0) 1 46 22 20 20
      Metro: Courcelles

      9. Jean Pierre Cohier
      Endereço: 270 rue Faubourg St-Honoré
      Tel: 33. (0) 1 42 27 45 26
      Metro: Ternes

      10. La Bague de Kenza (Algérienne Boulangerie)
      Endereço: 106, rue St Maur
      Tel: 33 (0) 1 43 14 93 15
      Metro: Parmentier

    Leia mais...

    Saiba programar as suas férias em Paris: Veja quanto tempo é necessário para ver cada ponto turístico, museu ou monumento.

    abril 17, 2011 | Posted in Pontos turisticos, Turismo dicas | By

    Paris, com a sua imponente Torre Eiffel, e a sensação romântica de ver a cidade através de um passeio pelo rio Sena, alem da história cultural, devem ser visitadas em alguma primavera na vida de todos.
    Ao visitar Paris, os pontos turísticos e valor cultural da cidade compensam e muito o valor pago pela viagem, especialmente na primavera, quando o clima faz um passeio pelo rio Sena tão convidativo. Os dias são longos e você tem luz diurna ate quase 10 da noite.
    A cidade oferece 10 pontos turísticos considerados imperdíveis para os visitantes que vem pela primeira vez. O que se segue é um breve resumo sobre cada um destes destinos, assim como o tempo necessário para ver cada um destes monumentos. Evite fazer roteiros de “20 minutos em cada museu”, a não ser que você tenha um passe tipo paris pass, senão sai muito caro.

     

    Louvre: O Louvre é o museu de arte mais visitado do mundo (mais de 8 milhões de turistas visitaram o país em 2006). A Mona Lisa de Leonardo da Vinci, Madonna e as rochas e a Virgem e o Menino com Santa Ana estão entre as obras de arte em exposição. Alexandros de Antioquia Vênus de Milo também está abrigada no museu. O edifício foi um palácio real durante os tempos medievais. (Para quem gosta de arte, recomendo pelo menos uma manha inteira dentro do Louvre, pra quem não só gosta como entende de arte, recomendo um dia inteiro).

    Jardin des Tuileries: Também conhecido como o Jardim das Tulherias, ocupa o grande espaço vazio entre as alas norte e sul do Louvre. O Sena é para o sul. O Jardim das Tulherias cobre cerca de 63 hectares. O espaçoso jardim, que se irradia na primavera, oferece esculturas clássicas e modernas, grandes bacias, canteiros de flores e aves selvagens. O espaço onde está localizada uma vez foi um palácio ao lado do Louvre, que  foi completamente perdido por um incendio em 1871, abrindo espaço para o jardim. (Lugar ideal para descansar depois de uma visita ao Louvre). O Jardim des Tuileries e grande, reserve tempo para ver, recomendo no minimo 40 minutos. Aproveite para relaxar por aqui, e comer qualquer coisa.

    Centre Georges Pompidou: um museu de arte com design exclusivo (muita gente diria “interessante”), biblioteca de pesquisa em música, tem este nome por causa do Georges Pompidou, que era o presidente da França em 1969-1974. O edifício, inaugurado em 1977, inclui os grandes tubos coloridos na parte externa traseira. As cores dos tubos mostram o seu conteúdo: Amarelo para a eletricidade, o vermelho para o aquecimento, azul para o ar, e verde para a água. (Tempo recomendado: Uma manha inteira – Recomendado somente para quem gosta de arte contemporânea) Fecha as tercas feiras.

    Place des Vosges: É a mais antiga praça de Paris, construído no reinado de Henrique IV de 1605-1612. A Place des Vosges foi  a primeira tentativa de Paris para o planejamento urbano  e é composto de 39 casas cada um feito de tijolo vermelho, com revestimentos de pedra. Algumas das casas são museus, apresentando os seus residentes de 400 anos atrás. (Vale a pena passar pelo menos 30 minutos la, lugar fantástico para tirar fotos)A casa/museu de Victor Hugo fica a esquerda de quem entra, e so ir ate o fundo.

    Notre Dame de Paris: Esta  catedral católica romana levou quase 200 anos para ser construida,  comecando em 1163 e concluída por volta de 1345. A catedral, com suas torres distintas sobre a fachada oeste, foi parte de muitos acontecimentos históricos, incluindo a colocação da coroa de Cristo de espinhos por São Luís, durante a construção da Sainte-Chapelle em 1239, e Henrique VI é coroado rei da França, em 1431. (Se você não subir na torre, uns 20 minutos e suficiente) Napoleao se “auto-coroou” aqui tambem,

    Sainte Chappelle: Uma capela gótica no coração de Paris foi rapidamente concluída, uma vez que foi consagrada em 1248, após os planos para sua construção iniciada em 1241. Luís IX  (San Louis)de França construiu esta capela para ser a capela palácio real. Também foi construído para abrigar as relíquias preciosas, como a Coroa de espinhos de Cristo, a Imagem de Edessa e 20 outras relíquias de Cristo. (Pelo menos 30 minutos). O palacio real que existia na epoca nao existe mais, mas a capela foi preservada (ainda bem!)

    Musée d’Orsay: Este edifício está situado na margem esquerda do Sena e está situado na antiga Estação Ferroviária de Orsay. Possui pinturas francesas 1848-1914. Entre as pinturas mais famosas são as de Van Gogh, Monet e Renoir. (Uma manha inteira)

    Torre Eiffel: A famosa torre de observação e torre de transmissão de rádio foi construído em 1889. É a estrutura mais alta de Paris (1063 metros de altura) e é o monumento mais visitado do mundo . A estrutura, concebida pelo engenheiro Gustave Eiffel, foi construída em três anos, foi construído como uma entrada para a Feira Mundial marcando o centenário da Revolução Francesa. O melhor momento para ir a torre Eiffel é a noite ou a tardinha, quando os museus estão fechados. A uma serie de bons restaurantes e bistrôs ao redor, vá jantar por la ou mesmo na torre (tem 2 restaurantes dentro torre mas e melhor reservar antes de ir).

    Avenue des Champs-Elysees: Uma das mais famosas ruas do mundo que inclui habitação afluente, cinemas, cafés e lojas especializadas de luxo. Continua a ser a segunda avenida mais caras (imóveis) no mundo, atrás da Quinta Avenida de Nova York. As rendas são tão altas quanto 1,25 milhões dólares por ano.. A Champs-Elysees é também o fim tradicional da última etapa do Tour de France. (são 3 km de Avenida, começando perto do Louvre em terminando no Arco do Triunfo) Programe bem a caminhada  para poder aproveitar e ver tudo, com uma pausa para um café.

    Arc de Triomphe: Também um dos monumentos mais famosos do mundo, fica na extremidade oeste da Champs-Elysees. As honras arco aqueles que combateram pela França durante o regime imperial de Napoleão Bonaparte na França 1804-1815. Hoje, ele inclui um túmulo para o soldado desconhecido. (Se você não subir la em cima, uns 10 minutos sao suficientes).

    Estes são 10 dos mais populares locais em Paris. A cidade oferece muito mais, incluindo passagens românticas ao longo do Sena, o cabaré Moulin Rouge, e algumas das mais belas arquiteturas góticas do mundo.

    Uma viagem a Paris durante a primavera ou em qualquer momento exige pelo menos duas semanas, talvez mais, para apreciar o seu lugar na história do mundo da cultura. Tudo o que você tem que considerar: as mais belas obras de Leonardo da Vinci, Vincent Van Gogh e Claude Monet estão em Paris. Isso é motivo suficiente para visitar a Cidade luz.

     

    Como você pode ver, estes são os pontos turísticos mais famosos de Paris e já foram falados muitas vezes aqui no blog.

    Se você não tem tempo de ficar 2 semanas em Paris, tente optar pelas coisas que você goste mais.

    Pesquise, veja se interessa antes de ir.

    Eu tenho tido uma experiencia interessante com os meus passeios guiados aqui em Paris, mas realmente ver os monumentos “só porque você TEM DE VER” não é para mim a melhor ideia de diversão.

    Eu já tive a experiencia de estar guiando um grupo que ao chegar no Museu d’Orsay perguntou:

    “Onde esta a Monalisa?”

    Eu disse: “Esta no Museu do Louvre”.

    A pessoa respondeu: “Então porque estamos aqui?”

     

    Pesquise, pergunte, veja se o local realmente interessa e não perca tempo no que pra você não tem valor!

    • Você esta em férias. Férias que não são baratas. Aproveite bem e relaxe.
    • Não vá ao “ Centre Georges Pompidou” se você não gosta de “modernices” , Eu pessoalmente não gostei do Centro na primeira vez que fui, eu aprendi a apreciar depois de muitas idas.
    • Não vá ao Louvre se você pouco liga pra arte e não gosta de “velharia”.
    • Tente ser coerente com os seus gostos e seja feliz. Não suba a torre Eiffel só pra contar para os outros na volta.
    • A maioria dos monumento tem fila pra entrar. Mesmo com passe você vai ter alguma fila as vezes.

    Não desperdice o seu tempo se você não acha necessário. Gosto não se discute. Va onde você quer ir e pronto. Eu tenho tido grupos que preferem fazer um roteiro meio “mórbido” que não deixa de ser original, com catacumbas, cemitérios e mausoléus. Não deixa de ser interessante também, e afinal você e dono do seu nariz.

    Eu, por exemplo, muito mais prefiro andar pelos jardins ao redor da torre do que enfrentar uma fila pra subir ate la em cima. Mas como eu já disse: gosto não se discute!

     

    Leia mais...

    O museu do perfume em Paris: Fragonard Musee Du Parfum

    abril 16, 2011 | Posted in Compras em Paris, Pontos turisticos | By

    No final do século 14, perfumes líquidos começaram a gradualmente substituir os sólidas (resinas e óleos usados como perfumes).

    Águas perfumadas e tinturas foram procurados por seus valores medicinais.

     

    Banhos eram considerados perigosa e insalubre por toda a Europa e, conseqüentemente, aristocratas utilizado quantidades crescentes de perfume para ocultar o odor de seus corpos mal-lavado.

    Perfumes fortes e inebriantes, como o âmbar, almíscar, jasmim e tuberosa, eram persistentes o suficiente para encobrir maus odores em voga. Da mesma forma, a fragrância usada em luvas perfumadas trazida à França por Catarina de Medici, de sua terra natal (Toscana) mascaravam o cheiro desagradável de couro mal curtido.

     

    A associação entre couro e perfume era tão forte que em 1656 a Corporação dos Glovemakers (fazedores de luvas) e perfumistas foi formado em França.

    Sob Luís XIV, apelidado de “rei com cheiro mais doce de todos”, nessa agremiação foi concedido o monopólio da distribuição de perfume, que anteriormente pertencia a boticários e farmacêuticos.

     

    A forte demanda por produtos perfumados, principalmente importados da Itália, encorajou a França a desenvolver a sua indústria próprio perfume. A região de Grasse, no sul da França, que gozava de um clima favorável e apoio local da Faculdade de Farmácia de Montpellier, começou a especializar-se em ambas as matérias-primas aromáticas e a produção efetiva de perfume.

     

    A idade do Iluminismo viu uma grande expansão dos produtos de perfumaria. As águas perfumadas abriram caminho para colonias de toucador e banho de cheiros gradualmente foram incorporados ao dia a dia cotidiano da realeza e dos cidadãos abastados.

     

    A corte francesa foi o modelo inquestionável de requinte e elegância em toda a Europa e, eventualmente, a França se tornou o lar dos maiores fabricantes de perfumes e perfumes mais inovadores. Enquanto Paris era a capital do comércio de produtos perfumados, a cidade de Grasse, com suas extensos campos de jasmim e rosa, se tornou a capital da produção. Como você pode ver por esta pequena historia do perfume francês, a ideia de que os franceses eram mal cheirosos é apenas um erro. Na verdade eles cheiravam a essências muito fortes e doces, dando assim a eles a fama de “cheirosos”.A realidade da época era que realmente ninguém tomava banho regularmente. Os banhos regulares foram introduzidos pelo contato com os povos indígenas das americas, que costumavam banhar-se nos rios para evitar que o cheiro corporal atraísse insetos e animais.

    Foi durante este período que Grasse começou a adquirir a sua reputação mundial pela diversidade e qualidade da sua produção.

    Para saber mais sobre a historia do perfume Frances, e ver como eram feitos os perfumes antigamente e como são feitos hoje, o Museu do Perfume é o melhor lugar para ir em Paris.

    De Graça, e ainda com visita guiada (em inglês).

    Você ainda terá a oportunidade de fazer compras na Boutique do Museu, que oferece uma variada gama de produtos de Higiene e perfumaria. Imperdível!

     

    Museu do Perfume – Fragonard Musee Du Parfum

    9 Rue Scribe, 75009 Paris, France +33 1 47 42 04 56 ‎ fragonard.com

    Leia mais...

    Intercâmbio cultural e hospedagem “free”: Sim, é possível e você também pode fazer!

    abril 14, 2011 | Posted in Turismo dicas, Viver em Paris | By

    Inspirada na minha filosofia de viajante independente, resolvi falar neste artigo sobre a possibilidade de realizar intercâmbio cultural durante a viagem de férias. Sim, é possível fazer intercâmbio sem precisar ficar meses em um país.

    Existem comunidades virtuais de viajantes independentes, onde a filosofia é a hospedagem gratuita em troca de intercâmbio cultural. Entre essas comunidades, os mais conhecidos são o Hospitality Club (http://www.hospitalityclub.org/) e o CouchSurfing (http://www.couchsurfing.org/).

    De uma forma geral, nestas comunidades basicamente você “se oferece” para receber pessoas em sua casa e também “solicita” hospedagem na casa de outros membros com o perfil compatível com o seu. Esses membros estão espalhados em todos os continentes, e você tanto pode receber na sua casa uma pessoa do Japão, como pode hospedar-se em Paris!

    A primeira vista parece um pouco de loucura, mas cada uma destas comunidades possui regras claras para seus participantes, que são auto reguladas pelos membros e geralmente são respeitadas. Além disso, essas comunidades possuem ferramentas de segurança e verificação de seus membros, como uma forma de ajudar na segurança do projeto.

    COMO FUNCIONA:

    1) Você deve criar um perfil em um dos sites (eu indico o CouchSurfing), como um site de relacionamento, porém muito mais específico, já que o foco é voltado para hospedar e ser hospedado. Quanto mais detalhista você for, melhor na hora de solicitar hospedagem;

    2) Depois de ter um perfil completo, participe dos grupos. Cada cidade tem um grupo. O grupo de Paris é um dos mais movimentados e ativos do CouchSurfing;

    3) Se você mora no Brasil, nas principais capitais também tem grupos ativos, participe dos eventos e conheça pessoas. Isso é importante como forma de iniciar sua fase de confiança no projeto. Eu aconselho isso, assim você verá por si só que o projeto é realmente sério;

    4) Antes de sua viagem pesquise pessoas que moram na sua cidade de destino, leia o perfil completo da pessoa e veja se há afinidade com você;

    5) Se tiver a intenção de se hospedar, envie um e-mail solicitando, informe o período que você ficará na cidade e fale um pouco de você;

    6) Você também pode simplesmente solicitar companhia para alguns passeios, alguma pessoas se disponibilizam a apresentar a cidade, tomar um drink ou apresentar alguma balada legal.

    Sou entusiasta deste projeto, já hospedei pessoas na minha casa em São Paulo, já acompanhei em passeios pela cidade, baladas e fiz ótimos amigos entre brasileiros e estrangeiros. Isso tudo sem sair de São Paulo.

    Claro que existem pessoas que não procuram entender a filosofia do projeto e acabam se equivocando ao tentar conseguir hospedagem de graça para economizar dinheiro na viagem, mas logo percebe-se que são a grande minoria e geralmente não conseguem nada além de uma recusa por parte de algum membro da comunidade.

    Pessoas altamente conservadoras geralmente não se identificam com o projeto, mas se este não é o seu caso, vale a pena acessar os sites indicados e conhecer um pouco mais sobre assunto. Quem sabe na sua próxima viagem você acabe se hospedando na casa de um típico parisiense e tendo a oportunidade de mergulhar de cabeça na cultura e dia-a-dia da cidade luz?

    Leia mais...

    Saint Malo: Antiga Terra de piratas e corsários na Bretanha

    abril 13, 2011 | Posted in Destinos | By

     Saint-Malo Visita com guia acompanhante.

    (Breton: Sant-Malou; Gallo: Saent-Malo) é uma cidade portuária fortificada, na Bretanha, no noroeste da França sobre o Canal Inglês.

    Fica a mais ou menos 400 km de Paris (cerca de 6 horas de onibus). O ideal é programar uma noite, assim voce pode aproveitar e adicionar o Mont Saint Michel no roteiro, ja que os locais são proximos.

    O que recomendamos:

    Saida de manha de Paris em onibus ou carro, chegada em Saint Malo, check in no hotel e passeio guiado pela cidade.

    No outro dia, saida do hotel até  Mont-Saint Michel. Visita ao Monte e Abadia.

    Volta à Paris diretamente do Mont Saint Michel. Tickets para a Abadia de Saint Michel incluidos.

     

    Os corsários de Saint-Malo:

    Saint-Malo tornou-se notória como a casa dos corsários, corsários franceses e, por vezes piratas.

    Não eram só os navios Ingleses que eram forçados a pagar “um tributo”, ao passar pelo Canal mas eles também foram os responsáveis por trazerem riquezas de longe.

     

    Jacques Cartier:

    Navegou o Rio Saint Lawrence e visitou as cidade de Quebec e Montreal, sendo, portanto, creditado como o descobridor do Canadá.

    O que comer em Saint Malo:

    Saint-Malo tem uma das maiores concentrações de restaurantes de frutos do mar na Europa. É famosa por suas ostras locais da aldeia vizinha de Cancale.

    Os crepes são também tradicionais na região, não deixe de provar. Os crepes salgados se chamam Galletes e os doces são crepes mesmo.

     

     

     

    Leia mais...

    Paris Impressionista: Museus Marmottan, D’Orsay e L’Orangerie

    abril 12, 2011 | Posted in Cultura Francesa, Pontos turisticos, Turismo dicas | By

    A origem de uma revolução artística: 1874. Em meio a hostilidades e rigidez das regras de pintura da época, Claude Monet e seus amigos resolvem fazer uma exposição mostrando uma nova forma de pintar. Essa exposição foi feita em um salão próprio, particular, onde eles poderiam mostrar as suas obras sem ter que entrar dentro do “esquema” estético da época.

    A premiere foi um sucesso. A obra de Monet “Impression, Le Soleil” causou um tal efeito no publico da época que deu nome ao novo movimento que surgia: “O Movimento impressionista”.

    O Impressionismo mostra elementos de cores contrastantes e pinceladas fortes, usando a luminosidade como fator fundamental. Os temas pintados são temas cotidianos, paisagens locais e populares.

    Paris e arredores, assim como a costa da Normandia foram os lugares elegidos pelos pintores a serem retratados e recriados.

    Estas obras foram primeiramente expostas no Museu Marmottan-Monet. Instalado em um hotel particular do quartier Ranelagh, este museu expôs cerca de 300 obras de artistas impressionistas, como Renoir e Manet.

    O museu Marmottan-Monet ainda hoje expõe grande parte da obra de Claude Monet, sendo considerado por alguns muito melhor do que o Museu de Giverny, onde fica a casa do Monet.

    Em continuação ao sucesso do movimento impressionista, cria-se outro espaço dentro do Jardim de Tuileries: O Museu de L’Orangerie.

    As margens do Rio Sena, em frente ao Louvre, a antiga gare d’Orsay se torna outro templo dedicado ao impressionismo. O Museu D’Orsay é hoje em dia considerado um dos mais belos museus do mundo.

    Estes 3 museus tem uma coisa em comum alem de guardar as mais belas obras do movimento impressionista do mundo: A luz natural que ilumina o ambiente destes museus tornam estes os lugares ideais para expor arte impressionista.

    Lugares como Honfleur, Etretat e outras perolas da Costa da Normandia foram retratados por Monet, assim como pelos seus amigos impressionistas.

    Jardins, praias, pontes e parques e belas paisagens naturais são retratadas de uma forma fantástica neste estilo de pintura.

    No impressionismo não há espaço para retratos de reis e rainhas, nem para pinceladas imperceptíveis fazendo uma especie de “fotografia realista”.

    Você vai poder ver cada pincelada do artista, e ver que parece que nenhuma e da mesma cor do que a outra. A mistura das cores da-se ao olhar as pinturas mais ao longe, misturando-se no todo da obra.

    Não deixe de reservar um espaço na sua agenda para ver com calma pelo menos um destes museus.

    Aqui vão os endereços do impressionismo em Paris.

    Clique no web site dos museus para ver um pouco das obras que estão a sua espera:

     

    Musee Marmottan-Monet

    2, Rue Louis-Boilly, 75016

    www.marmottan.com

     

    Musee de L’Orangerie

    Jardin de Tuileries, 750101

    www.musee-orangerie.com

     

    Musee d’Orsay

    1, Rue de la Legion-d’Honneur, 75007

    www.museeorsay.fr

     

    Temporada: Os Museus de L’Orangerie e Marmottan estão fechados na terça, o Musee d’Orsay na segunda-feira.

    Leia mais...